Daily Archives: 23/03/2015

Montanhas RN – Uma realidade estranha. A escuridão…

photo.php2

Em cada dia uma coisa estranha em nossa cidade, hoje a escuridão, e não me venham falar de natureza, pois não tem nada a ver, a realidade é que não se tem iluminação nas ruas, Montanhas  está como uma cidade abandonada.

Ocorre que as pessoas consumidoras de energia elétrica pagam uma taxa de iluminação pública exorbitante e não faz uso dela, muitas ruas estão às escuras, isso acarreta facilidades para a bandidagem e roubalheiras que vem acontecendo diariamente na cidade, os exemplos estão ai, as pessoas com medo e o povo trancado em casa, o que deveria ser ao contrário, o povo nas ruas e os delinquentes trancafiados a sete chaves, ditado de opinião popular.

Estamos apresentando fotos da Rua São José às 18:35 horas do dia 23 de março, comprove essa realidade acompanhado os fatos nas fotos que exprimem esse sentimento. Pra se ter uma ideia, esta Rua em anos atrás, era conhecida como a Rua do Fogo, hoje é exatamente o que a gente não ver, imaginem luz!!!

Essa realidade acontece numa Rua de grande movimento na cidade, a Rua do Colégio, imaginem as demais que estão a margem do centro, é possível até se fazer uma conclusão, isso apenas cabe a quem interessar posse.

Tá na hora de avaliarmos essa situação e sairmos em busca dos nossos direitos, afinal somos nós quem pagamos a maior parte dessa iluminação, que no presente não temos.

Confira as fotos:

10867207_873043972734118_1383563997_n

11073391_873043982734117_1453824702_n

01

02

A opção da Constituinte

150321-Plebiscito

É hora de convocar o povo a fazer a Reforma Política. Antes que polarização estridente, porém sem conteúdo, radicalize o que política e sociedade brasileiras têm de pior

Por Célio Turino: Historiador, ex-secretário de Cidadania Cultural do ministério da Cultura no governo Lula (quando criou os Pontos de Cultura) e participante do esforço para criação do movimento-partido Raiz, Célio Turino passa a escrever regularmente em Outras Palavras

Antes que o quadro de polarização política no Brasil se agrave ainda mais, cabe nos fazer a seguinte pergunta: Queremos seguir como uma sociedade homicida, suicida ou saudável?

Sociedades homicidas são aquelas em que a culpa sempre está no “outro”. Sociedades suicidas são aquelas em que a culpa sempre está em si mesmo. Sociedades saudáveis seriam aquelas em que, para além da culpa, há um esforço em buscar a raiz dos problemas, entendendo motivos, estudando padrões e encontrando soluções.

O Brasil é um exemplo de país com comportamento homicida. Por aqui, a culpa nunca esta em “nós” e sim no “outro”, seja em uma briga de trânsito ou na disputa sobre os rumos políticos do país. Não à toa, ocupamos o primeiro lugar em homicídios absolutos no mundo (64 mil por ano) e o décimo primeiro em relação ao tamanho da população (dados OMS/2012). E assim, jamais encontramos a raiz de nossos problemas, que sempre se avolumam.

Do outro lado, há países suicidas, como Índia (240 mil por ano) ou Japão (29 mil), em que assumir toda a culpa por um erro é tradição milenar, como o haraquiri. Apesar de o Brasil figurar em oitavo lugar em suicídios absolutos (12 mil/ano), estamos bem distantes deste padrão de comportamento social. Daí compreende-se nossa incapacidade em assumir (ou até mesmo a relutância em buscar compreender) erros passados.

Este padrão de comportamento social tem se revelado um habitus político. E não somente em relação à chamada “classe política” e seus partidos e apoiadores, mas também se espraiado pelo conjunto da sociedade, produzindo ambientes de intolerância, mal estar e incapacidade em encontrar soluções. Perplexidade, fúria, ódio, revolta e indignação – é tudo que nossa sociedade tem conseguido produzir em termos políticos. E, de acusações mútuas (em que geralmente os dois lados têm razão) em acusações mútuas, vai se gerando uma espiral com mais ódio e fúria, até que um dia, por fato fortuito, toda a sociedade perderá o controle, tornando-se homicida de si mesma.

Estamos na iminência de perder o controle, em um ambiente quase catártico. De um lado, um governo (e o partido que controla o governo) incapaz em compreender e assumir os próprios erros; de outro, uma oposição igualmente incapaz em oferecer saídas para além de culpar o “outro”. No meio, a população, entre resignada ou exprimindo frustrações e indignações. Como forma, o grito, as ofensas, o desprezo pelo “outro”. Esta espiral de intolerância, seguramente, não levará o país a bom caminho.

Impeachment? Só da presidenta? E os demais? Na ordem de sucessão: Michel Temer, Eduardo Cunha e Renan Calheiros. Sendo que os presidentes do Congresso e do Senado já são investigados por corrupção e pilhagem na maior estatal brasileira, e talvez não somente nela. Porém, nas manifestações do dia 15 de março, praticamente passaram incólumes. E os demais deputados e partidos, que, sob este governo e nos passados, tanto tem se servido do erário público? Igualmente incólumes. Não seria o caso de afastá-los primeiro? E na forma da lei.

A alternativa do impeachment, decerto, é constitucional e democrática, conforme os próprios brasileiros já experimentaram com o afastamento de Collor de Mello. Porém, para que seja legítima, é preciso estar amparada em provas que demonstrem crime de responsabilidade. Em que pesem todas as denúncias e malfeitos, ao menos em relação à presidenta Dilma, estas provas ainda não surgiram. O caminho seria a radicalização em manifestações de rua e protestos, tornando o exercício da presidência algo insuportável. Mas este caminho geraria mais contraprotestos e novos embates e paralisia institucional. Até o momento em que nos veríamos na trágica situação de colocar povo contra povo. Queremos isso? Estamos dispostos a enfrentar tamanha situação de instabilidade política, econômica e social? E por quanto tempo? Até onde nossa cultura homicida poderia nos levar?

Há outras duas alternativas: aceitar o curso das investigações pela Polícia Federal, Ministério Público e Judiciário e conformar-se com o rumo da política; ou então, um golpe militar, em solução de força bruta. Ambas situações devem ser descartadas por princípio. A primeira, porque significaria abdicar do sagrado direito da indignação e revolta, como se as pessoas devessem se conformar com uma escancarada pilhagem do bem público. A segunda, nem mereceria comentários, de tão funesta, covarde e odiosa. Mas cabe uma observação: “intervenção militar” é eufemismo para golpe de Estado e o Brasil já viveu esta experiência de triste memória: estado de sítio, toque de recolher, censura, prisões políticas, assassinatos e tortura. E muita corrupção, que só não era denunciada por causa do controle da polícia e Judiciário, censura e prisões arbitrárias.

A deputada Luiza Erundina (PSB-SP), junto com o ex-deputado Renato Simões (PT-SP), com apoio de 183 deputados, apresentou projeto de decreto legislativo (nº 1508/2014) convocando um plebiscito com a pergunta “você é a favor de uma Assembléia Constituinte, exclusiva e soberana sobre o sistema político?”. Para aqueles que desejam viver em uma sociedade saudável, democrática e civilizada, superando o impasse político de forma consistente e estrutural, esta é a única alternativa possível. Por isso, Soberania Popular e Poder Constituinte, Já!

Rede Globo é a maior patrocinadora da imoralidade no Brasil, diz Malafaia

gospel-pastor-silas-malafaia-340x257

Novela global causou polêmica ao mostrar beijo lésbico entre duas senhoras

Por Leiliane Roberta Lopes

No capítulo de estreia de sua nova novela, “Babilônia”, a Rede Globo mostrou um beijo lésbico protagonizado por duas veteranas da TV, Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg, gerando muitos comentários.

Para os progressistas a emissora mostrou mais uma história de amor entre pessoas do mesmo sexo, mas para os conservadores a emissora repetiu sua fórmula de doutrinar os telespectadores.

Malafaia faz parte desses críticos da emissora e em um texto afirmou que a Globo é a maior patrocinadora da imoralidade no Brasil. “Entra novela e sai novela é a uma verdadeira apologia ao homossexualismo e a todo o tipo de perversão moral. Não tenho nenhuma dúvida que a Rede Globo é a maior patrocinadora da imoralidade e do homossexualismo no Brasil”.

O líder religioso compara a TV brasileira com a americana, onde programas como essas novelas não teriam espaço. “Nos EUA, que é o país mais democrático do mundo, não existe nenhuma possibilidade que entre às 21h e 22h, quando ainda muitas crianças e adolescentes estão acordados, a televisão mostre a imoralidade como a TV brasileira mostra”, escreve.

Para ele é preciso diferenciar liberdade de libertinagem, pois “toda sociedade que não tem limites se autodestrói”. Crítico ferrenho do ativismo gay, Malafaia se tornou um dos maiores inimigos do grupo e enfrenta inúmeras perseguições por se posicionar contra os interesses dessas instituições.

Mas no caso das novelas, o religioso critica a emissora que tem provado em suas últimas produções que pretende vender o homossexualismo na TV. “A Rede Globo tem contribuído para a destruição de valores morais fundamentais para o bem-estar da sociedade, isso é uma afronta a família, uma afronta as crianças e aos adolescentes, a imoralidade que esse veículo de comunicação tem propagado para a sociedade.”

Segunda parcela do FPM de março foi 75,20% maior do que ano passado

2003 4e64feb0c630182ccd22eafbee59cb3e m

Por Agência CNM

Foi creditado nesta sexta-feira, dia 20 de março, nas contas das prefeituras brasileiras, o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) referente ao 2.º decêndio do mês de março de 2015. O valor será de R$ 546.822.334,17, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, isto é, incluindo a retenção do Fundeb, o montante é de R$ 683.527.917,71.

O 2.º decêndio de Março de 2015 foi de R$ 683,5 milhões, enquanto que no mesmo período do ano anterior o decêndio ficou em R$ 365,5 milhões, ou seja, houve um crescimento real de 75,20%. Os decêndios de março somam R$ 3,717 bilhões, enquanto que no mesmo período do ano anterior o acumulado era de R$ 3.106 bilhões, termos reais, teve um crescimento de 19,64%.

No acumulado de 2015 o FPM soma R$ 20.249 bilhões, enquanto que no mesmo período do ano anterior o valor era de R$ 20.970 bilhões. Em termos reais, o FPM está 3,44% menor do que o mesmo período do ano anterior.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) mantém o alerta aos gestores que tenham cautela e prudência na execução de suas despesas. De acordo com o comunicado da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), divulgado no dia 10 de fevereiro, o FPM do mês de Março terá uma queda de 32% em relação a Fevereiro de 2015. O STN também informa que o 2.º repasse realizado, foi 22,14% maior que a última estimativa divulgada dia 13 de março.

Máscara Negra: Ex-prefeito é preso por suspeita de fraudes em contratos com bandas

155063

O ex-prefeito de Macau, Flávio Veras, foi preso na manhã desta segunda-feira (23). O político é suspeito de participar de fraude na contratação de bandas para o Carnaval de Macau, em 2011, e esquema investigado pela Operação Máscara Negra, do Ministério Público do Rio Grande do Norte. Além da prisão de Veras, o chefe de gabinete da Prefeitura de Macau, Francisco de Assis Guimarães, foi afastado do cargo.

Segundo o Ministério Público, o grupo liderado por Flávio Veras fraudou a contratação de 27 bandas para o Carnaval de 2011. Além do gestor, também teriam participado do esquema fraudulento mais oito pessoas, entre elas Francisco de Assis Guimarães, o empresário Alex Padang e vereador de Natal Júnior Grafith, além de servidores do município e outros empresários.

Ainda de acordo com o MP, os valores para a contratação de bandas durante o Carnaval de 2011 custaram R$ 2,7 milhões aos cofres de Macau. Após apuração, o MP chegou à conclusão que os contratos com a Prefeitura foram celebrado em valores muito superiores aos que as bandas efetivamente receberam, sendo a diferença desviada em benefício dos associados do crime. O valor superfaturado teria sido de R$ 1,2 milhão.

A Operação Máscara Negra, realizada em 2013, deu cumprimento a 53 mandados de busca e apreensões e 14 mandados de prisões temporárias expedidos pela comarca de Macau. Os denunciados deverão responder por peculato, crime de responsabilidade do ex-prefeito, fraude a licitação e organização criminosa. As penas podem chegar a vinte anos de prisão. O Ministério Público ainda não informou os motivos pelos quais somente o ex-prefeito foi preso. Os promotores vão conceder entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira para tratar do assunto.

Tribuna do Norte

Mais de 5 mil casos de dengue foram notificados no RN até dia 21 de março

Índice

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio do Programa Estadual de Controle da Dengue, divulgou nesta segunda-feira (23) os novos números da doença no Rio Grande do Norte. As informações são referentes à semana epidemiológica nº 11, com dados coletados até o dia 21 de março. No total, foram notificados 5.411 casos suspeitos de dengue no estado, dos quais 523 foram confirmados.

Os cinco municípios que mais notificaram foram Natal (1440), Currais Novos (500), Parelhas (363), Parnamirim (338) e Cerro Corrá (238). Quanto à incidência em dengue, 27 municípios apresentaram alta, 28 estão com média, 53 estão com baixa e 59 apresentaram incidência silenciosa. A coordenadora do Programa Estadual de Controle da Dengue, Sílvia Dinara Alves, ressalta a importância dos municípios notificarem os casos suspeitos da doença, para colaborar com o planejamento das ações de combate ao agravo. Segundo ela, a principal arma contra a doença é a prevenção, responsabilidade de todos.

O Programa chama a atenção para os cuidados com relação a possíveis criadouros do mosquito Aedes Aegypti, transmissor do agravo. Dessa forma, a Sesap orienta para que a população continue adotando as medidas de prevenção, entre elas: manter as caixas d’água e outros recipientes de armazenamento de água fechados; não deixar água acumulada sobre a laje ou calhas; manter a lixeira fechada; colocar areia nos vasos das plantas, entre outras.

Para combater a dengue no RN, a Sesap vem realizando diversas ações, com destaque para a realização de capacitações para agentes de combate às endemias, visitas aos municípios para prestar apoio técnico, além da operação de UBV (carro fumacê) em Currais Novos, Natal, Acari, Parelhas e Carnaúba dos Dantas, conforme os critérios estabelecidos em nota técnica elaborada pelo Programa.