Daily Archives: 21/10/2013

Teatro Riachuelo apresenta Benito de Paula dia 25 de Outubro

Benito Di Paula (Foto: Mateus Mondini/G1)

25 out

BENITO DI PAULA

Projeto Palco Brasil – Show de Abertura: Fernando Luna

25 de outubro de 2013, sexta 21h

Abertura das portas: 20h
Duração: aproximadamente 120 min.
Classificação: 16 anos*

Benito di Paula, nasceu em Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro, filho de uma família de treze irmãos, herdou de seu pai a influência musical que o levaria a ser um dos nomes fortes do samba feito nos anos 70 e 80. É um dos pais do estilo conhecido como “sambão jóia”.

Jovem ainda, integrou um conjunto como “crooner”, onde se apresentava em bailes estudantis de fins de semana em Nova Friburgo. Desta forma Benito era obrigado a cantar todos os gêneros musicais, desde o samba e o bolero até o rock’n roll.

Até que um dia resolveu se lançar totalmente às suas ambições artísticas, abandonando sua cidade em troca da capital. Nela, Benito Di Paula sofreu muito até conseguir impor o seu trabalho. Mas se o tempo em que ele morou no Morro da Formiga foi um tempo de muita dificuldade financeira, também foi onde Benito manteve contato com sambistas autênticos e somou novas experiências que o levariam a cantar em diversas casas noturnas.

As dificuldades financeiras desta época da carreira de Benito eram devido ao fato de iê- iê- iê estar imperando na terra do samba. Ele não estava disposto a abrir mão de seu estilo. Segundo suas palavras: “Lá, meu camarada, era realmente impossível. O pessoal estava mais interessado no som importado do que no nacional. Era uma luta conseguir tocar e cantar música brasileira e agradar”.

Em seguida, Benito morou durante dois anos na cidade de Santos, no estado de São Paulo, onde pela primeira vez formou seu próprio conjunto. Cantando e tocando piano, Benito apresentou-se em diversas boates, até que, em pouco tempo, conseguiu um contrato com a gravadora Copacabana.

Apesar de um estilo diferente de fazer samba (quase sempre ao piano, com interpretação chorosa ou exaltada e trajando fraque), Benito lançou o estilo “brega-chique”. Ainda não era conhecido pelo público – razão pela qual seu primeiro trabalho nesta gravadora foi produzido com composições de autores consagrados, contando também com quatro músicas de autoria de Benito (“Eu Gosto Dela”, “Preciso Encontrar Você”, “Você Vai Ser Alguém” e “Longe De você”, esta última em parceria com Carlos de Carvalho). Neste L.P., gravado em 15 de fevereiro de 1971, havia sucessos como “Apesar de você”, de Chico Buarque de Hollanda, e composições de Taiguara, Vínicius de Moraes, Tim Maia, Ivan Lins, Paulinho Nogueira, Roberto e Erasmo Carlos.

O segundo LP. de Benito foi “Ela”, também gravado pela Copacabana, mas foi só a partir de seu terceiro trabalho, “Um Novo Samba”, gravado em 1973, é que Benito passou a realmente integrar a restrita galeria de grandes sucessos comerciais, com constantes aparições em programas de tevê e 150 mil cópias vendidas, tendo duas músicas deste disco sido gravado por intérpretes de outros países: sua obra maior “Retalhos de Cetim”, por Paul Mauriat, e “Violão Não se Empresta a Ninguém”, lançado pela global no Japão, com imenso sucesso.

Em 1975, Benito di Paula tem compromissos firmados com o México, Japão, EUA, se apresenta no MIDEM em Cannes, seu LP. É lançado na Argentina com uma vendagem bem acima da esperada e cede uma música sua para o LP de Roberto Carlos, música que fará grande sucesso: “Quero Ver Você de Perto”. Diversos intérpretes brasileiros gravam músicas de autoria de Benito di Paula.

Seu próximo LP, Benito solta-se ainda mais, tendo músicas que aparecem nas paradas de sucesso nessa época, “Meu amigo Charlie Brown”, feita em homenagem ao personagem de Schultz, que era uma de suas leituras prediletas.

Ainda em 1975, Benito passa a apresentar um programa de música verdadeiramente brasileira na televisão, o Brasil Som 75, com uma audiência espetacular.

Este programa gerou um LP, onde Benito e seus convidados cantam uma série de sucessos que perduram até hoje.

Já em 1976, Benito di Paula é sucesso consagrado, apresentando-se na Boate Vivará, no Rio, onde faz um show produzido por Augusto Cesar Vanucci e com orquestrações por Radamés Gnatelli. Este show dura até março de 1977, tendo suas reservas esgotadas com duas semanas de antecipação, Benito se apresenta de terça a domingo, com o Grupo Tempero e uma orquestra de 42 músicos. Seus LPs vendem em média de 600 mil cópias. A Copacabana, gravadora que lançou Benito di Paula, passa a trabalhar 24 horas seguidas para atender aos milhares de pedidos de lojas para serem entregues antes do Natal.

Em 1977, Benito lança um novo LP, novo sucesso de vendagem. O pedido inicial soma mais de 400.000 cópias e benito prepara uma excursão pela Europa, iniciando-se pela Itália. No ano seguinte, seu LP, sai com uma particularidade: pronto para ser prensado na Copacabana, Benito telefona pedindo para incluir mais uma música, “30 anos de saudade”, composta e com arranjos feitos de uma só vez, numa só noite, feita em homenagem aos “Unidos da Saudade”, time de futebol que virou escola de samba.

Compôs diversas trilhas para novelas (Nino, o italianinho, Simplesmente Maria, etc.) e ganhou o prêmio “Chico Viola”, promoção da TV Record com sua música “Faça de mim uma Ilha”.

Figura rara na aparência (smooking, bigodão e costeletas), é fruto de uma safra de sambistas brasileiros que apesar de não trazerem influências diretas do calor do morro, da pureza primitiva, traz um samba bem brasileiro influenciado pelo luxo das casas noturnas das capitais.

  • Teatro RiachueloAvenida Bernardo Vieira, 3775 – Lagoa Nova, Natal – RN, 59051-000, República Federativa do Brasil
  • Ingressos: Ingresso Rápido ou na bilheteria do teatro R$ 120

A saudade eterna de Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito

Índice O pintor, escultor, cantor e compositor carioca Guilherme de Brito Bollhorst (1922-2006), na letra de “Quando Eu Me Chamar Saudade”, parceria com Nelson Cavaquinho, pede aos amigos que façam tudo quanto quiserem fazer por ele, somente enquanto estiver vivo. Este samba foi gravado por Nora Ney no LP “Tire Seu Sorriso Do Caminho, Que Eu Quero Passar Com A Minha Dor”, em 1972, pela Som Livre.

QUANDO EU ME CHAMAR SAUDADE
Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito

Sei que amanhã
Quando eu morrer
Os meus amigos vão dizer
Que eu tinha um bom coração
Alguns até hão de chorar
E querer me homenagear
Fazendo de ouro um violão
Mas depois que o tempo passar
Sei que ninguém vai se lembrar
Que eu fui embora
Por isso é que eu penso assim
Se alguém quiser fazer por mim
Que faça agora
Me dê as flores em vida
O carinho
A mão amiga
Para aliviar meus ais
Depois que eu me chamar saudade
Não preciso de vaidade
Quero preces e nada mais

Qual o medo dos possíveis biografados?

Helio Fernandes

O que pretendem esconder, ou exigem que os biógrafos esqueçam? De qualquer maneira, lutam 24 horas por dia, defendendo uma privacidade que ainda nem foi atingida.

Os mais intransigentes, cometendo até “lapsos de memória”, lutam diariamente protegidos pelos órgãos de comunicação que lhes dão cobertura há quase 40 anos. Uma pena que só agora tenham descoberto a capacidade de lutar.

Na hora em que era preciso lutar pela comunidade, preferiram o “caviar do exílio”. Um ano ou dois lá foram, vieram logo. Tinham a glorificação musical, voltaram também com a glorificação do silêncio confortável.

PROFESSOR PASQUALE

Querem imobilizá-lo ou ridicularizá-lo. Por não ter esclarecido que juízes não PEDEM e sim ORDENAM a prisão de alguém. Vá lá, escreve-se muito mal no Brasil.

Diariamente, jornais escritos e televisões, muitas vezes em manchetes na Primeira, dizem: “O juiz DECRETOU a prisão”. Ora, juiz SENTENCIA e os membros da Justiça colegiada VOTAM. Quem DECRETA É O Executivo.

Jovem com deformações diz que nunca conseguiu emprego; ex pediu aborto

 

Algumas deformações no rosto de uma jovem de Peruíbe, no litoral de São Paulo, fazem com que ela seja alvo de preconceito e de situações humilhantes desde a infância. Dois dentistas de Santos resolveram oferecer tratamento gratuito para ela, mas falta estrutura física para realizar as cirurgias que ela precisa. De acordo com ela, somente assim surgirá a possibilidade de ser aceita em um emprego e ter a sensação de que é uma pessoa normal e que também faz parte da sociedade.

Luciene Anselmo de Faria, de 26 anos, sofre com as consequências de uma má formação no rosto. Ela tem um problema na mandíbula que deixa o seu rosto torto e lhe prejudica no dia a dia. Ela consegue comer mas, como respira apenas pela boca, às vezes, sente falta de ar. Além disso, Luciene nasceu sem uma das orelhas e não escuta nada do lado direito.

Mas o maior problema é a sua aparência. Ela conta que é vítima de preconceito desde a infância. “Minha mãe falou que eu nasci assim. Sou assim desde criança. Eu chorava muito e não queria ira para a escola. As pessoas falavam que eu usava uma máscara de Halloween”, explica.

Mesmo adulta, o preconceito continuou. Ela diz que passa por várias humilhações e nunca conseguiu um emprego por causa da sua fisionomia. “Toda a vez que eu mando currículo, eu vou fazer a entrevista e não consigo entrar por causa do meu problema”, acredita. Antes de se casar com o atual marido, ela engravidou e teve dois filhos, uma menina, que atualmente tem 5 anos, e um menino, de 3 anos. Luciene conta que o pai das crianças a deixou por causa da aparência. “Ele mandou eu tirar o bebê porque pensou que ele ia ficar que nem eu. Depois, ele chegou a conhecer mas eu não deixei registrar”, relata.

Por causa da fisionomia, ela foi procurar um tratamento com especialistas. Marcelo Quintela, professor de ortodontia da Universidade Metropolitana de Santos, conheceu o caso de Luciene há algum tempo. Ele explica que Luciene foi crescendo, mas a mandíbula dela não se desenvolveu. “Ela ficou com uma mandíbula infantil. Alguma coisa aconteceu durante a gestação. É possível que ela tenha tido alguma má formação porque ela também não teve desenvolvimento ouricular”, diz o dentista.

Segundo ele, que vem acompanhando a dificuldade que Luciene tem em encontrar emprego e se relacionar com as pessoas sem sofrer preconceito, seria necessário realizar várias cirurgias. “A primeira para colocar parafusos na mandíbula. Eles são caríssimos, não tem no Brasil. Depois vamos abrindo os parafusos e criando osso entre uma parte e outra da mandíbula. Depois, precisa de aparelho para colocar os dentes no lugar e fazer a segunda cirurgia para ela morder direitinho”, explica. Apenas depois dos procedimentos dentários é que seria analisado a parte da audição de Luciene.

Quintela e os dentistas Almir Lima Junior, também professor da universidade, e Alessandro Silva, especialista em cirurgia bucomaxilar, já estão realizando um tratamento gratuito com Luciene e a preparando para uma cirurgia. “Estamos colocando um aparelho nela para alinhar os dentes superiores e inferiores para quando fazer a cirurgia poder fazer o encaixe deles”, explica Lima. Mas, para ela entrar na mesa de operação, ela precisa de ajuda porque não tem condições financeiras para pagar o material e a estrutura de um hospital.

Os dois dentistas acreditam que a ajuda virá de algum lugar. Quintela conta que, em 2012, uma paciente, também com problemas na mandíbula e que conseguiu realizar o procedimento com a ajuda de um hospital de Santos. Porém, ele disse que a unidade de saúde foi vendida neste ano.  “A gente fez algo semelhante. Consegui centro cirúrgico, material cirúrgico, foi conseguido tudo em uma rede de solidariedade. Era um caso que muito mais ligado a dor, a pessoa não conseguia abrir a boca de jeito nenhum, mas é a mesma situação de carência de Luciene”, lembra. Almir também acredita nessa corrente do bem. “Estamos certos que vamos conseguir ajuda”, diz.

Enquanto isso, Luciene segue a preparação com os dentistas e sonha com dias melhores. “Eu só quero que faça a cirurgia, não quero saber do jeito que vai ser. Mesmo com dificuldades, nunca trabalhei, eu tenho vontade de ter minha independência. Quando as pessoas falam que eu sou feia na frente dos outros eu fico normal, eu não falo nada, depois eu choro. Eu não to feliz, eu tenho vergonha”, disse.

G1

Rosalba confirma que haverá ‘reprogramação’ de calendário de pagamentos até o fim do ano

A governadora Rosalba Ciarlini confirmou que o calendário de pagamentos dos servidores do Rio Grande do Norte precisará passar por reprogramação. A informação foi dada na manhã desta segunda-feira (21), antes do SOS Municípios, encontro de prefeitos com os presidentes da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, e do Senado, Renan Calheiros. Não há, no entanto, a confirmação sobre datas.

Emanuel Amaral

130722Rosalba participa do SOS Municípios

Rosalba voltou a afirmar que a dimininuição dos repasses referentes ao Fundo de Participação dos Estados (FPE) vai demandar a reprogramação. Segundo a governadora, o Executivo aguardava uma melhora no valor dos repasses deste mês. Contudo, houve a frustração de aproximadamente R$ 52 milhões na verba destinada ao Rio Grande do Norte.

Segundo o secretário de Planejamento e Finanças do RN, Obery Rodrigues, as quedas sucessivas no FPE no ano já chegam a R$ 300 milhões no Rio Grande do Norte. Para se pagar a folha mensal do Estado, o custo é de R$ 297,8 milhões.

A governadora Rosalba Ciarlini disse que as reuniões com a equipe técnica do Governo ocorrerão durante a semana e, nos próximos dias, haverá uma definição sobre o calendário de pagamento. (TN)

Médica Kátia Vargas tenta fugir de Hospital em ambulância do SAMU

Médica acusada de matar os irmãos Emanuel e Emanuelle tenta fugir de hospital pelos fundos dentro de uma ambulância do SAMU. Ministério Público diz que médica deverá ser presa quando receber alta

médica kátia vargas assassina
Kátia Vargas deverá ter habilitação cassada. Médica tentou fugir de hospital na noite de ontem, quarta-feira (Reprodução)

A médica Kátia Vargas, que está internada no Hospital Aliança e deve deixar a instituição médica para ir direto à 7ª delegacia prestar depoimento, nesta quinta-feira (17), tentou fugir do hospital. A informação foi dada com exclusividade pela TV Record, no início da noite desta quarta (16).

De acordo com a emissora, a médica tentou deixar o hospital utilizando para isso uma ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência), que deixaria o local pela área de serviço. Ainda não se sabe qual seria o destino da médica, após a fuga. A fuga só não aconteceu por conta do coordenador chefe da vigilância, que proibiu o ato.

Estado de saúde

Numa coletiva de imprensa do Ministério Público, realizada na tarde desta quarta-feira (16), foi apresentado o laudo em que a médica Kátia Vargas aparece bem de saúde e sem indícios que a mantenham internada. Por conta disso, a acusada deve deixar o hospital e sair diretamente para a 7ª Delegacia para prestar depoimento. Em seguida, ela pode ser conduzida ainda para o presídio feminino, que fica no bairro de Mata Escura.

Médica deve receber alta e ser presa, diz MP

Numa coletiva de imprensa do Ministério Público, realizada na tarde desta quarta-feira (16), foi apresentado o laudo em que a médica Kátia Vargas aparece bem de saúde e sem indícios que a mantenham internada no Hospital.

O Ministério Público afirmou que a médica já tem condições de receber alta e pode ser presa a qualquer momento.

Por conta disso, Kátia deve deixar o hospital e sair diretamente para a 7ª Delegacia para prestar depoimento. Ela pode ser conduzida ainda hoje para o presídio feminino, que fica no bairro de Mata Escura.

O caso

A médica oftalmologista Kátia Vargas Leal Pereira, de 45 anos, é acusada de matar os irmãos Emanuel e Emanuella. A moto em que os irmãos estavam, uma Yamaha XTZ (placa NTQ-8040), foi atingida por um Kia Sorento branco (placa NZK-6668), guiado por Kátia. Imagens de câmeras de segurança mostram que a médica dirigia em alta velocidade, o que provocou uma discussão com Emanuel, que chegou a bater com o capacete no capô do Sorento. O advogado da acusada, Vivaldo Amaral, justificou a ação afirmando que a cliente teria “se assustado” com a moto e por isso avançou o sinal antes do acidente.

(ATUALIZAÇÃO) – Médica Kátia Vargas é presa e será denunciada por homicídio triplamente qualificado

A médica Kátia Vargas deixou o Hospital Aliança às 9h15 desta quinta-feira (17), em uma viatura da 7ª Delegacia Territorial (DT/Rio Vermelho). A médica, que estava internada desta a última sexta (11), quando provocou a morte dos irmãos Emanuel, 21, e Emanuelle, 23, em um acidente de carro, não foi algemada.

Segundo o repórter Gil Santos, que acompanhou a saída da oftalmologista, Kátia estava chorando, com o rosto entre as mãos, e segurando um terço. Ela estava acompanhada pela titular da 7ª DT, Jussara Souza, sentada na viatura entre dois policiais, enquanto tentava cobrir o rosto.

Kátia foi encaminhada para o Presídio Feminino, no Complexo Penitenciário da Mata Escura, onde chegou às 9h37, onde deve responder às denúncias presa. O advogado de defesa da médica, Vivaldo Amaral, acompanhou tudo e conversa neste momento com a imprensa. O advogado da família de Emanuel e Emanuelle, Daniel Keller, também está presente no presídio.

Assista abaixo ao vídeo do momento do incidente: