Daily Archives: 16/10/2013

Montanhas RN – Vereadores fazem reunião com os comerciantes e lideranças agora a noite sobre segurança pública

seguranca 234

Essa atitude dos Vereadores de Montanhas em reunir os comerciantes do município para viabilizar uma condição melhor para trabalhar com mais segurança, realmente tem os aplausos da população.

Até que enfim alguma coisa está se fazendo em nossa cidade, se não resolver o problema, mas pelo ao menos está se tentando encontrar um caminho para que tanto o comércio quanto as pessoas possam se orgulhar de estar bem, ou conviver com dignidade na cidade onde reside e mostrar segurança para os visitantes que aqui diariamente nos visitam.

Esta quarta-feira (16) marca um instante bastante louvável para com os Vereadores de nosso município, trabalhar a ideia de segurança pública não é fácil, todos nós sabemos, mas devemos entender que pra se começar algo é preciso dar o primeiro passo, sem ele nada é possível. Segurança Pública é um processo sistêmico, pois dependem de decisões rápidas e medidas saneadoras para resultados imediatos.

Sendo a ordem pública um estado de serenidade, apaziguamento e tranquilidade pública, em consonância com as leis, os preceitos e os costumes que regulam a convivência em sociedade, e a preservação deste direito do cidadão só será amplo se o conceito de segurança pública for aplicado.

Pensando assim, é necessário integrar, organizar e desenvolver ações de fortalecimento comunitário, essa iniciativa para formação de prevenção da violência precisa da união e interação dos setores públicos competentes envolvidos direta ou indiretamente com a segurança pública, e essa reunião vai respaldar ou tentar contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas em nosso município.

Parabéns aos Vereadores de Montanhas e muita Paz aos nossos Munícipes.

images

Montanhas RN – Processo contra o Prefeito Algacir está na pauta para julgamento em 22/10/2013 no TRE

1371217_528569087234777_846919083_n 111

Processo movido pela Coligação Força do Povo (PT, PMDB, PR e PSB) Maria Eliete Coutinho Bispo e Jair Farias de Oliveira, contra o Prefeito da cidade de Montanhas tem data com Despacho determinando publicação de pauta para o dia 22.10.2013 no TRE RN.

Oportunamente o Processo:   RCED Nº 56714 – RECURSO CONTRA EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA da 12ª ZONA ELEITORAL Nº ÚNICO:   56714.2012.620.0012  MUNICÍPIO:   MONTANHAS – RN N.° Origem: PROTOCOLO:   952912012 – 21/12/2012. Site  http://www.tre-rn.jus.br/

Trata-se de Recurso Contra Expedição de Diploma pelo fato do Sr. Algacir Januário ter abandonado o cargo que exercia como Agente Administrativo na Prefeitura Municipal de Montanhas. Afirmam os recorrentes.

Confira na íntegra toda movimentação do Processo clicando AQUI, para o acesso basta ir no acompanhamento processual e push, item partes, digitar o nome da parte e depois pesquisar no TRE que a página direcionará para informações com mais detalhes.

Repórter do CQC apanha da torcida do São Paulo assista ao vídeo

Joguem fora as velhas pesquisas. Vem aí Joaquim Barbosa, cada vez mais candidatíssimo ao Planalto.

Carlos Newton

Ele não sai dos holofotes da imprensa, está cada vez mais disponível, não pode ver um jornalista que sai logo dando declarações, e o assunto nem interessa. Na segunda-feira, no Rio, deu um show na PUC, como principal convidado da 8ª Conferência Global de Jornalismo Investigativo, pois é claro que o candidato Joaquim Barbosa não poderia perder uma oportunidade como esta.

Perguntaram se ele pretende continuar ministro do Supremo até a idade limite, Barbosa foi franco: “Acho difícil, acho muito difícil…” – admitiu, acrescentando: “Eu não tenho, no momento, nenhuma intenção de me lançar à Presidência da República. Mas pode ser que no futuro, a médio prazo, eu tenha tempo para pensar sobre isso”. Por fim, declarou-se favorável ao lançamento de candidaturas independentes, como no tempo de Ruy Barbosa.

As declarações do presidente do Supremo precisam de tradução simultânea ou estão suficientemente claras?

Quando Barbosa diz que não tem intenção “no momento”, está se referindo ao dia de hoje. Quando admite ser candidato “no futuro, a médio prazo”, ele está sinalizando que só vai se declarar candidato em 5 de abril de 2014, quando termina seu prazo fatal para se filiar a algum partido e concorrer à eleição. E quando defende candidaturas independentes, isso significa que preferiria disputar a sucessão assim, sem precisar de partido político.

LULA CHEIO DE VONTADE

Do outro lado da Praça dos Três Poderes, a presidente Dilma Rousseff vê Lula crescendo no retrovisor e já pode até sentir o bafo no cangote. O ex-presidente concedeu entrevista de 34 minutos ao site Carta Maior. Sua declaração mais importante foi a seguinte:

“Eu estou aqui e com mais vontade do que nunca”, disse Lula, que também exaltou as manifestações de rua: “Tudo o que eu fiz foi nas ruas, com megafone na mão e em cima de carro de som”. Disse que é salutar o povo querer mais e cabe ao governo dar conta das demandas.

Precisa traduzir?

TCE condena ex-prefeito de Canguaretama a restituir R$ 4,5 milhões aos cofres públicos

ÍndiceO Tribunal de Contas do Estado (TCE) condenou o ex-prefeito de Canguaretama, Edmilson Faustino dos Santos, a devolução de R$ R$ 4,5 milhões por irregularidades nas contas do município do ano de 2008, processo nº 3345/2009-TC.

A decisão foi tomada pela Segunda Câmara de Contas ao analisar voto do conselheiro convocado Marco Montenegro, que aprovou o resultado da Inspeção Extraordinária constituída para analisar a situação do município, em relação à Lei de Responsabilidade Fiscal, do FUNDEF e despesas ordinárias.

O corpo Técnico do TCE, analisando a matéria, encontrou irregularidades como pagamentos sem determinação específica na compra de alimentos no valor de R$ 181,5 mil e na aquisição de material esportivo no total de R$ 7,7 mil ; omissão ao dever legal de prestar contas; falta de documentação para habilitação em licitação; fracionamento ilegal de despesas na aquisição de material gráfico no montante de R$ 8 mil.

O ex-prefeito também operou recursos alheios ao FUNDEF no valor de R$ 158,2, sendo tais gastos referentes à aquisição de material de doação, de alimentos, material para bandas dos Distritos, Construção de Centro de Informática e, aquisição de equipamentos para a Secretaria de Meio Ambiente. Tais despesas não atendem ao interesse do FUNDEF.

O que ainda chamou a atenção do Corpo Técnico é a total ausência de comprovação na aplicação do FUNDEF, no montante de R$ 1,5 milhão, além de R$ 2,7 milhões lançamentos a débito sem documento comprobatório de despesas. Também ficou detectado ausência de parecer anual do Conselho de Acompanhamento do Fundo, e possível prática de crimes e/ou atos de improbidade administrativa. A prestação de contas apontou ainda despesas com multas e juros no valor de R$ 19 mil por atraso nos pagamentos e a emissão de cheques sem previsão de fundo. (TN)

Biografias: Chico Buarque ironiza críticas de que seria censor

Chico Buarque sai em defesa da preservação da privacidade contra a publicação de biografias não autorizadas e ironiza críticas de que seria censor.

chico buarque biografias
Chico Buarque rechaça acusações de censura (Arquivo)

Em artigo no jornal O Globo, Chico Buarque defende a preservação da privacidade contra a publicação de biografias não autorizadas: “Nos anos 70 a TV Globo me proibiu. Foi além da Censura, proibiu por conta própria imagens minhas e qualquer menção ao meu nome. Amanhã a TV Globo pode querer me homenagear. Buscará nos arquivos as minhas imagens mais bonitas. Escolherá as melhores cantoras para cantar minhas músicas. Vai precisar da minha autorização. Se eu não der, serei eu o censor”.

Leia abaixo o artigo completo.

Penso eu

Pensei que o Roberto Carlos tivesse o direito de preservar sua vida pessoal. Parece que não

Pensei que o Roberto Carlos tivesse o direito de preservar sua vida pessoal. Parece que não. Também me disseram que sua biografia é a sincera homenagem de um fã. Lamento pelo autor, que diz ter empenhado 15 anos de sua vida em pesquisas e entrevistas com não sei quantas pessoas, inclusive eu. Só que ele nunca me entrevistou.

O texto de Mário Magalhães sobre o assunto das biografias me sensibilizou. Penso apenas que ele forçou a mão ao sugerir que a lei vigente protege torturadores, assassinos e bandidos em geral. Ele dá como exemplo o Cabo Anselmo, de quem no entanto já foi publicada uma biografia. A história de Consuelo, mulher e vítima do Cabo Anselmo, também está num livro escrito pelo próprio irmão.

Por outro lado, graças à lei que a associação de editores quer modificar, Gloria Perez conseguiu recolher das livrarias rapidamente o livro do assassino de sua filha. Da excelente biografia de Carlos Marighella, por Mário Magalhães, ninguém pode dizer que é chapa-branca. Se fosse infamante ou mentirosa, ou mesmo se trouxesse na capa uma imagem degradante do Marighella, poderia ser igualmente embargada, como aliás acontece em qualquer lugar do mundo. Como Mário Magalhães, sou autor da Companhia das Letras e ainda me considero amigo do seu editor Luiz Schwarcz. Mas também estive perto do Garrincha, conheci algumas de suas filhas em Roma. Li que os herdeiros do Garrincha conseguiram uma alta indenização da Companhia das Letras. Não sei quanto foi, mas acho justo.

O biógrafo de Roberto Carlos escreveu anteriormente um livro chamado “Eu não sou cachorro não”. A fim de divulgar seu lançamento, um repórter do “Jornal do Brasil” me procurou para repercutir, como se diz, uma declaração a mim atribuída. Eu teria criticado Caetano e Gil, então no exílio, por denegrirem a imagem do país no exterior. Era impossível eu ter feito tal declaração. O repórter do “JB”, que era também prefaciador do livro, disse que a matéria fora colhida no jornal “Última Hora”, numa edição de 1971. Procurei saber, e a declaração tinha sido de fato publicada numa coluna chamada Escrache. As fontes do biógrafo e pesquisador eram a “Última Hora”, na época ligada aos porões da ditadura, e uma coluna cafajeste chamada Escrache. Que eu fizesse tal declaração, em pleno governo Médici, em entrevista exclusiva para tal coluna de tal jornal, talvez merecesse ser visto com alguma reserva pelo biógrafo e pesquisador. Talvez ele pudesse me consultar a respeito previamente e tirar suas conclusões. Mas só me procuraram quando o livro estava lançado. Se eu processasse o autor e mandasse recolher o livro, diriam que minha honra tem um preço e que virei censor.

Nos anos 70 a TV Globo me proibiu. Foi além da Censura, proibiu por conta própria imagens minhas e qualquer menção ao meu nome. Amanhã a TV Globo pode querer me homenagear. Buscará nos arquivos as minhas imagens mais bonitas. Escolherá as melhores cantoras para cantar minhas músicas. Vai precisar da minha autorização. Se eu não der, serei eu o censor.

Pragmatismo político