Daily Archives: 24/10/2013

O fim da desigualdade em Cuba

Unificação monetária anunciada pelo governo cubano deve eliminar desigualdade. Sistema de dupla moeda afeta contabilidade e causa numerosas distorções que complicam qualquer medida econômica; entenda

unificação monetária pesos cuba
Unificação monetária deve eliminar desigualdade em Cuba (Reprodução)

Salim Lamrani*

Em 1993, frente à grave crise econômica que atingiu a ilha depois da desintegração da União Soviética, as autoridades de Havana decidiram legalizar a circulação do dólar estadunidense no país. Era necessário encontrar as divisas indispensáveis para o funcionamento da economia e do comércio e satisfazer as necessidades da população, particularmente no setor alimentício. Assim, duas moedas circulavam no país: o dólar e o peso cubano (CUP).

Em 1994, além do peso cubano e do dólar, o Banco Central de Cuba criou o peso conversível (CUC), com um valor igual ao dólar, o que fez de Cuba o único país no mundo a imprimir duas moedas. O CUC é particularmente usado no turismo e para adquirir produtos de importação. Assim, de 1994 a 2004, circularam três moedas em Cuba, até a desaparição do dólar, em 2004, depois das novas sanções econômicas impostas pela administração Bush. Agora, o peso cubano circula junto com o peso conversível, com uma notável diferença de valor: são necessários 25 CUP para conseguir 1 CUC.

Essa dupla moeda é, então, fonte de desigualdade na nação, na medida em que a imensa maioria da população ativa recebe seu salário em CUP. Uma pequena categoria de cubanos, particularmente os empregados da indústria turística e os que recebem remessas familiares do exterior, têm acesso ao CUC. Essa dualidade monetária tem como consequência levar um número substancial de pessoal qualificado — acadêmicos, médicos, arquitetos, engenheiros — a abandonar sua profissão em benefício de uma atividade mais lucrativa como a de taxista, garçom ou porteiro de hotel.

Por outro lado, esse sistema de dupla moeda afeta a contabilidade nacional e causa numerosas distorções que complicam qualquer medida econômica. Tem um impacto direto na política econômica do Estado e prejudica gravemente o desenvolvimento do país.

O presidente Raúl Castro, consciente dessa realidade, decidiu agir em conformidade. Segundo ele, “o fenômeno da dualidade monetária constitui um dos obstáculos mais importantes para o progresso da nação”. Traçou como objetivo dos principais economistas cubanos a elaboração de uma estratégia econômica e financeira para conseguir a unificação monetária o quanto antes.

No dia 22 de outubro de 2012, em conformidade com o projeto de atualização do modelo econômico que foi adotado pelo VI Congresso do Partido Comunista Cubano, em abril de 2011, o governo de Havana anunciou o lançamento de um processo de unificação monetária. Ainda assim, as autoridades não apontaram precisamente como essa mudança será feita e nem deram um prazo para que isso aconteça. Estas mudanças preocuparão, em um primeiro momento, as empresas e as instituições, antes de se estender por todo o país.

O caráter parcimonioso das informações que as autoridades cubanas proporcionam é explicado pela complexidade do processo de unificação monetária. Para poder aumentar os salários é imprescindível aumentar também a produtividade e a produção. Também é necessário elaborar uma estratégia de substituição de importações, particularmente no setor alimentício, em um país que é mais de 80% dependente das matérias-primas agrícolas produzidas no exterior.

Se a unificação monetária for realizada em boas condições, isto é, com um aumento da produção, da produtividade e dos salários, será possível eliminar a fonte de desigualdade que a dualidade CUP/CUC representa. Também acabará com as numerosas distorções de ordem econômica que uma dupla contabilidade engendra. Mas, obviamente, esta reforma monetária não será fácil.

* Salim Lamrani é Doutor em Estudos Ibéricos e Latino-americanos da Universidade Paris Sorbonne-Paris IV, Salim Lamrani é professor-titular da Universidade de la Reunión e jornalista, especialista nas relações entre Cuba e Estados Unidos. Seu último livro se chama Cuba. Les médias face au défi de l’impartialité, Paris, Editions Estrella, 2013, com prólogo de Eduardo Galeano. (Opera Mundi)

Cinegrafista é humilhado ao vivo por apresentador da Record

Cinegrafista desabafa após ser humilhado ao vivo por apresentador Geraldo Luís, da Rede Record. “Nunca imaginei que pudesse ser tão humilhado profissionalmente e pessoalmente como fui hoje!”

apresentador geraldo luís humilha cinegrafista
Cinegrafista da Record diz que se sentiu humilhado com comentários do apresentador Geraldo Luís (captura de tela)

O cinegrafista Valdeir Tuica, funcionário da Record, desabafou no Facebook após ser humilhado ao vivo na última segunda-feira (21) pelo apresentador Geraldo Luís, no programa ‘Balanço Geral’ de São Paulo. Tudo ocorreu porque Tuica foi substituir um cinegrafista fixo da atração que estava de folga.

‘Quem é você? Nunca vi na minha vida. Você é câmera? Desde quando? Nunca vi esse cara aqui na Record. Estou de olho em você, hein. Num erra senão você vai voltar a filmar casamento. Tá ligado? Cara de morto! O moleque tem cara de quem vende quentinha! E falou que é câmera (risos)’, disse Geraldo, ao vivo.

Ofendido, Tuica desabafou. ‘Nunca imaginei que pudesse ser tão humilhado profissionalmente e pessoalmente como fui hoje! A pessoa com que o apresentador está falando nesse vídeo sou eu… Fiquei muito bravo e chateado, por ser obrigado a passar por essa situação após cinco anos de empresa’, escreveu.

‘Poderia ter batido boca com ele, mas minha falecida mãe e meus irmãos me educaram para ser um homem honrado, e não uma pessoa que necessita pisar na cabeça de alguém para se sentir poderoso, ou engraçado’, justificou. ‘Gostaria de dizer muitas coisas aqui, mas, como sou profissional, não direi mais nada para não perder a razão’.

Vídeo:

Ibope mostra Dilma com 41%, Aécio, com 14% e Campos com 10%

Índice

Mais uma pesquisa eleitoral feita pelo Ibope foi divulgada na tarde de hoje. Dilma Rousseff tem 41% das intenções de voto e venceria no primeiro turno se a eleição de 2014 fosse hoje. Nessa hipótese, Aécio soma 14% das intenções de voto e Campos, 10%. As opções por voto nulo ou branco acumulam 22% e outros 13% disseram que não sabem em quem votar ou não responderam.

As informações são do portal G1.

Em todos os demais cenários, Dilma também venceria no primeiro turno.

 No cenário no qual o candidato do PSB seria a ex-senadora Marina Silva:

– Dilma Rousseff: 39%

– Marina Silva: 21%

– Aécio Neves: 13%

– Brancos/nulos: 16%

– Não sabe/não respondeu: 11%

 No cenário em que o candidato do PSDB é o ex-governador de São Paulo José Serra e o do PSB, Eduardo Campos:

– Dilma Rousseff: 40%

– José Serra: 18%

– Eduardo Campos: 10%

– Brancos/nulos: 19%

– Não sabe/não respondeu: 12%

 Com Marina como candidata do PSB e Serra como candidato do PSDB:

– Dilma Rousseff: 39%

– Marina Silva: 21%

– José Serra: 16%

– Brancos/nulos: 15%

– Não sabe/não respondeu: 10%

Prefeito e quatro vereadores de Tangará se filiam ao PROS

O prefeito de Tangará Alcimar Germano e um grupo de quatro vereadores do município se filiaram ao Partido Republicano da Ordem Social (PROS).

Além da presidente da Câmara, Maria de Eronciano, assinaram ficha de filiação à nova legenda os seguintes vereadores: Ricardo Vicente, Nilson Lima e Wilson Fonseca. O grupo é ligado ao presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado Ricardo Motta.

foto

Governo confirma atraso no pagamento de servidores

ÍndiceO Governo do Rio Grande do Norte confirmou na tarde desta quinta-feira (24) o atraso no pagamento de outubro dos 102 mil servidores.

A expectativa da Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan), com base nos repasses do Governo Federal, é de que 95% dos servidores do funcionalismo estadual  tenham seus salários depositados até o dia 31 de outubro.

Já o restante, 5% dos servidores, deverão receber o salário somente na semana seguinte. O Estado também informou que na próxima segunda-feira (28), em entrevista coletiva em horário a ser definido, o secretário de Estado do Planejamento, Obery Rodrigues, irá se pronunciar oficialmente sobre o assunto.