Criança Feliz avança e será fortalecido pelo Ministério da Cidadania

Considerado o maior programa do mundo na área da primeira infância, a iniciativa já chega a quase 500 mil pessoas em todo o Brasil

O Criança Feliz – programa do governo federal dedicado ao desenvolvimento das crianças em seus primeiros anos de vida – já atende 474 mil pessoas em 2,4 mil municípios, totalizando 10,7 milhões de atendimentos. Os números expressivos, aliado ao fato de chegar a todas as regiões de um país de dimensões continentais, chama a atenção da comunidade internacional – que avalia que este é o maior programa do mundo na área. “É um reconhecimento importante, especialmente porque o Criança Feliz veio para ficar. Estamos próximos da marca de meio milhão de gestantes e crianças atendidas e temos quase 20 mil pessoas envolvidas neste trabalho – entre visitadores, monitores e supervisores em todos os estados. Como toda esta mobilização, nossa meta é chegar a 1 milhão de crianças e gestantes atendidas até o fim do ano”, adianta o ministro da Cidadania, Osmar Terra.

Terra também destaca o apoio da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que entende que o programa é importante para prevenir e identificar sintomas de surdez e situações de deficiências físicas ou mentais. “O início da vida é tão importante porque o cérebro está em fase de desenvolvimento. Perceber alguma alteração mental, auditiva ou visual neste período e intervir pode melhorar a qualidade de vida das crianças até a vida adulta”, explica.

O trabalho intenso do Criança Feliz para alcançar famílias de todo o Brasil chamou a atenção da comunidade internacional que se dedica ao tema. A holandesa Bernard Van Leer – fundação que atua em prol da primeira infância em mais de 20 países – lançou recentemente um livro sobre ações realizadas na América Latina e destacou a qualidade do programa brasileiro e sua expansão – considerada recorde no mundo. “Estamos impressionados com a evolução do programa e apoiamos sua continuidade. Este investimento pode tornar o Brasil uma referência em desenvolvimento infantil e queremos acompanhar a consolidação e as pesquisas sobre os resultados a longo prazo”, destaca Leonardo Yánez, representante da fundação.

O Criança Feliz também é apoiado por governos como o do Canadá e organizações especializadas na área. Gestores de outros países também planejam adaptar a experiência e implementá-la de acordo com suas realidades. É o caso da China, por exemplo. “Este reconhecimento, somado ao da população atendida, reforça a importância da utilização das evidências científicas nas políticas públicas”, justifica a secretária Nacional de Promoção do Desenvolvimento Humano do Ministério da Cidadania, Ely Harasawa.

Implantado em 2016, o Criança Feliz tem como base metodologia desenvolvida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para atender às famílias respeitando os direitos, a autonomia e cultura de cada um.

Saiba mais
O Ministério da Cidadania coordena as ações do Criança Feliz por meio da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social. O programa integra as áreas da Saúde, Assistência Social, Educação, Justiça, Cultura e Direitos Humanos. Os atendimentos às famílias ocorrem semanalmente. Nelas, os visitadores orientam sobre como estimular e desenvolver as crianças de até 3 anos beneficiárias do Bolsa Família, e de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

*Por Diego Queijo

Posted on 25/01/2019, in Brasil, Cidadania, Entretenimento, Informativo, Reflexão. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: