Category Archives: Entretenimento

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO REALIZOU CAMPEONATO ENTRE ESCOLAS DO MUNICÍPIO

A Copinha do Mundo de Montanhas aconteceu neste sábado, dia 16 de junho e contou com a participação das escolas da rede municipal, que representaram alguns países participantes da Copa do Mundo na Rússia.

O evento tinha como objetivo incentivar o esporte, como também, trazer um pouco deste evento mundial para nossa cidade.

A Secretaria Municipal de Educação agradece a todos os envolvidos na realização deste evento, e parabeniza as escolas vencedoras:

1º Lugar (ouro) – Inglaterra (E. M. Boa Esperança)

2º Lugar (prata) – Argentina (E. M. Jessé Pinto Freire)

3º Lugar (bronze) – Alemanha (E. M. Grimaldi Ribeiro)

Veja algumas fotos do evento:

Acompanhe todas as fotos através do link da Secretaria de Educação CLICANNDO AQUI

 

Anúncios

Cateano é um baiano que define São Paulo como ninguém nunca conseguiu

Resultado de imagem para caetano sampa

Caetano criou um hino à cidade de São Paulo

O cantor, músico, produtor, escritor, poeta e compositor baiano Caetano Emanuel Viana Teles Veloso, na letra de “Sampa”, traduz as impressões que a capital paulista causa ao visitante, que se traduz num hino de amor à cidade, pois a letra também deve ser analisada levando-se em conta o contexto da época e do próprio momento da vida do autor. A música foi gravada por Caetano Veloso no LP Muito (dentro da estrela azulada), em 1978, pela Philips.

SAMPA
Caetano Veloso

Alguma coisa acontece
No meu coração
Que só quando cruzo a Ipiranga
E a Avenida São João…

É que quando eu cheguei por aqui
Eu nada entendi
Da dura poesia
Concreta de tuas esquinas
Da deselegância discreta
De tuas meninas…

Ainda não havia para mim Rita Lee
A tua mais completa tradução
Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruzo a Ipiranga
E a Avenida São João…

Quando eu te encarei
Frente a frente
Não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi
De mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio
O que não é espelho
E a mente apavora
O que ainda não é mesmo velho
Nada do que não era antes
Quando não somos mutantes…

E foste um difícil começo
Afasto o que não conheço
E quem vem de outro sonho
Feliz de cidade
Aprende depressa a chamar-te
De realidade
Porque és o avesso
Do avesso, do avesso, do avesso…

Do povo oprimido nas filas
Nas vilas, favelas
Da força da grana que ergue
E destrói coisas belas
Da feia fumaça que sobe
Apagando as estrelas
Eu vejo surgir teus poetas
De campos e espaços
Tuas oficinas de florestas
Teus deuses da chuva…

Panaméricas
De Áfricas utópicas
Túmulo do samba
Mais possível novo
Quilombo de Zumbi
E os novos baianos
Passeiam na tua garoa
E novos baianos
Te podem curtir numa boa…

Site Poemas & Canções

A segurança pública tornou-se uma questão essencial e fundamental

Por: Dr. Evandro Borges

Em face da violência que se alastra e da ineficiência do Governo do Estado, tendo o atual Governador muito prometido nesta dimensão sem efetivos resultados, conversei recentemente, com Heráclito Noé, Delegado de carreira, estudioso do assunto, com Kátia Nunes, advogada militante das causas de segurança pública, os dois aqui na PNTV e com a Diretora de Comunicação social, do Sindicato dos Policiais Federais do Rio Grande do Norte, Katrin Paiva na TV Metropolitano.

De unanimidade em propostas foi colocado à importância para integração das ações públicas dos diversos órgãos e forças policiais, inclusive já contando com um importante mecanismo, o fórum de entidades, com amplas discussões, e a novidade foi à aprovação pelo Congresso Nacional do Sistema Único de Segurança Pública – SUSP, com definição de uma política.

Os últimos dados sobre homicídios nos finais de semana são estarrecedores, somando chega a um número de mais de trinta mortes por assassinato, e o número de policiais militares atinge a casa de quinze mortes, no pleno exercício da profissão, merecendo do Estado uma maior atenção e respeito, consubstanciada em uma indenização para as viúvas que serão postuladas através de demanda judicial em preparação por Kátia Nunes e reforçada por Katrin Paiva.

Durante a semana se deu uma mobilização dos integrantes da Polícia Militar, pagos as suas remunerações com atraso, um verdadeiro contrassenso, uma completa falta de prioridade, revelando uma fraqueza do Governo Estadual que não soube sanear as finanças públicas, não elegeu as prioridades corretamente, em que pese o planejamento orçamentário, com a elaboração participativa do Plano Plurianual.

A reforma no ordenamento jurídico penal é uma tônica, tanto no Código Penal, como também, no Processo Penal, que ambos em vigor desde o século passado, retratando uma realidade ultrapassada, devendo as penas ser aumentadas, e o inquérito policial ser revogado, não mais existindo na maioria dos países, com raríssimas exceções, haja vista, o pequeno índice de crimes contra vida, efetivamente apurados e encaminhados para denúncia processual, contribuindo este quadro para a impunidade.

O crime organizado é insuportável pela sua violência em todas as dimensões, influindo nas relações humanas, sociais, e sua generalização tem provocado a mudança de modo de vida, diminuindo a qualidade de vida, atingindo a economia, e em Natal especialmente em razão de ser a porta de entrada do turismo receptivo do Estado, prejudicando toda a cadeia produtiva, da hotelaria, restaurantes, artesanato e serviços em geral.

A segurança pública tornou-se uma questão essencial e fundamental, pelo que tem provocado, de maneira até anunciada, do que se constata que o atual governo perdeu completamente a representatividade e credibilidade para enfrentar esta dimensão, pelo que se propôs e não conseguiu efetivamente realizar.

Montanhas / RN – São João aqui é assim, muita cultura e muita diversão

           

O Padre Renato, juntamente com sua equipe, vem promovendo atividades religiosas no mês junino, já que São João Batista é o padroeiro do município, e tradicionalmente, neste período, é comemorado, além da religiosa, as festividades sociais.

O Município de Montanhas, colabora para esta parceria, Igreja/Município, permanecer viva, neste sentido, o Prefeito Manuel Gustavo, vem conduzindo suas festividades com destaque para a cultura, assim toda municipalidade participa e tem satisfação por ser montanhense.

A partir do dia 23/06 à 28/06 as atividades juninas estarão acomodadas na praça de eventos por trás do mercado público, com ornamentações cenográficas, enfeites, São João/copa e por ai vai a curiosidade, compareça e participe do São João cultural em Montanhas.

No dia 28 de junho, véspera de São Pedro, estaremos no bairro Boa Esperança, com toda estrutura para a festa que vem sendo realizada no bairro, com atividades religiosas e sociais.

Vamos ver algumas imagens no entorno da Igreja Matriz, diga-se de passagem, muito bem ornamentada e aqui destacamos as ações idealizadas pela equipe da Prefeitura Municipal e equipe da Paróquia da Igreja de São João Batista.

 

Imagens reprodução grupo São João em Montanhas

15 de Maio — Dia Internacional das Famílias

O Dia Internacional da Família foi instituído na Assembleia Geral da ONU em 1993

No dia 15 de maio, comemora-se o Dia Internacional das Famílias ou, simplesmente, o Dia Internacional da Família. Esse dia foi definido em 20 de setembro de 1993, em deliberação da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Desde então, no dia 15 de maio sempre há, em várias partes do mundo, conferências e celebrações para discutir e traçar projetos para o futuro da instituição familiar.

Sabe-se que a família, do ponto de vista histórico e também sociológico, é o núcleo elementar da sociedade, isto é, uma instituição basilar. A família funciona como o primeiro grupo de relações no qual os indivíduos interagem entre si. Foi a partir do núcleo familiar que a sociedade como um todo ganhou corpo ao longo da história humana. Contudo, a decisão da ONU, enquanto organização internacional, de escolher um dia para homenagear a família está relacionada com os problemas e transformações que essa “célula social” vem apresentando desde o século XX.

Depois das duas guerras mundiais, que levaram ao óbito dezenas de milhões de pessoas, entre soldados jovens e população civil, e das várias guerras civis regionais que se seguiram durante a Guerra Fria (e ainda continuam em diversos pontos do globo), houve transformações radicais no tecido social. Em vários países da Europa, por exemplo, a população “envelheceu”, isto é, não houve um equilíbrio entre a quantidade de cidadãos idosos e a quantidade de pessoas jovens em plenas condições de trabalho. Já em outras regiões, ocorreu o inverso.

Além disso, o processo acelerado de globalização, as novas modalidades de trabalho e os novos hábitos, como a opção por moradia em pequenos apartamentos, o uso intensivo de tecnologia, entre outros fatores, contribuíram para que as gerações (avós, pais e filhos) ficassem cada vez mais apartadas umas das outras. Esse é um fenômeno que interessa e preocupa os chefes de Estado de várias partes do mundo.

Soma-se a essas questões a ocorrência de crianças abandonadas, gravidez precoce, alcoolismo, dependência química e violência doméstica (contra mulheres e crianças), fatos que estão direta ou indiretamente relacionados com os problemas mais elementares que nascem no interior do núcleo familiar. Geralmente, em todo dia 15 de maio, o Secretário-geral da ONU emite um comunicado ou faz um pronunciamento a respeito desses problemas e das possíveis medidas que podem ser tomadas com relação a eles. No ano de 2012, por exemplo, o então Secretário-geral Ban Ki-Moon fez observações a respeito da relação entre trabalho e família, destacando temas como a mulher no mundo do trabalho e outros mais. Veja um trecho de seu pronunciamento :

O Dia Internacional da família deste ano destaca a necessidade do equilíbrio trabalho-família. O objetivo é ajudar os trabalhadores de todos os lugares a sustentaram financeiramente e emocionalmente as suas famílias, mas também a contribuírem para o desenvolvimento sócio-econômico de suas sociedades.

As tendências atuais enfatizam a crescente importância das políticas sobre a relação trabalho e família. Estas tendências incluem uma maior participação das mulheres no mercado de trabalho, e a crescente urbanização e mobilidade em busca de emprego.

Como as famílias tornam-se menores e as gerações vivem separadas, a família ampliada está menos disponível para oferecer cuidados, e os pais trabalhadores enfrentam crescentes desafios.

Percebe-se que Ban Ki-Moon destaca os fenômenos e, ao mesmo tempo, aponta suas causas e demonstra interesse em soluções. O Dia Internacional das Famílias tem exatamente esse propósito.

Por Me. Cláudio Fernandes

Música de pescador de Baia Formosa/RN é tema de vilã da novela Segundo Sol

“Ai, ai, ai, o que você não faz por amor?”. Assim começa a música que nasceu no litoral potiguar e virou tema da novela Segundo Sol, que estreia nesta segunda-feira (14). A canção “Por amor”, composta e interpretada pelo pescador Zé Maria, é trilha sonora das armações da vilã Laureta e do seu parceiro Roberval, vividos na trama por Adriana Esteves e Fabrício Boliveira.

“É uma emoção muito grande ter uma música tema de novela”, conta Zé Maria, que além de músico e pescador, é ator e guia de turismo na terra em que nasceu e vive até hoje, o paradisíaco município de Baía Formosa.

Aos 32 anos, casado e pai de cinco filhos, Zé Maria começou a compor e cantar há cinco anos. Porém, o primeiro disco foi lançado recentemente, em fevereiro de 2018, com a ajuda de um dos mais importantes representantes da música popular brasileira, Ney Matogrosso.

Zé e Ney se conheceram em 2017, quando atuaram juntos no filme “Sonhos de peixe”, gravado em Fortaleza. “Foi o olhar dele que fez tudo isso acontecer”, revela o artista potiguar, que fez seu primeiro show em público em janeiro deste ano, no festival gastronômico da cidade.

Moradores de Baía Formosa se reúnem em praça para cantar com Zé Maria (Foto: Lucas Cortez/G1)

Zé Maria conta que as apresentações continuam locais, mas que está preparado para desbravar os novos caminhos da música com a visibilidade que a novela dará para a sua arte, que é inspirada na baía em que mora. “Sou pescador por natureza e todas as minhas inspirações vêm do mar”, revela.

Em Baía Formosa “Por amor” está na boca dos amigos e familiares do pescador. Sempre que ele anda pelas ruas e praças da pequena cidade, o pessoal se junta ao seu redor e logo alguém solta um “ai, ai, ai” para iniciar a cantoria. (G1RN)

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PROMOVE ATIVIDADES PARTICIPATIVAS DIA DAS MÃES

 

A Secretaria de Trabalho, Habitação e Assistência Social do município de Montanhas, promove atividades participativas em comemoração ao dia das mães, essas ações da secretaria, tem o objetivo de valorizar sempre o convívio social entre as famílias e nesta sexta feira (11) foi muito espacial pelo fato de estar sendo homenageada todas as mães.

Neste dia, houve sorteios, brindes, lanches e muitas outras diversões. Essas realizações justificam a importância que se tem para desenvolver o bem-estar social, sempre todas as sextas feiras são evidenciadas a participação popular e isso denota que a satisfação é destaque neste contexto.

Vamos acompanhar nas fotos seguir o comecinho da festa, portanto, registrar alguns momentos do que foi a sexta feira 11 de maio de 2018 em Montanhas.

130 anos de abolição da escravatura negra

Por: Evandro Borges – Advogado

Este ano no dia 13 de maio de 2018 completa cento e trinta anos da abolição da escravatura negra, em face da assinatura da Lei Aurea pela Princesa Isabel, que vislumbrava o terceiro reinado, mas, foi uma das causas da queda da monarquia, que as classes dominantes e conservadoras não aceitaram, queriam no mínimo indenização para as “peças”, quando o tráfico negreiro já estava proibido desde 1850.
É claro que abolição não se deve apenas a Princesa Isabel, até porque na colônia e monarquia pactuou-se com a escravidão, mesmo com a pressão exercida pela Inglaterra, mas também, é de ressaltar a resistência dos escravos, nas fugas e na formação de quilombos, ao movimento abolicionista, com o ingresso de poetas, escritores, intelectuais, podendo destacar Castro Alves com sua obra “Espumas Flutuantes”.
A cultura da escravidão que precisa ainda, ser combatida, deixou marcas profundas na sociedade brasileira, pois, a abolição não ocorreu acompanhada da reforma agrária como defendia o pernambucano, advogado e deputado do império Joaquim Nabuco, consoante se lê na sua obra clássica da literatura nacional, “O Abolicionismo”, encontrada hoje, apenas em livro de bolso, uma leitura indispensável.
As comunidades tradicionais de origem quilombolas, agora estão sendo reconhecidas, na Região Metropolitana de Natal, existem em Macaíba, denominada “Capoeira dos Negros”, em Ceará Mirim o processo de reconhecimento está em estágio adiantado com a Comunidade de Coqueiros encravado nos limites com Extremoz, ensejando políticas públicas específicas em vista à exclusão e ao sofrimento humano.
Os seres humanos negros neste país fazem partem de uma franja social de exclusão, residentes na maioria da periferia e nas favelas, na margem da pobreza, sem afirmação de cidadania, analfabetos e sem qualificação profissional, atingidos pelo desemprego, um quadro motivador para as quotas, principalmente para ingressos nas universidades, fato positivo que se deve em muito aos governos Lula/Dilma.
Outro pernambucano o sociólogo Gilberto Freire com duas obras espetaculares que precisam ser lidas, para compreensão do Brasil contemporâneo  Casa Grande e Senzala e Sobrados e Mocambos, coloca a cultura da escravidão como instituição, e não somente a falta de liberdade mínima de ir e vir, e do sofrimento físico que eram imposto, que causava todo o processo de subordinação, como também, o tratamento destinado as classes trabalhadoras pela elite.
 trabalho análogo ao escravo, hoje, atinge negros e brancos, combatido com toda veemência pelo Ministério Público do Trabalho, pelos Sindicatos e movimentos sociais, atinge de mácula os princípios constitutivos da República previstos no texto constitucional, como o que se refere à dignidade humana, direito essencial para o Estado Democrático de Direito.

O PRIMEIRO DE MAIO E O SALÁRIO MÍNIMO –

Participei de vários atos do primeiro de maio no interior do Estado ligado ao movimento sindical dos trabalhadores e trabalhadoras rurais, com uma temática voltada para a malfadada reforma trabalhista, as tentativas de reforma previdenciária, os segurados especiais, e não se podia deixar de ser falado o salário mínimo.

O salário mínimo tem uma situação especial para os homens e mulheres do campo, pois está vinculada aos benefícios previdenciários, a aposentadoria por idade e outros, com uma repercussão na economia local, contribuindo para ativar o comércio e serviços nas sedes municipais e nas comunidades rurais.

O estabelecimento do salário mínimo foi uma implantação por Decreto do ex-presidente Getúlio Vargas, anunciado no primeiro de 1940, equivalia a vinte dólares, pequeno, mas, fez muito estardalhaço, principalmente nos segmentos conservadores, ligados à exportação e que não acreditava no mercado interno, mesmo com a expansão da indústria construído nos acordes do sucesso do café, com a politica de valorização deste grão produzido na época com maior impacto nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

O salário mínimo previsto nas garantias fundamentais na Constituição cidadã, que completa este ano trinta anos de promulgação, dispõe que deve atender necessidades básicas do empregado e sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, chegando atualmente a quantia de novecentos e cinquenta e quatro reais.

No dispositivo constitucional ficou ainda normatizado a garantia de reajustes periódicos que lhe preserve o poder aquisitivo, e o movimento sindical nacional para o salário mínimo estabeleceu uma bandeira, de se atingir o equivalente a cem (100) dólares, plenamente alcançado nos governos Lula/Dilma, e foi mais além com uma Lei que garantiu um reajuste anual com base no aumento da produtividade, vinculando, também, a uma relação incluído o crescimento do PIB.

A defesa do salário mínimo, com reajustes periódicos e mantendo o poder aquisitivo interessa as classes trabalhadoras, a sociedade brasileira, ao tratamento humano com mais dignidade, fundamento da República,  está no contexto do primeiro de maio e uma reversão na lógica de “fazer o bolo crescer, para depois dividir”.

Evandro de Oliveira Borges – Advogado

Programa Criança Feliz em plena atividade no município de Montanhas afirma a Secretária Alenuska Câmara

O programa Criança Feliz realizou ontem uma reunião com as participantes acerca da temática da alimentação saudável, com a participação da nutricionista Kerolayne Nery.

É importante ressaltar que o programa Criança Feliz está entregando as famílias atendidas um kit com dois livros infantis, por meio da ação, que visa incentivar a leitura.

O material será entregue a cada uma das 100 famílias acompanhadas pelo programa Criança Feliz, por intermédio dos profissionais que atuam no programa na cidade.

O Programa Criança Feliz tem como objetivo promover o desenvolvimento infantil integral, apoiar as gestantes para o nascimento da criança, cuidar da criança em situação de vulnerabilidade até os seis anos de idade, fortalecer o vínculo afetivo e o papel das famílias no cuidado.

Veja algumas fotos:

Jura, jura pelo Senhor, jura pela imagem da Santa Cruz do Redentor…

 

Imagem relacionada

O compositor carioca José Barbosa da Silva, conhecido como Sinhô (1888-1930), é considerado um dos mais talentosos compositores de samba, para muitos o maior da primeira fase do samba carioca. Com letra romântica e queixosa, o samba ”Jura” pede uma promessa de amor. Ao que parece, Sinhô escreveu-a num momento de dor de cotovelo, depois de ter visto a mulher que amava nos braços de um outro pretendente. O samba foi gravado, originalmente, por Mário Reis, em 1928, pela Odeon.

 

JURA
Sinhô

Jura, jura, jura
pelo Senhor
Jura pela imagem
da Santa Cruz do Redentor
pra ter valor a tua jura
jura, jura de coração
para que um dia
eu possa dar-te o amor
sem mais pensar na ilusão

Daí então dar-te eu irei
o beijo puro da catedral do amor
Dos sonhos meus, bem junto aos teus
para fugirmos das aflições da dor

Site Poemas & Canções

Um processo eleitoral democrático, limpo e equilibrado

Por: Evandro Borges Advogado

O país com a República tem sofrido bastante com a construção democrática, com tantos avanços e recuos, desde a sua proclamação, após uma monarquia completamente desgastada, em que pese o segundo imperador culto e querido, logo no início com dois marechais, um derrubado e outro governando em estado de sítio, com todo autoritarismo, chegando às raias do poder moderador, contrariando os postulados republicanos.

Uma Republica com a primeira fase denominada pela historiografia de República Velha, ou dos governadores e ainda de café com leite pela sucessão de presidentes de origem dos estados de São Paulo e Minas Gerais, que não existia alternância de poder, favorecendo os candidatos oficiais, que garroteou o desenvolvimento econômico e político do país, com métodos eleitorais completamente viciados.

O período Vargas dos primeiros quinze anos, houve o Estado Novo, de natureza autoritária, elitista, excludente e conservador, também ao final derrubado, em seguida com o período Dutra, de relativa democracia, com renuncia de Jânio, nova derrubada de um Presidente, João Goulart, para uns vinte e cinco anos de outra ditadura, para em seguida, o atual período, que tem como marco a promulgação da Constituição de 1988, completando este ano trinta anos.

As eleições que se avizinha, estando próxima, com previsão para o primeiro domingo de outubro, dia sete, será a primeira no atual estágio com financiamento público, pensada para equilibrar o pleito, a fim de dar condições de igualdade entre os candidatos, mas com um fundão de recursos públicos e alterações realizadas por um Congresso rejeitado, incluiu a possibilidade de financiamento através de recursos dos próprios candidatos, privilegiando os mais ricos, ensejando uma fiscalização dos organismos de Estado, da sociedade civil e da cidadania.

O avanço tecnológico da telefonia com a internet e as redes sociais, quando existe a possibilidade de todos opinarem, com uma opinião pública formada, mesmo com os fakes e com a imprensa formal monopolizada e às vezes cooptada, a eleição tende para ser mais limpa, para a formulação de propostas mais realistas, e com cada candidato mostrando o seu perfil, o que realiza na sociedade, não podendo esconder as suas posições e seus propósitos.

As candidaturas serão partidárias, com a possibilidade de coligação na majoritária e na proporcionalidade, com calendário eleitoral já regulado, com prazos para as convenções e homologações de candidaturas, e para Presidente e Governador em dois turnos, obrigando agora os candidatos receberem votos, a fim de ser apurada a cláusula de barreira para os Partidos Políticos, demonstrando a sua representatividade e continuarem a receberem as benesses da lei.

O sentimento é de mudança em relação ao processo eleitoral e aos candidatos, com uma tendência para o equilíbrio da disputa, mas, enseja e motiva uma ampla fiscalização, para escrever uma História de avanços democráticos, com a finalidade de fortalecer a democracia representativa e participativa, ainda em curso, a fim de colocar o país no trilho do desenvolvimento sustentável em todas as dimensões.

O Programa um milhão de cisternas

Imagem Ilustrativa Internet

Por: Evandro Borges Advogado

O programa um milhão de cisternas – P1MC tem um envolvimento da sociedade civil, executado de forma descentralizado, no Rio Grande do Norte através da Articulação do Semiárido – ASA Potiguar, estando inúmeras instituições da assistência técnica e extensão rural, podendo ser citados o Centro Terra Viva, a Cooperativa Terra Livre, o CEAAD e os organismos vinculados a Igreja Católica, marcadamente por meio do SEAPAC.

Os recursos na sua maioria vieram do tesouro da União, chegando através dos organismos sociais, e com as cisternas para as famílias de dezesseis mil litros, sendo construídas pelas unidades familiares de agricultores e agricultoras diretamente beneficiárias, apoderando-se os beneficiários das cisternas, tendo como critério estarem no cadastro único – cadúnico.

O programa é vitorioso, já foi premiado internacionalmente, e na seca que se encerra com as promissoras chuvas foi motivo de manutenção dos agricultores(as) familiares permanecesse  no campo, com a disponibilidade das poucas aguas da chuva e dos programas de carros pipas, passando as famílias administrarem sua própria água para o consumo e de suas necessidades, assegurando a potabilidade, um salto a frente na formação da cidadania.

No ano passado a Articulação do Semiárido se credenciou junto ao Ministério da Assistência Social para a execução de mais cisternas no campo potiguar com mais dez milhões de reais, e mesmo com aprovação ministerial, os recursos para o Estado foram cortados, e a ASA mobilizou a bancada federal de Deputados e todos os Senadores, e em que pese a audiência ministerial até aqui nada de solução.

Os Bispos da Província Eclesial do Estado,  com a chancela dos três Bispos e mais os eméritos emitiram uma Nota dirigida aos Parlamentares, pedindo o empenho dos mesmos, a fim de assegurar os recursos para o Programa um milhão de cisternas, em face do relevante interesse público, pela sua capilaridade, pois se trata de um programa que chega na ponta, ou seja, nos beneficiários.

A Deputada Federal Zenaide Maia, fez mais, conhecendo o programa e sua importância, colocou uma emenda parlamentar impositiva na ordem de um milhão de reais, para a construção de cisternas, que beneficia famílias com água para o consumo humano, para a produção, e para o funcionamento de Escolas da zona rural, muitas delas proporcionarão o funcionamento do ano letivo na plenitude.

O Rio Grande do Norte não pode ficar de fora, importante à atuação da sociedade civil, que elaborou o projeto a tempo, foi devidamente habilitado, mas, sofreu o corte de verbas públicas do tesouro, a Igreja Católica se posicionou cobrando dos parlamentares, agora cabe à divulgação da mídia, e atuação dos parlamentares de forma efetiva, sem deixar de reconhecer a iniciativa da Deputada Federal Zenaide Maia.

Evento em Mossoró de Capacitação Administrativa das Associações Comunitárias

Em Mossoró na Estação das Artes Eliseu Ventania, antiga estação ferroviária foi realizado pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário, com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores na Lavoura de Mossoró, um evento denominado “Capacitação de gestão administrativa das Associações rurais de Mossoró” contando com a participação de cem associações comunitárias da zona rural, foi bastante significativo e representativo com o fim de preparar os dirigentes, na gestão, no que diz respeito as contas e contabilidade e em relação aos atos constitutivos.

A abertura no auditório em excelentes condições contou com a presença dos diretores do Sindicato, estava à frente o Presidente, Francisco Gomes de Melo, os representantes da Prefeitura Municipal de Mossoró, dentre eles a Gerente da Agricultura, as Cooperativas de trabalho, como a Cooperativa Terra Livre, com trabalho desenvolvimento rural, principalmente com os programas públicos.

O Município de Mossoró conta com uma população rural estimada em mais de vinte mil pessoas, com cento e trinta e três comunidades rurais e dentre delas quarenta e dois assentamentos de reforma agrária, organizadas pelo INCRA/RN e pelo programa Crédito Fundiário, e contando com associações de toda a natureza relativa as relações humanas.

As associações são de gestão comunitária, específicas de administração de água para o consumo humano, de produção, clubes de mães, esportivas, promovendo a vida, pois a “vida se realiza nas comunidades”, local de nascimento das pessoas, de vivência e de identificação, muitas delas contam com Escolas, Unidades Básicas de Saúde, com todas as políticas e programas públicos, dentre os programas, podendo destacar o PRONAF, o Programa de Aquisição de Alimentos, o Bolsa Família, o Programa um milhão de cisternas dirigido pela Articulação do Semiárido – ASA.

A Agricultura Familiar que é trabalhada nas comunidades rurais é muito significativa, sendo bastante dizer, que setenta e cinco por cento da alimentação da Mesa da população brasileira, vem deste segmento, e quando do período invernoso, se trabalha a segurança alimentar, principalmente com culturas consideradas rápidas, de milho e feijão, mandioca, e outros tubérculos incorporados a nossa cultura alimentar.

A organização dos produtores familiares nas suas associações, pessoas jurídicas representa a inserção na sociedade, a busca por cidadania, o empoderamento social, com acesso aos recursos públicos, em face das políticas e programas, deste modo, a estruturação de ordem legal e de contas das associações, encontra-se no contexto da legalidade e de transparência no trato dos recursos, ensejando o evento de capacitação realizado em Mossoró/RN.

Por: Dr. Evandro Borges Advogado

Montanhas RN – Chuva o dia inteirinho, isso é muito bom para todos nós, como Deus é maravilhoso!

Crédito foto: Bira de Montanhas

“As águas de março…” frase tão poética e eternizada em canção, faz lembrar tudo de bom com essa chuva maravilhosa em todo o município de Montanhas.

Deus é muito maravilhoso, oportuniza água para todos e água em abundância, com isso, a terra se desabrocha para a frutificação, oferece e promove o plantio, os trabalhadores do campo ficam satisfeitos e sabem agradecer. A essa hora, todos cultivando a terra e se planejando para uma safra promissora, como Deus é maravilhoso! Cada ser se contempla com essas águas de março, na esperança de dias melhores, certamente haverá culturas em breve, como por exemplo, o milho que é de costume ser consumido em grande escala na época junina, fava verde, feijão verde e por ai vai, são produtos que se destacam na culinária tradicional do nordestino e que são possíveis por causa das chuvas. Como Deus é maravilhoso!

Montanhas nesta quinta-feira (29) acumula água em todo seu município, barreiros com possibilidades de atingir números importantes de volumes de água, açudes recebendo este liquido tão precioso para proporcionar vida aos que dele depende, como Deus é maravilhoso!

Vamos ver imagens da cidade de Montanhas nesta tarde com destaque para a chuva, tenho certeza, que aqueles filhos de Montanhas, que ama Montanhas, que estão ausentes, por motivos qualquer, e que ainda, sentem saudades da terrinha, irão se deliciar e agradecer por toda essa chuva, certamente dirão também como Deus é maravilhoso!

Por fim, é ótimo contemplar a natureza e o seu criador.

 

Crédito de todas fotos: Bira de Montanhas

 

 

A felicidade e infelicidade podem se confundir, na visão de Augusto dos Anjos.

Resultado de imagem para augusto dos anjos
O advogado, professor e poeta paraibano Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos (1884-1914), no poema “Ilusão”, mostra como felicidade e infelicidade podem se confundir.

ILUSÃO
Augusto dos Anjos

Dizes que sou feliz. Não mentes. Dizes
Tudo que sentes. A infelicidade
Parece às vezes com a felicidade
E os infelizes voltam a ser felizes!

Assim, em Tebas – a tumbal cidade,
A múmia de um herói do tempo de Ísis,
Ostenta ainda as mesmas cicatrizes
Que eternizaram sua heroicidade!

Quem vê o herói, inda com o braço altivo,
Diz que ele não morreu, diz que ele é vivo,
E, persuadido fica do que diz…

Bem como tu, que nessa crença infinda
Feliz me viste no passado, e ainda
Te persuades de que sou feliz.

Site Poemas & Canções

O bem e o mal, na visão criativa de Danilo Caymmi e Dudu Falcão

Resultado de imagem para danilo caymmi e dudu falcao
O instrumentista, cantor e compositor carioca Danilo Caymmi, com seu parceiro Dudu Falcão,  guarda dois corações divididos entre “O Bem e o Mal”. A música consta do CD Danilo Caymmi, gravado em 1992, pela RGE.

O BEM E O MAL
Dudu Falcão e Danilo Caymmi

Eu guardo em mim
Dois corações
Um que é do mar
Um das paixões
Um canto doce
Um cheiro de temporal
Eu guardo em mim
Um Deus, um louco, um santo
Um bem, um mal

Eu guardo em mim
Tantas canções
De tanto par
Tantas manhãs
Encanto doce
Um cheiro de vendaval
Guardo em mim
O Deus, o louco, o santo
O bem e o mal

Site Poemas & Canções

No sertão potiguar, agricultores se mobilizam para montar espetáculo da Paixão de Cristo

Encenação já faz parte do calendário dos moradores do Sítio Góis, na zona rural de Apodi.
Em 2018, eles farão sua 9ª edição.

Por Hugo Andrade, Inter TV Costa Branca

   Moradores preparam encenação da Paixão de Cristo, no interior do RN (Foto: Reprodução/Inter TV Costa Branca)

Moradores preparam encenação da Paixão de Cristo, no interior do RN
(Foto: Reprodução/Inter TV Costa Branca)

É debaixo do sol forte que os agricultores do Sítio do Góis, na zona rural de Apodi, região Oeste potiguar, fazem a preparação da arena que vai receber a o espetáculo da Paixão de Cristo. A encenação na comunidade já virou tradição ali, em pleno sertão nordestino. Para que tudo fique pronto a tempo, os agricultores e moradores da comunidade começaram o planejamento ainda em dezembro do ano passado.

Os cinco palcos que já ficam o ano inteiro montados recebem os últimos acabamentos. O cenário é todo reaproveitado, feito com o que é encontrado na própria caatinga, além de materiais cecicláveis, como pneus velhos e palets. Todo mundo ajuda. Na localidade, o operário também é ator. O agricultor Iago Barbosa, por exemplo, vai interpretar Caifás pela terceira vez.

“Tô ficando velhinho no personagem, mas todos os anos a gente inova o texto, sempre tem algo novo para passar para o público”, diz.

Já são 9 edições. Em 2018 tem novidade: pela primeira vez, o episódio da Santa Ceia será interpretado.

Pra quem é da comunidade do Góis, encenar o espetáculo A paixão de Cristo é motivo de orgulho. Eles fizeram a montagem pela primeira vez no início dos anos 2000. Mas, por falta de recursos, a última encenação tinha acontecido em 2005. Em 2016, toda comunidade se mobilizou pra voltar a fazer a peça.

As costureiras da comunidade ajudam na fabricação dos figurinos. O tecido para fazer as roupas também é doado. Quem pode, dá o lanche para os voluntários que trabalham diariamente na construção do cenário. As peças que compõem a ambientação dos locais por onde cristo passou durante a Via Crucis e os acessórios são materiais recicláveis. A própria vegetação da região e a palha da carnaúba se transforam em decoração. Os escudos dos soldados, são feitos com calotas de carros.

  Espetáculo da Paixão de Cristo é montado por agricultores na zona rural de Apodi (Foto: Reprodução/Inter TV Costa Branca)

Espetáculo da Paixão de Cristo é montado por agricultores na zona rural de Apodi
(Foto: Reprodução/Inter TV Costa Branca)

Cerca de 70 atores, todos da comunidade, encaram esse desafio de viver os personagens e figurantes dessa história milenar, que conta o martírio e a crucificação de Jesus. E todo mundo participa do espetáculo. são crianças, adolescentes, adultos e até idosos. Segundo Ducivan de Oliveira, diretor da obra, para os moradores esse é um dos momentos mais importantes do ano. “Eles trabalham sem cobrar nada. Ao contrário, ainda ajudam. Vêm deixar lanche, água, café pra quem está trabalhando na montagem do cenário”, conta.

O Sítio do Góis tem cerca de 110 famílias, mas pessoas de comunidades vizinhas também participam. A novidade este ano é que o texto mudou e foram feitas algumas adaptações. A encenação acontecerá entre os dias 29 e 31 de março.

Bartô Ferreira é agricultor é tratorista. Nas últimas semanas, porém, o trator foi deixado de lado. No lugar dele, outras ferramentas de trabalho, como o arame e o alicate. A rotina de trabalho é intensa, já que é preciso conciliar a montagem com as atividadade do dia-a-dia no campo.

“A gente trabalha um periodo aqui de manhã, de tarde fica em casa, cuidando dos animais. Se tem uma horazinha a mais, vai pro cercado, cortando terra, plantando. O dia fica pequeno pra tanto serviço que a gente tem”, conta o homem que vai interpretar o rei Herodes.

“Tudo vai ser mostrado de forma clara, objetiva, onde as pessoas vão fazer uma boa reflexão do que foi a vida de Jesus Cristo”, diz o diretor Ducivan de Oliveira.

“Oh, senhora liberdade, abre as asas sobre mim” (Nei Lopes e Wilson Moreira )

Resultado de imagem para nei lopes e wilson moreira

Nei Lopes e Wilson Moreira, uma dupla de bambas

O advogado, escritor, cantor e compositor carioca Nei Brás Lopes, em parceria com Wilson Moreira, na letra de “Senhora Liberdade”, postula a sua soltura, visto que o crime por ele cometido foi se apaixonar intensamente. Vale ressaltar que, esse samba virou hino na campanha das diretas e faz parte do LP A Arte Negra de Wilson Moreira & Nei Lopes lançado, em 1980, pela EMI-Odeon.

SENHORA LIBERDADE
Wilson Moreira e Nei Lopes

Abre as asas sobre mim
Oh senhora liberdade
Eu fui condenado
Sem merecimento
Por um sentimento
Por uma paixão
Violenta emoção
Pois amar foi meu delito
Mas foi um sonho tão bonito
Hoje estou no fim
Senhora liberdade abre as asas sobre mim

Site Poemas & Canções

Como seria bom se a razão pudesse sempre dominar, na visão de Nando Cordel

Resultado de imagem para nando cordel

Nando Cordel e a sabedoria do nordestino
O cantor, instrumentista e compositor pernambucano Fernando Manoel Correia, nome artístico Nando Cordel, na letra de “Terra e Céu”, aborda um cotidiano diferente do que vivemos nas grandes cidades.

TERRA E CÉU
Nando Cordel

Se o o boi soubesse da força que tem
Não puxava carroça
E a abelha, da dor da picada
Não roubavam seu mel
E a terra era terra
E o céu era o céu

Como era bom
Se toda semente crescesse
E a razão
Pudesse sempre dominar
E essa paz
Fosse que nem uma criança
Andasse solta
Feito a noite de luar
Se na inveja
Colocasse um cabresto
Na ambição
Colocasse um cortador
Na violência
Uma espora amolada
Deixasse a rédea
Solta na mão do amor

Não puxava carroça
Nem roubavam seu mel
E a terra era terra
E o céu era o céu

Site Poemas & Canções

O Encontro Regional dos Estudantes de Direito em Natal

Imagem /Internet

Por: Evandro Borges – Advogado

Quando estudante de Direito da UFRN participei de dois encontros nacionais de estudantes de direito, um em Recife que foi realizado no Teatro do Parque e outro em Goiânia acontecido na Universidade Federal no início da década de 80 do século passado, com temas voltados para a democratização e dos direitos as liberdades, bastante compreensível para o momento político da época, com a democracia garroteada pela ditadura instalada no país em 1964, foram eventos de grande valor, com estudantes de todo o país, e naqueles encontros já identificávamos a necessidade de encontros regionais.

Nesta semana que se conclui no quadro de direito do programa capital cultural da PNTV, com muita satisfação conversamos com os estudantes de direito da UFRN, e membros da direção do Centro Acadêmico Amaro Cavalcante, instituição com tradição histórica e representativa dos estudantes de direito da UFRN,  que contribuí na sua reconstrução com a minha geração, na retomada democrática, os estudantes presentes ao programa foram Gentil Augusto e Silvio Romero.

Na condição de membro da Associação dos Juristas Potiguares pela Democracia e Cidadania, em sua reunião  mensal, a estudante Beatriz Amâncio expôs sobre o Encontro Regional de Direito e decidimos por ajudar o evento que já conta com a decisiva participação do Prof. Zéu Palmeira, do curso de Direito da UFRN, com um grupo de pesquisa vai dar o suporte técnico jurídico para o evento, que ocorrerá em Natal, denominado de Encontro Regional dos Estudantes de Direito.

O encontro será realizado no campus central da UFRN, nos dias 6, 7 e 8 de abril do corrente ano de 2018, estando a menos de um mês, e contará com a presença dos estudantes do Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco, com temas centrados na Reforma Trabalhista e no estudo jurídico, portanto, uma ótima oportunidade para produção de conhecimento e saberes, e de abertura de relações com estudantes da Região dos três Estados.

A direção do Centro Acadêmico está a todo vapor na divulgação do evento, na preparação da estrutura, como alojamento, alimentação, hospedagem para os palestrantes, com professores de renome regional e nacional, precisando do apoio das organizações da sociedade civil e de empresas que possam patrocinar, como dos profissionais de direito e da cidadania em geral.

O tema da reforma trabalhista é mais que atual, soprada nos ventos do neoliberalismo que prometeu empregar muito, no entanto, precarizou as relações trabalhistas, fragilizou a Justiça do Trabalho e os Sindicatos, alterando uma legislação construída desde 1943 com o Decreto de iniciativa de Getúlio Vergas, mas, deverá ser foco de julgamento de quatro ações de inconstitucionalidades em tramitação no Supremo Tribunal Federal.

Os estudantes de direito do Rio Grande do Norte das mais diversas universidades devem todos participar de forma ativa, talvez, uma oportunidade única para atual geração de estudantes para um evento realizado em Natal de natureza regional, e com um suporte técnico de uma universidade federal, com tema que se encontra na ordem do dia. (PN)

PSB realizará filiação de Fábio Dantas e lideranças no próximo sábado

Ato acontece no próximo sábado (17), a partir das 9h30, no Clube América, em Natal, e deve contar com a participação de lideranças dos municípios nos quais o partido tem representação e de mandatários de outros estados do país.

Tá no Potiguar Notícias

O Partido Socialista Brasileiro do Rio Grande do Norte (PSB-RN) realiza reunião extraordinária do seu diretório estadual em evento onde serão homologadas as fichas de filiação de lideranças municipais e estaduais, como a do vice-governador do Estado, Fábio Dantas.

O ato acontece no próximo sábado (17), a partir das 9h30, no Clube América, em Natal, e deve contar com a participação de lideranças dos municípios nos quais o partido tem representação e de mandatários socialistas de outros estados do país.

Fábio Dantas é advogado e já foi deputado estadual e diretor-geral do Instituto Técnico e Cientifico de Perícia (ITEP).

Para o deputado federal Rafael Motta, que preside a legenda no RN, o ingresso de novos filiados marca um novo momento do partido no Estado. “Com a chegada de Fábio Dantas, vamos retomar o histórico de protagonismo e de realizações que o PSB tem no Rio Grande do Norte”, declarou ele.

A sua Biometria é muito importante para o município de Montanhas

A Justiça Eleitoral convoca todos os eleitores de Montanhas para fazer a sua Biometria. Já estamos chegando à reta final e apenas compareceram 30% do eleitorado. Venha exercer a sua cidadania, para não ficar com pendência junto a Justiça Eleitoral.

Não esqueça os documentos necessários para a sua revisão biométrica:  COMPROVANTE DE ENDEREÇO, DOCUMENTOS DE IDENTIDADE COM FOTO, E O SEU TÍTULO VELHO.

Veja abaixo, as várias maneiras de como comprovar a sua residência e identificação. Não vá dar importância para as informações de terceiros, quaisquer dúvidas, procure os servidores da Justiça Eleitoral que estarão na Câmara Municipal de Montanhas à sua disposição.

ACOMPANHE A PROGRAMAÇÃO PARA A ZONA RURAL:

  • Quinta Feira 15/03

Palmeirinha / Sucavão e adjacências

  • Sexta Feira 16/03

Campestre e Adjacências

  • Sábado 17/03

Rota 1

Botafogo / Barbatão / Barbaço / lagoa de Dentro

Rota 2

Oficina / Serrote / Lagoa de Pedras

Rota 3

Ingá/ Gravatá / São Miguel e Adjacências

Rota 4

Curimatã / Riachão dos Clementinos e Adjacências

Rota 5

Maranhão e Riachão da Lapa

“Ouça, vá viver sua vida com outro bem”, cantava Maysa, com sua voz de veludo

Resultado de imagem para maysa

Maysa, do fundo do coração

A cantora e compositora paulista Maysa Figueira Monjardim Matarazzo (1936-1977) gravou no LP Maysa, em 1957, pela RGE, o samba-canção “Ouça”, composto por ela mesmo para desabafar as dores do seu casamento. Tudo porque o seu marido não queria mais sua esposa como cantora, pois isto não era bem visto naquela época. Uma canção que brotou do fundo do coração da grande compositora e cantora


OUÇA
Maysa

Ouça, vá viver
Sua vida com outro bem,
Hoje eu já cansei
De pra você não ser ninguém.

O passado não foi o bastante pra lhe convencer
Que o futuro seria bem grande só eu e você.

Quando a lembrança com você for morar
E bem baixinho de saudade você chorar,
Vai lembrar que um dia existiu
Um alguém que só carinho pediu
E você fez questão de não dar,
Fez questão de negar.

Site Poemas & Canções

EVENTO CONSTITUCIONAL E SOBRE AS MULHERES NA UFRN

Evandro de Oliveira Borges – Advogado

No dia 21 de março do ano fluente, acontecerá na UFRN, um evento denominado “As Mulheres e a Constituição de 1988, conquistas e perspectivas” no auditório 1 do NEPSA 2, às 19 horas, promovido em conjunto pela Coordenação das Mulheres Nísia Floresta da Associação dos Juristas Potiguares pela Democracia e Cidadania e o GESTO, um grupo de pesquisas e estudos, valendo hora aula e aberto ao público e todos os interessados , com inscrições através do SIGAA.UFRN.BR/SIGAA.

O evento está no esteio do dia 8 de março, dia internacional da mulher, tendo como palestrantes da Mesa Redonda, a Promotora de Defesa da Mulher, Dra. Érica Canuto e Ana Laura Araújo pela Associação dos Juristas Potiguares, um evento da maior importância para a UFRN, principalmente, após o episódio do professor do curso de ciências sociais, que humilhou uma estudante, pela sua condição de mulher, mãe e pobre.

A constituição de 1988 é o marco legal do Estado Democrático de Direito em permanente construção, em que pese os retrocessos, principalmente, após o “golpechmant” de 2016, como denominou o sociólogo Jesse Souza, que tanto interessou o setor rentista e os grandes monopólios, que tentam açambarcar a economia nacional, reduzindo a uma colônia, que chega agora a Carta constitucional republicana em 2018 aos seus trinta anos.

A questão da mulher está sempre na ordem do dia, principalmente  neste mês de março, que se discute o seu empoderamento e inclusão social, com eventos em toda parte, contando com participações massivas e representativas, e na atualidade temas como a violência no âmbito familiar, feminicídio, estupro, trabalho e remuneração igual, participação social e eleitoral estão na ordem do dia, portanto, a mesa redonda será da maior importância.

As instituições são significativas, a coordenação das mulheres da Associação dos Juristas, Nísia Floresta, coordenada pela advogada Carla Tatiane homenageia a Norte-Rio-Grandense considerada antes do seu tempo, abolicionista, republicana, escritora, educadora, está na mobilização e uma de seus membros, Ana Laura Araújo vai participar como debatedora, pois vem estudando o tema, sendo uma especialista no assunto.

O dia internacional da mulher já nasceu de lutas, pela melhoria das condições de trabalho, na diminuição da jornada de trabalho, que tanto atormentava os trabalhadores e principalmente as trabalhadoras, submetidas a longas jornadas, e ao trabalho incansável no lar, na criação dos filhos, e do contexto do machismo e do patriarcalismo, uma cultura que ainda teima em perdurar com todos os seus males.