Daily Archives: 18/12/2013

Ricardo Motta recebe título de cidadão em Poço Branco

O presidente da Assembleia, deputado Ricardo Motta (PROS), recebeu o título de cidadão em mais um município potiguar pelo trabalho realizado ao longo de sua trajetória parlamentar. A homenagem foi concedida pela Câmara Municipal de Poço Branco.

 A proposição foi do vereador Rodrigo Lucas. Durante a sessão solene, foram homenageados sete ex-prefeitos – João Ferreira, Fernando Cândido, João Maria Góes (in memoriam), Roberto Lucas, Nilce Cavalcanti, Abdias Cassiano e José Sebastião -, o procurador aposentado e agropecuarista José Taumaturgo da Rocha e o empresário Renildo de Araújo.

Via Blog do Assis Silva

Silas Malafaia celebra sepultamento do PLC 122

Pastor Silas Malafaia comemora “sepultamento” do PL 122 e Jean Wyllys lamenta; Veja lista dos senadores que votaram pelo fim do projeto

silas1

Após o apensamento do projeto de lei 122/2006 ao projeto do Novo Código Penal por parte dos senadores, o consenso geral entre favoráveis e contrários é de que a proposta da ex-deputada federal Iara Bernardi foi “sepultada”.

Através do Twitter, o pastor Silas Malafaia – um dos líderes evangélicos que mais se opôs ao PL 122 – comemorou abertamente a conquista e agradeceu o empenho dos parlamentares da bancada evangélica, como o senador Magno Malta (PR-ES), que influenciou a tomada de decisões dos demais parlamentares.

“PLC 122 acaba de ser enterrado no Senado. A Deus seja a glória. Parabéns aos senadores Renan Calheiros, Magno Malta, Lindberg Farias e outros. Não adianta chorar ou xingar o PLC 122 foi para o ‘espaço’. Nada de privilégios para ninguém. Homo, hetero, religioso ou não, lei é pra todos […] Vitória do povo de Deus que esta aprendendo a usar os direitos da cidadania.Valeu o bombardeio de emails para os senadores. Ainda tem mais […] 7 anos de lutas incluindo processos, calúnias, difamação e etc. Vitória da família, bons costumes e da criação pela qual Deus fez o homem. Ainda tem muita coisa que precisamos estar atentos. São mais de 800 projetos no Congresso para destruir os valores cristãos. Não vão nos calar”, escreveu o pastor em seu perfil.

O “sepultamento” do PL 122 se deu através de um requerimento apresentado pelo senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), que diante da falta de consenso a respeito do projeto, propôs que o debate sobre as propostas do texto fossem incluídas nas discussões do Novo Código Penal, que o Senado vem elaborando com a consultoria de juristas renomados.

Entretanto, as propostas mais radicais do PL 122, que eram consideradas privilégios aos ativistas gays – tiveram um destino definitivo com a aprovação de um requerimento de Magno Malta que exclui os termos “gênero”, “identidade de gênero”, “identidade sexual” ou “orientação sexual” do Novo Código Penal e dos parágrafos relativos ao preconceito.

No Twitter, o ativista gay e deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) queixou-se do final que o PL 122 teve no Senado, e atacou as lideranças evangélicas que lutaram pela reprovação do projeto enquanto ele tramitou. “Lamento a aprovação do requerimento do senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) que apensa o PLC 122 ao projeto de reforma do Código Penal. Apesar do pedido de votação nominal feito pelos senadores Suplicy e Randolfe, não foi suficiente para superar os votos favoráveis. Na prática, isto significa o enterro definitivo de uma luta de 12 anos desde que o PLC 122 começou a tramitar no Congresso. As minhas críticas e questionamentos ao PLC são públicas, mas sempre defendi sua aprovação, mesmo achando necessário um debate mais amplo. Defendo porque a derrota desse projeto seria uma vitória do preconceito e dos discursos de ódio. Contudo, infelizmente, o que aconteceu hoje é o final de uma ‘crônica de uma morte anunciada’. Longe de promover um debate sério, a bancada governista cedeu à chantagem dos fundamentalistas, como o gov. Dilma tem feito desde o início. Cada novo substitutivo do projeto, cada nova alteração, cada novo adiamento significou um retrocesso. Foi tanto o que cederam (para garantir o ‘direito’ dos fundamentalistas a pregar o ódio) que do PLC-122 original só restava o título. E foi esse título que enterraram hoje!”, disse Wyllys.

silas malafaia plc122 twitter
Silas Malafaia comemora sepultamento do PLC 122 (Reprodução – Twitter)

O deputado afirmou que, na Câmara, tentará mudar o texto do Novo Código Penal para incluir novamente as propostas “sepultadas” com o PL 122 e com o requerimento de Magno Malta: “A comissão responsável pelo projeto do Código Penal aprovou o relatório do senador Pedro Tarques, relatório que exclui as referências a “gênero”, “identidade de gênero”, “identidade sexual” ou “orientação sexual”, acatando as emendas de Magno Malta, senador publicamente conhecido por se opor ao reconhecimento da cidadania para a população LGBT. Estamos atentos e alertas para quando o projeto do Código Penal chegar à Câmara, já estudamos a apresentação de uma proposta mais ampla. Proposta esta que enfrente de maneira sistêmica os crimes discriminatórios! Proposta esta que garanta políticas públicas e ferramentas legais de proteção contra todas as formas de discriminação! Proposta esta que também promova a educação para o respeito à diversidade!”, escreveu o deputado federal.

A lista

O apensamento do PL 122 ao projeto do Novo Código Penal não foi aprovado por unanimidade. O então relator do projeto na Comissão de Direitos Humanos do Senado, Paulo Paim (PT-RS) emitiu parecer contrário à proposta de Eduardo Lopes, e pediu votação nominal como forma de pressionar os colegas a votarem contra.

No entanto, a proposta do senador Eduardo Lopes foi aprovada por 29 votos favoráveis, 12 contrários e 2 abstenções – entre elas, a do senador Walter Pinheiro (PT-BA), evangélico, e apontado por Jean Wyllys como um dos que mobilizaram grande influência contra o PL 122.

Veja abaixo, a lista dos senadores que votaram contra e a favor do “sepultamento” do PL 122:

VOTARAM A FAVOR

ESTADO/PARTIDO

VOTARAM CONTRA

ESTADO/PARTIDO

Alfredo Nascimento AM/PR Ana Rita ES/PT
Aloysio Nunes SP/PSDB Antônio Carlos Rodrigues SP/PR
Álvaro Dias PR/PSDB Antônio Carlos Valadares SE/PSB
Ana Amélia RS/PP Eduardo Suplicy SP/PT
Blairo Maggi MT/PR João Capiberibe AP/PSB
Cassio Cunha Lima PB/PSDB Jorge Viana AC/PT
Cícero Lucena PB/PSDB Lídice da Mata BA/PSB
Cristovam Buarque DF/DF Paulo Davim RN/PV
Cyro Miranda GO/PSDB Paulo Paim RS/PT
Eduardo Lopes RJ/PRB Pedro Simon RS/PMDB
Eunício Oliveira CE/PMDB Randolfe Rodrigues AP/PSOL
Flexa Ribeiro PA/PSDB Roberto Requião PR/PMDB
Jader Barbalho PA/PMDB
João Durval BA/PDT

ABSTENÇÃO

João Vicente Claudino PI/PTB José Pimentel CE/PT
José Agripino RN/DEM Vanessa Grazziotin AM/PCdoB
Lindberg Farias RJ/PT
Magno Malta ES/PR
Mozarildo Cavalcanti RR/PTB
Paulo Bauer SC/PSDB
Pedro Taques MT/PDT
Ricardo Ferraço ES/PMDB
Rodrigo Rollemberg DF/PSB
Ruben Figueiró MS/PSDB
Sérgio Petecão AC/PSD
Sérgio Souza PR/PR
Vital do Rêgo PB/PMDB
Waldemir Moka MS/PMDB
Wilder Morais GO/DEM

Tiago Chagas, Gospel+

Mesmo sendo um analfabeto político Lobão deu um baile nos jornalistas no Roda Viva

por : Paulo Nogueira

Analfabeto político e olavete

Analfabeto político e olavete

Não contribuí para o traço do Roda Viva com Lobão, mas como Kiko Nogueira postou o vídeo em seu artigo sobre o programa acabei vendo.

O que mais me incomodou no programa foram os jornalistas, para ser franco. Eles acabaram sendo dominados facilmente por Lobão, que é o chamado fanfarrão: fala, fala, fala.

Ele tem traquejo com o microfone, ao contrário dos jornalistas convidados.

Mas a falta de familiaridade com tevê não foi o maior defeito deles: foi a falta absoluta de combatividade. Num certo momento, todos estavam rindo das histórias de Lobão, como se estivessem num bar do Leblon.

Isso não é jornalismo.

Numa entrevista, aprendi logo em minha carreira, você não pode ficar aquiescendo com o rosto a cada resposta do entrevistado. Você o eleva e se rebaixa.

Ninguém, na mídia, fez entrevistas como a Playboy, e estou me referindo, naturalmente, à edição original, a americana de Hugh Heffner.

Uma entrevista com o então jovem Robert de Niro teve que ser interrompida porque, conforme depois explicaria no texto o entrevistador, de Niro diante de uma questão aguda pegou o gravador e atirou na parede.

Isso é jornalismo.

Houve tímidas tentativas de jornalismo de dois entrevistadores de Lobão: Julia Dualib, do Estadão, e Alex Solnik, da Retratos do Brasil.

Mas não houve continuidade.

A melhor pergunta foi de Julia. Agora que se tornou um repetidor tagarela do arquidireitista Olavo de Carvalho, que Lobão tem a dizer de coisas como o aborto?

Ele enrolou, não respondeu – e não foi cobrado por Julia ou qualquer outro dos entrevistadores.

Defender o aborto poderia fazer Lobão, hoje uma olavete, cair no desagrado de seu mentor. Criticar seria mostrar que ele vive num planeta paralelo.

Algumas oportunidades boas de enriquecer a conversa foram deixadas de lado. Se é verdade que Lobão foi banido da Globo por ordens do próprio Roberto Marinho por ter defendido Lula em 1989, como ele disse, isso tinha que ser debatido calmamente.

Lobão fez ali uma denúncia involuntária, mas ninguém percebeu, entre os risos cúmplices pela graça com que a história foi contada.

O despreparo ficou claro em outras passagens: Lobão, por exemplo, fez a apologia do livre mercado.

Ele faz ideia de que não vigora o livre mercado na mídia que o louva tanto depois que ele virou de direita?

Vigora na mídia – e isso é indecente – uma reserva de mercado que veda aos entrangeiros entrar no Brasil. Eles podem ter apenas 30% das ações.

Seria bom ver o que Lobão pensa disso, mas para tanto os jornalistas teriam que perguntar (e saber também).

Augusto Nunes fez sua parte, também. Perguntou, do nada, o que Lobão pensa de Dilma.

Todos sabemos o que ele pensa de Dilma. Ou o que ele pensa hoje, porque é um sujeito que muda de opinião com frequência.

Também sabemos o que Lobão pensa de Chico, e ele mais uma vez repetiu extensamente suas opiniões contra Chico.

Lobão criticar Chico equivale a Olavo de Carvalho criticar Platão, tamanha a diferença da obra, da estatura e da importância histórica.

Gosto de algumas músicas de Lobão, mas toda a sua obra é menor que uma só canção de Chico, e isto é simplesmente indiscutível. Roda Viva, para citar uma música apropriada ao tema de que tratamos aqui.

Lobão é o chamado analfabeto político: fala coisas sem sentido que ouviu de terceiros. Disse que Jango fugiu: que ele queria, que Jango promovesse uma guerra civil na qual milhares de brasileiros morreriam?

Justifica a ditadura militar sob a “ameaça” do golpe comunista. Ora, os Estados Unidos cansaram que derrubar governos populares apenas para preservar seus interesses, e sempre usando aquela falácia.

O primeiro da lista foi Jacobo Arbens, da Guatemala, em 1954. Arbens cometeu o pecado de desapropriar parte das plantações de banana de uma empresa americana para promover uma reforma agrária. A partir dali, o mundo conheceria a Guatemala, e a todos nós latino-americanos, como Repúblicas das Bananas.

Lobão repete, com graça, o bestialógico de Olavo de Carvalho, até na parte em que vê um Obama socialista, aspas e pausa para rir.

Mas duro mesmo foi ver o comportamento dos jornalistas. Não falo do moderador, que deixou de ser jornalista há décadas, mas da bancada dominada por Lobão como se fosse um rebanho de fãs.

Dez vereadores de Caruaru, acusados de corrupção, já estão no presídio Plácido de Souza.

Todos os dez vereadores de Caruaru que foram presos, hoje pela manhã, na operação “Ponto final” já estão recolhidos ao presídio Plácido de Souza.

ônibus policia

Cecílio Pedro ao saber da sua condução ao presídio, passou mal e precisou dos atendimentos do corpo de bombeiros. Segundo informações do Procurador da Câmara, José Américo, Cecílio teve, além de sangramento no nariz, a pressão alterada por ser hipertenso.

Ainda de acordo com Dr José Américo, procurador da Câmara, a justiça solicitou ao órgão que os 10 vereadores envolvidos na operação, tenham seus mandatos suspensos temporariamente.

Os vereadores encaminhados ao presídio foram: Cecílio Pedro, Val das rendeiras, pastor Jadiel, Louro do juá, Val, Jajá, Evandro Silva, Eduardo Cantarelli e Neto.

O secretário municipal de articulação Davi Cardoso, prestou apenas esclarecimento.

“O prefeito José Queiroz foi vítima dos vereadores que foram presos na Operação Ponto Final.”  disse o delegado que deu voz de prisão aos envolvidos.

Câmara-Municipal-de-Caruaru

Além dos vereadores detidos, outros foram chamados para prestar esclarecimentos. São eles: Gilberto de Dora (PSB), Ranilson Enfermeiro (PSC) e Edjailson da Caruforró (PTdoB). O secretário de Relações Institucionais de Caruaru, Davi Cardoso, também foi levado à delegacia para prestar esclarecimento.

O delegado responsável pelas investigações é Salustiano Cavalcante. O presidente da Câmara Municipal, o vereador Leonardo Chaves (PSD), informou que só vai se pronunciar sobre o assunto depois do fim das investigações e da posição oficial da justiça.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Salustiano Cavalcante, foram cumpridos dez mandados de prisão preventiva contra dez vereadores do município, quatro mandados de condução coercitiva para ouvir três vereadores e um secretário adjunto do município e ainda 13 mandados de busca e apreensão domiciliar. Segundo o delegado, os mandados foram expedidos pelo juiz de Direito da 4ª Vara Criminal de Caruaru e todos foram cumpridos.

Cavalcante não detalhou a suposta participação de cada um no esquema de corrupção e afirmou que todas as informações serão divulgadas durante uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira (19) no Recife.

Participaram da operação 120 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. A ação foi coordenada pela Chefia da Polícia Civil. As investigações tiveram início há seis meses e foram efetuadas pela Gerência de Controle Operacional do Interior I.

Fonte: Jornal de Caruarú

Prostitutas querem aposentadoria igual a de jogador de futebol por ‘trabalho físico muito duro’

2013-673194933-20131217110901080afp.jpg_20131217A sociedade de bordéis da Holanda Freya pediu às autoridades fiscais que os benefícios usufruídos por jogadores de futebol do país fossem estendidos a prostitutas, segundo o jornal “De Volkskrant”.

– Tanto os jogadores como as prostitutas têm um trabalho muito duro fisicamente, que não podem fazer pela vida toda – argumentou Wil Post, advogada e membro do conselho da Freya, ao diário holandês.

A advogada pediu que o fisco holandês conceda às profissionais do sexo as mesmas condições fiscais dos jogadores, que podem obter um limite máximo de 5 mil euros mensais para a sua aposentadoria livres de impostos.

O Globo

Eles não se emendam

Índice

João Gualberto Jr.

Mais um caso balizar: o Supremo julga a legalidade da doação privada para campanha eleitoral. Por que essa discussão não se dá no Parlamento, já que ela habita qualquer proposta de reforma política? Os parlamentares reclamam (outra vez) da invasão de sua atribuição. Mas por que não se debruçam sobre a reformulação das regras? Por que não firmam consenso? Por que não têm interesse? Por que é melhor deixar as coisas como estão? Talvez todas as questões acima sejam pertinentes ao mesmo tempo.

O Parlamento, que no papel é a voz do povo, parece preferir o silêncio tantas vezes. O espaço que é dele, constitucional, não ocupa. O que ocorre? Outros o ocupam. E tanto pior do que o vácuo político é o moral. Como seguir na relação quando a conduta do representante fere princípios de justiça e civilidade? Amplia-se o abismo da tal representação.

Por razões financeiras e muito menos futebolísticas, eu, de minha parte, não teria qualquer possibilidade de visitar o país africano. Definitivamente, não poderia conceber a ideia de contribuir, por meio do IPTU que pago, para esse furor turístico. Querem gastar o subsídio dele com voo fretado até lá? Tudo bem, mas talvez houvesse coisa mais produtiva a se fazer por aqui, em benefício de seus representados, por exemplo. Se há sessões agendadas, as férias não começaram.

ALGO NO AR

Na Assembleia, o helicóptero de um deputado é apreendido pela Polícia Federal com quase meia tonelada de cocaína. Houve protesto do povo, mas desagravo dos colegas. A instituição vem se empenhando para clarear sua situação: acabou com o jetom, com o auxílio-paletó e investe em transparência. Acontece que realidade de parlamentar se assemelha, talvez, à de goleiro: basta um frango aos 45 do segundo tempo para se jogar por água abaixo uma jornada bem empreendida.

Já no Congresso, buliçoso em razão das emendas que o Planalto reluta em garantir, corre-se o risco, pelo segundo ano seguido, de se votar o Orçamento com o ano já em curso. Além disso, dizem que os costumeiros projetos de criação de cargos aqui e acolá voltarão à pauta da Câmara no apagar das luzes. É de se surpreender para uma Casa que manteve o mandato de um presidiário condenado?

Faz só seis meses que o povo foi pra rua e pôs o dedo na cara de suas excelências. O medo foi só fagulha pelo visto. Quase nada se fez de permanente, e é possível que o Parlamento seja obrigado a se reinventar. Outubro tá logo ali. (transcrito de O Tempo)

Metade de mim, na dualidade poética de Oswaldo Montenegro

O cantor e compositor carioca Oswaldo Viveiros Montenegro no poema “Metade” traduz nossa dualidade na existência, ou seja, somente somos completos no amor. “Metade” foi gravado por Oswaldo Montenegro no CD Ao Vivo – 25 Anos, em 2004, pela Warner.

METADE
Oswaldo Montenegro

Que a força do medo que tenho
não me impeça de ver o que anseio
que a morte de tudo em que acredito
não me tape os ouvidos e a boca
porque metade de mim é o que eu grito
mas a outra metade é silêncio.
Que a música que ouço ao longe
seja linda ainda que tristeza
que a mulher que amo seja pra sempre amada
mesmo que distante
porque metade de mim é partida
mas a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo
não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
apenas respeitadas como a única coisa
que resta a um homem inundado de sentimentos
porque metade de mim é o que ouço
mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora
se transforme na calma e na paz que eu mereço
e que essa tensão que me corrói por dentro
seja um dia recompensada
porque metade de mim é o que penso
mas a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste
e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
que o espelho reflita em meu rosto num doce sorriso
que eu me lembro ter dado na infância
porque metade de mim é a lembrança do que fui
a outra metade não sei.
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
pra me fazer aquietar o espírito
e que o teu silêncio me fale cada vez mais
porque metade de mim é abrigo
mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta
mesmo que ela não saiba
e que ninguém a tente complicar
porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
porque metade de mim é platéia
e a outra metade é canção.
E que a minha loucura seja perdoada
porque metade de mim é amor
e a outra metade também.

site Poemas & Canções

Rosalba afirma que há forças ocultas contra o RN

Ao fazer o pronunciamento no seminário Motores do Desenvolvimento do RN, a governadora Rosalba Ciarlini apontou o que chamou de “forças ocultas” que, segundo ela, tentam impedir o desenvolvimento e atrapalhar a atual administração. Ela fez a defesa do Governo e lamentou iniciativas que impedem as ações e projetos que são elaborados e executados para estimular o crescimento do Estado.

Alex RégisRosalba Ciarlini participa de seminário sobre o desenvolvimento da indústria do Rio Grande do NorteRosalba Ciarlini participa de seminário sobre o desenvolvimento da indústria do Rio Grande do Norte

Rosalba Ciarlini, que há quatro dias conseguiu — junto ao Tribunal Superior Eleitoral — uma decisão de caráter liminar para suspender a cassação do mandato que tinha sido determinada pelos juízes do Tribunal Regional Eleitoral, fez um discurso durante o qual prestou contas das medidas que ela avalia como positivas para atrair investimentos privados ao Rio Grande do Norte.

Ela ficou visivelmente emocionada em alguns momentos, o que tem se repetido quando fala em público nos últimos meses. A governadora reclamou dos que passam uma imagem pessimista sobre a situação do Estado. “Forças ocultas querem colocar o Rio Grande do Norte para baixo. São pessoas que só mostram o que não presta, o que dá errado”, lamentou.

Segundo Rosalba Ciarlini, são setores que passam uma imagem de terra arrasada que, para ela, não corresponde à realidade. “Eu recebi dezenas de jornalistas de todo o mundo que ficaram maravilhados com o que viram aqui. Mas algumas pessoas do Estado procuram dar outra impressão”, comentou. “Alguns torcem para o atraso do Rio Grande do Norte, torcem para que as coisas não aconteçam”, afirmou a governadora.

Ela não disse claramente se essa postura partiria de adversários políticos da atual administração ou de instituições insatisfeitas com o Governo. Rosalba citou como exemplo de situação na qual teria enfrentado esse pessimismo os momentos em que estava para consolidar os projetos da Arena das Dunas e do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

Segundo a governadora, alguns trataram esses projetos com descrédito e colocaram em dúvida o interesse do Governo em realizá-los, mas agora estão prestes a serem inaugurados, em uma demonstração de que houve empenho e seriedade na execução. “Falaram dos acessos do aeroporto, que não seriam construídos, no entanto estamos construindo sim”, disse.

Para Rosalba Ciarlini, a postura contra o Estado vem sendo superada. “Sinto que nossa política está amadurecendo”, destacou. A governadora acrescentou que é preciso unir a classe política e as lideranças empresariais. “Nós passamos, mas o RN vai ficar. E eu quero deixar um Estado melhor para meus filhos e netos”. A governadora assegurou que a atual administração tem conseguido superar as dificuldades e atrair investimentos. Ela apontou a renúncia fiscal e lembrou a instalação de indústrias cerâmicas e expansão do parque de energia eólica. (TN)

Fluminense escapa da Série B, mas sofre com piadas na Internet

Os rivais do Fluminense não perdoaram a “vitória” do clube no STJD. O Tribunal votou por unanimidade contra a Portuguesa, punida com a perda de quatro pontos por ter escalado o meia Heverton irregularmente. Diante dessa decisão, o clube paulista acabou rebaixado.

 

Logo depois do resultado, diversas montagens tirando sarro da salvação do Fluminense surgiram na Internet. A maioria faz alusão à terceira vez que o time carioca consegue escapar de um rebaixamento via “tapetão”.

Torcedores brincam com os dias da semana para tirar sarro dos tricolores

Foto:  Reprodução Internet

Torcedores brincam com o ‘tapetão’ do Flu

Foto:  Reprodução Internet

Rivais alegam que tricolores não terão mais argumentos para discutir futebol

Foto:  Reprodução Internet

Escudo do Fluminense ganha as iniciais do STJD

Foto:  Reprodução Internet

Torcedores usam mesas ao invés de estrelas para brincar com o Fluminense

Foto:  Reprodução Internet

O Dia Online

Ronald Biggs, “ladrão do século”, morre aos 84 anos no Reino Unido

Morreu hoje em Londres, aos 84 anos, o britânico Ronald Biggs, conhecido como o “ladrão do século”, pelo assalto em 1963 ao trem pagador que ia de Glasgow a Londres.

Biggs, que viveu anos foragido no Brasil, estava em um asilo para idosos em East Barnet, norte de Londres. Ele vinha enfrentando uma série de problemas de saúde, com dificuldades para caminhar e se comunicar.

Nos últimos anos, sofreu sete derrames, ataque cardíaco, ataques epiléticos, úlcera no estômago, além de uma fratura no quadril que o deixou internado por dias no hospital universitário de Norfolk e Norwich.

A morte dele é um dos principais destaques da imprensa britânica nesta quarta-feira. Christopher Pickard, que o ajudou a escrever sua autobiografia, disse que Biggs deve ser lembrado com um dos grandes personagens dos últimos 50 anos.

À BBC, Anthony Delano, autor de um livro sobre o ladrão, foi mais duro e afirmou que Biggs era um homem “sem moral” e teve muita sorte por ter vivido anos em liberdade.
Biggs já teve ao menos sete derrames,

O britânico fazia parte de uma gangue de cerca de 15 homens que conseguiu, em 8 de agosto de 1963, parar um comboio ferroviário manipulando a sinalização. Depois de ferir gravemente um funcionário, eles fugiram com 120 sacos de notas usadas contendo no total 2,6 milhões de libras, uma quantia recorde para a época equivalente a cerca de R$ 124 milhões.

Os ladrões, inclusive Biggs, foram presos em janeiro de 1964. Processado e condenado a 30 anos de prisão, Biggs foi para a penitenciária de Wandsworth (Londres), de onde conseguiu fugir 15 meses depois.

Ele passou por cirurgias estéticas e viveu como foragido na Espanha, na Austrália e, principalmente, no Brasil.

EXTRADIÇÃO

Biggs chegou ao Brasil na década de 1970 e viveu aqui por cerca de 30 anos, mais especificamente no Rio de Janeiro. Ele teve um filho com sua namorada Raimunda, Michael Biggs, que foi cantor do grupo infantil brasileiro Balão Mágico e hoje é empresário.

Ao descobrir que o “ladrão do século” estava em solo brasileiro, o governo britânico iniciou uma batalha judicial para sua extradição. A questão, contudo, é que a legislação britânica não admite a formulação de pedido oficial de extradição a país com o qual não tenha tratado de extradição. O acordo entre o Brasil e o governo britânico só entrou em vigor em outubro de 1997 –25 anos depois do assalto ao trem pagador.

O caso foi então para julgamento no STF (Supremo Tribunal Federal) –que considerou o Estatuto do Estrangeiro que estabelece que, antes de julgar a extradição, os juízes devem levar em conta o prazo estabelecido pela legislação brasileira. No Brasil, o audacioso assalto havia prescrito há cinco anos.

Após meses de uma batalha judicial entre o governo britânico e a Justiça do Brasil, o STF arquivou oficialmente o pedido de extradição de Biggs em novembro de 1997. Os ministros alegaram que a prescrição do crime impede o recebimento do pedido formulado pelo governo britânico.

FALIDO

Nos últimos anos de sua estadia no Brasil, Biggs vivia em dificuldades financeiras. Ele transformou sua casa em Santa Teresa (zona central do Rio) em uma espécie de museu para turistas britânicos e vendia camisetas, bonés e outros produtos de sua “marca” em uma página na internet.

Em 2001, Biggs afirmou que desejava retornar ao Reino Unido. Seu advogado brasileiro na época, Wellington Mousinho, afirmou à Folha que Biggs só voltaria “com o perdão judicial”. Rumores indicavam, contudo, que ele receberia uma grande quantia do tabloide “The Sun” pela exclusividade de sua história.

Biggs já havia sofrido dois derrames e vizinhos cariocas diziam que ele andava com dificuldades e quase não podia falar. Só saía de casa para ir de táxi a sessões de fisioterapia, na Tijuca (zona norte). Mousinho ressaltou, contudo, que ele estava lúcido e que voltava ao Reino Unido porque estava com saudades.

CONDICIONAL

Preso, Biggs cumpriu mais de um terço da pena no centro de detenção Belmarsh, centro de detenção de segurança máxima.

Em agosto de 2009, Biggs, que estava doente, foi libertado.

Uol