Category Archives: Reflexão

Família Farias comemora nesta quinta feira (13) 102 anos do patriarca Antônio Farias

Em Montanhas nesta quinta feira 13 de janeiro de 2022, o patriarca da Família Farias, Senhor Antônio Farias estaria completando 102 anos e em momento de grande recordação pelas ações e atitudes que durante toda a sua vida se dispôs a atender o povo de Montanhas, com o seu comercio de secos e molhados desde o Sítio Pedra do Navio, seguindo por Montanhas com um grande atacado de tecidos e outros derivados, em Natal enveredando na distribuição de alimentos em atacado e oportunamente formou seus filhos em diversos segmentos acadêmicos e com retorno para Montanhas com Farmácia e outros atendimentos correlatos, a família fez uma homenagem celebrando este acontecimento.

Um espaço que hoje está localizado na Rua Manuel Maricota, denominado SOBEM (Sociedade Beneficente de Montanhas) funciona uma Associação em homenagem ao Senhor Antônio Farias. A SOBEM foi fundada em 1981 e nessa nova retomada de atividade traz uma história muito bem oportuna, Pois o objetivo dela é continuar com os mesmos ideias de Seu Antônio Farias, que procurava promover ajudas aos mais carentes e principalmente aos necessitados portadores de doenças como hipertensão, diabetes e similares, além de outras linhas de colaboração que sempre aconteceram nos inúmeros pedidos de ajuda em sua residência.

A SOBEM, ainda não está funcionando com todo afinco, assim como começou na época. Pois ela está apenas pouco menos de 2 anos em atividade nessa nova retomada de abertura por parte dos familiares, mas que o sentido é dar continuidade com muita possibilidade de colaborar com as pessoas mais carentes de Montanhas.

Ocorre que nesta quinta-feira, familiares, juntamente com colaboradores amigos e amigas, realizaram um movimento em homenagem aos 102 anos do Patriarca e convidou pessoas residentes das Ruas no entorno da sede da Associação da SOBEM, Rua Manoel Maricota, Rua Emídio Gomes, Vitorino Ferreira e adjacentes, para participarem dessa homenagem e lá foi distribuído bolos, comidas diversas, salgadinhos, frutas, enfim um café da manhã cheio de brincadeiras e muitas diversões para todos os convidados, além de brindes distribuídos aos que participaram do evento.

Foi um momento muito gratificante em que a Família Farias agradece a presença de todos e destaca a sua satisfação ao reconhecer o valor desse trabalho e ter sido aplaudida no momento mais sublime quando realmente reconhecemos que existe motivo para muita alegria e recordação de felicidade.

Acompanhe nas fotos toda dinâmica:

Veja Ficha do Sócio Fundador em 14/10/1981

Veja fotos no evento em 13/01/2022

Fotos Encaminhadas por Luzia Farias

Em 1982, o cantor e compositor Vital Farias já previa o que viria acontecer na Amazônia

Capa do LP “Sagas Brasileiras”, de Vital Farias

O músico, cantor e compositor paraibano Vital Farias lançou, em 1982, pela Poligram, o LP Sagas Brasileiras, que traz o épico “Saga da Amazônia”, cuja letra expressa a preocupação do artista com a degradação das espécies, a exploração desenfreada da mão de obra infantil, a poluição galopante dos rios e mananciais e, consequentemente, a defesa da preservação da natureza e a sustentabilidade das ações do homem, antecipando o movimento ecológico que tomaria força no final daquela década.

Logo, foi uma visão vanguardista do mestre Vital Farias que, além de construir uma belíssima letra, ainda conclamava as pessoas a repensarem as suas atitudes, sob pena de inviabilizarem a vida no planeta para as gerações vindouras. Atitudes estas, não praticadas pelos governantes atuais.

SAGA DA AMAZÔNIA
Vital Farias

Era uma vez na Amazônia a mais bonita floresta
mata verde, céu azul, a mais imensa floresta
no fundo d’água as Iaras, caboclo lendas e mágoas
e os rios puxando as águas
Papagaios, periquitos, cuidavam de suas cores
os peixes singrando os rios, curumins cheios de amores
sorria o jurupari, uirapuru, seu porvir
era: fauna, flora, frutos e flores
Toda mata tem caipora para a mata vigiar
veio caipora de fora para a mata definhar
e trouxe dragão-de-ferro, pra comer muita madeira
e trouxe em estilo gigante, pra acabar com a capoeira
Fizeram logo o projeto sem ninguém testemunhar
pra o dragão cortar madeira e toda mata derrubar:
se a floresta meu amigo, tivesse pé pra andar
eu garanto, meu amigo, com o perigo não tinha ficado lá
O que se corta em segundos gasta tempo pra vingar
e o fruto que dá no cacho pra gente se alimentar?
depois tem o passarinho, tem o ninho, tem o ar
igarapé, rio abaixo, tem riacho e esse rio que é um mar
Mas o dragão continua a floresta devorar
e quem habita essa mata, pra onde vai se mudar???
corre índio, seringueiro, preguiça, tamanduá
tartaruga: pé ligeiro, corre-corre tribo dos Kamaiura
No lugar que havia mata, hoje há perseguição
grileiro mata posseiro só pra lhe roubar seu chão
castanheiro, seringueiro já viraram até peão
afora os que já morreram como ave-de-arribação
Zé de Nana tá de prova, naquele lugar tem cova
gente enterrada no chão:
Pois mataram índio que matou grileiro que matou posseiro
disse um castanheiro para um seringueiro que um estrangeiro
roubou seu lugar
Foi então que um violeiro chegando na região
ficou tão penalizado que escreveu essa canção
e talvez, desesperado com tanta devastação
pegou a primeira estrada, sem rumo, sem direção
com os olhos cheios de água, sumiu levando essa mágoa
dentro do seu coração
Aqui termina essa história para gente de valor
prá gente que tem memória, muita crença, muito amor
prá defender o que ainda resta, sem rodeio, sem aresta
era uma vez uma floresta na Linha do Equador…

Nascimento de Jesus Cristo serviu de inspiração para grandes mestres da pintura

A cena da Natividade, na visão de Caravaggio

Na iconografia cristã, os grandes mestres da pintura sempre deram relevada importância em registrar com talento, criatividade e interpretações diversas, o episódio da Natividade (o nascimento de Cristo) com seus personagens – a Virgem Maria, São José, o Menino Jesus, os animais, os pastores e os Reis Magos. Essas imagens, um dos temas mais comuns na arte cristã, mormente na Idade Média e no Renascimento, estão sempre impregnadas de símbolos, como ressaltam Emile Male e seu discípulo Louis Réau, em livros iconográficos que decodificam a poética dos artistas.

A Virgem, o Menino Jesus e São José, personagens principais do ato passado na estrebaria, o Nascimento de Cristo, conforme a época e os pintores, a cena, bastante conhecida, sofre variações de um para outro artista. No Retábulo Portinari, do flamengo Reoger der Weuden, ou na Natividade, do alemão Hans Baldung, há uma inovação: a do Menino iluminado, adorado por seus pais e os pastores.

“Do corpo do pequeno Cristo irradia intensa luz que ilumina a face extasiada dos personagens”, diz Emile Male. “Não é apenas um menino comum, que jaz no chão ou na manjedoura, reverenciado por Reis Magos e Pastores, olhado e farejado com certa indiferença por dois animais principais: o asno e o boi”.

OUTROS SERES – Neste painel, outros seres ainda podem ser acrescentados, como na pintura da brasileira Rosina Becker do Vale: pavões, leões, corujas, borboletas, além de anjos cantores. “E com tal fidelidade são estes seres representativos do Renascimento que, na Natividade de Piero Della Francesca, identificam-se as palavras do canto gregoriano que pronunciam pelo formato de suas bocas”, afirma Emile Male.

Os livros iconógrafos relatam que tudo na arte cristão medieval possui caráter simbólico, testemunhos da divindade de Cristo e das verdades do Novo Testamento. E, por isso, existe um verdadeiro zoológico nos quadros primitivos flamengos, nos renascentistas e no de alemães e espanhóis.Giotto – A NATIVIDADE - VÍRUS DA ARTE & CIA.

Assim o mestre Giotto retratou a Natividade

Segundo os especialistas, as fontes do bestiário vieram, principalmente, da Bíblia, dos Salmos e da Lenda Dourada, a hagiografia dos santos (história dos santos) tão consultada pelos artistas da Idade Média. Nelas os animais não são classificados por espécies, família e gênero, como fez Carlos Lineu, no início do século XVIII, e sim por suas virtudes ou malefícios morais.

OS SIGNIFICADOS – “Na Idade Média”, diz Emile Male, “tudo é signo e o visível só vale porque esconde o invisível. Logo, temos o significado de alguns animais que sempre aparecem em quadros de mestres que pintaram o tema Natividade”.

O Cordeiro (Agnus Dei), por sua mansidão ante a morte inevitável, geralmente, simboliza Cristo e seu sacrifício pela humanidade, sobretudo quando aparece imóvel, salienta Emile Male. “Mas também pode significar a Ressurreição do Cristo. Todavia, devemos nos lembrar que Ele não simboliza, exclusivamente, a imagem de Jesus imolado ou ressuscitado. Ele pode ser o símbolo místico do Apocalipse que se aproxima, ou a inocência dos santos”.

O asno e o boi são animais inevitáveis em todas as Natividades. O asno, que mais tarde ajudará a Sagrada Família a fugir para o Egito, na iconografia do Natal tem vários significados. Humilde o doce, ele era chamado “o cavalo do pobre” e tem sempre um papel simpático na Bíblia. Na gruta natalina, ele esquenta com seu hálito o Menino Jesus na manjedoura.

POVO JUDEU – O asno, entretanto, tem também seu lado perverso, constata Emile Male. “Iconograficamente, ele simboliza a ignorância, a obstinação e até a lubricidade. Sua teimosia simboliza o povo judeu que, mantendo-se fiel a sua milenar crença, não quis seguir Jesus Cristo. No caso, o asno é o símbolo da Sinagoga que renegou o Messias Cristão. E foi o asno que carregou Cristo para Jerusalém no Dia da Páscoa”.

Já o boi, como São José, tem um papel humilde de Natalidade. Seu hálito também ajuda a acalentar o Menino na noite de inverno natalino. Ele, iconograficamente, simboliza ainda o sacrifício de Jesus, assimila a ideia de reprodução humana e é a vítima nos sacrifícios religiosos. Por isso, o boi não tinha boa reputação na Bíblia, que condenava o sacrifício dos animais aos deuses. Foi aproveitando a ausência de Moisés que os judeus adoraram o Bezerro de Ouro ao pé do Monte Sinai.

RIQUEZA DO MUNDO – Os cavalos dos Reis Magos, ricamente, adornados, significam a riqueza do mundo em comparação à do Filho de Deus, explica Emile Male.

“A este bestiário luxuoso, vários artistas como Ticiano, Rubens e Veronese, acresceram outros animais simbólicos: pomba, pavão, cervo, galo e leão, além dos anjos que evoluem como símbolos da pureza velando pela Sagrada Família”.

A pomba, símbolo da paz que reinará um dia sobre a humanidade após o Juízo Final, foi a emissária da Anunciação e do término do Dilúvio Universal. “Signo do Espírito Santo, da alma do penitente purificada pela morte, ela se opõe ao negro corvo, encarnação do Diabo. A pomba também simboliza a Igreja nascida no Pentecostes”, sustenta Emile Male.

OUTROS ANIMAIS – O cervo, segundo o Salmo 41, após beber no regato, brame pela presença do Messias. Ele é também o matador da serpente tentadora. Já o pavão de caudas é um breve contra o mau olhado.

“Os cristãos primitivos o reverenciavam ainda como símbolo da redenção e da vigilância contra o pecado. Mas em pintura, era também um animal que permitia vivas combinações de cores”, constata Emile Male.

O galo não significa apenas o símbolo da regeneração e do remorso de São Pedro, é também a imagem de Cristo que, no terceiro dia, ressurgiu das trevas para a Ressureição. Seu canto matinal não apenas acorda o homem para o trabalho, mas serve para lembrá-lo que mais um dia passou e a morte se aproxima.

BEM E MAL – E o leão, símbolo da coragem e da força, paradoxalmente, significa a sepultura, tal como a baleia, onde um dia os restos mortais irão repousar.

Emile Male revela que além desses símbolos iconográficos da Natividade, outros foram adotados para significarem o bem ou o mal.

“Na Idade Média e, desde a Arte Cristã Primitiva, o importante das imagens não eram suas qualidades físicas, mas seu conceito metafísico, pois a metafísica, no mundo medieval, era a única filosofia que explicava o Universo”.

Por Paulo Peres

Empresa Urbana com serviços no Município de Montanhas informa satisfação

Dez. 2021 – Por Betinho Moreira

Em contato com a gerência da administração da Empresa prestadora de serviços no Município de Montanhas, no tocante a limpeza pública e resíduos sólidos, o mesmo, vem informar que a satisfação de promover esse trabalho é muito gratificante quando se tem a dignidade dos seus trabalhadores em conduzir o melhor para o Município.

Nesta quinta-feira (16), informa que 100% dos servidores receberam o seu 13º salário e que suas obrigações salariais mensais então rigorosamente em dia. Assim pontua o seu gerente administrativo no Município, Betinho Moreira.

Importante ressaltar a satisfação de cada um trabalhador podemos observar na foto encaminhada. O trabalho continua, seja um colaborador diante da programação apresentada pela Empresa que de segunda, quarta e sexta-feira recolhimento dos resíduos sólidos domésticos e nas terças e quintas-feiras podas e outras ações correlatas.

Neste período natalino e de final de ano, contribua com a caixinha entre os funcionários, eles agradecem toda e qualquer colaboração para a sua confraternização. Afinal, eles fazem de Montanhas uma cidade limpa e com os seus esforços deixam seu trabalho registrado neste ano de 2021.

Parabéns para todos!

Foto registrada em dezembro de 2021. Satisfação garantida!

“O que acontecerá aos corações, se o tempo não passar?”, perguntam Vital Lima e Nilson Chaves

Lima e Chaves, grandes compositores paraenses

O cantor e compositor paraense Carlos Nilson Batista Chaves, na letra de “Tempo e Destino”, em parceria com Vital Lima, retrata etapas, acontecimentos e conquistas que obtemos no passar do tempo. Essa música foi gravada por Sebastião Tapajós e Nilson Chaves no CD Amazônia brasileira, em 1997, pela Outros Brasis.

TEMPO E DESTINO
Vital Lima e Nilson Chaves

Há entre o tempo e o destino
Um caso antigo, um elo, um par
Que pode acontecer, menino,
Se o tempo não passar?
Feito essas águas que subindo
Forçaram a gente a se mudar
Que pode acontecer, meu lindo,
Se o tempo não passar?
O tempo é que me deu amigos
E esse amor que não me sai
Que doura os campos de trigo
E os cabelos de meu pai
Faz rebentar as paixões
Depois se nega às criações
E assim mantém a vida…
(Que acontecerá aos corações
Se o tempo não passar?)
Não mato o meu amor, no fundo,
Porque tenho amizade nele
Que já faz parte do meu mundo
O tempo entre eu e ele…

Por: Paulo PeresPoemas & Canções

Covid: RN registra 107 novos casos da doença nas últimas 24 horas

Foto: KARIM SAHIB /AFP

O novo boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), divulgado nesta quarta-feira (1), notificou 107 novos casos da doença nas últimas 24 horas.

De acordo com a Sesap, o Rio Grande do Norte registra 382.351 casos confirmados de Covid desde o início da pandemia. O levantamento ainda indica que tem 188.361 casos suspeitos e 791.924 casos descartados de Covid-19.

Em relação ao número de óbitos, a doença vitimou 7.501 pessoas no estado. O boletim aponta ainda que outros 1.365 óbitos estão sob investigação. De acordo com a secretaria, são duas mortes a mais, em relação a última notificação.

Por: Jessyanne Bezerra do PN Notícias

Documentário conta história dos 420 anos da Paróquia de Nossa Senhora da Apresentação em Natal

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação (Catedral Antiga), na Cidade Alta — Foto: Alex Regis/PMN/Secom

Com G1 RN

A história da Paróquia de Nossa Senhora da Apresentação, na Cidade Alta, em Natal, será contada em documentário que tem pré-estreia marcada para quarta-feira (17). “A Matriz de Natal” vai destacar registros e recordações através de relatos e resgate histórico sobre a construção da paróquia, sua importância para o desenvolvimento do município de Natal, as reformas, restauros e tesouros da primeira igreja erguida no Rio Grande do Norte, em 1601.

A sessão de pré-estreia reúne convidados do clero, jornalistas, equipe técnica e influencers, em sala de cinema, na quarta-feira. O documentário, que tem 30 minutos de duração e foi produzido pelo Orne Estúdio Criativo, estará disponível para o público em geral a partir do dia 20, nas redes sociais da Paróquia de Nossa Senhora da Apresentação e da Arquidiocese de Natal.

Como parte da programação da festa de Nossa Senhora da Apresentação, o foyer esquerdo da Igreja Matriz (antiga Catedral) recebe até o dia 21 uma exposição alusiva ao documentário, apresentando os bastidores da produção e também a linha do tempo da construção da Igreja de Nossa Senhora da Apresentação. Uma das atrações é a pedra fundamental original da construção do templo, devolvida pela Funcarte. A visitação é gratuita, e pode ser feita das 15h às 18h.

Proclamação da República: entenda por que 15 de novembro é feriado nacional

Por Eduardo Pierre, g1 Rio


Praça da República, ou Campo de Santana, no Centro do Rio — Foto: Alexandre Macieira/Riotur

Praça da República, ou Campo de Santana, no Centro do Rio — Foto: Alexandre Macieira/Rioturhttps://9b14b775bb933bc06839d5de15bd5087.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

O Brasil comemora nesta segunda-feira, 15 de novembro, o Feriado da Proclamação da República.

Há exatos 132 anos, em 1889, o marechal Deodoro da Fonseca se juntava a tropas de rebelados no Campo de Santana, no Centro do Rio, com os quais depôs o gabinete de Dom Pedro II. O imperador e sua família partiriam em exílio para a Europa no dia seguinte.

O 15 de novembro é feriado nacional desde 1949, segundo a Lei Federal 662, do presidente Eurico Gaspar Dutra.

‘Abram esta merda!’

Palácio Duque de Caxias, Quartel-General do Comando Militar do Leste, no Centro do Rio — Foto: Alexandre Macieira/Riotur

Palácio Duque de Caxias, Quartel-General do Comando Militar do Leste, no Centro do Rio — Foto: Alexandre Macieira/Rioturhttps://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Ao contrário do grito do Ipiranga de Dom Pedro I no 7 de setembro de 1822, com o qual declarou a Independência, Deodoro não foi de muitas palavras naquele novembro, 67 anos depois.

“O problema é que não houve uma ‘proclamação da República’”, ensina o historiador Milton Teixeira.

Na tarde daquele 15 de novembro, Deodoro, mesmo se recuperando de uma crise de asma, decidiu apoiar o crescente movimento contra Pedro II. Vizinho do então chamado Campo da Aclimação, desceu de casa e se encontrou com militares enfileirados diante do Quartel-General do Império — onde hoje é o Palácio Duque de Caxias.

“Deodoro não proclamou a República de imediato. Ele queria derrubar o presidente do conselho de ministros, Afonso Celso de Assis Figueiredo. Derrubou, mandou prendê-lo. E pediu que o imperador designasse um substituto. Aí o imperador designa Gaspar da Silveira Martins, que era arqui-inimigo do Deodoro”, lembra o professor.

“Deodoro recebe a notícia, à noite, e diz: ‘Então derruba logo todo o sistema’”, emendou.

Quando Deodoro chegou ao Quartel-General do Exército, a porta estava fechada. “‘Abram esta merda!’”, cita Milton.

Afonso Celso acabou deposto. Não muito longe dali, no Arco do Teles, na Praça 15, a Câmara de Vereadores realizava a solenidade que pôs fim ao Império do Brasil.

“A República, na verdade, foi proclamada à noite. Por isso, na bandeira do Brasil, estão as estrelas visíveis na noite do dia 15”, destaca.

Quadro do Marechal Deodoro da Fonseca montado em um cavalo baio — Foto: TV Globo/Acervo

Quadro do Marechal Deodoro da Fonseca montado em um cavalo baio — Foto: TV Globo/Acervohttps://9b14b775bb933bc06839d5de15bd5087.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Contexto para a queda do Império

O regime monárquico já não correspondia às vontades da população. Em paralelo, desde a Guerra do Paraguai, nos anos 1870, o Exército pleiteava mais participação no governo — no que não era atendido.

Também havia atritos entre Pedro II e a elite agrária, que exigia indenização pela libertação dos escravos com a Lei Áurea, de 1888.

E crescia no Sudeste, que substituiu o Nordeste como polo econômico, a influência do positivismo — de onde veio o lema “Ordem e progresso” estampado em nossa bandeira.

” TEM UM DITADO, TIDO COMO CERTO, QUE CAVALO ESPERTO NÃO ESPANTA BOIADA” DIZ BOLDRIN

Rolando Boldrin: "84 anos e estou 'inteiraço', quero trabalhar mais!"

Abençoado, Boldrin é a alegria personificada

O ator, cantor, poeta, contador de causos, radialista, apresentador de televisão e compositor paulista Rolando Boldrin, na letra de “Vide Vida Marvada”, descreve os boatos que correm onde ele mora, que na verdade, é a descrição da vida calma e mansa de todo matuto. Quanto ao verso “a baba sempre foi santa e purificada”, trata-se de uma alusão ao fato de que o matuto fica lá “sem fazer nada”, tocando a sua violinha e a baba deixada no capim pelo boi quando ele pasta, faz com que o capim nasça de novo sem que o matuto tenha que fazer muito esforço, segundo o boato que corre por lá. Essa música foi gravada pelo próprio Rolando Boldrin no LP Caipira, em 1981, pela Som Brasil.

VIDE VIDA MARVADA
Rolando Boldrin

Corre um boato aqui donde eu moro
Que as mágoas que eu choro
São mal ponteadas
Que no capim mascado do meu boi
A baba sempre foi
Santa e purificada

Diz que eu rumino desde menininho
Fraco e mirradinho
A ração da estrada
Vou mastigando o mundo e ruminando
E assim vou tocando
Essa vida marvada

É que a viola fala alto no meu peito humano
E toda moda é um remedio pro meu desengano
É que a viola fala alto no meu peito humano
E toda magoa é um misterio fora desse plano
Pra todo aquele que só fala que eu não sei viver
Chega lá em casa pra uma visitinha
Que no verso ou no reverso da vida inteirinha
Há de encontrar-me num cateretê

Tem um ditado tido como certo
Que cavalo esperto
Não espanta boiada
E quem refuga o mundo resmungando
Passará berrando
Essa vida marvada

Cumpade meu que envelheceu cantando
Diz que ruminando
Dá pra ser feliz
Por isso eu vagueio ponteando
e assim procurando
Minha flor de lis

É que a viola fala alto no meu peito humano
E toda moda é um remedio pro meu desengano
E toda magoa é um misterio fora desses planos
Pra todo aquele que só fala que eu não sei viver
Chega lá em casa pra uma visitinha
Que no verso ou no reverso da vida inteirinha
Há de encontrar-me num cateretê

Paulo Peres Poemas & Canções

REALIZADA AUDIÊNCIA PÚBLICA EM MONTANHAS SOBRE A LOA

Com site Oficial: http://montanhas.rn.gov.br

No Município de Montanhas nesta sexta-feira (12) foi realizada a Audiência Pública, conforme foi anunciada convidando a população para participarem do evento.

Foi feita Apresentação da LOA – Lei Orçamentária Anual e, discutido alguns pontos, além do que para constar, o Projeto da Lei foi lançado ao valor estimado para o entorno de 36 milhões a fim de despesas no ano de 2022.

O Prefeito Manuel Gustavo de Araújo Moreira fez a abertura da Audiência e elencou várias situações que deverão estar previstas em ações no próximo ano. Fato que deveremos dar informações de acordo com os atos praticados no decorrer de todo o período, além de outras que já estão em execução neste ano de 2021.

O contador Amarildo fez explanação do que será a LOA em 2022 e na continuidade, com o apoio do Prefeito Manuel Gustavo em algumas interferências, seguiu na linha de apresentação onde se mostra boas notícias para Montanhas.

Foi também explicado, as transferências e receitas de capital e receitas que são oriundas do Governo Federal e Estadual constantes e inseridas na LOA, que na realidade é uma previsão de recebimentos e estimativas para gastos na municipalidade. Como também, as despesas e gastos com recursos próprios do Município.

Importante ressaltar a importância de cada secretaria municipal neste contexto, cada uma tem a sua finalidade e funcionalidade. A Audiência Pública participativa envolvendo a sociedade civil e representantes públicos, que também contou com  a presença do Vereador Eduardo Coutinho e agentes públicos, vem acrescentar o interesse de credibilidade com as políticas públicas para que possamos seguir dignamente com transparência administrativa.

Governo do RN vai demitir servidores públicos que se negarem a tomar a vacina do Covid-19

Por: Jessyanne Bezerra
Do PN Notícias

Foto: Sandro Menezes

O Governo do Rio Grane do Norte publicou, nesta terça-feira (26), o decreto estadual sobre a obrigatoriedade da vacinação e apresentação do “Passaporte Sanitário” para que agentes públicos estaduais possam continuar desempenhando suas funções. 

A medida visa garantir um ambiente de trabalho com reduzido risco de contaminação, preservando a saúde coletiva dos servidores e assegurando um cenário epidemiológico favorável. 

E via o Diário Oficial do Estado publicado nesta quarta-feira (27) prevê demissão entre sanções aos servidores e funcionários públicos estaduais que se recusarem a tomar a vacina contra a Covid-19. 

O decreto nº 31.022 estabelece a vacinação como um dever funcional, “com o objetivo de garantir um ambiente de trabalho com reduzido risco de contaminação, preservando a saúde coletiva dos servidores e assegurando um cenário epidemiológico favorável”. 

O texto assinado pela governadora Fátima Bezerra (PT) e pelo secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, transforma a falta de vacinação em “falta disciplinar”. Entre as sanções aos servidores podem ir da advertência, até a suspensão ou “demissão, em caso de manutenção da recusa”. 

Além disso, o decreto prevê que funcionários públicos poderão ser demitidos por justa causa. Dentre as normas, há exceção para servidores que apresentarem atestado médico ou que não integrem, temporariamente ou permanentemente, grupo elegível para recebimento dos imunizantes. 

Em junho, de acordo com o G1, foi registrado que pelo menos 250 policiais militares do Rio Grande do Norte se recusaram a tomar a vacina contra a covid-19. 

A partir da publicação do novo decreto, os órgãos e entidades do serviço público terão prazo de cinco dias para comunicar os servidores sobre e necessidade de apresentar a comprovação do cumprimento do esquema vacinal.

Musica autentica

Reprodução internet

O cantor e compositor Gilson Vieira da Silva, ou simplesmente, Gilson, nasceu em 1952 na cidade de Macau-RN. Aos 11 anos tem início sua trajetória na música. Como cantor e músico profissional surgiu em 1978 e o reconhecimento pelo grande público ocorreu a partir de 1979, através de seu primeiro sucesso. Casinha Branca, foi gravada por mais de 100 artistas e uma das versões mais bonita é a gravação de Roberta Campos!

Casinha Branca (Gilson)

Eu tenho andado tão sozinho ultimamente
Que nem vejo à minha frente
Nada que me dê prazer
Sinto cada vez mais longe a felicidade
Vendo em minha mocidade
Tanto sonho perecer

Eu queria ter na vida simplesmente

Um lugar de mato verde
Pra plantar e pra colher
Ter uma casinha branca de varanda
Um quintal e uma janela
Para ver o sol nascer
Às vezes saio a caminhar pela cidade
À procura de amizades
Vou seguindo a multidão
Mas eu me retraio olhando em cada rosto
Cada um tem seu mistério
Seu sofrer, sua ilusão
@robertacamposoficial

STF proíbe missões religiosas de entrar em áreas indígenas isoladas

Foto: Guilherme Mendes/Congresso em Foco

O ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou na sexta-feira (24) que missões religiosas não podem entrar em terras indígenas isoladas durante a pandemia de covid-19. 

Atendendo a um pedido da Articulação para os Povos Indígenas do Brasil (Apib), o ministro reiterou um entendimento vigente desde meados do ano passado, quando obrigou que o governo adotasse uma série de medidas de proteção aos povos indígenas durante a pandemia. 

A ação, apresentada pela Apib junto com o PT, recorreu contra um trecho da Lei 14.021, aprovada no ano passado e que regulamenta a proteção de povos e territórios indígenas durante a pandemia. Apesar de não permitir o acesso de terceiros em áreas onde moram indígenas isolados, o texto legal abria uma exceção: “As missões de cunho religioso que já estejam nas comunidades indígenas deverão ser avaliadas pela equipe de saúde responsável e poderão permanecer mediante aval do médico responsável.” 

Na decisão, Barroso reiterou que o impedimento de ingresso de missões religiosas em terras indígenas de povos isolados deve ser mantido “com base em seu direito à vida e à saúde”. Tal decisão já havia sido dada na ADPF 709, julgada ano passado e que indicou a tese a ser tomada pelo tribunal em relação ao tema.

Fonte: Guilherme Mendes/Congresso em Foco

Um prelúdio de Luiz Vieira, que sintetiza, em poucas palavras, a força de um grande amor

Luiz Vieira, um músico que deixou muita saudade

Por: Paulo Peres
Poemas & Canções


A letra de “Paz do meu amor (Prelúdio nº 2)” idolatra de uma forma poética a conquista do amor infindo pelo radialista, cantor e compositor pernambucano Luiz Rattes Vieira Filho. Um dos maiores sucessos de Luiz Vieira, que ele próprio gravou, em 1963, pela Copacabana. O grande músico morreu em 2020, aos 91 anos.

PAZ DO MEU AMOR (Prelúdio nº 2)
Luiz Vieira

Você é isso: Uma beleza imensa,
Toda recompensa de um amor sem fim.
Você é isso: Uma nuvem calma
No céu de minh’alma; é ternura em mim.

Você é isso: Estrela matutina,
Luz que descortina um mundo encantador.
Você é isso: É parto de ternura,
Lágrima que é pura, paz do meu amor

A estimativa populacional dos Municípios publicada pelo IBGE

Por: Evandro Borges

O IBGE publicou a estimativa populacional dos Municípios, sempre esperado pelos Prefeitos Municipais e que corresponda ao crescimento em face dos serviços prestados a população.  Os serviços considerados essenciais muitas vezes são custosos exigindo dos gestores muita austeridade para cumprir os compromissos. O SUS com a pactuação e os consórcios de atendimento entre os entes federativos contribuem em muito para a diminuição das despesas e melhora a eficiência. Parnamirim e Mossoró se destacaram no crescimento populacional. 

Parnamirim segundo a estimativa atingiu uma população de 272.490 habitantes revelando um êxodo dos Municípios para o Município “Trampolim da Vitória”, mas, também, um transbordamento da capital do Estado. Em Natal muitos culpam o Plano Diretor que está por ser revisado em adiantada tramitação,  como um dos culpados pela evasão da população, consistindo em um dos pontos de “conurbação” entre Natal Parnamirim e Natal. A população de Natal praticamente não cresceu está com uma estimativa de 892.708, não chegou à casa de um milhão como se esperava. 

Mossoró atingiu 303.792 habitantes um crescimento considerável em virtude da atração do retorno da indústria, do fortalecimento do agronegócio e da agricultura familiar, do comércio e serviços, dos negócios das petroleiras, do sal, da construção civil e da modernização do setor imobiliário, das universidades, principalmente e em especial da UFERSA e do Instituto Federal com a possibilidade de geração de empregos e oportunidades diretas e finalmente, do crescimento regional com a energia renovável e limpa já instaladas. Em outro aspecto, a preocupação dos Prefeitos Municipais que fazem frentes aos serviços essenciais são os limites populacionais para a subida no percentual do FPM – Fundo de Participação dos Municípios, principalmente aqueles que se encontra como: 0,6; 0,8; e 1.0 com uma estimativa que não correspondem, sequer aos números das famílias e habitantes que recebem a prestação dos serviços da saúde. 

Os honorários médicos são considerados custosos, embora reconhecidamente merecidos, e os profissionais médicos em face às alternativas que existem fazem falta no mundo do trabalho na administração pública municipal. Os médicos são disputados e levam os Municípios mais organizados, austeros e que são bons pagadores. Contudo, não é apenas isto na dimensão da saúde, há também, medicamentos, e exames mais complexos consistem em uma verdadeira “via crucis”, principalmente com transportes para os munícipes com doenças crônicas, aumentando as despesas consideravelmente no segmento. 

O prazo para contestar e impugnar a estimativa já começou, cabendo aos Prefeitos responsáveis tomar todas as providências de direito e necessárias para não causar prejuízo a Municipalidade e poder melhorar o atendimento dos serviços essenciais as suas populações, principalmente na seguridade (saúde, educação e assistência social), a fim de garantir os recursos que muitas vezes podem melhorar a qualidade de vida. 

Com: Potiguar Notícias

“Carinhoso” já era sucesso quando Braguinha colocou a belíssima letra no chorinho

João de Barro das eternas construções - Rede Brasil Atual
Braguinha, autor de letras que serão eternas

O compositor carioca Carlos Alberto Ferreira Braga (1907-2006), conhecido como Braguinha ou João de Barro, fez uma belíssima declaração de amor ao colocar letra no famoso choro “Carinhoso”, um dos maiores clássicos da MPB, composto por Pixinguinha.  “Carinhoso” foi gravado por Orlando Silva, em 1937, pela RCA Victor.


CARINHOSO

Pixinguinha e João de Barro


Meu coração, não sei por quê
Bate feliz quando te vê
E os meus olhos ficam sorrindo
E pelas ruas vão te seguindo,
Mas mesmo assim foges de mim.


Ah se tu soubesses
Como sou tão carinhoso
E o muito, muito que te quero.
E como é sincero o meu amor,
Eu sei que tu não fugirias mais de mim.

Vem, vem, vem, vem,
Vem sentir o calor dos lábios meus
A procura dos teus.
Vem matar essa paixão
Que me devora o coração
E só assim então serei feliz,
Bem feliz.

Com: Paulo Peres
Poemas & Canções

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE MONTANHAS REALIZA CONFERÊNCIA NESTA QUINTA FEIRA (26)

Com:  Assessoria de Comunicação
http://montanhas.rn.gov.br

Hoje, quinta-feira (26), a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Habitação, Trabalho e Lazer promove durante todo o dia a realização da sua IX Conferência Municipal de Assistência Social. Conforme foi anunciado dia 18 de agosto. IX CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (montanhas.rn.gov.br).

A abertura se deu por volta das 9:00h e contou com a participação de muitos conferencistas que se inscreveram no formulário disponibilizado para os representantes das entidades governamentais, civis, e afins.

O evento foi muito bem elaborado e muito organizada toda sua dinâmica. Parabéns para toda equipe colaboradora, que desde o início já distribuía as pastas para a implantação dos grupos de trabalho nos eixos temáticos habilitados para discussão, passando por uma oferta de um café da manhã, apresentação dos hinos do Brasil e do Município e, diga-se de passagem, uma bela apresentação da equipe de jovens do grupo de fortalecimento de vínculos que brilhantemente encenou e representou ao som da música inédita que evidencia o Município de Montanhas com o título “Montanhas terra querida”.

Esteve presente compondo a mesa, o Vice-prefeito Antonio Duarte, Presidente do Conselho Social, Edinólia, Secretária Municipal do Desenvolvimento Social, Socorro Adelino, Secretária de Educação, Marta Lopes, Secretária Municipal de Saúde, Maria José, Assessor de Governo, Ubiratan de Melo Gonçalves, vereadores Edson Junior (Dinho) e Eduardo Paz Coutinho.

O Palestrante, Marcio Francisco de Andrade, presidente do CEAS – Conselho Estadual de Assistência Social, compareceu e fez uma bela explanação onde muitos pontos foram aclarados para na oportunidade das oficinas temáticas as propostas de trabalho fluírem com mais facilidade. O Presidente do CEAS, ainda, destacou em sua fala, o agradecimento pela bela recepção que lhe foi dada e ressaltou quão bela encontra-se Montanhas, disse: “A melhoria se ver ao entrar na Cidade, com as ruas em perfeito estado de conservação e sinalização, além da limpeza pública, parabéns pela administração que Montanhas recebeu”. Enfatizou.

Depois do almoço, servido aos participantes no CCI – Centro de Convivência dos Idosos, iniciou o processo de discussão e debates para elaboração das propostas que serão possivelmente introduzidas no Plano Plurianual – PPA e por esse caminho, novas perspectivas poderão chegar a população com muito mais resultados, afinal, a participação da sociedade nessas atividades é motivo de orgulho para um município que envolve todos por um só objetivo: O melhor para Montanhas!

Neste momento ainda continua a reunião, vamos aguardar o desfecho e mais notícias teremos na sequência.

Vejamos algumas fotos enviadas por Nelson Aranha:

Uma canção de protesto de Gonzaguinha, ensinando que não se deve baixar a cabeça

Foto sem data Gonzaguinha com o pai, Luiz Gonzaga.

Gonzaguinha e o pai, dois mestres da MPB

O economista, cantor e compositor carioca Luiz Gonzaga do Nascimento Junior (1945-1991) , mais conhecido como Gonzaguinha é, sem dúvida, um dos maiores talentos da Música Brasileira em seus diversos estilos populares. Sua obra teve, inicialmente, como característica sua postura de crítica à ditadura militar, conforme mostra a letra da música “Comportamento Geral”, gravada no LP Luiz Gonzaga Junior (Gonzaguinha), em 1973, pela Odeon.

COMPORTAMENTO GERAL
Gonzaguinha

Você deve notar que não tem mais tutu
e dizer que não está preocupado
Você deve lutar pela xepa da feira
e dizer que está recompensado
Você deve estampar sempre um ar de alegria
e dizer: tudo tem melhorado
Você deve rezar pelo bem do patrão
e esquecer que está desempregado

Você merece, você merece
Tudo vai bem, tudo legal
Cerveja, samba, e amanhã, seu Zé
Se acabarem com o teu Carnaval?

Você merece, você merece
Tudo vai bem, tudo legal
Cerveja, samba, e amanhã, seu Zé
Se acabarem com o teu Carnaval?

Você deve aprender a baixar a cabeça
E dizer sempre: “Muito obrigado”
São palavras que ainda te deixam dizer
Por ser homem bem disciplinado
Deve pois só fazer pelo bem da Nação
Tudo aquilo que for ordenado
Pra ganhar um Fuscão no juízo final
E diploma de bem comportado

Você merece, você merece
Tudo vai bem, tudo legal
Cerveja, samba, e amanhã, seu Zé
Se acabarem com o teu Carnaval?

Você merece, você merece
Tudo vai bem, tudo legal
Cerveja, samba, e amanhã, seu Zé
Se acabarem com o teu Carnaval?

Você merece, você merece
Tudo vai bem, tudo legal

E um Fuscão no juízo final
Você merece, você merece

E diploma de bem comportado
Você merece, você merece

Esqueça que está desempregado
Você merece, você merece

Tudo vai bem, tudo legal

Com: Paulo Peres Poemas & Canções 

Lamentamos informar o falecimento do Padre Teixeira nesta quarta-feira 18/08/2021

Foto: Album pessoal
Minha Mãe Maria Alice/ Minha irmã e Pe. Teixeira

O Blog Montanhas em Ação com as informações recebidas do falecimento do Monsenhor Luiz Teixeira de Almeida e, que muitos fies os conhecia como Padre Teixeira, até pelo grande serviço espiritual dedicado por muitos anos em nosso Município de Montanhas quando pároco da Igreja Matriz de São João Batista, mesmo, ainda, vinculada ao Município de Pedro Velho. Vem lamentar com profundo pesar essa grande perda com o seu falecimento ocorrido nesta tarde de quarta-feira (18) em Natal, vítima de problemas cardíacos.

Acompanhe a Nota de Falecimento na íntegra pela a Arquidiocese de Natal:

Destaques › 18/08/2021

Nota de falecimento do Mons. Luiz Teixeira

“A Arquidiocese de Natal comunica, consternada, o falecimento do Monsenhor Luiz Teixeira de Almeida,  na tarde desta quarta-feira, 18 de agosto,  aos 83 anos de idade, por complicações cardíacas. Ele estava internado desde a última sexta-feira, 13,  na Casa de Saúde São Lucas, em Natal, onde faleceu.

O velório acontece nesta quinta-feira, a partir das 7 horas, na capela central do Cemitério Morada da Paz, em Emaús, onde também será celebrada a missa exequial, às 11 horas, seguida do sepultamento.

Mons. Luiz Teixeira nasceu em 11 de abril de 1938, na cidade de Macau (RN), e foi ordenado sacerdote em 6 de dezembro de 1964, em Natal. Entre as funções exercidas, no território da Arquidiocese, estão: vigário coadjutor das Paróquias de Nossa Senhora Mãe dos Homens, em João Câmara, de Nossa Senhora da Conceição, em Canguaretama, e da Imaculada Conceição, em Nova Cruz; vigário coadjutor e pároco da Paróquia de São Francisco de Assis, em Pedro Velho; diretor espiritual do Seminário de São Pedro, nomeado em 1994; capelão da Casa de São Lucas e, há alguns anos, exercia a função de confessor do Seminário. No dia 12 de junho de 2015, recebeu o título de Monsenhor, na categoria de “Capelão de Sua Santidade”, entregue pelo Arcebispo Dom Jaime Vieira Rocha, na Catedral Metropolitana de Natal.

Aos seus familiares e demais amigos, desejamos que este momento de dor seja atravessado na firme confiança no Deus da Vida e na esperança da feliz ressurreição”.

Siga em paz e que a sua nova caminhada esteja, como sempre, ao lado de Deus!

Foto: Album Pessoal
Freira Irmã Melânea, Maria da Conceição, Minha Irmã e Pe. Teixeira

AS REFORMAS ELEITORAIS QUE PRECEDEM AS ELEIÇÕES – Evandro de Oliveira Borges

Evandro Borges Advogdo

Publicado por  Ponto de Vista 

AS REFORMAS ELEITORAIS QUE PRECEDEM AS ELEIÇÕES –

​​​Quando se precedem as eleições é quase uma regra, há discussão e projetos de lei tramitando no Congresso Nacional sobre reforma eleitoral. O Art. 16 da Constituição da República dispõe sobre um limite para entrada em vigência das reformas eleitorais de um (1) ano antes da data da vigência, como marco para qualquer alteração. No processo eleitoral o país vem se testando algumas alternativas com o fim do aperfeiçoamento.

Nas últimas eleições municipais de 2020 foi a vez do fim da coligação nas eleições proporcionais, que exigiu mais dos Partidos uma representatividade maior para a elaboração da lista de candidatos (nominata de candidatos), incluindo a quota de candidaturas gênero gerando muita discussão, inclusive com demandas judiciais em torno das “candidaturas laranjas”.

Agora a Câmara Federal acabou a proposta da “PEC do voto impresso”, de total atenção do Presidente República, mas que no passado foi alvo de muitas falcatruas, desde troca de votos, de “votos em cordão” e além de proporcionar a possibilidade da mudança dos “Mapas eleitorais”, pois apesar dos esforços realizados pelo convencimento, principalmente, nas mídias sociais, uma boa parte dos Deputados mesmo alinhados com o Presidente se posicionaram contrários.

O voto “distritão” também vai de ladeira abaixo, que consiste na prática o voto majoritário para os Deputados Federais e Estaduais, além dos Vereadores, parece que o retorno das coligações nas proporcionais está se consolidando, mantendo o quociente eleitoral, e assegurando a participação nos Parlamentos das minorias e Partidos de menor expressão eleitoral.

Há ainda, uma nova discussão com o voto preferencial alterando o segundo turno para os Municípios de grande colégio eleitoral, acima de duzentos mil eleitores, sem muita discussão na sociedade, não havendo mesmo acúmulo de debates que possa formar consenso neste tema e que conduza uma mudança mais radical, uma vez que o segundo turno assegura uma maioria para dar o mínimo de governança na gestão das urbes brasileiras.

Há mudança política e eleitoral que o país precisa mesmo, diz respeito aos partidos políticos, com alteração da LOPP – Lei Orgânica dos Partidos Políticos, a institucionalização dos mesmos, as cláusulas de barreiras,financiamento, tempo considerado gratuito a disposição na comunicação social, fidelidade partidária, filiação partidária e candidaturas, direção, comissões provisórias, coligações, Fundações, mudanças substancias que venha por fim aos nos casuísmos, contribuindo para fortalecer as agremiações partidárias e ao Estado Democrático de Direito.

Deste modo as reformas eleitorais, efetuadas nas vésperas das eleições, mesmo realizadas no prazo constitucional que poderia este ser ampliado para no mínimo dois ou três anos através de uma PEC, deixa transparecer que se encontram no campo do casuísmo e não uma reforma amplamente discutida com a sociedade brasileira, através dos mecanismos de participação, como audiências públicas e com os debates promovidos pelos meios de comunicação social do país em suas mais diversas mídias e colocadas à disposição da cidadania.

Parabéns aos colaboradores da Campanha solidária realizada em Pedro Velho RN

Imagem: Colaboradores da Ação Solidária

Neste momento de crise e de grande dificuldades em que se encontram famílias em estado de vulnerabilidade social, os colaboradores envolvidos em realizar ação de solidariedade voltada às famílias carentes no Município de Pedro Velho, e, destacamos aqui: LBV; AGROCARVALHO; MF PISCINAS; INFORWAY INTERNET BANDA LARGA; GENTE INOCENTE; COMERCIAL PEREIRA; FC DISTRIBUIDORA & CORRESPONDETE BANCÁRIO; SONHO MEU; SUPERMERCADO SÃO JORGE; KITANDA VIRTUAL; LAVAJATO AUTO NÍVEL; STYLUS CALÇADOS; CANELA MOTO PEÇAS, SECRETARIA DE ASSISTENCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE PEDRO VELHO; ALÉM DE VOLUNTÁRIOS POPULARES, sintam-se gratificados em ter participado deste projeto voluntário com entrega de cestas básicas e materiais de limpeza que já vem sendo realizado na municipalidade.

Todos estão de parabéns pelas ações realizadas dentro do maior sentimento de humanidade. Sem proselitismo político! e, muito menos usar deste artifício para promover práticas que fogem às regras da ética e até mesmo da moral. Importante ressaltar que a vulnerabilidade social está diretamente ligada às pessoas consideradas pobres e quase nenhuma escolaridade, levando para uma condição de fragilidade decorrente da situação socioeconômica.

Parabéns pela assertiva! louvem-se orgulhosos por promover o bem, por não medir esforços para atender socialmente e filantropicamente essa categoria, infelizmente ainda, tão desvalorizada por parte de alguns entes políticos, que não conseguiram, ainda, oferecer condições para melhorar a sociabilidade desses grupos de famílias e/ou indivíduos.

Veja algumas fotos:

PARABÉNS!!!

Montanhas Terra Querida – em 20 de julho 2021 – 58 anos de Emancipação Política

Montanhas RN está de Parabéns neste dia 20 de julho. Nesta data, comemora-se o seu aniversário. Em 2021 O Município completa 58 anos de Emancipação Política.

O Blog Montanhas em Ação em homenagem a terrinha querida, lança o vídeo abaixo com muito carinho e respeito pela Cidade e sua história.

Acompanhe e acesse o Vídeo Montanhas Terra Querida!

Considerações sobre o caso DJ Ivis

Marcell Pimentel
Advogado, especialista em Direito e Processo Penal.

Vários foram os questionamentos oriundos do caso de grande repercussão envolvendo o “artista” DJ Ivis, especialmente no que tange a ausência de prisão, uma vez que restaram divulgados vários vídeos demonstrando as agressões por ele cometidas.

Passo a explicar e realizar uma abordagem mais ampla sobre o caso.

Inicialmente, só existem duas hipóteses, elencadas na Constituição Federal, para se prender alguém: em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada da autoridade judiciária competente. O flagrante, no caso, não existiu, eis que as imagens, quando da divulgação, remetiam a vários dias antes. Ele não estava cometendo a infração no ato da divulgação, não tinha acabado de cometê-la, não foi perseguido nem encontrado logo após o fato.

Por outro lado, sobre a decisão fundamentada, esta precisa decorrer de uma condenação criminal transitada em julgado, por óbvio ainda inexistente, ou, de uma prisão cautelar. Ocorre que, para estes tipos de prisão, hão de ser preenchidos alguns requisitos que as fundamentem.

A princípio, estes inexistem. Para coibir de imediato, foram requisitadas e concedidas medidas protetivas de urgência, que impedem qualquer tipo de aproximação com a vítima, por qualquer meio, enquanto o processo judicial se desenrola. O descumprimento de tais medidas sim, pode gerar a prisão, de imediato.

Vou além. Se do processo advier a condenação, pode ser que ele nem seja preso. Explico: se o crime for só de lesão corporal no âmbito doméstico, por exemplo, onde a pena é de três meses a três anos de detenção, muito provavelmente esta será cumprida em regime aberto ou suportada por outras medidas alternativas à prisão.
Percebam que, em todo o exposto, em razão das previsões legais, o agressor não foi e poderá nem ser preso. Desfecho legal, mas, totalmente imoral, sob nossa humilde perspectiva.

Não podemos ter sempre por normal o machismo estrutural. Fiquem sempre atent@s aos sinais. A violência doméstica começa muito antes da agressão. Quase que na totalidade dos casos, ela inicia com atos de violência psicológica e ego doentio. Da fiscalização de redes sociais à proibição de determinadas roupas. Dos xingamentos à humilhação. A violência doméstica é uma consequência e, em inúmeros casos, a situação só cessa na ocorrência do feminicídio.

Atentem aos sinais. Enxerguem os males. Tenham coragem para cortá-los.Apesar das fragilidades legais, há uma sociedade por vocês, pronta para “meter a colher” na briga que te machuca.

Força a tod@s!

Por: Marcell Pimentel


Polícia Militar de Montanhas e Nova Cruz prendem quadrilha por tráfico de Drogas e roubos de celulares

Foto cedida pelo Comando do Destacamento Montanhas

As Informações do Destacamento de Polícia de Montanhas, trazem nesta quarta-feira (27) dados importantes para o Município no tocante ao desfecho realizado pelos efetivos de Montanhas e Nova Cruz que em conjunto realizaram a prisão de uma quadrilha de traficantes que além desse delito, também roubavam celulares na região.

Desde o início do ano que esses elementos praticavam ações dessa natureza aqui no município, com a prisão deles, subtende-se que deva ter um controle, a polícia militar já vinha acompanhando e esperando a oportunidade para pegar esses meliantes.

Foram presas 5 pessoas, 4 (quatro) estão à disposição da justiça em Nova Cruz e 1 (uma) mulher, que também presa, seguiu para Natal, informações dão conta que com esse pessoal a droga circulava a vontade.

3 (três) elementos, desses que estão na foto, foram identificados por várias vítimas aqui de Montanhas que estiveram presente na delegacia em Nova Cruz e ao vê-los, imediatamente apontou para o desfecho que estava aterrorizando os montanhenses nesses 2 meses de aflição.

Parabéns para a Polícia Militar e que continue realizando esse trabalho brilhante de dar segurança à população, além das demais obrigações que a compete.

Desemprego é o maior dos últimos sete anos em 13 capitais do país

Desemprego foi maior nos grandes centros urbanos, que concentram a maior parte da população  Foto: José Cruz/Agência Brasil

A taxa média de desocupação em 2018 foi a maior dos últimos sete anos em 13 capitais do país, na contramão da média nacional, que reduziu de 12,7% em 2017 para 12,3% no ano passado. Além dessas capitais com alta no desemprego, a taxa para Salvador (BA) também subiu em 2018, porém o pico da série histórica segue em 2015 na capital baiana. Foi o que revelou a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), divulgada hoje pelo IBGE.

 Taxa de desocupação média anual nas capitais (%) – 2018
 Porto Velho (RO)  13,7  Fortaleza (CE)  10,8  Rio de Janeiro (RJ)  12,6
 Rio Branco (AC)  13,9  Natal (RN)  13,5  São Paulo (SP)  14,2
 Manaus (AM)  18,1  João Pessoa (PB)  11,9  Curitiba (PR)  9,4
 Boa Vista (RR)  12,4  Recife (PE)  16,3  Florianópolis (SC)  6,5
 Belém (PA)  13,4  Maceió (AL)  16,7  Porto Alegre (RS)  9,5
 Macapá (AP)  18,2  Aracaju (SE)  16,4  Campo Grande (MS)  6,6
 Palmas (TO)  13,7  Salvador (BA)  16,1  Cuiabá (MT)  10,0
 São Luís (MA)  16,4  Belo Horizonte (MG)  12,5  Goiânia (GO)  7,0
 Teresina (PI)  13,6  Vitória (ES)  12,5  Brasília (DF)  12,7
Fonte: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua

O Sudeste foi a região com maior proporção de capitais com recorde de desemprego em 2018, com altas registradas em Vitória (12,5%), Rio de Janeiro (12,6%) e São Paulo (14,2%). Metade das capitais do Norte e dois terços das do Nordeste estão nessa situação. Apenas no Centro-Oeste nenhuma capital apresentou alta na taxa de desocupação.Também houve aumentos no desemprego em oito regiões metropolitanas.

Para o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo, a comparação entre os dois recortes geográficos dá uma indicação das características dessa desocupação: “percebe-se que o problema é mais forte nos grandes centros urbanos, acompanhando as maiores concentrações da população. É um desemprego metropolitano, bem maior do que no interior do país”.

Mesmo nos estados em que a desocupação caiu entre 2017 e 2018, a situação não melhorou no longo prazo. “Observamos que nenhuma capital ou região metropolitana teve redução na desocupação entre 2014 e 2018. Ao contrário, há aumentos bastante expressivos no período”, explica Cimar.Para o pesquisador, outro sintoma do problema é a carteira de trabalho, que sofreu queda em todos os estados entre 2017 e 2018. Na comparação mais longa, desde 2014 as quedas são ainda mais expressivas. “Isso revela a qualidade do emprego sendo gerado nos últimos anos.

Com a redução da carteira de trabalho e o aumento da informalidade, a contribuição para a Previdência também cai, o que cria problemas mais à frente”, conclui Cimar.

Repórter: Eduardo Peret
Editoria: Estatísticas Sociais