Daily Archives: 29/01/2016

Rafael Motta comenta lançamento de novo ciclo do PAR

r5-570x370
Conforme antecipado pelo deputado federal Rafael Motta, do PSB, o Ministério da Educação lançou nesta quarta-feira (27) o novo ciclo do Plano de Ações Articuladas (PAR), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e que vai até 2019. O Plano é um instrumento importante para garantir apoio técnico e financeiro para ações na educação como, por exemplo, a construção de creches e quadras poliesportivas.

“Neste novo ciclo, as chamadas ‘creches verticais’ são as novidades, criando opções para os municípios com limitação de espaço”, afirmou o deputado federal Rafael Motta, acrescentando que agora é possível a utilização de um terreno com apenas 28 m x 45 m, pois a creche terá dois pavimentos, e não mais o mínimo de 40 m x 70 m.

A abertura de um novo ciclo do PAR era aguardada desde o segundo semestre de 2015 e foi, inclusive, motivo de reunião entre Rafael Motta e prefeitos do RN junto ao presidente do FNDE, Idilvan Alencar. “O programas é muito importantes para viabilizar ações na educação nos municípios, sobretudo, em momentos de crise como o vivenciado atualmente. Por isso, os gestores da educação potiguar devem ficar atentos para garantir as ações”, acrescentou o deputado Rafael Motta.

Segundo o Ministério da Educação, além de funcionar como um canal de interação do MEC com os sistemas de ensino, o novo PAR vai fortalecer o sistema nacional de educação e alinhar os planos estaduais e municipais ao PNE, assim como ao Plano Plurianual (PPA). Também serão integrados diversos dados de controle e gestão da educação que tratam das instalações, da acessibilidade e do projeto político-pedagógico das escolas, formação dos professores e finanças.

Dison Lisboa comemora chegada da transportadora Fontanella a Goianinha

Comitiva de Goianinha com a frota da Fontanella

Comitiva de Goianinha e presidente Valdir Fontanella

Com 25 anos de atuação no Brasil e 400 carretas em sua frota, a catarinense Fontanella Transportes anunciou sua instalação no Polo Industrial Avançado de Goianinha. Depois da cerâmica Elizabeth, que inicia as operações nos próximos três meses, o município se prepara agora para receber uma gigante do ramo de transportes. O deputado estadual Dison Lisboa (PSD) esteve esta semana visitando a sede da empresa em Santa Catarina e comemorou a notícia. Esta é mais uma medida adotada pelo mandato do parlamentar para consolidar o polo industrial.

“Goianinha vai receber a maior transportadora de cargas pesadas do país. É uma conquista fantástica para o município e toda região. Nossa participação nesse encontro em Santa Catarina foi importante porque garantimos, ao presidente da empresa e ao prefeito Júnior Rocha, que iríamos lutar junto ao Governo do Estado por meio do DER/RN pela construção dos acessos da BR-101 até o polo industrial. Essas vias são essenciais para a operação da Fontanella no Rio Grande do Norte”, defendeu o parlamentar.

Dison Lisboa destacou ainda que a Fontanella tem interesse em construir um porto seco (uma espécie de hub terrestre) em Goianinha, que serviria para armazenar a carga vinda do sul do país para ser distribuída em todo o Nordeste, o que duplicaria a quantidade de empregos a serem gerados no município. Há a possibilidade, ainda, de empresas parceiras da transportadora ao redor do país também escolherem Goianinha para fixarem suas bases. 

Durante a visita à sede da empresa em Lauro Müller e Criciúma (SC), o prefeito Júnior Rocha entregou à diretoria a Lei de Doação da área que será ocupada pela transportadora. Segundo o prefeito, trata-se de uma importante aquisição para o polo industrial de Goianinha, porque além de ser um grupo de grande porte, as próximas empresas poderão contar com uma transportadora já instalada no local.

Conforme destacou o deputado, na próxima semana uma equipe da empresa vem até Goianinha para retirar a escritura pública do terreno. O grupo de arquitetos e engenheiros também chega em seguida para vistoriar o local e prepará-lo para a construção dos galpões. “Nossa expectativa é que a edificação da estrutura já comece nos próximos meses”, finalizou Dison.

FOTOS: Assessoria de comunicação
ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DEPUTADO DISON LISBOA

Homem natural de Montanhas é preso por corrupção ativa durante blitz do NORE

homem-natural-de-montanhas-e-preso-por-corrupcao-ativa-durante-blitz-do-nore1454091255
Foto cedida ao NovaCruzOficial pelo NORE
Publicidade

Tá no Blog Nova Cruz Oficial com informações do NORE

Na manhã de hoje, 29/01, por volta das 11h, agentes do Núcleo de Operações Rodoviárias Estadual (NORE), sediado em Canguaretama, prenderam a pessoa de Jailson Borges Paixão, natural da cidade de Montanhas.

O mesmo ao se deparar com a blitz que se realizava na RN 269, distrito de Piquiri, Canguaretama, tentou desviar e foi interceptado. No veículo foi encontrado aproximadamente 900L ( novecentos litros) de combustível sem comprovação fiscal.

Jailson ofereceu aos policiais militares a quantia de R$1.000,00( mil reais) para não ser feito o procedimento legal, recebendo, de imediato, voz de prisão pelo crime de corrupção ativa.

O infraror foi encaminhado à delegacia da cidade de Canguaretama e se encontra à disposição da justiça.

IBGE abre 26 vagas temporárias no RN para o Censo Agropecuário 2016

Equipamento do IBGE usado no último censo, em 2010 - Foto: Divulgação

Equipamento do IBGE usado no último censo, em 2010 – Foto: Divulgação

Uma boa notícia para os concurseiros que estão intensificando os estudos para uma futura aprovação em um concurso público ou até mesmo num processo seletivo. É que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) abriu divulgou edital para processo seletivo simplificado com 26 vagas para a realização do Censo Agropecuário 2016 no Rio Grande do Norte. A Fundação Cesgranrio será a organizadora do processo seletivo e as inscrições podem ser feitas até o dia 22 de fevereiro pela internet. Confira AQUI o edital.

Das 26 vagas, 2 são para Analista Censitário, para atuação em Natal; 10 para Agente Censitário Administrativo, também para atuação na capital potiguar; e 14 vagas para Agente Censitário Regional, para atuação em Açu, Alexandria, Apodi, Caicó, Jardim do Seridó, João Câmara, Lajes, Pedro Velho, Santa Cruz, São José do Campestre, São Miguel, São Paulo do Potengi e Umarizal.

O valor da inscrição é de R$ 120 para a função de Analista Censitário; R$ 35,00 para a função de Agente Censitário Administrativo e R$ 50,00 para a função de Agente Censitário Regional.

As vagas de Analista Censitário requerem nível superior em diversas áreas, com retribuição de R$ 7.166,00. Já os cargos de Agente Censitário Administrativo e Agente Censitário Regional são de nível médio, com retribuições de R$ 1.560,00 e R$ 3.000,00, respectivamente. Os contratados farão jus, ainda, a auxílio-alimentação e auxílio-transporte.

A previsão de duração do contrato é de até 31 meses para o Analista Censitário; 22 meses para o Agente Censitário Administrativo; e 16 meses para o Agente Censitário Regional.

A realização das provas está prevista para o dia 22 de maio e a divulgação do resultado final para o dia 14/ de julho.

Epidemia do vírus zika: há razão para pânico?

RIO E BRASÍLIA — Capaz de se espalhar pelas Américas em velocidade espantosa e associado à devastadora microcefalia, o vírus zika foi considerado explosivo pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que alertou na quinta-feira para o risco da doença em todo o mundo.

A diretora da OMS, Margaret Chan, declarou que “o nível de alarme é extremamente alto”, e frisou que é necessária uma mobilização internacional. A epidemia de zika se espalha de forma explosiva. Estou profundamente preocupada com a rapidez com que a situação tem evoluído — destacou Margaret Chan, durante a assembleia anual da organização, em Genebra.

O temor maior é a associação do zika com a microcefalia e outras malformações no Brasil e o fato de o vírus já ter sido detectado em 23 países das Américas. A OMS prevê que as duas únicas exceções serão Chile e Canadá. O fenômeno El Niño, que provoca aumento de temperatura, pode influenciar na infestação do mosquito e na propagação da zika, e já se sabe que levará pelo menos três anos até que uma vacina contra o vírus chegue a quem precisa.

Uma epidemia explosiva

O que era emergência nacional pode se transformar, em 1º de fevereiro, em emergência de relevância internacional (Pheic, na sigla em inglês), um tipo de situação para qual a OMS dispara alarme vermelho em todo o planeta. Margaret Chan convocou para a segunda-feira uma reunião do painel de especialistas do acordo Regulação Internacional de Saúde (IHR, na sigla em inglês), do qual o Brasil e mais de 190 países são signatários.

Espera-se que o comitê decrete a emergência internacional, como a estabelecida contra a epidemia de ebola, em 2014. Na prática, isso significaria o estabelecimento de uma série de medidas que os países se comprometem a seguir. A Pheic não tem força de lei, mas costuma ser seguida. Ela pode facilitar o acesso a vacinas e a testes de diagnóstico rápido. E estabelecer diretrizes para o controle do mosquito.

No Brasil, após o pronunciamento da diretora da OMS, a presidente Dilma Rousseff fez um discurso na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social e apelou a empresários, líderes sindicais e religiosos, entre outros, para que se unam no combate ao Aedes.

— Peço aos senhores e senhoras que mobilizem seus funcionários, filiados, fiéis de Igreja, amigos de escola e vizinhos e vizinhas no combate ao mosquito. O mosquito não pode ser e não é mais forte que um país inteiro, consciente de sua ameaça — disse Dilma.

Especialistas não veem motivo para pânico no Brasil. Mas sim para mobilização. Segundo eles, a zika deve ser monitorada com atenção nas grávidas, e mais pesquisas precisam ser feitas para compreender os efeitos do vírus e saber por que a maioria das pessoas sofre apenas sintomas sem gravidade, enquanto algumas manifestam problemas neurológicos, e fetos podem ter o desenvolvimento gravemente afetado. Unanimidade entre especialistas é a necessidade de controlar o mosquito.

Mas uma das medidas de prevenção à microcefalia anunciadas pelo Ministério da Saúde, a distribuição de repelentes a grávidas, enfrenta um impasse. Os fabricantes do produto pediram ao governo a isenção de três impostos: o de importação (alíquota de 2%), o PIS (2,1%) e o Cofins (9,65%). Apenas dessa forma, diz a indústria, será possível garantir um preço razoável.

Os fabricantes dizem que os impostos recaem exatamente sobre os três compostos químicos obrigatórios nos repelentes que serão distribuídos. Todos são trazidos de fora do país com preços impactados pelo dólar, segundo Paulo Guerra, diretor geral do Laboratório Osler do Brasil, que fabrica o repelente da marca Exposis.

O governo diz que cerca de 40 mil profissionais que fazem a leitura dos medidores de energia das residências entrarão no combate ao Aedes. Eles mapearão possíveis focos do mosquito, usando coordenadas geográficas com o equipamento que já utilizam habitualmente para verificar os relógios de luz. As contas de luz e gás terão mensagens de alerta, como: “Febre, coceira, dor de cabeça e outros sintomas podem ser dengue, chicungunha ou zika. Beba muita água e vá a uma unidade do SUS”.