Daily Archives: 03/12/2013

Lobão ataca Dilma, Jango e Mano Brown no programa Roda Viva

Colunista de Veja, Lobão foi o entrevistado no Roda Viva na noite de ontem. O programa atualmente é comandado por Augusto Nunes, também colunista de Veja. Além das agressões a Dilma, João Goulart e Mano Brown, o cantor saudou o que chamou de “Revolução de 64” por nos livrar de uma “ameaça comunista”

lobão roda viva dilma jango
Lobão no Roda Viva (Captura de tela)

O programa Roda Viva, hoje sob o comando de Augusto Nunes, colunista de Veja e militante político, já viveu dias melhores. Na noite de ontem, o entrevistado do programa, pago pelo governo de São Paulo, foi o cantor Lobão, também colunista de Veja e autor do livro “Manifesto do Nada na Terra do Nunca”.

Na atração, conduzida pelo jornalista que classifica a presidente Dilma como “neurônio solitário”, não faltaram agressões. “Dilma é completamente inapta, não sabe falar, não sabe fazer nada. É de uma estupidez galopante”, disse Lobão, que se classificou como um “ex-petista”. Lobão disse ainda que Dilma seria incapaz de tomar sorvete na testa, “porque não vai conseguir nem mirar a própria testa”.

Lobão também aproveitou o espaço para defender o golpe militar de 64. “Pelo que vejo das ditaduras comunistas, de Cuba, da ex-URSS, Venezuela, tudo indica que a gente se safou de algo muito pior.” Ele afirmou ainda que o ex-presidente João Goulart fugiu – e não foi deposto. “Por que ele não ficou?”, perguntou.

Na mesma entrevista, ele voltou a atacar aqueles que define como “rebeldes chapa branca”. Seriam eles Pablo Capilé, do coletivo Fora do Eixo, e Mano Brown, dos Racionais MC´s. Lobão afirmou ainda que uma das maiores bobagens de sua vida foi ter apoiado Lula em 1989.

Dirceu cumprirá pena até 2021 e Valério só estará livre em 2051

Documentos disponíveis no STF indicam data da prisão e cálculos da progressão de regime.

Documentos disponíveis no STF indicam data da prisão e cálculos da progressão de regime.

As guias de recolhimento dos 11 condenados por envolvimento do mensalão mostram que o ex-ministro José Dirceu só terminará de cumprir a pena pelo crime de corrupção no dia 15 de outubro de 2021. E que o empresário condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) como operador do mensalão – Marcos Valério – só terminará de cumprir a pena em abril de 2051.

Os documentos disponíveis no site do STF apontam a data das prisões – 16 de novembro – e os cálculos de quando os condenados terão direito à progressão de regime, quando podem pedir livramento condicional e quando terminarão de cumprir as penas.

Os documentos só levam em consideração as penas pelos crimes cujo julgamento já terminou. Em vários casos, como de Dirceu e do ex-presidente do PT José Genoino, parte da condenação ainda pode ser alterada. Por isso, a pena por esses crimes não é considerada nos cálculos.

Abaixo, os dados constantes das guias de recolhimento:

José Dirceu
Pena total: 7 anos e 11 meses
Progressão de regime: 12/03/2015
Livramento condicional: 05/07/2016
Término da pena: 15/10/2021

Cristiano Paz
Pena total: 17 anos e 8 meses e 20 dias
Progressão de regime: 29/10/2016
Livramento condicional: 11/10/2019
Término da pena: 05/08/2031

Katia Rabello
Pena total: 14 anos e 5 meses
Progressão de regime: 09/04/2016
Livramento condicional: 04/09/2018
Término da pena: 15/04/2028

Jacinto Lamas
Pena total: 5 anos
Progressão de regime: 14/09/2014
Livramento condicional: 15/07/2015
Término da pena: 15/11/2018

Romeu Queiroz
Pena total: 6 anos e 6 meses
Progressão de regime: 15/12/2014
Livramento condicional: 14/01/2016
Término da pena: 15/05/2020

Marcos Valério
Pena total: 37 anos 5 meses e 6 dias
Progressão de regime: 10/02/2020
Livramento condicional: 07/05/2026
Término da pena: 21/04/2051

Delúbio Soares
Pena total: 6 anos e 8 meses
Progressão de regime: 25/12/2014
Livramento condicional: 04/02/16
Término da pena: 15/07/2020

José Genoino
Pena total: 4 anos e 8 meses
Progressão de regime: 25/08/2014
Livramento condicional: 04/06/2015
Término da pena: 15/07/2018

Ramon Hollerbach
Pena total: 19 anos, 9 meses e 20 dias
Progressão de regime: 06/03/2017
Livramento condicional: 21/06/2020
Término da pena: 05/09/2033

José Roberto Salgado
Pena total: 8 anos e 2 meses
Progressão de regime: 25/03/2015
Livramento condicional: 04/08/2016
Término da pena: 15/01/2022

Simone Vasconcelos
Pena total: 10 anos e 10 meses
Progressão de regime: 04/09/2015
Livramento condicional: 25/06/2017
Término da pena: 15/09/2024

Estadão

Açude que já abasteceu Patos secou completamente e virou cemitério de canoas

Em seus registros, 'Caminhos da Sede', padre Djacy Brasileiro conta o drama de famílias no quarto maior município do Estado, que sobreviviam da pesca no Jatobá e que hoje não tem água nem para molhar pequenas plantações

Em seus registros, ‘Caminhos da Sede’, padre Djacy Brasileiro conta o drama de famílias no quarto maior município do Estado, que sobreviviam da pesca no Jatobá e que hoje não tem água nem para molhar pequenas plantações

Do Correio da Paraíba – O açude Jatobá, que chegou a abastecer o município de Patos (no Sertão da paraibano, a 307 quilômetros de João Pessoa), secou completamente. Em seu leito estão espalhadas canoas que eram usadas por famílias que viviam da pesca. Com capacidade para 17 milhões e 516 mil metros cúbicos de água, o Jatobá tem hoje apenas 56 mil e 769 metros cúbicos, o que representa 0,3% do seu armazenamento total.

O município de Patos é abastecido de água do complexo Coremas/Mãe d’Água e pelo açude Capoeira, do distrito de Santa Terezinha, que tem capacidade de 53 milhões e 450 mil mestros cúbicos de água e está com apenas 15,3% do seu total, o que equivale a 8 milhões, 181 mil e 925 metros cúbicos. Outro açude de Patos é o Farinha, que tem capacidade para 25 milhões,738 mil e 500 metros cúbicos. Está atualmente com 31 mil e 325 metros cúbicos, o que representa 0,1% de sua capacidade.

Em vários bairros da cidade de Patos há racionamento. A única esperança dos moradores é a chuva. O padre Djacy Brasileiro, pároco de Água Branca, que registra a situação dos municípios que sofrem com a estiagem, conversou com famílias que tiravam o sustento do açude de Jatobá. O padre faz divulgação nas redes sociais do seu trabalho, intitulado ‘Caminhos da Sede’.

Um desses moradores é o senhor Verinaldo Lima. Ele levou o padre Djacy para ver de perto o leito do açude, um dos maiores da região polarizada por Patos. “Com a voz embargada e lágrimas nos olhos, seu Verinaldo me contou que o açude de Jatobá era cheio, bonito,viçoso e que abastecia a cidade de Patos.Hoje,para ele, só resta mesmo a lembrança”, disse o religioso.

Caminhando a pé pelo leito do açude seco, o padre Djacy observa que o cenário é “de morte, desolação, dor e tristeza”. De tão seco, as pessoas que moram próximo do açude cavaram cacimbas no local. No local onde tem a água ela está imprestável para o consumo humano. Dezenas de peixes são encontrados mortos. Seu Sandoval vai de bicleta para o meio do açude. Tenta pegar água na cacimba que, segundo ele, é para suas plantas.

Outro agricultor que sofre com a falta de água para suas plantações é o seu Sebastião. O padre Djacy  repara que seu Sebastião clama por água como se estivesse rezando e canta, quase chorando, a música ‘Asa Branca’, de Luiz Gonzaga, ajoelhado no terreno seco onde havia um açude.  O Jatobá, que já foi o principal açude no abastecimento da cidade de Patos, teve sua construção em 1952 no governo de José Américo e sangrou pela primeira vez no dia 25 de março de 1960. Está localizado às margens da PB-110, saída para Teixeira, próximo ao campus da UFCG. É o mais antigo reservatório de Patos e o mais popular. Vários bairros cresceram às suas margens, a exemplo Alto da Tubiba, Mutirão, Nova Conquista e o próprio bairro do Jatobá.

128175,573,80 128177,573,80

Por três votos a um, CCJ da Assembléia rejeita pedido de impeachment contra governadora

df0176a8cf0165c66354a19acc5f9ec5

Por três votos a um, a Comissão de Constituição e Justiça da ALRN (CCJ) desconsiderou o pedido de impeachment da governadora Rosalba Ciarlini. Os parlamentares desconsideraram ainda a citação do vice-governador Robinson Faria (PSD) no pedido por falta de motivo. De acordo com a assessoria jurídica da Casa, a matéria seguirá para plenário. Segundo o assessor Washington Fontes, o artigo 173 do Regimento Interno estabelece que cabe “somente ao presidente”, o arquivamento ou não  de matérias em tramitação no Legislativo.

O parecer do presidente da CCJ, deputado Hermano Morais (PMDB), relator da matéria, foi acompanhado por Ezequiel Ferreira (PMDB), Getúlio Rêgo (DEM) e Agnelo Alves (PDT). O único que discordou do parecer do relator foi o deputado Kelps Lima (PR).  Hermano embasou sua decisão contrária ao pedido de impeachment em várias justificativas: a extensão das denúncias (falta de nexo causal entre o que se pede e as medidas a serem tomadas e o fato de estarem citados o vice-governador Robinson Faria e o secretário chefe da Casa Civil Carlos Augusto Rosado, também excluído do caso.

Também foram identificadas falhas como as questões formais no documento apresentado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (Sindsaúde), assinado por oito pessoas, entre elas os vereadores Amanda Gurgel e Sandro Pimentel (PSOL). Faltaram dados como domicílio eleitoral e outros comprovantes exigidos nesse tipo de processo. Diante das denúncias que recaem sobre as diversas áreas, o parecer de Hermano traz uma recomendação para que a Assembleia Legislativa crie uma comissão especial para que os deputados possam acompanhar o funcionamento de serviços essenciais à população.

“Analisei com toda responsabilidade técnica, sem desconsiderar a questão política. Nossa análise é isenta, independente e tem base técnica com a responsabilidade de uma decisão muito importante”, disse Hermano Morais.

Primeiro a se manifestar durante a discussão da matéria, o deputado Ezequiel Ferreira afirmou: “Eu particularmente não tenho nenhum motivo para elogiar o governo e há um reclame natural da população na saúde, na segurança e em outras questões. Mas parabenizo o relator pela firmeza e seriedade, o embasamento do seu parecer ficou nítido e claro”, disse.

Dor aguda nas costas próxima do bumbum poderá ser diagnosticada com exame de sangue

“A dor era tão forte que eu acordei de noite e sentia como se tivesse uma faca cravada”, disse Martin, 44 anos. O policial comentou que ficar sentado na viatura de polícia tornou-se algo insuportável. Andar em terrenos irregulares o fazia sentir que “cacos de vidro” estavam dilacerando sua espinha.

O morador da pequena cidade de Derby, Reino Unido, era um homem ativo, competindo em triátlon, nadando mais de 3,8 km e pedalando mais de 180 km ao completar uma maratona. Mas, ao começar a treinar para a maratona de Londres, percebeu os terríveis sintomas. A dor iniciou em sua nádega direita e tornou-se cada vez mais forte.

Os médicos diziam que se tratava de uma lesão nas costas por esforço mecânico e que ele precisava de fisioterapia. Ele fez o que o médico recomendou por 3 meses, mas a dor era tanta que ele não conseguia mais andar.

Ele foi encaminhado para um cirurgião ortopédico que lhe deu injeções de dextrose (um tipo de açúcar) e várias anestesias locais para provocar uma inflamação e desencadear o processo de cicatrização.

As injeções foram dadas nos ligamentos que pensava-se que estavam feridos na articulação sacro-ilíaca, onde a coluna se “acopla” com a pélvis: “Meus sintomas tornaram-se imediatamente piores. Eu chorava de dor ao tentar andar”.

Após três meses, ele foi encaminhado para um reumatologista que fez vários testes, incluindo varredura de radioisótopos – onde uma pequena quantidade de radiação é injetada no corpo, fixando-se onde supostamente existe a inflamação: “O procedimento revelou que eu tinha uma inflamação na minha espinha – provando que a dor não era por lesão mecânica”, disse Martin.

Depois de meses, finalmente o diagnóstico correio veio. Ele possuía espondilite anquilosante – uma inflamação que afeta a coluna vertebral e articulações sacro-ilíacas. Isso foi confirmado após uma análise de sangue que mostrou que Martin tinha um marcador genético para a doença.

Pessoas com esse marcador não estão condenadas 100% a ter o problema, mas possuem enormes probabilidades de a desenvolverem.

Apesar de extremamente doloroso, a doença afeta mais de 600 mil pessoas só no Reino Unido. Ela não é provocada por desgaste e sim por um ataque do sistema imunológico e o tipo de identificação da doença usando o sangue é algo muito recente

O que é a Espondilite Anquilosante?

É uma inflamação que ocorre na parte inferior da coluna, resultando em enorme dor, rigidez e incapacidade. No local existem as articulações que se conectam com a pélvis, restringindo os movimentos, relatou o professor de reumatologia, Dr. Stefan Siebert, da Universidade de Glasgow.

NOVA CRUZ:Programação em comemoração pelos 94 anos de emancipação política

1479358_428118670644627_1597773490_n

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DOS 94 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE NOVA CRUZ EM 03 DE DEZEMBRO:
5H – ALVORADA COM A BANDA FANFARRA DRAGÕES DA INDEPENDENCIA
8:30- TORNEIOS ESPORTIVOS DE VOLEY DE DUPLAS, FUTVOLEY E FUTEBOL SOCIETY NO COMPLEXO POLIEPORTIVO
3 H – PASSEIO CICLISTICO SAINDO DO GINASIO DE ESPORTES. AO MESMO TEMPO, NA PRAÇA DE EVENTOS MAURO PESSOA ACONTECE FEIRA DE ARTESANANTO, AÇÃO DA CIDADANIA E APRESENTAÇÕES CULTURAIS
19:30 – NA IGREJA MATRIZ, MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS.
22 H – FESTA SOCIAL EM FRENTE A PREFEITURA MUNICIPAL COM FORROZÃO MULEKEIROS E CAVALO DE AÇO AO VIVO.
REALIZAÇÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA CRUZ  TRABALHANDO O PRESENTE, CONSTRUINDO O FUTURO.

PMDB e PT tentarão acabar com palanque de Eduardo Campos no RN

juntos

A “simpatia” do ministro Garibaldi Filho (PMDB) por uma aliança que englobe PMDB, PT e PSB, superando as divergências com a ex-governadora Wilma de Faria (PSB), não é generosidade. É tática política. E vem do Planalto.

O PMDB pretende lançar candidato a governador, com o PT indicando a deputada federal Fátima Bezerra (PT) para o Senado. O que sobra para o PSB é a vaga de vice na majoritária e a candidatura de Wilma a federal.

De quebra, formando essa aliança, PMDB e PT enterram de vez o palanque do pré-candidato a presidente Eduardo Campos (PSB) no Rio Grande do Norte.

Para PMDB e PT, a aliança é muito boa. Mas, para o PSB, que lidera todas as pesquisas para o governo do estado, seria um prejuízo.

José Genoino renuncia ao mandato de deputado federal

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), informou nesta terça-feira (3) que o deputado federal licenciado José Genoino apresentou carta de renúncia ao mandato. Segundo Alves, o documento será lido em plenário na tarde desta terça.

De acordo com Henrique Alves, a renúncia será publicada nesta quarta, com a convocação do suplente Renato Simões (PT-SP) para assumir a vaga em definitivo – atualmente ele exerce o mandato temporariamente devido à licença de Genoino.

“Antes da aferição dos votos, o deputado André Vargas apresentou um documento de Genoino de renúncia ao mandato. Então, o processo de cassação nem chegará à Comissão de Constituição e Justiça”, afirmou.

Supremo autoriza prisão domiciliar ou hospitalar provisória para Genoino (Foto: Rede Globo)José Genoino ao se entregar à PF no dia 15 de
novembro (Foto: Rede Globo)

A Mesa Diretora da Câmara discutiria nesta terça a abertura de processo de cassação contra o parlamentar, mas o vice-presidente da Câmara, André Vargas, levou à reunião uma carta de Genoino com pedido de renúncia.

Condenado no julgamento do mensalão, o deputado, que tem problemas cardíacos, foi preso no último dia 15 e levado para o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, para cumprir pena em regime semiaberto. Dias depois ele passou mal na prisão e foi transferido para um hospital, do qual teve alta dia 23 de novembro, e está em prisão domiciliar provisoriamente.

Genoino fez cirurgia em julho para tratar um caso de dissecção da aorta, uma grande artéria que sai do coração, de onde partem os ramos que levam o sangue para os tecidos do corpo. A estrutura da parede da aorta tem três camadas, para aguentar a pressão do bombeamento do sangue. A dissecção da aorta ocorre quando o sangue se desvia do interior da artéria para o interior da parede e passa a correr entre as camadas dessa estrutura.

Para se recuperar, Genoino pediu licença médica à Câmara dos Deputados e, depois, entrou com pedido de aposentadoria por invalidez.

Laudo feito por junta médica da Câmara diz que o petista não possui doença que justifique aposentadoria por invalidez. Eles opinaram por mais 90 dias de licença para que Genoino tenha condições de recuperação total da doença cardíaca. Depois deste período, ele passaria por nova perícia para verificar se está apto a trabalhar.

Prisão domiciliar
O ex-presidente do PT está em prisão domiciliar provisória por conta de seu estado de saúde e deve ter o pedido de prisão domiciliar definitiva avaliado nos próximos dias pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator do processo do mensalão, Joaquim Barbosa.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou parecer ao STF na segunda (2) no qual opina pela concessão de prisão domiciliar por mais 90 dias para Genoino. Ao fim do prazo, segundo o procurador, “deverá ser reavaliada” a situação de saúde do parlamentar.

Para Janot, Genoino “apresenta graves problemas (delicada condição) de saúde e corre risco se continuar a cumprir pena no presídio”.”Sua permanência em cárcere, por pouco mais de dez dias, caracterizou-se por diversos episódios de pressão alta, alteração na coagulação e outros sintomas. […] O fato de o requerente não ter sido considerado portador de cardiopatia grave, por si só, não afasta a aplicação excepcional do artigo 117 da Lei de Execução Penal, que autoriza a prisão domiciliar”, afirma Janot no documento.

O parecer foi feito a pedido do presidente do STF e relator do processo do mensalão, ministro Joaquim Barbosa,que decidiu enviar laudo médico feito por cardiologistas ligados à Universidade de Brasília (UnB) à Procuradoria e à defesa do deputado antes de decidir sobre o pedido de prisão domiciliar definitiva. O laudo afirmou que a cardiopatia de Genoino “não se caracteriza como grave” e que não há necessidade de tratamento domiciliar permanente.

Em razão do estado de saúde de Genoino, Barbosa concedeu prisão domiciliar temporária até que saísse o resultado da avaliação da junta médica da UnB, nomeada por ordem do próprio ministro. A avaliação é um dos elementos que Barbosa vai levar em conta para decidir se autorizará o cumprimento da pena em prisão domiciliar. Agora que a Procuradoria enviou parecer, ele poderá tomar uma decisão.

José Genoino foi condenado a 6 anos e 11 meses de prisão pelos crimes de corrupção ativa (4 anos e 8 meses) e formação de quadrilha (2 anos e 3 meses). Ele começou a cumprir a pena por somente corrupção ativa. Com relação à condenação por formação de quadrilha, entrou com recurso que será julgado no que vem.

Zé Hilton do Acordeon e Sergio Groove dando um show!

Como explicar o Brasil aos estrangeiros?

Celso Serra

Este oportuno e verdadeiro texto, que faz sucesso absoluto na internet, circulando por todo canto, mostra como o Brasil é um país cada vez mais incoerente e difícil de ser entendido pelos estrangeiros que nos visitam. Confira aí.

###
SÓ AQUI NA TERRINHA…

Se você for com sua esposa, seus filhos, noras, genros, netos, almoçar fora no domingo e tomar 1 ou 2 chopes, ou 1 ou 2 copos de cerveja no almoço e for parado numa blitz, você paga uma multa de R$ 1.960,00, tem a carteira cassada por um ano, o carro apreendido e vai preso.

Se você comer 1, 2 ou 3 bombons de licor, tomar xarope para a tosse ou alguns comprimidos de homeopatia e for parado numa blitz, você paga uma multa de R$ 1.960,00, tem a carteira cassada por um ano, o carro apreendido e vai preso. Se tens dúvidas tome conhecimento da lei que estabeleceu estas punições.

Se você fumar maconha, fumar crack, cheirar cocaína, tomar comprimidos de “extazy”, tomar injeção de heroína ou ópio e for parado numa blitz, nada vai acontecer.

Se você roubar, assaltar, estuprar, atropelar e até matar alguém, o máximo que vai acontecer é você, com um bom advogado, esperar o julgamento em liberdade e, se for condenado como réu primário, ir para o regime semiaberto. E se tiver bom comportamento, só vai cumprir um terço da pena.

Já se você roubar milhões de reais do povo ou dos cofres públicos, várias coisas podem acontecer:

Vai se eleger deputado ou senador, passar 15 dias num resort na Bahia em companhia da amante, ser eleito presidente do Senado, ser nomeado ministro ou presidente de uma agência controladora.

E mais um detalhe:

Se você tiver menos de 18 anos completos, aí você pode beber e dirigir como quiser, roubar, assaltar, estuprar e matar à vontade Quantas pessoas quiser, é verdade mesmo, acredite que não tem problema algum. Você só pode ser “apreendido” porque é criança e pega no máximo 3 anos.

Agora o melhor de tudo:

Se você tem uma arma em casa, comprada regularmente depois de passar por todas as dificuldades, com todos os atestados, testes e documentos apresentados e tiver a infelicidade de atirar em um bandido que entrou na sua casa para roubar o que é seu, será preso por tentativa de homicídio e terá que pagar indenização ao bandido por danos físicos e morais. Pior ainda se o bandido for menor. Aí você está lascado mesmo.E se por acaso ele estiver desarmado, aí é caso de tentativa de homicídio qualificado, sem possibilidade de defesa da vítima.

Portanto, cuidado: se um bandido entrar na sua casa, antes de atirar pergunte educadamente o que ele deseja, pergunte se ele está armado e pergunte se ele é menor. Agora,se ele te matar e for preso,vai receber pensão mensal.

Agora veja a cara do seu amigo estrangeiro. Ele vai estar pensando se você é gozador, mentiroso ou ignorante mesmo. Mas, afinal, você é brasileiro mesmo.

Ele só vai te chamar de mentiroso se você disser que precisa trabalhar 5 meses e 8 dias para pagar os impostos de um ano.

Talvez comece a achar você louco e seu país um hospício, se disser que dois políticos condenados pela mais alta corte do pais, e sem direito a recorrer, estão como deputados na Câmara Federal, e diga mais, que eles são membros da Comissão de Constituição e Justiça.

Assembleia presta homenagem aos 50 anos do Hospital da PM

AL-PM

Os 50 anos do Hospital Central Coronel Pedro Germano, da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, foram comemorados na manhã desta segunda-feira, 02, em sessão solene requerida pelo deputado Antônio Jácome (PMN) e aprovada pela unanimidade dos deputados estaduais. A sessão solene, aberta pelo presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta, homenageou o Coronel Kléber Cavalvante, diretor geral do hospital.

 “O Poder Legislativo Estadual, nessa sessão singela, porém de muito significado, homenageia com propriedade, uma instituição hospitalar que tem uma historia de superação. O Hospital da PM se impõe cada vez mais dentro do contexto hospitalar do Estado. O Hospital chega aos 50 anos se renovando, tanto nos seus quadros, quanto na prestação de serviço, e na busca pela excelência no atendimento”, declarou o deputado Antônio Jácome.

A placa alusiva à homenagem foi entregue pelos deputados Ricardo Motta e Antônio Jácome aos coronéis Francisco Araújo, comandante geral da PM, Roberto Galvão, diretor médico, e Kléber Cavalcante, diretor do Hospital. A Assembleia exibiu um vídeo institucional mostrando a história e avanços previstos para unidade. Na ocasião, o presidente da Assembleia anunciou a entrega da medalha do Mérito legislativo ao comandante geral da PM, o coronel Araújo e homenageou os servidores da PM.  “Gostaria de registrar a presença dos cabos e soldados, que sem vocês esse hospital não funcionaria de forma tão eficiente”, reconheceu Ricardo Motta.

Fundado em agosto de 1963, pelo então governador Aluizio Alves, a unidade localizada no bairro do Tirol, em Natal, dispõe de enfermarias de Clínica Médica, Pediatria, Cirurgia, Ginecologia e Obstetrícia, UTI geral e neonatal, Centro cirúrgico, Laboratório de análises clínicas, Farmácia, Sala de radiografia e de ultrassonografia, sala de pronto-atendimento, além de um anexo onde funciona a “Cidade da Amamentação”, que é composta de um banco de leite e de uma sala de vacinas. Todo o complexo visa atender não só aos militares e seus dependentes, como também a população em geral.

Carnatal divulga datas e horários de entrega de abadás

Micareta acontece de 5 a 7 de dezembro no Parque Aristófanes Fernandes.
Festa terá 5 blocos, camarotes, corredor da folia e área de convivência.

Carnatal 2013 acontece de 5 a 7 de dezembro (Foto: Canindé Soares)Carnatal 2013 acontece de 5 a 7 de dezembro (Foto: Canindé Soares)

A organização do Carnatal 2013 divulgou as datas e horários da entrega dos abadás. A entrega acontece no Parque Aristófanes Fernandes, de 4 a 7 de dezembro, das 9h às 18h. De acordo com a assessoria do evento, os abadás que serão entregues no parque serão dos blocos que circularão no dia. O Carnatal acontece de 5 a 7 de dezembro.

Os foliões que vão curtir a festa no Bloco Nana, Camarote Skol, e Arena 51 devem buscar seus abadás de 4 a 7 de dezembro, das 9h às 18h. Os foliões do Bicho têm os dias de 6 e 7 de dezembro para retirar o abadá. Já os participantes do Bloco Caju devem retirar a camiseta nos dias 5 e 6, e do Bloco Coco Bambu nos dias, 5, 6, e 7, sempre das 9h às 18h.

O Carnatal 2013 acontece, pela primeira vez, em Parnamirim, na região metropolitana de Natal. A mudança se deu por conta das obras de mobilidade que acontecem no entorno da Arena das Dunas, onde tradicionalmente a festa acontecia. A mudança de lugar, no entanto, não deve atrapalhar a alegria da festa. Com cinco blocos, Camarote Skol, corredor da folia com camarotes, área de convivência e o Espaço 51, o Carnatal 2013 acontece de 5 a 7 dezembro no Parque Aristófanes Fernandes.

O delegado que lê Hannah Arendt, Slavoj Zizek e é doutorando em Ciência Política

Delegado hare krishna é formado em jornalismo e em direito, faz doutorado em Ciência Política e surpreende pelas ideias pouco comuns no ambiente policial

Orlando Zaccone D’Elia Filho, 49, é um delegado peculiar, e não apenas por ter “hare” tatuado em um antebraço e “krishna” no outro ou fotos de manifestantes mascarados em seu Facebook.

O que mais chama a atenção nesse carioca da Tijuca (zona norte do Rio), formado em jornalismo e em direito, são suas ideias pouco comuns no ambiente policial.

Responsável pelo inquérito inicial do caso Amarildo, foi Zaccone quem desmontou a versão de que o assistente de pedreiro seria traficante -ele desapareceu após ser levado por policiais militares para a base da Unidade de Polícia Pacificadora na Rocinha.

“No Brasil, o criminoso identificado como inimigo perde o estatuto da cidadania. Se o Amarildo fosse identificado como traficante, a forma como morreu passaria a não ter mais importância.”

Esse raciocínio é parte do que ele defende em sua tese de doutorado em ciência política, que será apresentada neste mês na UFF (Universidade Federal Fluminense).

delegado Orlando Zaccone
Delegado Orlando Zaccone critica a violência e defende uso de soluções políticas (reprodução)

Nela, argumenta que a alta letalidade da polícia carioca -cujo pico, em 2007, foi de 1.330 pessoas mortas- é legitimada pela sociedade e pelo sistema judicial.

“A polícia mata porque tem autorização do ambiente social. Tortura e execução, da forma como aconteceu com o Amarildo, já foram aplaudidas no cinema, no ‘Tropa de Elite’. Agora teve grito porque nego começou a sentir nas ruas a violência policial. Aí se sensibiliza com o outro.”

Zaccone conversou com a Folha na delegacia de Ricardo de Albuquerque, bairro na divisa com a Baixada Fluminense, a cerca de 40 km do centro do Rio, para onde foi transferido há três semanas, após oito meses como titular da DP da Gávea, na zona sul.

A movimentação foi considerada, tanto internamente quanto nas redes sociais, uma punição por sua atuação no caso Amarildo; ele nega.

“Isso tudo foi especulação, eu até expliquei num post que não havia nenhuma vinculação com o caso Amarildo, até porque eu fui mantido na unidade até a investigação chegar ao fim pela Delegacia de Homicídios. Me considerei prestigiado.”

Onde Zaccone claramente tem prestígio é entre os manifestantes que tomaram as ruas, desde os da Marcha da Maconha até “black blocs”.

“As autoridades ficaram velhacas, cara. Pessoas até mais jovens do que eu, que ascenderam ao poder político, operam como seus avós. A garotada olha para as autoridades e não tem em quem se inspirar, até porque não é ouvida, está descartada do processo político.”

Em sua visão, essa falta de espaço para os jovens foi o que gerou os protestos, que qualifica como “revolta”. Ele critica a maneira como a polícia foi usada e a transformação de “revoltosos em criminosos organizados”, inclusive com o apoio da mídia.

“Quando a polícia vira o primeiro argumento, parceiro, fica difícil. Ela é necessária onde você não pode mais contar com a política. O que faltou foi habilidade política para resolver muitas das questões colocadas.”

Zaccone identifica-se com os jovens também por ter sido manifestante. Ao entrar na PUC Rio em 1982, aos 18 anos, participou de um grupo “que não era ligado a partido, tinha propostas meio anarquistas”.

“A gente pegou o final da ditadura, me lembro de organizar, pelo centro acadêmico, a ida dos alunos à passeata das Diretas Já na Candelária.”

Depois de passagens pelo jornalismo (foi repórter do jornal “O Globo”) e por um templo hare krishna (“Raspei a cabeça, botei saia, fui vender incenso na rua”, diz), fez faculdade de direito e entrou na Polícia Civil em 1999.

Sua formação variada lhe deu um discurso bem articulado, que Zaccone entrega num tom de voz calibrado, citando acadêmicos como Hannah Arendt e Slavoj Zizek.

Deu-lhe também segurança para tocar em assuntos polêmicos com frases que sabe que causarão impacto.

“Cumprir a lei muitas vezes é o que pode ter de pior para a segurança pública, dependendo da lei. No caso das drogas, é uma tragédia”, diz o delegado, membro da ONG internacional Leap(Law Enforcement Against Prohibition), que defende a descriminalização total das drogas.

Em sua opinião, o proibicionismo ajudou a criar a figura do “inimigo matável”: traficantes podem ser executados, com aprovação social e jurídica.

“Traficante tem direito e precisa ter defesa. Agora, quem é que vai ter coragem de falar isso? Imagina, o papa Francisco chegou aqui e falou que os traficantes são mercadores da morte. Por que ele não fala isso em relação ao presidente da Ambev?”

Sua preocupação maior é com o transbordamento do que chama de “Estado policial”, onde quem questiona o “estatuto político-jurídico” passa a ser enquadrado como inimigo –a repressão às manifestações seriam um reflexo disso.

“Temos de começar a pensar numa intervenção mais política no ambiente social, acabar com esse fetiche militarizado de segurança pública para resolver problemas que têm de ser resolvidos na esfera política.”

Marco Antônio Martins, Folhapress