Grupo de Fátima reforça críticas ao governo e ao PSD

O grupo político liderado pela senadora Fátima Bezerra (PT) divulgou uma série de críticas ao governo Robinson Faria e ao PSD. Em nota, a tendência petista Avante, que tem a senadora com uma das lideranças, apontou que o governo demonstra incapacidade de dialogo na greve da Uern, desatenção com a cultura  e “práticas que não são de parceiros políticos”.

As críticas do grupo de Fátima ao governo e ao PSD foram feitas ao explicar de forma mais detalhada, ontem, os motivos para e entrega dos cargos da Fundação José Augusto, que era ocupado por integrantes da corrente petista. A nota foi distribuída após o governador comentar na TV que não entendia as razões da senadora ter devolvido os cargos. Além disso, o documento responde ao deputado Fernando Mineiro (PT), que considerou “unilateral e equivocada” a decisão de Fátima.

Júnior SantosFátima Bezerra tomou a decisão de entregar os cargos que tinha indicado ao governo do Estado
Fátima Bezerra tomou a decisão de entregar os cargos que tinha indicado ao governo do Estado

“Em virtude de dificuldades e divergências que se acumulam nesses 10 meses de relações politico-administrativas com o governo do PSD estamos disponibilizando os cargos ocupados por nossos militantes Rodrigo Bico e Laissa Costa, diretor presidente e diretora administrativa, respectivamente, da Fundação Jose Augusto”, destacou a nota, ao mostrar que há conflitos políticos entre os petistas liderados pela senadora e o partido do governador.

Segundo o documento, houve, por parte do governo, insistência na ocupação dos prédios da Pinacoteca do Estado “para outros fins que não a cultura”. Além disso, aponta os militantes da Avante, o presidente da Fundação José Augusto não conseguiu ser recebido pelo governador “para discutir a implementação do projeto defendido no processo eleitoral”.

O documento afirmou que há divergência também na condução das relações com os professores e servidores da UERN em greve. O texto afirma que o governo “não conseguiu fazer prosperar o diálogo para acabar com a mais longa paralisação na instituição”.

A exoneração da secretaria adjunta de Educação, Socorro Batista, há pouco mais de um mês, foi lembrada. Os petistas ligados a Fátima destacaram que o afastamento foi sem qualquer diálogo, antes ou depois da publicação do ato de exoneração, à senadora ou à professora demitida. “A comunicação foi feita pelo Diário Oficial do Estado”. lamentou. Para a Avante, corrente de Fátima Bezerra, trata-se de “mais um equívoco por parte do governo na condução do processo”.

O caso que envolveu a substituição do superintendente da CBTU-Natal mereceu destaque na nota. O documento afirma que João Maria Cavalcanti fazia um trabalho de recuperação de viabilidade econômica e de credibilidade junto aos usuários. Mas, as tentativas de negociação que mobilizaram o deputado Mineiro e a senadora Fátima, não demoveu o PSD-RN de substitui-lo. “Entenderam [o PSD e suas lideranças] que o legítimo seria a ocupar a superintendência da CBTU pelo fato da empresa estar ligada ao Ministério das Cidades, cujo ministro é do partido. Estranho esse argumento, uma vez que não é essa a regra aplicada em nenhuma secretaria ou órgão do governo do Estado administrado pelo PSD, pelo que se tem notícia”, critica os militantes da corrente que é liderada por Fátima Bezerra.

A nota também respondeu, indiretamente, ao deputado Fernando Mineiro que ontem  afirmou que a decisão de Fátima Bezerra foi unilateral e equivocada: “Esclarecemos que essa decisão é coletiva, de uma tendência petista com representatividade no partido, e não apenas da senadora Fátima Bezerra, apesar dela também compor o coletivo”. Apesar do tom de oposição, afirmou que não houve a discussão interna sobre rompimento.

CBTU terá investimentos
A divergência entre o governador Robinson Faria (PSD) e a senadora Fátima Bezerra (PT) tem se acumulado com uma série de episódios, como a demissão da secretária adjunta  de Educação Socorro Batista, ligada politicamente à petista. O diretor demissionário da Fundação José Augusto, Rodrigo Bico, não conseguiu também preencher os cargos na Fundação José Augusto com as pessoas que ele sugeriu. Mas a situação se agravou com a mudança no comando da superintendência da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).  O engenheiro João Maria Cavalcanti, que tinha o apoio de Fátima Bezerra para permanecer na função, foi exonerado neste mês.

A CBTU é vinculada ao Ministério das Cidades, que tem como titular Gilberto Kassab (PSD). Com isso, o deputado Fábio Faria, que é do mesmo partido, conseguiu a substituição de João  Maria Cavalcanti por Leonardo Gurgel de Faria Diniz.

A CBTU executa projetos para substituir os antigos vagões de trens por novos equipamentos, preparados para o sistema de Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT). Além disso está previsto um investimento superior a R$ 200 milhões do governo federal na ampliação da rede. (TN)

Anúncios

Posted on 21/10/2015, in Curiosidade, Informativo, Política, Reflexão, RN. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: