Daily Archives: 19/10/2014

Bom começo de semana e que DEUS nos abençoe e esteja conosco

gifs-oriza-esp-semana2

O amor no infinito, na visão de Vinicius de Moraes

Vinicius e Helô Pinheiro, a celebre Garota de Ipanema

O diplomata, advogado, jornalista, dramaturgo, compositor e poeta Marcus Vinícius de Moraes (1913-1980) foi um poeta essencialmente lírico, tanto que afirma esquecer tudo ao encontrar um novo amor, para vivê-lo até a morte, conjugando o “Verbo no Infinito”.

VERBO NO INFINITO

Vinícius de Moraes

Ser criado, gerar-se, transformar
O amor em carne e a carne em amor: nascer
Respirar, e chorar, e adormecer
E se nutrir para poder chorar.

Para poder nutrir-se; e despertar
Um dia à luz e ver, ao mundo e ouvir
E começar a amar e então sorrir
E então sorrir para chorar.

E crescer, e saber, e ser, e haver
E perder, e sofrer, e ter horror
De ser e amar, e se sentir maldito.

E esquecer tudo ao vir um novo amor
E viver esse amor até morrer
E ir conjugar o verbo no infinito…

site Poemas & Canções

Delegacias do RN suspendem emissão de antecendentes criminais

DSCN9989

 

Quem precisar no Rio Grande do Norte do documento que atesta antecedentes criminais não poderá mais procurar as Delegacias de Polícia Civil do estado em buscar de tal serviço. É que uma determinação publicada na edição desta sexta-feira (17) do Diário Oficial do Estado (DOE) suspende essa atribuição junto à PC. A Portaria Normativa N° 011/2014 dispõe sobre a impossibilidade de emissão de Antecendentes Criminais e certidão negativa pela Polícia Civil potiguar. A medida, assinada pelo delegado geral Adsob Kleper, traz que as DPs da corporação não possuem atr.ibuição legal para expedir tal documentação.

Confira a íntegra da Portaria

Segundo o documento, o papel da Polícia Civil é repassar informações ao Instituto Técnico e Cientifico de Polícia do RN (ITEP) que, através da Coordenadoria de Identificação, expede Atestado de Antecedentes Criminais. A medida também considera que o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, através do site www.tjrn.jus.br, disponibiliza a emissão de certidão negativa criminal pela internet.

 

De Fato

Papa Paulo VI foi beatificado neste domingo clique aqui e confira

DELAÇÃO ELEITORAL

O jornalista Jânio de Freitas publica hoje, na Folha de São Paulo, um artigo muito instigante a respeito da delação premiada, um instrumento jurídico criado para auxiliar investigações realizadas pela polícia e pelo Ministério Público.

Para Freitas a delação premiada pode ser vista como uma espécie de “remendo” que supre deficiências na capacidade investigativa dos agentes da Lei, uma vez que propicia o acesso a informações que não puderam ser apuradas por meio de diligências.

Concordo com o jornalista e acrescento que é preciso levar em conta que a pessoa eu faz a delação é alguém implicado em alguma conduta ilegal. Em outras palavras, um réu.

Nessa condição, sua delação só poderá ser levada em consideração após devidamente comprovada. Antes disso é apenas a declaração de um possível criminoso interessado em aliviar a própria pena.

Dar crédito a essas declarações é garantir idoneidade ao declarante e divulgá-las é o mesmo que conceder ao delator o poder de condenar pessoas a quem a Justiça garante inocência, até prova em contrário.

No caso do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, ficou claro que o vazamento da delação tem fins políticos, pois o país está no calor de uma disputa eleitoral.

Fica claro também que o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves, está nessa história da mesma forma que Pilatos teve seu nome citado na Bíblia, por acaso.

 Não ocupasse o cargo que ocupa  Henrique jamais seria envolvido no imbróglio. Paga pelo cargo e por fazer parte da base aliada da presidente Dilma Rousseff, essa sim alvo do vazamento.

Seu pronunciamento firme, negando qualquer envolvimento no caso e cobrando a apresentação de provas que liguem seu nome ao delator o deixa livre para continuar sua campanha ao governo do Rio Grande do Norte.

O ROMBO DE ROBINSON

O Jornal Folha de São Paulo relacionou os candidatos a governador que estão com as contas no vermelho, gastando em suas campanhas mais do que conseguem arrecadar.

Robinson é o terceiro da lista. Teve despesas de R$ 7,7 milhões e doações somadas de R$ 1,6 milhão.

Um sujeito que já provoca rombo na campanha, imagina se chegasse a botar a mão no cofre do governo?

PENSE NUM CABRA ARROMBADO

Os arrombados:

1) Alexandre Padilha (PT-SP): R$ 30,8 milhões acima da arrecadação
2) Reinaldo Azambuja (PSDB-MS): R$ 8 milhões
3) Robinson Faria (PSD-RN): R$ 6,1 milhões
4) Eduardo Amorim (PSC-SE): R$ 4,3 milhões
5) Cássio Cunha Lima (PSDB-PB): R$ 4,2 milhões
6) Ricardo Coutinho (PSB-PB): R$ 4,2 milhões
7) Vital do Rêgo (PMDB-PB): R$ 3,6 milhões
8) José Melo (PROS-AM): R$ 3,5 milhões
9) Gleisi Hoffmann (PT-PR): R$ 2,9 milhões
10) Eduardo Braga (PMDB-AM): R$ 2,9 milhões

A QUEDA DE ROBINSON

Na montagem da equipe de governo de Rosalba Ciarlini, o vice-governador Robinson Faria  recebeu a secretaria de recursos hídricos, com direito a indicar as direções da Caern e do Idema.

Depois de 10 meses de uma gestão inoperante (só conseguiu investir 7,7% das verbas orçamentárias da secretaria), Robinson assumiu o governo por pouco mais de uma semana, durante viagem de Rosalba ao exterior.

Com a força de uma secretaria importante e a caneta de governador na mão, o vice tentou cooptar deputados estaduais para o PSD, partido cujo controle acabara de assumir no estado, depois de se desfiliar do PMN.

Rosalba e o marido, Carlos Augusto, perceberam a tentativa de “golpe” do vice-governador e, investigando, descobriram que na secretaria ele só fazia política, deixando de lado a gestão de importantes projetos de enfrentamento da seca.

Resultado: não deixaram ele reassumir a secretaria da qual se desligara para poder ocupar o cargo de governador na ausência de Rosalba.

Depois desse passa fora não restou a Robinson outra alternativa a não ser romper com Rosalba e Carlos Augusto. Afinal, sem cargo no governo passou a ser uma figura meramente decorativa, um vice sem expressão que nunca mais voltou a assumir o cargo de governador.

É bom lembrar que apesar de tudo isso Robinson não teve a hombridade de renunciar à vice-governadoria. Preferiu continuar desfrutando da estrutura que o cargo lhe proporciona até hoje.

PEGA NA MENTIRA

Nada como um dia após o outro, com uma noite no meio, para desmascarar uma mentira.

Na sua propaganda eleitoral, o candidato Robinson Faria fez o maior estardalhaço  apresentando uma pesquisa de Natal como se fosse de todo o estado.

Mesmo estando atrás no levantamento, o vice-governador de Rosalba pretendia criar a ilusão de que estava reagindo. A intenção era contestar a pesquisa Ibope que mostrou Henrique Alves vitorioso já no primeiro turno.

Não deu certo. A condenação imposta pela Justiça eleitoral contra a fraude deixa claro o insucesso na campanha de Robinson, que se vê obrigado a apelar para manobras ilegais.

Como está sob a vigilância da Lei, o vice de Rosalba poderá receber também condenações pela baixaria que começou a veicular em seus programas eleitorais.

Fonte: Blog Duda Almeida-RN