O bem que o poeta Vicente de Carvalho mais desejava

ÍndiceO magistrado, jornalista, político, contista e poeta paulista Vicente Augusto de Carvalho (1866-1924), num poema inspirado, não espera o bem que mais deseja, inclusive, conta o mal que vê, mas o amor, que é cego, sonha com o bem inexistente.

EU NÃO ESPERO O BEM QUE MAIS DESEJO
Vicente de Carvalho

Eu não espero o bem que mais desejo:
sou condenado, e disso convencido;
vossas palavras, com que sou punido,
são penas e verdades de sobejo.

O que dizeis é mal muito sabido,
pois nem se esconde nem procura ensejo
e anda à vista naquilo que mais vejo:
em vosso olhar, severo ou distraído.

Tudo quanto afirmais eu mesmo alego:
ao meu amor desamparado e triste
toda a esperança de alcançar-vos nego.

Digo-lhe quanto sei, mas ele insiste;
conto-lhe o mal que vejo, e ele, que é cego,
pôs-se a sonhar o bem que não existe.

 site Poemas & Canções

Posted on 07/12/2013, in Brasil, Cultura, Entretenimento, Reflexão. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: