Daily Archives: 09/01/2015

IFRN oferta 650 vagas para cursos de nível superior pelo Enem

Unidades que ofertam as vagas são Apodi, Caicó, Currais Novos, Ipanguaçu, João Câmara, Macau, Natal-Central, Natal-Zona Norte, Santa Cruz, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante

 Logo IFRN

A Pró-Reitoria de Ensino do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) oferta mais de 650 vagas para cursos de nível superior com ingresso para o semestre 2015.1. Os cursos são de licenciatura e superiores de Tecnologia. As unidades que ofertam as vagas são Apodi, Caicó, Currais Novos, Ipanguaçu, João Câmara, Macau, Natal-Central, Natal-Zona Norte, Santa Cruz, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante.

O Processo Seletivo é regido pelo Edital 01/2015 e utilizará, para classificação dos candidatos, as notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) da edição 2014 e será conduzido por meio do Sistema de Seleção Unificada (SISU) do Ministério da Educação. As inscrições no SiSU serão efetuadas exclusivamente pela internet, por meio do Portal do SiSU, no sítio eletrônico http://sisu.mec.gov.br e ficarão disponível para os estudantes no período de 19 a 22 de janeiro de 2015.

Kelps: “A polícia trata a febre, mas é preciso atacar a infecção e a origem da doença”

Artigo publicado pelo deputado estadual Kelps Lima (SDD), em seu Instagram:

11 23

Amante do doleiro Alberto Youssef posa para a ‘Playboy’; veja as fotos clicando aqui ensaio completo

TRT-RN: Novos dirigentes tomam posse nesta sexta-feira (9)

A futura presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN), desembargadora Joseane Dantas dos Santos e sua vice, desembargadora Maria Auxiliadora Rodrigues tomam posse nesta sexta-feira (9).

A solenidade de transmissão do cargo pelo atual presidente, desembargador José Rêgo Júnior será realizada às 19 horas, na Escola de Governo, no Centro Administrativo, em Natal.

As duas novas dirigentes do TRT-RN iniciaram suas carreiras na Justiça do Trabalho como servidoras, em 1984.

Atual vice-presidente do TRT-RN, Joseane Dantas é potiguar de Jardim do Seridó e tornou-se magistrada em 1993 e desembargadora vinte anos depois.

Já a futura vice-presidente do TRT-RN, desembargadora Auxiliadora Rodrigues é magistrada desde 1990 e foi nomeada desembargadora em junho desse ano.

Com redução significativa, primeiro FPM do ano será de R$ 2 bilhões, dinheiro direto nas prefeituras

FPMO primeiro repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) do ano será R$ 2.198.956.058,50. O montante, a ser partilhado entre as prefeituras, considera o porcentual destinado ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fundeb), pois sem esse desconto o recurso chega a R$ 2.748.695.073,13.

De acordo com a Confederação Nacional de Municípios (CNM), o primeiro decêndio do Fundo, que entra nas contas dos Municípios nesta sexta-feira, 9 de janeiro, é 28% menor que o primeiro repasse do Fundo feito em dezembro de 2014, em valores brutos e nominais. A Confederação destaca que essa redução acompanha a série histórica do FPM – de dezembro para janeiro.

Em relação ao primeiro FPM de janeiro do ano passado, o Fundo apresenta redução de 31,5% em termos reais. Enquanto o primeiro repasse do ano de 2014 foi de R$ 4,013 bilhões em valores brutos, o desse ano está em pouco mais de R$ 2,7 bilhões. Cenário causado pela baixa arrecadação registrada por conta das vendas fracas de fim de ano.

Segundo o presidente da Confederação, Paulo Ziulkoski, a redução é significativa e os prefeitos devem controlar suas contas para não terem mais problemas financeiros.

Cidades devem informar dados de inscritos no Bolsa Família até esta sexta

bolsafamilia

Gestores municipais têm até esta sexta-feira (9) para registrar os resultados do acompanhamento das condicionalidades de saúde no sistema de gestão do programa Bolsa Família (dados relacionados à segunda vigência de 2014). Os dados devem ser incluídos no sistema DataSUS do Ministério da Saúde. As informações são da Agência Brasil.

O registro mostra a situação do acesso de famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza à rede de atenção básica e fornece informações relevantes para o aprimoramento da gestão municipal.

Dados do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome indicam que, dos 14 milhões de famílias inscritas no programa, 11,6 milhões têm o perfil de acompanhamento da condicionalidade de saúde.

Isso significa que pais ou responsáveis beneficiários do programa têm o compromisso de manter atualizado o calendário de vacinação das crianças menores de 7 anos e levá-las para pesar, medir e fazer exames.

Mulheres na faixa de 14 anos a 44 anos também devem fazer o acompanhamento e, se gestantes ou nutrizes (lactantes), devem realizar o pré-natal e o acompanhamento de sua saúde e do bebê, além de participar de atividades educativas sobre aleitamento e alimentação saudável.

As condicionalidades de saúde e educação, segundo a pasta, são compromissos assumidos tanto pelos beneficiários do Bolsa Família quanto pelo Poder Público para ampliar o acesso a direitos sociais básicos

Folha Press

Como a lição de casa está mudando no Brasil na era na Internet – O Blog Recomendo essa leitura

homwork

Publicado na BBC Brasil.

Em vez de memorização e cópia de palavras, um jogo de raciocínio para ser completado pelos estudantes com a ajuda dos pais. Em vez de pesquisar e copiar informações sobre um tema de história, o aluno grava um vídeo com a interpretação dele dos conceitos estudados e publica-o no YouTube.

As ideias acima são parte de uma nova forma de encarar as lições de casa, e algumas começam a ser aplicadas no Brasil.

Num momento em que a tecnologia muda o acesso à informação e novas habilidades são exigidas dos estudantes, educadores e especialistas têm repensado os formatos e objetivos das tarefas extraclasse.

“Quando a informação era muito restrita à sala de aula, a lição de casa era voltada apenas a exercícios de fixação e de prática do conteúdo”, diz Claudio Franco, diretor de novos negócios da Mindlab, empresa de tecnologias educacionais provedora de escolas públicas e privadas.

Hoje, ante a informação inesgotável da internet, “o dever de casa deve estar mais ligado ao aluno pesquisando e construindo conhecimento, para que a sala de aula seja um espaço de debate e síntese de conceitos”.

A empresa aplica, como tarefas de casa, jogos de raciocínio (online ou de tabuleiro) que reforcem conceitos estudados em classe. Também estimula a produção de vídeos por parte dos alunos, em que eles sintetizem o que aprenderam na aula.

Em Natal (RN), por exemplo, escolas públicas têm adotado jogos – em sala de aula e em casa – como parte do aprendizado.

A Clickideia, provedora de conteúdo e metodologia pedagógica, também tem desenvolvido exercícios de casa que envolvam jogos virtuais e atividades lúdicas. A ideia é que as atividades tenham, ainda, a função de avaliar o aprendizado – forçando o aluno a refazer etapas que tenha errado e avisando ao professor o que foi acertado.

A escritora e jornalista Ana Kessler, mãe de Ana Beatriz, 9, aluna da rede privada em São Paulo, diz que, na prática, muitas das lições de sua filha ainda são parecidas com as de antigamente. “E o básico tem de ter mesmo, tabuada ainda é aprendida na memorização. Como as crianças de hoje são muito dispersas e fazem tudo ao mesmo tempo, tarefas que ajudem a fixar são importantes.”

Ao mesmo tempo, Ana vê Bia mais entusiasmada com tarefas extraclasse diferentes, que também são passadas pela escola: “A classe dela já faz apresentações em PowerPoint, algo que eu só fui fazer quando mais velha. Ou monta uma maquete de pulmão usando garrafas PET. São projetos mais interativos, interessantes e ligados ao dia a dia dela.”

Lição ou não?

Em diversos países, o dever de casa tem sido tema de debate nos últimos anos. Tarefas devem ser aplicadas todos os dias, sempre? Qual o volume adequado de lição?

Na China, a pressão excessiva sobre os estudantes levou o Ministério de Educação a ordenar a redução, no ano passado, da quantidade de atividades extraclasse impostas.

“Projetos como cortar e colar ou desenhar muitas vezes são ineficientes (para a assimilação de conteúdo), mesmo que os professores os tenham indicado com a melhor das intenções”, opina.

“Há formas mais eficazes de demonstrar o aprendizado: em vez de construir um modelo do Sistema Solar, estudantes podem representar os extremos de temperatura dos planetas, os períodos de rotação da Terra, a importância da inércia e gravidade ou criar um vídeo para mostrar seus conhecimentos de cada passo.”

Ana Kessler, mãe da Ana Beatriz, não se incomoda tanto com o fato de sua filha ter bastante lição para fazer – apesar de muitas atribuições, como comprar e imprimir materiais diversos – recaírem sobre os pais. “Para muitas crianças de cidades grandes, não estar fazendo lição de casa muitas vezes significa estar diante da TV. E aprender a fazer muitas tarefas faz parte da vida.”

Já Alfie Kohn, outro pesquisador do assunto nos EUA – e duro crítico da lição de casa em geral –, sugere, em artigo, uma participação mais ativa dos alunos na hora de decidir que tarefas devem ou não ser aplicadas.

“Use a lição como uma oportunidade de envolver os estudantes”, diz ele em artigo. “Uma discussão a respeito pode ser válida por si só. Se as opiniões forem distintas, a decisão sobre o que fazer – votar? Conversar até se chegar num consenso? Buscar um meio-termo? – desenvolverá habilidades sociais e crescimento intelectual.”

Participação dos pais

No Brasil, onde deficiências de educação em geral ainda são graves, pesquisadores, como o Instituto Ayrton Senna, veem a lição como um aliado importante para a fixação do conteúdo aprendido em aula e como um elo entre a escola e a família dos alunos.

“A lição serve para continuar o desenvolvimento do jovem, trabalhar conceitos e criar um vínculo com as famílias”, diz Sandra Garcia, diretora pedagógica da Mindlab.

Ao jogar com o filho um jogo pedagógico, “os pais verão como os filhos pensam, resolvem desafios, lidam com a perda”, opina Garcia – para quem esse momento qualifica o tempo passado entre pais e filhos.

Ricardo Falzetta, gerente de conteúdo do movimento Todos Pela Educação, elogia exercícios que envolvam os pais, mas ressalta que a participação destes na lição de casa dos filhos deve ser cuidadosa e limitada.

“A função principal da lição é diagnosticar a autonomia dos alunos em relação ao conteúdo”, diz. “A família tem que estar perto, perguntar se o filho fez a lição ou teve dúvidas, oferecer um ambiente com iluminação e silêncio, ajudar desde que não de forma recorrente, mas não dar a solução da tarefa.”

Comerciantes da zona sul de Teresina deixam recado para assaltantes a fim de não ser assaltados

O complexo de comunidades da zona sul vivem em clima de violência e criminalidade, a situação piora a cada dia e moradores da região pedem ajuda das autoridades de segurança pública.

O cemitério Santa Cruz se tornou um grande problema para a população, na região do Promorar, próximo ao Conjunto Habitacional Santa Fé, zona sul de Teresina.

As famílias vivem com medo da violência que ocorre entre integrantes de gangues que controlam tráfico de drogas na região. O cemitério é ponto estratégico, esconderijo e escritório do crime.

No ano passado, o corpo de um homem foi desenterrado e queimado no cemitério, pouco tempo depois um jovem foi assassinado e seu corpo foi deixado dentro de um reservatório de água também no local.

A facilidade que os bandidos e usuários de drogas tem nas imediações do cemitério se deve ao fato de o local não ser completamente murado.

As famílias que moram próximo ao local vivem apavoradas e afirmam não se sentir seguras.

“Já fui vítima, dois malas entraram na nossa casa. Eu estava com meu marido e eles nos agrediram”, disse uma dona de casa que mora próximo ao cemitério.

“Aqui na minha casa já atiraram durante a madrugada. A bala atravessou o portão e quase atingiu meu filho”, declarou uma vítima que prefere não ser identificada.

Moradores e comerciantes que trabalham na Avenida Principal do Conjunto Santa Fé também se sentem inseguros e já foram vítimas de vários assaltos.

“Aqui tem assalto toda semana, eles roubam de manhã cedo nas paradas de ônibus. Eu tinha uma farmácia e tive que fechar por conta dos assaltos. Toda semana eles vinham pegar dinheiro”, disse um comerciante.

A situação é gravíssima, quase todos os comerciantes já foram assaltados. O dono de uma panificadora colocou uma placa em seu estabelecimento pedindo para não ser assaltado após ser vítima de três assaltos em apenas um mês.




Fonte: Meio Norte

Robinson se reúne com Carvalho e Dias e mantém disputa aberta na Assembleia

Faltando poucos dias para eleição, governador ainda não definiu quem será seu candidato à Presidência da Casa

67i646i464

Ciro Marques
Repórter de Política

Faltam 23 dias para fevereiro chegar e, com ele, a eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do RN. E a medida que o dia da votação se aproxima (está marcada para o dia 1°), esquenta também a campanha interna, nos bastidores da política local, para presidente da Casa. É bem verdade, entretanto, que alguns eventos de campanha não têm ficado tanto assim nos bastidores. Como exemplo, pode-se citar a reunião do novo governador Robinson Faria (PSD) com os potenciais candidatos Álvaro Dias (PMDB) e Gustavo Carvalho (PROS).

Depois de um tempo dizendo, publicamente, que não era hora de discutir a eleição para o Legislativo, Robinson Faria, que já foi presidente da Assembleia, assumiu seu papel de fiel da balança e aceitou a divulgação de alguns encontros, como o almoço com o deputado Gustavo Carvalho, realizado na tarde desta quarta-feira, em um restaurante em Natal. Na manhã de hoje, mais um encontro do governador com a presidência da Assembleia como tema. Desta vez, com Álvaro Dias, conforme noticiou a jornalista Thaisa Galvão.

Esses, no entanto, não foram os primeiros encontros que Robinson teve com os dois potenciais candidatos. Robinson, na verdade, já teria se encontrado anteriormente com Gustavo Carvalho e Álvaro Dias e, ouvido dos dois, o pedido de apoio. Teria exigido, em troca, a viabilidade eleitoral desses nomes, fato que ainda estaria sendo trabalhado pelos dois nos bastidores.

Isso, porém, não tem sido fácil. Gustavo Carvalho, único nome da base, declaradamente, de apoio da Robinson Faria (que conta, oficialmente, com seis nomes), não seria unanimidade nem lá. José Dias (PSD), por exemplo, que é cotado como futuro líder do Governo na Assembleia Legislativa, já anunciou que pretende votar no atual presidente da Casa, Ricardo Motta, do PROS.

O fato de concorrer com um colega de partido, inclusive, é um dos motivos que estaria dificultando a popularização da campanha de Gustavo Carvalho. Concorrendo contra Ricardo Motta, o parlamentar estaria disputando contra um candidato que ajudou não só ele, mas a vários outros hoje deputados na eleição de outubro.

Além disso, Gustavo Carvalho sofreria por ter uma mancha na sua ficha: o envolvimento e a condenação no processo sobre o superfaturamento da Ponte Newton Navarro, construída no Governo Wilma de Faria (PSB). Carvalho foi condenado à multa e teve os direitos políticos suspensos por três anos por improbidade administrativa, mas recorreu da decisão e o processo ainda está em andamento. Apoiá-lo forçaria Robinson a abrir mão do discurso de não escolher “fichas sujas” para ajudar na sua gestão.

PMDB

Além de Gustavo Carvalho, que o apoio no segundo turno na última eleição, Robinson Faria também estaria se aproximando de Álvaro Dias e Ezequiel Ferreira, que são do PMDB e estiveram, até o final da disputa, ao lado de Henrique Eduardo Alves. Álvaro, que já foi presidente da Assembleia, estaria tendo uma relação mais próxima com o novo governador e até já pedido o apoio dele na eleição para a Mesa Diretora da Casa, contudo, ouviu de Robinson a mesma exigência feita a Carvalho: a viabilidade eleitoral.

E assim como Gustavo Carvalho não tem o apoio da base aliada de Robinson, Álvaro Dias não tem, fechado, o apoio dos peemedebistas que estão na Assembleia, até porque alguns já teriam compromisso com Ricardo Motta para a eleição. Quem conseguiria isso de forma mais “fácil” seria Ezequiel Ferreira, colega de Álvaro no PMDB.

Ezequiel tem se aproximado publicamente de Robinson Faria. Feito elogios a ele nas redes sociais e proferido declarações favoráveis ao novo governo em entrevistas (em tese, ressalta-se, o PMDB é oposição estadual). Contudo, o próprio Ezequiel Ferreira tem uma boa relação com o atual presidente e, segundo comenta-se, não o enfrentaria diretamente em uma disputa pela Presidência da Casa.

REELEIÇÃO

Ainda sem qualquer encontro oficial com Robinson Faria, Ricardo Motta estaria trabalhando no caminho inverso, tentando convencer, primeiro, os colegas deputados que a continuidade dele na Presidência da Casa seria a melhor opção. Já teria o apoio do PROS (com exceção de Gustavo); do PSB de Márcia Maia e Tomba Farias; do Solidariedade, de Kelps Lima; e de parte do PMDB, dentre outros.

Apesar de não ter “sentado” oficialmente com Robinson Faria, Ricardo Motta também estaria trabalhando para o governador notar a importância dele na Assembleia. No final do governo Rosalba Ciarlini (DEM), Ricardo conseguiu viabilizar a votação de matérias importantes para a gestão PSD, como o empréstimo de R$ 850 milhões e a unificação dos fundos previdenciários.

Além disso, Ricardo Motta tem assumido um discurso de apoio ao Governo Robinson, dizendo que o Legislativo estadual estará disponível para ajudar o Rio Grande do Norte. De forma surpreendente, inclusive, aceitou até reduzir o orçamento da AL para acomodar melhor os pleitos dos demais poderes. (JH)

Anastasia é citado em depoimento da Lava Jato e é defendido por Aécio Neves

Anastasia é citado em depoimento da Lava Jato e é defendido por Aécio Neves

Foto: Divulgação

O senador eleito Antonio Anastasia (PSDB-MG) foi citado na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que descobriu esquema de corrupção na Petrobras, no mesmo depoimento que que faz menção ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). De acordo com a Folha de S. Paulo, a citação está sob análise na Justiça Federal do Paraná e não foi encaminhada à Procuradoria Geral da República até agora porque Anastasia só recuperou o chamado foro privilegiado às vésperas do recesso judicial, quando foi diplomado senador.Anastasia se disse “tomado de forte indignação” e “revoltado” por ter seu nome envolvido, além de ter pedido acareação com o policial federal que o acusa de ter recebido R$ 1 milhão do doleiro Alberto Youssef, em 2010. “Em primeiro lugar, registro que não conheço este cidadão, nunca estive ou falei com ele.

Da mesma forma não conheço, nunca estive ou falei com o doleiro Alberto Youssef. Em 2010, já como governador de Minas Gerais, não tinha qualquer relação com a Petrobras, que não tinha obras no Estado, ademais do fato de eu ser governador de oposição ao governo federal”, disse Anastasia, ainda para a Folha de S. Paulo. O presidente do PSDB, o senador Aécio Neves, classificou como “falsa e covarde” a acusação feita a seu parceiro político. “Se o objetivo dessa farsa é intimidar e constranger a oposição, informamos que o efeito será justamente o contrário: o PSDB redobrará os esforços no sentido de continuar exigindo uma profunda e isenta investigação, que tenha como compromisso único revelar à população a verdade e os responsáveis pelo maior escândalo de corrupção na história do país, ocorrido ao longo dos últimos doze anos durante a administração do PT na Petrobras”, afirmou o tucano em nota.