Daily Archives: 05/08/2014

Polícia desmascara família que fraudava milhas aéreas para viajar pelo mundo

Bruno Will, que é técnico em informática, e seus familiares movimentaram cerca de R$ 39 milhões em apenas um ano

Bruno Will, ao lado da esposa, Evellin Guimarães, viajaram para diversos países com o golpe. Nesta foto, eles estão em Hollywood, nos Estados Unidos. Foto: Divulgação
Bruno Will, ao lado da esposa, Evellin Guimarães, viajaram para diversos países com o golpe. Nesta foto, eles estão em Hollywood, nos Estados Unidos. Foto: Divulgação

A Polícia Civil realizou na última quinta-feira, em Padre Miguel, na Zona Oeste, uma operação para cumprir um mandado de busca e apreensão na casa do técnico em informática, Bruno Will, de 27 anos. Ele, ao lado de sua família, é suspeito de aplicar um golpe em que forjava gastos no cartão de crédito e com isso acumulava milhas aéreas, viajando para diversos países. Segundo as investigações, eles teriam movimentado R$ 39 milhões em apenas um ano.

“O que chamou a atenção foi a movimentação financeira totalmente distante da capacidade econômica dessas pessoas”, disse o delegado Flávio Porto, ao programa “Fantástico”.

Durante a operação, os policiais apreenderam vários boletos bancários, cartões de crédito e passagens aéreas. Bruno e sua família emitiam boletos bancários falsos e pagavam com o cartão de crédito, criando milhas. Muitas vezes, segundo as investigações, o credor e o pagador eram as mesmas pessoas, com o dinheiro voltando a sua origem.

A denúncia partiu do conselho de controle de atividades financeiras do Ministério da Fazenda, que alertou a Polícia Civil. A quebra do sigilo bancário, o bloqueio das contas e das milhas dos 15 investigados foi determinada pela Justiça e os acusados podem pegar uma pena de 23 anos, por conta dos crimes de estelionato, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e uso de documentos falsos.

O Juízo da 2ª Vara Criminal Regional de Bangu determinou o bloqueio e o sequestro dos saldos bancários e dos saldos de milhas de todos os investigados.Bruno e sua família estão responderão o inquérito em liberdade, pois, segundo da Justiça, eles não oferecem perigo à sociedade.

Fonte: Terra

Governo do RN não aplicou R$ 69,5 milhões em saúde nos primeiros meses do ano‏

Caso o ritmo não seja alterado, o governo pode terminar o ano se somando a outros 14 estados que descumprem a lei federal e aplicam menos do que 12%

1_199

Relatório produzido pela Sesap e assinado pelo secretário Luiz Roberto Leite Fonseca. Foto: Divulgação

 

Entre janeiro e abril de 2014, o governo estadual não conseguiu cumprir a lei, que o obriga a aplicar no mínimo 12% da arrecadação com impostos na área da saúde. No primeiro bimestre, o percentual aplicado foi de apenas 9,40% que, nos dois meses seguintes, subiu para 10,40%, ainda inferior ao que determina a Constituição Federal. Desta forma, a pasta deixou de utilizar R$ 69,5 milhões nestes quatro meses.

Os dados são de um relatório produzido pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), assinado pelo secretário Luiz Roberto Leite Fonseca, e que será analisado nesta quarta-feira (6), em reunião do Conselho Estadual de Saúde.

Proporcionalmente, os gastos com a saúde diminuíram durante o atual governo, que iniciou aplicando cerca de 16%. Caso o ritmo observado de janeiro a abril não seja alterado, o governo pode terminar o ano se somando a outros 14 estados que descumprem a lei federal e aplicam menos do que 12%.

A redução da verba da saúde já está tendo consequências. Além de dívidas com hospitais filantrópicos e falta de repasse aos municípios, há alguns dias os servidores dos hospitais Maria Alice Fernandes e João Machado, em Natal, foram comunicados de que a alimentação estaria suspensa, devido ao débito com fornecedores. No dia seguinte, a Sesap conseguiu reverter o problema, pagando parte da dívida.

Relatório de 2013 é aprovado com ressalvas

Na reunião anterior do Conselho Estadual de Saúde, os conselheiros analisaram a prestação de contas de 2013, que foi aprovada com ressalvas. O relatório enviado pela Sesap apontava um gasto de R$ 1,5 bilhão durante o ano passado, o que corresponderia a 13,8% do Orçamento de 2013. No entanto, os números discriminados eram inferiores a R$ 1,5 bilhão, e poderiam corresponder a menos do que 12%, obrigatório por lei. Os conselheiros pediram esclarecimentos à Sesap, que se comprometeu a apresentar em reunião posterior. (JH)

TRE recebe 20 denúncias de crimes eleitorais em sistema online

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RN) já recebeu vinte denúncias sobre supostos crimes eleitorais através do novo mecanismo criado pelo próprio TRE-RN para facilitar a denúncia dos eleitores. O sistema de comunicação, via internet, foi apresentado na manhã de hoje (4), durante coletiva de imprensa.

O anúncio foi feito pelo juiz titular da 3ª Zona Eleitoral, João Batista da Silva e o promotor Manoel Onofre Neto. Participaram da reunião, os juízes Marco Bruno Miranda e Cícero Macedo. Além do comandante da Polícia Militar, coronel Francisco Araújo e a diretora-geral do TRE-RN, Andrea Campos.

Roberto Lucena /CelularTRE apresentou o novo sistema para denúncias de propaganda irregular nesta segunda-feiraTRE apresentou o novo sistema para denúncias de propaganda irregular nesta segunda-feira

No novo sistema – no ar desde a semana passada –, qualquer cidadão pode noticiar a ocorrência de propaganda eleitoral irregular veiculada nas vias públicas, como viadutos, pontes, paradas de ônibus, postes de iluminação pública, e em bens públicos, inclusive os que dependem de cessão ou permissão, a exemplo dos transportes públicos, bem como em todo e qualquer local de acesso à população, como bares, restaurantes, postos de gasolina, dentre outros, além da propaganda em bens particulares com infração às normas eleitorais, a exemplo de placas com mais de 4 metros quadrados e outdoor.

O denunciante deverá preencher o formulário, onde indicará a localização da propaganda que entende ser irregular, o seu conteúdo e os nomes dos pretensos candidatos ou partidos políticos que nela constam. É imprescindível que o denunciante forneça dados suficientes para possibilitar a averiguação da irregularidade.

É obrigatória a identificação do denunciante, no entanto, seus dados ficarão restritos à Justiça Eleitoral e não constarão do expediente instaurado para constatação. (TN)

Dois projetos do TJRN ganham prêmio nacional de comunicação

Duas ideias desenvolvidas pela Secretaria de Comunicação Social do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte foram escolhidas as melhores do Brasil. O TJRN foi contemplado, na última sexta-feira, no encerramento do X Congresso Brasileiro de Assessores de Comunicação da Justiça (Conbrascom), por apresentar os melhores projetos do país nas categorias Inovação e Endomarketing, respectivamente, com os projetos TJ Mais Sustentável e Campanha das Metas 2014.

AssessoriaJuliano Freire, Juliska Azevedo e Luciana Silveira na premiaçãoJuliano Freire, Juliska Azevedo e Luciana Silveira na premiação

O XII Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça, promovido pelo Fórum Nacional de Comunicação e Justiça, foi entregue no encerramento do Conbrascom em Aracaju (Sergipe). O TJ Mais Sustentável foi escolhido o projeto de comunicação mais inovador da Justiça brasileira em disputa com outros 14 trabalhos, e chegou a final ao lado do projeto STJ Notícias, do Superior Tribunal de Justiça e do Mapa de Dívidas de Precatórios Trabalhistas, do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região.

“O cerne do projeto, o game virtual com as árvores que crescem de acordo com o percentual de economia de recursos das unidades, conquistou os jurados e despertou o interesse de outros tribunais, inclusive para adotá-lo”, afirma a secretária de Comunicação Social do TJRN, Juliska Azevedo.

Já a Campanha de Comunicação das Metas 2014 concorreu com outros 19 trabalhos e foi vencedor. “A conquista dos prêmios pelo TJRN mostra que o Rio Grande do Norte tem feito um trabalho de alto nível para dar maior transparência ao Judiciário e levá-lo para mais perto do cidadão”, destaca o presidente da Corte, desembargador Aderson Silvino. (TN)

O tratado que acabou com a Guerra Fria está por um fio?

Gorbachev e Reagan em 1987

Publicado na BBC Brasil.

A acusação feita por Barack Obama nesta semana sobre Vladimir Putin não é insignificante. O presidente americano acusou o russo de ignorar um tratado histórico feito entre Mikhail Gorbachev e Ronald Reagan em 1987, concordando com a remoção de parte de seu arsenal nuclear.

A tensão entre os Estados Unidos e a Rússia, por conta da crise na Ucrânia e da queda do voo MH17 da Malaysia Airlines, se intensificou com o relatório anual sobre o cumprimento do controle de armas em que a Obama acusa Moscou de violar o tratado de Forças Nucleares Intermediárias (INF, na sigla em inglês).

Considerado o “começo do fim da Guerra Fria,” o Tratado INF proibiu possuir, produzir e testar mísseis nucleares de distância intermediária (entre 500 e 5,5 mil km).

“Foi um acordo fundamental na Guerra Fria. Ele, essencialmente, eliminou uma controversa classe de armas nucleares. E, por essa razão, ainda tem repercussão”, diz Nick Child, correspondente de assuntos internacionais da BBC.

Na época, o pacto foi um marco especialmente na segurança da Europa, uma vez que tanto os Estados Unidos quanto a União Soviética possuíam arsenal desse tipo.

A Casa Branca não tornou públicos os detalhes de como consideraram que o tratado foi violado pela Rússia. Obama afirmou em uma carta a Putin, enquanto ministros das Relações Exteriores, John Kerry e Sergei Lavrov tiveram uma conversa telefônica.

Proibições

O Tratado INF entrou em vigor em 1 de Janeiro de 1988 e previa que até 1991 fossem banidos os mísseis nucleares de distância intermediária dos Estados Unidos e da Rússia.

Tom Collina, da Associação de Controle de Armas, disse à BBC que o acordo “proibiu e eliminou todo lançamento de um míssil de alcance intermediário nos territórios americano e russo”.

“Em qualquer lugar do mundo, mas na época eles estavam todos dentro e ao redor da Europa”, acrescenta Hill.

Collina acredita que o tratado em questão era de vital importância, uma vez que foi primeiro a eliminar as armas nucleares e representou uma mudança nas relações entre os EUA e a União Soviética.

“Foi realmente o começo do fim da Guerra Fria, foi o símbolo da melhoria das relações entre os dois países e uma mudança dramática na União Soviética, com a chegada de Mikhail Gorbachev ao poder”, acrescenta Collina. Era a primeira vez em que os Estados Unidos e a União Soviética “se propuseram a reduzir e eliminar seus arsenais nucleares”, disse o especialista.

“Foi um precedente muito importante para os pactos que foram feitos mais tarde sobre a redução e a eliminação das armas nucleares com rigoroso controle.”

Rússia

Apesar da diplomacia dos Estados Unidos ter se manifestado oficialmente apenas na terça-feira, divulgando a queixa, em determinados círculos o assunto já era comentado há meses.

Em abril, em depoimento perante o Congresso, Anita Friedt, secretária-assistente de Política Nuclear e Estratégica, havia tratado da preocupação do Departamento de Estado sobre o assunto do Tratado INF.

“Nós comunicamos a Rússia e estamos pressionando para obter respostas claras, para resolver as nossas preocupações devido à importância do Tratado INF na segurança euro-atlântica”, disse Friedt na ocasião.

Em janeiro, o jornal americano The New York Times relatou contatos de Washington com seus aliados da Otan para informar evidências de que um míssil russo levantou dúvidas sobre o cumprimento do tratado.

A Rússia tem falado pouco sobre o assunto. Para o correspondente da BBC Nick Childs, Moscou terá várias soluções possíveis.

“Argumentar que os americanos estão simplesmente enganados e que seus mísseis estão abaixo da faixa de alcance proibida é uma delas”, diz Childs.

“Outra possibilidade é argumentar que o tratado se tornou obsoleto, que outros países estão desenvolvendo mísseis semelhantes e que, afinal, os Estados Unidos abandonaram o tratado de mísseis balísticos quando foi conveniente.”

Mas, acima de tudo, está uma das razões pelas quais a Rússia há muito tempo considera que o Tratado INF é injusto: enquanto os Estados Unidos não sofre nenhuma ameaça desses mísseis, a Rússia sofre, especialmente na China.

Como o racismo e o ultranacionalismo ganharam espaço na sociedade israelense

Torcedores do Beitar Jerusalem protestam contra jogadores muçulmanos

Publicado no DW.

Jerusalém nestes dias: manifestantes se reúnem no centro da cidade, perto da antiga fronteira entre as regiões leste e oeste. Eles carregam bandeiras de Israel e cartazes, gritam “Morte aos árabes!”, param taxistas para ver se são judeus ou palestinos. Em Jerusalém, há muitos taxistas palestinos da parte oriental, ocupada por Israel. Há uma atmosfera de linchamento. “Um judeu é uma alma; um árabe, um filho da puta”, diz um dos jovens, e um outro grita “dá neles!”.

A razão do alvoroço é a morte de três alunos de um colégio religioso judeu, que foram sequestrados e assassinados na Cisjordânia. Seus corpos foram achados naquela região no final de junho, enterrados sob uma pilha de pedras, perto de Hebron. Em Israel, a suspeita é que os assassinos tenham ligações com o Hamas. Foi o estopim do atual conflito.

“Um abismo profundo e largo nos separa de nossos inimigos. Eles santificam a morte; nós, a vida. Eles santificam a crueldade; nós, a misericórdia. Este é o segredo e a base da nossa unidade”, afirmou o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, durante o enterro dos três jovens.

Visão de mundo racista

Um dia depois, Mohammed Abu Khder, um jovem palestino de Jerusalém Oriental, de 16 anos, foi sequestrado, torturado e brutalmente assassinado. Os extremistas que assumiram a autoria da morte pertencem à extrema-direita religiosa de Israel. Seus professores e educadores são rabinos que pregam uma visão de mundo racista. Estes apoiam o movimento de ocupação e reclamam para si toda a terra entre o Mar Mediterrâneo e o rio Jordão. Os palestinos não têm lugar em sua visão de mundo.

Um desses rabinos é Dov Lior, uma dos principais do movimento de ocupação. Ele já foi processado por declarações racistas. Lior também foi mestre espiritual de Yigal Amir, o assassino do primeiro-ministro Itzak Rabin. Ele resume seus ensinamentos em poucas frases: “Todos aqueles que acreditam na Torá sabem que esta terra foi prometida somente a este povo. Não há espaço para outra entidade nacional neste lugar. Nunca existiu neste território um Estado de um outro povo. Ele pertence unicamente ao povo judeu.”

Já o rabino David Batzri tem muitos seguidores, especialmente entre judeus orientais. Ele também já foi processado por comentários racistas, tendo sido até mesmo condenado. Batzri lutou em Jerusalém contra a criação de uma escola judaica e palestina. Ele argumenta que “judeus são puros, e os árabes, impuros. Por isso, não devem se misturar”.

O rabino Shlomo Aviner, que pede a pena de morte para terroristas palestinos, é também muito conhecido e popular entre a direita de Israel. Em 2010, ele publicou um apelo para que ninguém alugasse apartamentos para árabes. O texto foi assinado por mais de 50 rabinos. Aviner é rabino do assentamento de Bet El, na Cisjordânia ocupada, e é pago pelo Estado.

Assim como o ex-rabino militar Avichai Rontzki, que cuidou dos soldados durante a guerra de Gaza, no inverno de 2008 e 2009. Naquela época, ele os instruiu a não ter piedade com os palestinos. Ele defendia que até mesmo civis deveriam ser mortos, se fosse para salvar a vida de um judeu.

Sem justificativa para o racismo

Do ponto de vista de Rachel Elior, essas são afirmações perigosas, que devem ser proibidas. Ela é professora da Universidade Hebraica de Jerusalém e especialista em judaismo. “Há, entre nós, círculos que querem negar o fato de que os palestinos são pessoas assim como nós”, disse ela em entrevista de rádio. “Muitos, infelizmente, pensam que somos um povo sagrado, e que os não judeus podem ser definidos como impuros e dignos de morrer.”

“Os rabinos se baseiam em textos judaicos antigos e tradicionais”, observa Elior. “Mas isso não legitima o racismo que eles propagam”. Ela lembrou que o povo judeu tem mais de três mil anos de história, e que sua memória coletiva é influenciada por textos que, em parte, surgiram em épocas em que os judeus viviam como uma minoria perseguida, em meio a outros povos. “Muitas fontes escritas têm três mil anos de existência”, ressalta Elior. “Claro que há nelas muitas crenças que não são mais aceitáveis. Assim como hoje não há mais escravos, embora haja leis religiosas que o permitam, não se deve permitir declarações racistas que se baseiam nessas fontes”, argumenta a especialista.

Clube de futebol de extrema-direita

Mas não apenas nos círculos religiosos as ideias radicais de direita são encontradas. O clube de futebol Beitar Jerusalem é um ponto de encontro extremistas de direita e racistas, que não fazem segredo de suas opiniões anti-islâmicas. Isso ficou claro quando o clube contratou, no ano passado, dois jogadores muçulmanos vindos da Chechênia. Integrantes da torcida organizada ultranacionalista La Familia vaiaram os jogadores. Quando o seu grito de guerra “morte aos árabes” é ouvido no estádio, ninguém reagiu. Os supostos assassinos do jovem Mohammed Abu Khder também pertenceriam a essa torcida.

Racismo no Parlamento

Comentários racistas e de extrema direita também fazem parte do cotidiano do Parlamento israelense, o Knesset. A deputada Miri Regev, de 49 anos, pertencente ao Likud, diz abertamente ser adepta do fascismo. Sua marca registrada é tentar humilhar com gritos pessoas que têm uma opinião diferente da dela. Ex-porta-voz do Exército, ela quer excluir do Knesset os partidos árabes, que chama de “quinta coluna”.

E ela não está sozinha. Seu companheiro de partido Danny Danon chamou os deputados árabes de “terroristas mascarados”, e outro colega de partido, Ofir Akunis, declarou que a Cisjordânia deve pertencer somente ao povo judeu e que os palestinos não têm direito algum àquele lugar.

A deputada Ayelet Shaked, do partido Ha Bayit Hajehudi, que significa casa judaica, não fica atrás de seus colegas no Likud. Recentemente, ela escreveu em sua página no Facebook que Israel não está travando uma guerra contra terroristas, mas uma guerra contra o povo palestino. Segundo ela, os palestinos devem ser considerados, na sua totalidade, como “um inimigo cujo sangue deve ser derramado”.

Tais pontos de vista há muito tempo não são ditos pela minoria em Israel e se tornaram aceitáveis socialmente. A margem direita de Israel avançou para o meio do Knesset e para o centro da sociedade.

DE: PIADA – Apenas para mera distração

images

– SOBRE A NACIONALIDADE DE JESUS –

***

A) Três provas de que Jesus era judeu

1 – Assumiu os negócios do pai;

2 – Viveu em casa até os 33 anos;

3 – Tinha certeza de que a mãe era virgem, e a mãe tinha certeza de que ele era Deus.

***

B) Três provas de que Jesus era irlandês

1 – Nunca foi casado;

2 – Nunca teve emprego fixo;

3 – O último pedido dele foi uma bebida.

***

C) Três provas de que Jesus era italiano

1 – Falava com as mãos;

2 – Tomava vinho em todas as refeições;

3 – A mulher mais importante da sua vida era a ‘mama’.

***

D) Três provas de que Jesus era americano (californiano mais precisamente)

1 – Nunca cortou o cabelo (hippie)

2 – Andava descalço (hippie)

3 – Inventou uma nova religião (hippie).

***

E) Três provas de que Jesus era francês

1 – Nunca trocava de roupa;

2 – Não lavava os pés;

3 – Não falava inglês.

***

F) Três provas de que Jesus era brasileiro

1 – Nunca tinha dinheiro;

2 – Vivia fazendo milagres;

3 – Se ferrou na mão do governo…

***

CONCLUSÃO: Não foi possível chegar a um consenso sobre a nacionalidade de Jesus.
Quanto a Judas… Todos concordam que era Argentino.

Com: Blog Bira Viegas

 

O branco e nulo que ganha a eleição

Vittorio Medioli 
O Tempo

Uma parcela assombrosamente enorme do eleitorado se pronuncia a favor de anular o voto ou deixá-lo em branco na cédula eletrônica, mesmo dando-se ao trabalho de atender a obrigatoriedade de se apresentar para votar.

O fenômeno espanta, ultrapassa qualquer outro momento da história do país. Não se trata apenas de indecisão, de indiferença. Retrata a vontade, neste momento, de reprovar as opções disponíveis. Isso fere diretamente a “classe política”, macula o princípio de democracia que deveria garantir ampla possibilidade de escolha. Nem um lado quanto menos outros se mostram merecedores do esforço de digitar apenas dois números na urna daqui a 60 dias.

A somatória de brancos e nulos ultrapassa a preferência da primeira colocada, Dilma Rousseff, e, mesmo somando-se os votos do segundo colocado, o “não voto” continua majoritário nas preferências da população. Quer dizer que a maioria preferiria que o cargo não fosse preenchido por ela nem por outro. Ainda estaria faltando o candidato que se aproxima de suas aspirações.

Pesa evidentemente nessa circunstância a desaprovação da atual presidente, exatamente agora, depois de três anos e sete meses nos quais poderia ter se preparado para chegar a este momento com as credenciais para uma reeleição fácil.

MUITOS MOTIVOS

As contas públicas esgarçadas, a indústria em frangalhos, as exportações minguando, a sombra da recessão e do desemprego colaboram para a má vontade de manter o voto a favor de Dilma e do PT. O refluxo atinge os candidatos ao governo do PT em todo o Brasil, e são poucos os Estados nos quais o PT tem possibilidades reais de ganhar.

Em Minas, até então a mais provável vitória do PT registra, segundo o Ibope, a perda de um terço dos eleitores, cerca de 13 pontos nos últimos 30 dias. Por sua vez, Pimenta avançou apenas 3 pontos, dentro da margem de erro. Quer dizer que a migração se deu essencialmente para os brancos e nulos.

Não votar é a forma desesperançada de protestar, pois, se não houver uma opção “ideal” ou empolgante, o “menos pior”, pela lógica, deveria merecer o esforço de digitar dois números na urna eletrônica.

O que está certo agora é que o eleitor que desaprova o governo Dilma não pretende votar nela, mas também não encontra razões para migrar para o lado oposto. Daí se desencadeou um apelo dos candidatos contra o “não voto”. Até o momento parece essa a proposta de maior conteúdo que deu para se ver num cenário desesperançado.

Claro que, no deserto de propostas dos candidatos, o voto branco mostra como a forma de governar e de fazer oposição, nos últimos anos, decepciona o eleitor.

MEC prorroga prazo para escolas aderirem ao Mais Educação

Índice

O Ministério da Educação (MEC) prorrogou mais uma vez o prazo para cadastramento de escolas públicas no Programa Mais Educação. O prazo, que terminaria hoje (4), foi estendido até o dia 30. A liberação de recursos financeiros é feita por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), e a adesão deve ser feita pela internet, no PDDE Interativo. A jornada da educação integral deve ser, no mínimo, de sete horas diárias ou 35 horas semanais. Durante o período em que estão na escola, os estudantes recebem três refeições.

As escolas escolhem até cinco atividades nos macrocampos do programa, entre eles o de acompanhamento pedagógico (obrigatório), educação ambiental, esporte e lazer, direitos humanos em educação, cultura e artes, cultura digital, promoção da saúde, comunicação e uso de mídias, investigação no campo das ciências da natureza e educação econômica. Pelo Mais Educação, as escolas são selecionadas com base em critérios como baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), grande número de estudantes de famílias beneficiadas pelo Bolsa Família e localização em regiões de vulnerabilidade social.

Prefeita do PT anuncia apoio a Henrique e defende fim do radicalismo

1-1024x682IMG_8771-1024x682

Com Blog BG

Pregando o fim do radicalismo em prol do desenvolvimento do Rio Grande do Norte, a prefeita do município seridoense de Ouro Branco, Fátima Silva (PT), anunciou nesta segunda-feira (04) que leva todo o seu grupo político a apoiar o candidato Henrique Alves (PMDB) na disputa pelo Governo do Estado.

Fátima disse que decidiu pelo apoio ao perceber o desenvolvimento das cidades onde o candidato do PMDB, que é deputado federal, exerce liderança. “Henrique cumpre o compromisso, zela e cuida dos municípios”, afirmou a prefeita. Ela contou que foi procurada pelo candidato, mas precisava do aval do seu grupo para declarar o apoio.

O anúncio foi feito no início da noite desta segunda-feira, no sítio São Roque, de propriedade da família da prefeita, localizado na zona rural de Outro Branco. Além de Henrique, ela também declarou apoio ao deputado estadual Nelter Queiroz (PMDB), candidato à reeleição. Nelter afirmou que a prefeita se une a outros que já trabalham pelo candidato no Seridó. “Cada um de nós vamos tomar conta da eleição de Henrique na região.”

Com a prefeita, apoiam o grupo o presidente da Câmara Municipal, Eurinete dos Santos (PHS), dos vereadores Genildo Medeiros (PDT), Celso Garofa (PSDB), Paulo Dantas (PT), Adriano Silva (PT), além do ex-prefeito Doutor Araújo (PSB), que administrou o município duas vezes.

A prefeita Fátima se uniu ao discurso de Henrique. “Não sou radical. Quando a pessoa está intencionada a ajudar, precisa unir”, disse. Segundo ela, na sua gestão, Henrique trabalhou pela cidade viabilizando obras de abastecimento de água na cidade. “Com Henrique governador, vamos trabalhar para solucionar o problema de saneamento básico da cidade”, completou.

Após 62 anos de casamento, marido e mulher morrem com apenas quatro horas de intervalo

 

​A história do casal Don e Maxine Simpson poderia servir de roteiro para um filme romântico. Casados há 62 anos, os dois passaram anos viajando ao redor do mundo, adotaram dois filhos e terminaram a vida lado a lado.

No último dia 18, eles morreram com um intervalo de apenas quatro horas, em sua casa, em Bakersfield, na Califórnia, Estados Unidos. Quando Maxine parou de respirar, eles estavam de mãos dadas. “No fundo do meu coração, eu sabia que isso tinha que acontecer”, contou sua neta Melissa Sloan. “A vovó e o vovô tinham que ficar juntos, então eles tinham que morrer juntos”, resumiu.
Quando Maxine morreu, eles estavam de mãos dadas
Quando Maxine morreu, eles estavam de mãos dadas Foto: Melissa Sloan / Reprodução / Facebook

Don e Maxine se conheceram na década de 1950, em uma pista de boliche. Após uma vida em sintonia, os dois também adoeceram juntos. Depois de Don sofrer uma queda e quebrar o quadril em meados de julho, Maxine começou a sofrer uma grave piora em seu estado de saúde — ele sofria de câncer há anos. Conscientes da importância que tinham um para o outro, a família decidiu mantê-los juntos a qualquer custo. Um quarto de hospital foi improvisado na casa deles e eles puderam ficar lado a lado.
O casal se conheceu em uma pista de boliche na década de 1950
O casal se conheceu em uma pista de boliche na década de 1950 Foto: Melissa Sloan / Reprodução / Facebook

Após a morte de Maxine, o tempo que a família levou para desligar os aparelhos e retirar o corpo da mulher dali foi o bastante para que Don piorasse muito. Horas mais tarde, seu coração também cessou. “Ele quis ir embora com ela. É impressionante, uma verdadeira história de amor”, disse Melissa. A neta é fotógrafa e aproveitou os últimos dias de vida dos avós para registrar a união do casal.

Extra

Na eleição presidencial deste ano, Dilma terá dificuldades maiores do que em 2010 em regiões que agregam mais da metade do eleitorado.

Eleições 2014

Fonte: Folha de S.Paulo

Dilma larga com problemas onde há mais eleitores

Presidente não tem aliados fortes em Estados como a Bahia e dividirá votos com adversários em Minas e Pernambuco

Além de problemas políticos, petista enfrenta cenário adverso na economia; país deve crescer 1%

Pesquisa: Dilma vai mal onde existem mais eleitores

Na eleição presidencial deste ano, Dilma Rousseff (PT) terá dificuldades maiores do que em 2010 em regiões que agregam mais da metade do eleitorado.

A presidente também enfrenta cenário adverso na economia. Em 2010, o Brasil cresceu 7,5%. Em 2014, a previsão é de 1%, ou menos.

Há quatro anos, Dilma venceu José Serra (PSDB) no segundo turno com vantagem de 11 milhões de votos –sendo 10,7 milhões no Nordeste.

Pesquisa: Dilma vai mal onde existem mais eleitores

Bahia e Pernambuco, maiores colégios eleitorais da região, deram mais de 70% de votos à petista, embalados por candidaturas fortes que apoiavam Dilma.

Neste ano, o líder na corrida estadual na Bahia, Paulo Souto (DEM), com 42% de intenção de voto, apoia Aécio Neves (PSDB).

Pesquisa: Dilma vai mal onde existem mais eleitores

Em Pernambuco, Dilma já divide as intenções de voto com Eduardo Campos (PSB), ex-governador do Estado e seu ex-aliado.

Em 2010, Dilma venceu em Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do país. Neste ano, quem lidera as pesquisas no Estado é Aécio Neves (PSDB), ex-governador.

Além de Bahia, Pernambuco e Minas, a presidente não tem aliados fortes em São Paulo, Paraná e no Rio Grande do Sul (ver gráfico).

Ao lados dos problemas políticos, Dilma enfrenta um atoleiro econômico.

Em 2010, o Nordeste crescia a taxas chinesas. Na época da eleição, as vendas no comércio avançavam em um ritmo anualizado de 12%. Atualmente, esse ritmo é de pouco mais de 6%.

“Na média, os indicadores são muito mais desfavoráveis [para o PT] nesta eleição, na comparação com 2010″, afirma Sérgio Vale, economista-chefe da MB Associados.

Embora a taxa de desemprego em 2010 fosse próxima da atual, o ritmo de criação de novas vagas formais teve forte queda (ver gráfico).

FRAGILIDADES

Para o cientista político Carlos Ranulfo, da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), Dilma deve enfrentar o segundo turno nesta eleição. “Mas entrará em piores condições do que o PT em disputas anteriores”, diz.

Dilma está fragilizada e desgastada, fato que não existia em 2010, quando Lula bombava’”, completa.

Neste ano, o ex-presidente Lula voltará a ter papel importante na disputa eleitoral, principalmente no Nordeste, acredita Fernando Abrucio, cientista político da FGV-SP.

Entre a penúltima e a última pesquisa do Instituto Datafolha, Dilma recuou de 55% para 49% das intenções de voto no Nordeste.

Concorrência para concurso da PM é maior entre as mulheres e chega a 380,8 na PB

 

Polícia Militar da Paraíba

O Governo do Estado divulgou a concorrência do concurso para soldado da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, cujas provas teóricas serão realizadas no próximo domingo (10), em quatro cidades paraibanas. Em todo o estado se inscreveram 58.969 candidatos, sendo 53.714 para policial militar e 5.255 para bombeiro. Os candidatos do sexo masculino que vão concorrer para a Polícia Militar na opção da Região Metropolitana de João Pessoa enfrentarão a concorrência de 83,9 candidatos por vaga. No sexo feminino, a concorrência é de 374,4 por vaga. Para a região de Campina Grande, a concorrência é 84,6 para homens e 307,5 para mulheres.

A região do Sertão foi a que registrou a maior concorrência nos dois gêneros para a PM. A disputa no masculino é de 119,8 por vaga, enquanto no feminino a concorrência é 380,8 para uma vaga.

Já o Corpo de Bombeiros tem 70,9 candidatos do sexo masculino por vaga na Região Metropolitana de João Pessoa e 152 no feminino. Na região de Campina Grande, a concorrência é de 47,2 para homens e 80 para mulheres. No Sertão, a disputa ficou de 60,8 candidatos por vaga no masculino e 76,3 para o feminino.

Locais de provas

De acordo com o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), empresa responsável pelo certame, o concurso terá 88 locais de provas – o que soma mais de 2 mil salas de aulas – distribuídos nas cidades de João Pessoa, Campina Grande, Patos e Cajazeiras. O candidato deve consultar no site o local onde fará o exame intelectual.

O coronel Marcos Alexandre Sobreira Coronel informou que as provas começam às 13h30, mas os candidatos devem chegar às 12h, pois às 13h os portões serão fechados. “O candidato deve levar apenas o documento original de identidade, lápis, borracha e caneta azul ou preta para a realização da prova”, acrescentou.

O concurso oferece 600 vagas, sendo 520 para a Polícia Militar e 80 para o Corpo de Bombeiros. O salário inicial é de R$ 2.548,16. O certame é constituído de cinco etapas, ficando condicionada a realização das seguintes à aprovação nas fases anteriores. O exame intelectual, que é a primeira etapa, terá 80 questões que abordam assuntos de português, raciocínio lógico, história da Paraíba, geografia da Paraíba, noções de direito, legislação e sociologia.

Portal Correio