Mulher de bilionário russo causa polêmica ao posar sentada sobre boneca negra seminua

Uma imagem fashion ou preconceituosa? A mulher do bilionário russo Roman Abramovich, Dasha Zhukova, provocou uma grande polêmica na internet após uma revista digital ter publicado uma foto dela sentada em uma cadeira. A questão é que o móvel se assemelha a uma mulher negra seminua. E mais: a imagem foi ao ar na última segunda-feira, no Dia de Martin Luther King, que é sempre celebrado nos Estados Unidos na terceira segunda-feira do mês de janeiro, data próxima ao aniversário do célebre líder que lutou pelos direitos civis dos negros americanos.

O site “Buro 24/7” usou a imagem de Dasha para ilustrar uma entrevista sobre a nova revista da ex-modelo, chamada “Garage”. A editora da “Buro 24/7”, Miroslava Duma, uma das mais famosas blogueiras e it-girls da Rússia, também postou a foto controversa no Instagram. Diante da enxurrada de comentários criticando a imagem, ela rapidamente retirou o post do ar, segundo informou o jornal britânico “Daily Mail”.

“Isso é incrivelmente racista”, twitou a Organizing for Women’s Liberation (Organização pela Liberdade da Mulher).

A editora do portal “FashionBombDaily.com”, Claire Sulmers, foi uma das primeiras a expressar a sua indignação, alegando que a mensagem da foto era surpreendentemente clara: “Dominação branca e superioridade, articulada de forma aparentemente serena, mas abertamente degradante”.

Depois da polêmica, Miroslava Duma postou em seu Instagram um pedido de desculpas a “todos que se sentiram ofendidos”: “Não foi absolutamente nossa intenção. Nós somos contra o racismo, a desigualdade de gênero ou qualquer ato que infrinja os direitos de qualquer pessoa. (…) A cadeira da foto deveria ser vista apenas como uma obra de arte que foi criada pelo artista pop britânico Allen Jones e não como uma forma de discriminação”.

Dasha também divulgou um pedido de desculpas que dizia: ” (…) nós lamentamos termos utilizado essa cadeira para uma foto fora do contexto da obra do artista Allen Jones. E a situação foi agravada pelo fato de que a publicação coincidiu com o Dia de Martin Luther King. Eu absolutamente não tolero racismo e peço desculpas a todos os ofendidos por essa foto. A ‘Garage’ tem um compromisso com o respeito à diversidade étnica e de gênero, e vamos continuar com esses princípios”.

Apesar da repercussão negativa, o jornalista e crítico de arte Jonathan Jones, do jornal britânico “The Guardian”, teve uma interpretação diferente para a polêmica. Segundo ele, não se trata de racismo, mas de um estranho trabalho de arte, exposto de maneira desastrosa para a cultura popular e implorando para ser mal interpretado. “A obra de Bjarne Melgaard pode ser de péssimo gosto, porém tenho quase certeza que não teve a intenção de denegrir as mulheres negras. Ao contrário, trata-se de uma alusão ao controverso trabalho do artista britânico Allen Jones na década de 1960”, opinou.

Na imagem, um manequim extremamente realista está nu exceto por um par de botas de couro, uma calcinha preta, um cinto e luvas. A boneca aparece deitada, com os joelhos dobrados, e sustentando com as pernas uma almofada na qual Dasha está sentada.

Globo.com

Posted on 22/01/2014, in Curiosidade, Internacional, Racismo, Reflexão. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: