Daily Archives: 20/10/2013

Inspirados em Gonzagão, 25 jovens integram orquestra sanfônica, no RN

#Festa do Boi - Orquestra sanfônica do Museu do Vaqueiro, no RN (Foto: Jocaff Souza/G1)Orquestra sanfônica do ‘Museu do Vaqueiro’ fez apresentação durante a Festa do Boi (Foto: Jocaff Souza/G1)

Resgatar a essência do povo nordestino, cantando em verso e prosa, o dia a dia do vaqueiro e das lavadeiras. As canções do ‘rei do Baião’, Luiz Gonzaga, inspiraram um empresário a formar uma orquestra que utiliza como principal instrumento aquele que representa o lamento e a alegria do homem do campo, a sanfona.

Marcos Lopes, proprietário do ‘Museu do Vaqueiro’, espaço criado na cidade de São José de Mipibu, na Grande Natal, para a preservação das tradições nordestinas, fundou uma orquestra sanfônica exclusivamente com crianças e adolescentes da comunidades rurais do município.

Nesta quinta-feira (17), a orquestra se apresentou durante a Festa do Boi, evento que acontece no Parque de Exposições Aristófanes fernandes, em Parnamirim. Segundo Marcos, a ideia surgiu em 2011 por sua esposa, Odete Mendes Lopes, devido a grande quantidade de jovens que frequentavam o local.

“Tínhamos o espaço, onde aconteciam as pegas (corridas) de boi e shows. Depois, construímos a local que serviria como espaço para o museu. Mas ainda faltava preencher essa lacuna no nosso projeto. Foi então que minha mulher teve a ideia de montarmos uma orquestra, com as crianças e os jovens da comunidade e que já frequentavam o local”, explica Marcos Lopes.

Para integrar a orquestra sanfônica, o interessado precisa estar matriculado em uma escola e ter boas notas. As aulas acontecem às terças e sextas, sempre às 9h. Outro ponto que conta a favor é possuir um sanfona. Contudo, o idealizador do projeto ressalta que o projeto possui diversos instrumentos, justamente para aqueles que não tem como adquiri-lo.

“É importante que o integrante da nossa orquestra tenha uma sanfona, pois facilita muito o seu aprendizado. No entanto, quem não tiver condições de ter uma em casa, também pode participar. Aqui no Museu do Vaqueiro temos algumas a mais”, conta.

No repertório da orquestra, estão canções consagradas como ‘A morte do vaqueiro’, ‘Vozes da Seca’ e ‘Asa Branca’, compostas por Luiz Gonzaga e algumas atuais, como ‘Coração’, do potiguar Dorgival Dantas.

Segundo Marcos Lopes, as letras de Gonzagão mostram o verdadeiro Nordeste, com seus problemas como a seca e falta de comida e assistência à população das áreas mais castigadas pela falta de água.

“As músicas que tocamos mostram os nossos verdadeiros problemas, diferente do que é tocado por algumas bandas que dizem ser de forró. O autêntico forró fala do seu povo, da sua cultura, do vaqueiro, da lavadeira, da seca, da falta de chuva, das colheitas… Essas outras que falam de traição e de temas banais são desprezíveis e sem contexto”, critica.

Encontro com Dominguinhos

A orquestra sanfônica do Museu do Vaqueiro já tocou com vários artistas nordestinos, como Waldonys, Flávio José, Dorgival Dantas, Amazan, Santanna e o saudoso Dominguinhos. Em sua última visita ao Museu do Vaqueiro, o cantor doou uma de suas sanfonas para a orquestra e tocou com várias músicas com o grupo.

#Festa do Boi - Gustavo Henrique da Silva Francisco tocou sanfona com o saudoso Dominguinhos (Foto: Jocaff Souza/G1)Gustavo Henrique  tocou sanfona com o saudoso
Dominguinhos, no RN (Foto: Jocaff Souza/G1)

Um dos aprendizes de sanfoneiro que teve esta oportunidade foi Gustavo Henrique da Silva Francisco, de oito anos. Para ele, tocar com o herdeiro musical do rei do Baião ficou guardado na memória para sempre.

“Tocar sanfona com ele foi uma oportunidade que quase ninguém teve. Fiquei muito feliz quando encontrei ele de pertinho. Foi maravilhoso”, disse o garoto.

A mãe de Gustavo, Kátia Maria da Silva Francisco, disse que o interesse pela sanfona partiu do próprio filho.

“É um orgulho muito grande. Ele foi atrás da sanfona, quando soube da escolinha no museu. É uma satisfação vê-lo tocando tão bem e com um bom conhecimento das músicas”, conta.

Artistas potiguares fazem espetáculo em homenagem a Vinícius de Moraes

Próxima apresentação é dia 25 de outubro, em Natal (Foto: Ebenézer Nóbrega)Próxima apresentação é dia 25 de outubro, em Natal (Foto: Ebenézer Nóbrega)

No ano do centenário de Vinícius de Moraes, o projeto Parcerias Sinfônicas Sesc traz um espetáculo em homenagem ao poeta. ‘Vinicius: uma canção pelo ar…’ é um show cênico-musical que conta com os talentos da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), além dos artistas potiguares  Lysia Condé, Alzeny Nelo, Hilkélia Carlem, Erick Von Sohsten, Rogério Ferraz e Quitéria Kelly.

Até janeiro de 2014, o espetáculo será apresentado gratuitamente em Natal, Mossoró, Caicó e Parnamirim (praia de Pirangi), sendo a próxima apresentação dia 25/10, às 20h, no Anfiteatro da UFRN, na capital potiguar. Em dezembro estão programadas visitas às cidades de Mossoró, onde será apresentado no Corredor Cultural; e Caicó, na Ilha de Sant’Ana. A turnê finaliza na praia de Pirangi (Parnamirim) em janeiro de 2014, encerrando o projeto Circuito Verão 2014.

Homenagem ao eterno ‘poetinha’

Com roteiro dramatúrgico de Danilo Guanais e roteiro de encenação de João Marcelino, ‘Vinícius: uma canção pelo ar…’ divide-se em quatro estações do ano, as quais representam momentos distintos da vida de Vinícius de Moraes e suas parcerias artísticas: Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell e Carlos Lyra. As estações não seguem pela realidade natural, mas transfiguram sua ordem para compor uma atmosfera de sonho, que conduz do inverno (a introspecção de Tom Jobim) ao verão (a espontaneidade de Toquinho), passando pelo outono (a terra, a raiz, Baden Powell) e primavera (a clareza e sedução, Carlos Lyra).

O espetáculo cênico-musical traz à tona as facetas musicais, poéticas e teatrais de Vinicius, com um repertório que inclui clássicos como “A felicidade”, “Soneto de fidelidade”, “Tarde em Itapuã” e “Eu sei que vou te amar”. A parte cênica fica a cargo dos atores Rogério Ferraz e Quitéria Kelly, enquanto as músicas serão interpretadas nas vozes de Lysia Condé, Alzeny Melo, Hilkélia Carlem e Erick Von Sohsten,

Montanhas RN – Estradas da zona Rural do Município tem melhorado significativamente

FRN200000007415Queremos neste momento reportar que estradas na zona rural de Montanhas tem melhorado significativamente e que desde a saída da sede do Município até  aquelas mediações de Sítio Botafogo, Oficina, Serrote e adjacências, tem obtido resultados maravilhosos.

O Prefeito de Montanhas (foto divulgação internet) está utilizando muito bem os equipamentos e máquinas que foram enviadas pelo Governo Federal, parabéns!

Agora pra ficar 100% no tocante as estradas do município, basta apenas, mandar passar as máquinas na estrada do Sítio Campestre e fazer sua conservação, Afinal nós temos ali, exatamente naquela localidade, uma fonte natural de laser. Há quinze dias, naquele feriado de 12 de outubro, estivemos por lá e a dificuldade de acesso era enorme, devido a buraqueira.

Se o Prefeito quiser e mandar melhorar as condições daquela estrada o povo daquela região e de Montanhas agradece, pois os comentários da população local e dos visitantes, durante todo período que estivemos lá, falava-se tão somente da má conservação das estradas, quando se quer fazer, tudo é possível, não é mesmo? Basta querer, e o prefeito certamente quer.

Os brasileiros sabem o que é nacionalismo?

Profa. Guilhermina Coimbra

Claro que sabem. Apesar de não pendurarem nas portas e janelas de suas residências a bandeira do Brasil, os brasileiros são tão nacionalistas quanto os norte-americanos. E apesar de não discriminarem e maltratarem os estrangeiros e os imigrantes, os brasileiros são tão nacionalistas quanto os Europeus.

Os brasileiros, demonstram nacionalismos quando, em consenso, não admitem:

– que, o território do Brasil seja imobilizado, impedido de ser desenvolvido e aproveitado em benefício dos nacionais e estrangeiros residentes no Brasil, sob qualquer pretexto ou “ideologia”;

– que os brasileiros sejam impedidos de explorar as fontes de energia do país, no território do Brasil e em benefício do Brasil;

– que seja exportado além do excedente, os produtos de uma única safra – minérios geradores de energia – sem a necessária e obrigatória reserva para as futuras gerações de brasileiros;

– que, ao serem exportados os excedentes dos minérios do subsolo brasileiro (commodities), não tenham somados aos preços o valor da tecnologia brasileira agregada;

– que aos serem exportados os minérios do subsolo brasileiro, o verdadeiro preço advindo da exportação deixe de enriquecer a caixa do Tesouro Nacional e  vá enriquecer as contas bancárias dos intermediários;

– que a burocracia, a serviço de interesses espúrios, não impeça os brasileiros de explorarem as atividades econômicas que lhes convier, a pretexto de cumprirem códigos, leis estapafúrdias sobre ecologia, meio-ambiente e demais “teses” construídas para bloquear a autonomia dos brasileiros;

– que, as empresas estatais, criadas com o dinheiro deles – contribuintes de fato e de direito de todo o investimento – deixem de remeter lucros para a Caixa do Tesouro Nacional – e privatizadas, passem a remeter apenas tributos, ou seja percentual sobre o lucro (sonegados, etc. etc., dependendo da inteligência e o poder de convencimento os tributaristas que as defendem face ao fisco brasileiro);

– que a receita originária –  o lucro – das estatais brasileiras privatizadas tenham ido enriquecer as caixas dos tesouros de outras nacionalidades;

– que, os funcionários e técnicos dessas empresas, preparados no Brasil e no exterior, à custa do dinheiro dos contribuintes brasileiro, deixem de utilizar o conhecimento adquirido, em benefício do Brasil.

Conclusão: o brasileiro é nacionalista sim, com muita honra sim, e  não concorda com a desnacionalização de suas fontes de riquezas.

Há que se respeitar o nacionalismo brasileiro, amigo e inclusivo de sócios diversificados, porque o nacionalismo brasileiro merece respeito.

Pedro Velho RN – Aniversário do meu Amigo Assis do PT

DSC05016(Foto) Da esquerda para direita: Esposa de Assis, Fagner, Esposa de Fagner, Assis e Esmael Alves

Estive em sua residência hoje juntamente com Josélio Sat e tivemos a oportunidade de parabeniza-lo e ter conhecido outros amigos, onde um dos quais destacamos por estar culturalmente na musicalidade do Rio Grande do Norte, o Cantor e poeta Ismael Alves.

Parabéns Assis e toda sua família por ter nos recepcionado tão bem e sem dúvida, mais tarde estaremos juntos participando e ouvindo a palhinha do grande Ismael Alves.

Outra coisa, obrigado mesmo pela bela planta da mais especial pimenta do seu próprio cultivo.

Valeu!

DSC05015(Foto) Da Esquerda para Direita: Esmael Alves, Ubiratan e Josélio Sat

DSC05014

palmas%20parabens[1]

Romário diz que no Congresso o mal prevalece

Quase três anos após ter sido eleito com mais de 146 mil votos, o deputado federal Romário (PSB) falou ao jornal “O Globo” sobre ter tido “receio de perder a idolatria”, disse que “político só anda se tiver bandeiras”, explicou porque deixou o PSB e voltou menos de dois meses depois, falou em reeleição e disse ter aprendido a “ser político”, concluindo que, no Congresso, “a maioria é do mal”.

“Aprendi a ouvir coisas que não vão beneficiar o povo e a ter que engolir. Voto no que acredito. Mas aqui (no Congresso), o mal prevalece. Compro as brigas que acho que devo comprar, mesmo sabendo que vou perder. No Congresso, a maioria é do mal. A maioria é contrária ao que o povo precisa”, desabafou.

Recém-empossado presidente do PSB no Rio de Janeiro, Romário se divide agora entre o Congresso e a organização do partido no Estado. A presidência foi oferecida a ele para que voltasse ao PSB, depois de ter deixado o partido por incompatibilidade com o ex-presidente da sigla. (transcrito de O Tempo)

Partidos definem critérios para formação de alianças

Os líderes partidários das principais legendas no Rio Grande do Norte já definiram os primeiros critérios para abrir diálogo com vistas a alianças para o pleito 2014. Os Governos Dilma Rousseff e Rosalba Ciarlini servem de divisores para alguns dos partidos.

No caso do PT, por exemplo, alguns dos integrantes da legenda defendem que o partido faça aliança apenas com quem integra o bloco de apoio a reeleição de Dilma Rousseff. Já o PDT, que é da base do Governo Federal, tratará o assunto de forma diferente: a restrição é para os partidos que apoiam o Governo Rosalba Ciarlini.

Júnior SantosAntes de chegar com nomes às urnas, partidos terão que definir novas coligaçõesAntes de chegar com nomes às urnas, partidos terão que definir novas coligações

O Democratas, partido da chefe do Executivo estadual, aposta nas alianças com os “tradicionais” aliados, como é o caso do PMDB e PR. Já os peemedebistas não fazem restrições e anunciam que conversarão com todas as legendas.

O PSB opta por abrir negociação com todos os partidos que são oposição ao Governo Rosalba Ciarlini. A própria líder do PSB, vice-prefeita Wilma de Faria, não fecha as portas para o PT no Estado e acredita que a resolução nacional dos petistas poderá permitir que não se concretize o rigor da verticalização nacional, defendida pela cúpula local petista.

Projeto

Presidente estadual do PMDB, o deputado federal Henrique Eduardo Alves, afirmou que os peemedebistas abrirão conversa apenas quando estiverem com o projeto para o Rio Grande do Norte. “Conversaremos com todos os partidos preferencialmente com os que pensam semelhante a nós no projeto para o Estado”, destacou o parlamentar, ressaltando que a aliança não será obrigatoriamente verticalizada. Henrique Eduardo Alves lembrou o pleito de 2010 quando o então senador candidato a reeleição Garibaldi Filho apoiou a candidata do DEM ao Governo e a presidente Dilma Rousseff. “Dois meses depois (da campanha) Garibaldi estava sendo escolhido como ministro da presidente Dilma, o que mostra que o próprio Governo sabe separar o joio do trigo”, avaliou o presidente estadual do PMDB.

O deputado federal analisou que a chapa majoritária não caberia uma participação do DEM, partido da governadora Rosalba Ciarlini. No entanto, Henrique Eduardo não faz restrição ao Democratas integrar uma aliança proporcional com o PMDB. “Na chapa majoritária não caberia uma participação do DEM, já que nos afastamos do seu governo. Mas não impediria que na proporcional pudéssemos nos coligar”, comentou o parlamentar federal.

O ministro da Previdência, Garibaldi Filho, um dos principais líderes do PMDB no Rio Grande do Norte, segue tom semelhante ao do deputado Henrique Eduardo Alves. Em recente entrevista, ele afirmou que os peemedebistas só discutirão alianças com partidos que  não estejam apoiando a governadora Rosalba Ciarlini.

O ministro, inclusive, não descartou a aliança com o Democratas, mas desde que o partido não apóie a chefe do Executivo estadual.

As referências
Partidos procuram definir orientações mínimas

PMDB
Mantém o diálogo com todos os partidos. Não restringirá conversas a apenas os partidos da base do Governo Federal.

DEM
Priorizará alianças com tradicionais aliados, como PMDB e PR.

PT
Restrição: partidos que não apoiam a reeleição da presidenta Dilma Rousseff.

PSB
Fará aliança com todos os partidos de oposição ao governo Rosalba Ciarlini.

PSD
Restrição: não se coligará com quem for contrário à reeleição da presidenta Dilma.
Não se coliga com partido de apoio ao governo Rosalba.

PDT
Restrição: partidos que apoiam o governo Rosalba Ciarlini.

Via Tribuna do Norte

SUS paga 201 consultas no mesmo dia para paciente

Em um único dia, um paciente “conseguiu ser atendido” 201 vezes em uma clínica de Água Branca, no Piauí. A proeza não parou por aí -o valor das duas centenas de consultas foi cobrado do SUS. O mesmo local cobrou tratamentos em nome de mortos.

Casos assim explicam como, em cinco anos, cerca de R$ 502 milhões de recursos públicos do SUS foram aplicados irregularmente por prefeituras, governos e instituições públicas e particulares.

Esse meio bilhão, agora cobrado de volta pelo Ministério da Saúde, refere-se a irregularidades identificadas em 1.339 auditorias feitas de 2008 a 2012 por equipes do Denasus (departamento nacional de auditorias do SUS) e analisadas uma a uma pelaFolha.

Um dos problemas mais frequentes são os desvios na aplicação de recursos -quando o dinheiro repassado a uma área específica da saúde é aplicado em outro setor, o que é irregular.

Também há casos de equipamentos doados e não encontrados, cobranças indevidas, problemas em licitação e prestação de contas, suspeitas de fraudes e favorecimentos.

Com o valor desviado, por exemplo, poderiam ser construídas 227 novas UPAs (unidades de pronto atendimento) ou, ainda, 1.228 novas UBS (unidades básicas de saúde). O orçamento do ministério em 2012 foi de R$ 91,7 bilhões.

Para burlar as contas do SUS, gestores falsificam registros hospitalares ou inserem em seus cadastros profissionais “invisíveis”.

Em Nossa Senhora dos Remédios, também no Piauí, de 20 profissionais cadastrados nas equipes do Programa Saúde da Família, 15 nunca haviam dado expediente.

Em Ibiaçá (RS), remédios do SUS foram cedidos a pacientes de planos de saúde.

Felix Lima/Folhapress
Pacientes aguardam atendimento no hospital municipal de Miranda do Norte (MA)
Pacientes aguardam atendimento no hospital municipal de Miranda do Norte (MA)

As íntegras desses e de outras centenas de auditorias estão disponíveis no site do Denasus. Mas, para ter acesso às fiscalizações, a Folha pediu dados ao governo federal via Lei de Acesso à Informação.

A maior parte dos desvios foi constatada em auditorias cuja principal responsável pela gestão dos recursos era a prefeitura (73% do valor), seguido dos Estados (15%). O restante é dividido em clínicas particulares, instituições beneficentes e farmácias.

Das 1.339 auditorias analisadas pela Folha, 113 têm o ressarcimento calculado em mais de R$ 1 milhão cada.

Para o Ministério da Saúde, a soma das irregularidades das auditorias pode ser ainda maior, devido a novos relatórios complementares dos últimos meses.

Folha Express

População interdita BR-230 e PRF orienta motoristas a pegar rotas alternativas

Protesto é devido aos acidentes no local

A população do Distrito de Cajá, município de Caldas Brandão a 123Km de João Pessoa, interditou a BR-230, após um protesto que teve início às 10h deste sábado (19).

De acordo com o inspetor Anderson Poddis, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a rodovia está interditada.

Poddis revelou que o protesto foi motivado após um acidente ocorrido na manhã deste sábado, onde uma pessoa veio a falecer no local. O inspetor não soube informações detalhes do acidente. Os moradores também reclamam dos constantes acidentes no local.

Ainda de acordo com o Anderson Poddis, agentes da PRF estão no local para orientar os motoristas a desviar da manifestação para evitar congestionamento. Os manifestantes atearam fogo em pneus e madeiras. Pedras e galhos de árvore foram utilizados para interditar o trânsito.

“Quem estiver vindo de Campina Grande, o condutor deve entrar no acesso a Itabaiana, pega a estrada de Pilar e sair em Café do Vento. Quem trafegar no sentido João Pessoa/ Campina Grande, a PRF orienta o motorista a entrar em Sapé e sair em Guirinhém, que liga a outro trecho da BR-230”.
A BR-230 está interditada nos dois sentidos Foto: a BR-230 está interditada nos dois sentidos