Daily Archives: 17/06/2014

Mensagem do PAPA aos brasileiros

As três lições de Francisco para a Copa ‘de solidariedade’

Cidade do Vaticano (RV) – Em mensagem aos brasileiros sobre a Copa do Mundo de Futebol divulgada quarta-feira, 11, o Papa Francisco afirma que é preciso superar o racismo e que o futebol deve ser uma escola de construção para uma cultura do encontro, que permita a paz e a harmonia.

O Pontífice usa também uma gíria brasileira para defender o espírito de equipe não só no esporte, mas entre as pessoas e culturas: “Não é só no futebol que ser ‘fominha’ constitui um obstáculo para o bom resultado do time; pois, quando somos ‘fominhas’ na vida, ignorando as pessoas que nos rodeiam, toda a sociedade fica prejudicada”.

O Papa afirma esperar que a Copa seja, além do esporte, festa de “solidariedade” entre os povos.

A Copa começa nesta quinta-feira, 12, com o jogo de abertura entre Brasil e Croácia, em São Paulo. Ao todo, 32 seleções disputarão 64 jogos e a final, marcada para 13 de julho, será realizada no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Abaixo, a íntegra da mensagem do Papa Francisco aos brasileiros:

Queridos amigos,

É com grande alegria que me dirijo a vocês todos, amantes do futebol, por ocasião da abertura da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Quero enviar uma saudação calorosa aos organizadores e participantes; a cada atleta e torcedor, bem como a todos os espectadores que, no estádio ou pela televisão, rádio e internet, acompanham este evento que supera as fronteiras de língua, cultura e nação.

A minha esperança é que, além de festa do esporte, esta Copa do Mundo possa tornar-se a festa da solidariedade entre os povos. Isso supõe, porém, que as competições futebolísticas sejam consideradas por aquilo que no fundo são: um jogo e ao mesmo tempo uma ocasião de diálogo, de compreensão, de enriquecimento humano recíproco. O esporte não é somente uma forma de entretenimento, mas também – e eu diria sobretudo – um instrumento para comunicar valores que promovem o bem da pessoa humana e ajudam na construção de uma sociedade mais pacífica e fraterna. Pensemos na lealdade, na perseverança, na amizade, na partilha, na solidariedade. De fato, são muitos os valores e atitudes fomentados pelo futebol que se revelam importantes não só no campo, mas em todos os aspectos da existência, concretamente na construção da paz. O esporte é escola da paz, ensina-nos a construir a paz.

Nesse sentido, queria sublinhar três lições da prática esportiva, três atitudes essenciais para a causa da paz: a necessidade de “treinar”, o “fair play” e a honra entre os competidores. Em primeiro lugar, o esporte ensina-nos que, para vencer, é preciso treinar. Podemos ver, nesta prática esportiva, uma metáfora da nossa vida. Na vida, é preciso lutar, “treinar”, esforçar-se para obter resultados importantes. O espírito esportivo torna-se, assim, uma imagem dos sacrifícios necessários para crescer nas virtudes que constroem o carácter de uma pessoa. Se, para uma pessoa melhorar, é preciso um “treino” grande e continuado, quanto mais esforço deverá ser investido para alcançar o encontro e a paz entre os indivíduos e entre os povos “melhorados”! É preciso “treinar” tanto…

O futebol pode e deve ser uma escola para a construção de uma “cultura do encontro”, que permita a paz e a harmonia entre os povos. E aqui vem em nossa ajuda uma segunda lição da prática esportiva: aprendamos o que o “fair play” do futebol tem a nos ensinar. Para jogar em equipe é necessário pensar, em primeiro lugar, no bem do grupo, não em si mesmo. Para vencer, é preciso superar o individualismo, o egoísmo, todas as formas de racismo, de intolerância e de instrumentalização da pessoa humana. Não é só no futebol que ser “fominha” constitui um obstáculo para o bom resultado do time; pois, quando somos “fominhas” na vida, ignorando as pessoas que nos rodeiam, toda a sociedade fica prejudicada.

A última lição do esporte proveitosa para a paz é a honra devida entre os competidores. O segredo da vitória, no campo, mas também na vida, está em saber respeitar o companheiro do meu time, mas também o meu adversário. Ninguém vence sozinho, nem no campo, nem na vida! Que ninguém se isole e se sinta excluído! Atenção! Não à segregação, não ao racismo! E, se é verdade que, ao término deste Mundial, somente uma seleção nacional poderá levantar a taça como vencedora, aprendendo as lições que o esporte nos ensina, todos vão sair vencedores, fortalecendo os laços que nos unem.

Queridos amigos, agradeço a oportunidade que me foi dada de lhes dirigir estas palavras neste momento – de modo particular à Excelentíssima Presidenta do Brasil, Senhora Dilma Rousseff, a quem saúdo – e prometo minhas orações para que não faltem as bênçãos celestiais sobre todos. Possa esta Copa do Mundo transcorrer com toda a serenidade e tranquilidade, sempre no respeito mútuo, na solidariedade e na fraternidade entre homens e mulheres que se reconhecem membros de uma única família. Muito obrigado!”

Nota: No texto original em português, foi utilizado o termo futebolístico “fominha” que foi traduzido como ‘individualista’. Na linguagem futebolística italiana, o vocábulo correspondente a “fominha” – aquele jogador que não passa a bola nunca – é “veneziano”. O termo “veneziano” pertence ao vocabulário esportivo popular e indica o jogador de futebol que, por ser dotado de boa técnica individual, excede no drible e termina por perder a bola para o jogador adversário ou por retardar a fluidez da ação do time. O termo vem da convicção que os habitantes de Veneza têm de querer fazer tudo sozinhos. Neste propósito se diz: “aquele ali é um veneziano, faz tudo sozinho”.

A ilusão da felicidade, segundo Augusto dos Anjos

O advogado, professor e poeta paraíbano Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos (1884-1914), no poema “Ilusão”, mostra como felicidade e infelicidade podem se confundir.

ILUSÃO
Augusto dos Anjos

Dizes que sou feliz. Não mentes. Dizes
Tudo que sentes. A infelicidade
Parece às vezes com a felicidade
E os infelizes voltam a ser felizes!

Assim, em Tebas – a tumbal cidade,
A múmia de um herói do tempo de Ísis,
Ostenta ainda as mesmas cicatrizes
Que eternizaram sua heroicidade!

Quem vê o herói, inda com o braço altivo,
Diz que ele não morreu, diz que ele é vivo,
E, persuadido fica do que diz…

Bem como tu, que nessa crença infinda
Feliz me viste no Passado, e ainda
Te persuades de que sou feliz.

 site Poemas & Canções

Papa Francisco supera os 14 milhões de seguidores no Twitter

ÍndiceA soma das contas oficiais que o papa Francisco tem em nove idiomas da rede social Twitter superou 14 milhões de seguidores. Desse total, cerca de um milhão são seguidores da conta em português. Em dois meses, a soma dos seguidores das contas do papa aumentou um milhão, já que no dia 16 de abril havia 13 milhões. A  conta mais seguida é a em espanhol, com um total de 5,9 milhões de seguidores. Em seguida, as contas em inglês (4,1 milhões) e em italiano (1,7 milhões). O papa também tem contas do Twitter em latim, polonês, francês, árabe e alemão.

A conta do papa na rede social foi inaugurada em dezembro de 2012 pelo papa Bento 16. No dia 28 de fevereiro de 2013, quando ele anunciou sua renúncia, o número de seguidores era de cerca de 3 milhões. A conta foi suspensa durante a Sede Vacante, o período entre a renúncia de Bento 16 e a eleição de Francisco, no dia 13 de março. O Twitter foi reativado no dia 17 de março, já com o nome de Francisco.

Secretário de Saúde do RN é maqueiro FIFA

1601379_320819548072632_5990124026600751126_n-300x300

Enquanto Gana e EUA estiverem em campo, na noite desta segunda-feira (16), a Secretaria de Saúde do Rio Grande do Norte (Sesap) estava sem o titular a postos para qualquer emergências que surgisse no estado. O médico Luiz Roberto Fonseca, secretário estadual de Saúde, atuou na equipe de atendimento aos jogadores da partida. O secretário, inclusive, era um dos quatro profissionais responsáveis por carregar a maca que retirava os jogadores machucados de campo.

Luiz Roberto Fonseca é intensivista e obstetra, tendo atuado como coordenador do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do estado. Ele é cooperado da empresa contratada pela Fifa para prestar atendimento médico durante a Copa do Mundo.

Pesquisa 96FM/Consult com a chapa completa: Henrique e Wilma têm 43,6%, Robinson e Fátima Bezerra 26,24%

images

Pesquisa 96FM/Consult com a chapa completa: Henrique e Wilma têm 43,6%, Robinson e Fátima Bezerra 26,24%

16 de junho de 2014 por annaruth

Nessa pergunta foi citada a chapa completa para análise do eleitor:

Henrique Alves para o Governo e Wilma de Faria para o Senado – 43,6%

Robinson Faria para o Governo e Fátima Bezerra para o Senado – 26,24%

Araken Faria para o Governo e Roberto Ronconi para o Senado – 0,35%

Simone Dutra para o Governo e Ana Célia para o Senado – 0,59%

Nenhum – 18,65%

Não sabe – 11,12%

A pesquisa está protocolada na Justiça Eleitoral com o número 02/2014. Foram entrevistadas 1.700 pessoas, em 58 municípios, no período de 10 a 12 de junho e tem margem de erro de 2,3% para mais ou para menos.

O número de registro é 160/2014.

Pesquisa 96FM/Consult: Dilma 49,59%, Eduardo Campos 12,76%, Aécio 10,41%

16 de junho de 2014 por annaruth

Pesquisa 96FM/Consult para presidente da República:

Dilma Rousseff – 49,59

Eduardo Campos – 12,76%

Aécio Neves – 10,41%

Eduardo Campos – 12,76%

Nenhum – 15,18%

Não sabe – 12,06%

A pesquisa está protocolada na Justiça Eleitoral com o número 02/2014. Foram entrevistadas 1.700 pessoas, em 58 municípios, no período de 10 a 12 de junho e tem margem de erro de 2,3% para mais ou para menos.

Pesquisa 96FM/Consult para o Senado: Wilma de Faria 40,35%, Fátima Bezerra 27,47%

16 de junho de 2014 por annaruth

Números da 96FM/Consult para o Senado Federal:

Wilma de Faria – 40,35%

Fátima Bezerra – 27,47%

Professora Ana Célia – 1,06%

Roberto Ronconi – 0,76%

Nenhum – 16,47%

Indecisos – 13,88%

A pesquisa está protocolada na Justiça Eleitoral com o número 02/2014. Foram entrevistadas 1.700 pessoas, em 58 municípios, no período de 10 a 12 de junho e tem margem de erro de 2,3% para mais ou para menos.

Pesquisa 96FM/Consult: Henrique Alves 38,24%, Robinson Faria 22,78%

16 de junho de 2014 por annaruth

Veja o resultado da pesquisa 96FM/Consult para o Governo do Estado:

Henrique Alves – 38,24%

Robinson Faria – 22,78%

Robério Paulino- 0,88%

Araken Farias– 0,24%

Siomone Dutra – 0,82

Nenhum – 21%

Não sabem 15,94%

A pesquisa está protocolada na Justiça Eleitoral com o número 02/2014. Foram entrevistadas 1.700 pessoas, em 58 municípios, no período de 10 a 12 de junho e tem margem de erro de 2,3% para mais ou para menos.

Com Tribuna do Norte

TSE fixa 15 de setembro como data-limite para substituir candidato

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) definiu, em sessão nesta segunda-feira (16), o dia 15 de setembro como data-limite para substituição de candidatos que concorrerão nas eleições de outubro.

A mudança pode ser feita pelo partido ou coligação em caso de registro indeferido ou desistência.

Conforme as regras do TSE, a única exceção à regra é em caso de morte do candidato. Nessa situação, a substituição poderá ser feita até a véspera do pleito.

O tribunal já tinha definido em fevereiroque a mudança poderia ser feita até 20 dias antes da votação do dia 5 de outubro. A data de 15 de setembro foi fixada para evitar dúvidas sobre em qual dia exato representava os 20 dias antes da votação.

Até a eleição passada, os partidos podiam substituir os candidatos até 24 horas antes do pleito, independentemente do motivo.

Por causa disso, era possível que, na urna eleitoral, o candidato concorresse com os dados do político que renunciou ou morreu. A partir deste ano, isso não acontecerá mais, segundo o TSE.

Convenções
Na sessão desta segunda, o tribunal também discutiu um pedido feito pelo PDT para alterar o prazo máximo para realização de convenções partidárias, estipulado em 30 de junho pelo TSE.

A legenda queria que as convenções para definição dos candidatos fossem realizadas até julho, em razão da Copa do Mundo no Brasil.

Os ministros, porém, entenderam que a data não deve ser alterada. “A Copa do Mundo em nada atrapalhou o dia a dia dos brasileiros. Indefiro o pedido”, disse o presidente do TSE, Dias Toffoli, que foi acompanhado pelo colegiado.