Número oficial de mortos por tufão nas Filipinas supera os 4 mil

Mulher chora ao encontrar os corpos da mãe e da irmã sob escombros no centro de Tacloban, a cidade mais destruída pela passagem do supertufão Haiyan nas Filipinas (Foto: AP Photo/Dita Alangkara)

Mulher chora ao encontrar os corpos da mãe e da irmã sob escombros no centro de Tacloban, a cidade mais destruída pela passagem do supertufão Haiyan nas Filipinas (Foto: AP Photo/Dita Alangkara)

As autoridades das Filipinas elevaram nesta quarta-feira (20) para 4.011 o balanço provisório das mortes provocadas pela passagem do supertufão Haiyan no dia 8 de novembro pela região central do país. De acordo com o novo relatório divulgado pelo Conselho Nacional de Gestão e Redução de Risco de Desastres, além das vítimas fatais, 18.557 pessoas ficaram feridas e 1.602 estão desaparecidas.

Segundo o governo das Filipinas, dos 4.011 mortos, 3.310 viviam na província de Leyte, no leste das Filipinas, a mais atingida pelo tufão. Ainda segundo este novo balanço oficial, um total de 9,9 milhões de pessoas ficaram desabrigadas pelo tufão. Entre elas, 398.377 estão alojadas em 1.526 centros públicos de evacuação.

Pelo menos 323.454 casas ficaram destruídas e outras 324.706 sofreram danos em 574 municípios do país, o que elevou o valor dos prejuízos para mais de 12,2 bilhões de pesos ( o equivalente a R$ 634 milhões). O governo, entidades privadas das Filipinas e ONGs destinaram 387 milhões de pesos (o equivalente a quase R$ 20 milhões) para realizar os trabalhos de resgate e reconstrução nas regiões mais afetadas. Aproximadamente 33,2 mil pessoas foram enviadas para as áreas atingidas pelo Haiyan, além de 1.320 veículos, 107 embarcações e 163 aviões de agências nacionais, locais e estrangeiras.

Doze dias após a passagem do tufão pelo país, cujas rajadas de vento chegaram a 315 quilômetros por hora, a situação das províncias atingidas continua grave, com mortos espalhados pelas ruas e sobreviventes com dificuldade de acesso à águia potável, comida e serviços básicos. Na cidade de Tacloban, a mais destruída pelo Haiyan, a situação é tida como a mais preocupante.

Sobreviventes do tufão Haiyan procuram restos de comida pelas ruas destruídas de Tacloban, nas Filipinas. (Foto: AP Photo/David Guttenfelder)Sobreviventes do tufão Haiyan procuram restos de comida pelas ruas destruídas de Tacloban, nas Filipinas. (Foto: AP Photo/David Guttenfelder)
Sobreviventes do tufão Haiyan caminham em Tacloban, nas Filipinas (Foto: David Guttenfelder/AP)Sobreviventes do tufão Haiyan caminham em Tacloban, nas Filipinas (Foto: David Guttenfelder/AP)
Um sobrevivente do tufão Haiyan cozinha em frente a sua destruída, na vila de Marabut, na Ilha Samar, nas Filipinas. O país tenta se reconstruir após a tempestade devastadora (Foto: David Guttenfelder/AP)Um sobrevivente do tufão Haiyan cozinha em frente a sua destruída, na vila de Marabut, na Ilha Samar, nas Filipinas. O país tenta se reconstruir após a tempestade devastadora (Foto: David Guttenfelder/AP)

Época

Posted on 20/11/2013, in Informativo, Internacional. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: