Daily Archives: 13/10/2013

Vítima filma roubo de sua própria moto e mostra PM atirando em ladrão enquanto ele tentava fugir

Sabe aqueles motoqueiros que filmam o caminho com uma camera no capacete?

Então o cara tava de boa quando de repente chega 2 assaltantes um deles apontando uma arma e obrigando ele entregar sua Hornet… veja o que acontece:

Segundo a descrição do vídeo o bandido não morreu.

Câmara dos Deputados abre novo concurso em breve; salários de mais de R$ 7 mil

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) deste dia 10 extrato de dispensa de licitação para a abertura de um novo concurso da Câmara dos Deputados. A instituição favorecida foi a Fundação Universidade de Brasília (Cespe/UnB). O contrato oficializando a organizadora, última etapa antes do lançamento do edital, deve ser publicado nas próximas semanas. Mais informações sobre o concurso serão divulgadas em breve.

Os últimos concursos da Câmara foram abertos em 2012, para os cargos de técnico e analista legislativos, totalizando 172 vagas para os níveis médio/técnico e superior. Os salários oferecidos variaram de R$7.438,62 a R$14.825,69. Além das funções oferecidas nos últimos concursos, desde 2011, a Câmara planeja seleção para os cargos de agente e delegado da Polícia Legislativa.

Exército dos EUA tentou criar uma ‘bomba gay’: entenda o funcionamento

Fonte da imagem: Reprodução/Web Archive

A frase “faça amor, não faça guerra” parece ter inspirado os militares norte-americanos na década de 1990. Isso porque o Pentágono chegou a considerar – e até mesmo a financiar estudos que visavam desenvolver a chamada “bomba gay”.

A ideia surgiu após a iniciativa de se desenvolver armas não-letais para que fossem utilizadas nos mais diversos conflitos. No programa, alternativas também polêmicas teriam aparecido, como algumas que atrairiam insetos, enquanto que outras fariam os soldados inimigos terem alguns problemas com flatulência.

Segundo os Estados Unidos, “o Departamento de Defesa está sempre comprometido em identificar, pesquisar e desenvolver armas não-letais que possam dar suporte aos nossos homens e mulheres de uniforme”.

A “bomba gay”, no entanto, foi o que realmente chamou a atenção. Com uma proposta formulada em 1994, os responsáveis pelo projeto seriam os cientistas do laboratório Wright, do Exército do Ar alocado em Dayton, Ohio. Eles, inclusive, solicitaram na época um orçamento de nada menos do que US$ 7,5 milhões para desenvolver esta bomba (além de algumas outras ideias, como as citadas acima).

Como funcionaria?

Ela seria constituída de algum produto químico, talvez uma grande concentração de feromônios masculinos, por exemplo. O artefato, segundo o relatório apresentado junto com a proposta “conteria um químico que tornaria os soldados inimigos gays, fazendo com que as unidades se desmantelassem uma vez que os combatentes se tornariam irrestívelmente atraentes uns para os outros”.

O projeto foi mantido em segredo por muitos anos, até que em 2004, os pesquisadores do Sunshine Project, uma associação que luta contra o uso dearmas biológicas, encontrou os documentos que indicavam o desenvolvimento da tal “bomba gay”.

De início, o exército dos Estados Unidos negou a ideia. O tenente-coronel Brian Maka, por exemplo, veio a público e afirmou que “o Departamento de Defesa jamais incentivou tal conceito e nenhum financiamento foi aprovado pelo Pentágono”.

Isso, no entanto, caiu por terra depois de alguns documentos terem sido revelados, como a própria proposta feita pelo laboratório Wright e que era denominada como “Harassing, Annoying and ‘Bad Guy’ Identifying Chemicals” (algo como “Químicos capazes de incomodar, molestar e identificar ‘caras malvados’”).

Assim, novas declarações partindo do Pentágono tomaram outro rumo, dizendo que o estudo até pode ter sido considerado, mas por um breve período de tempo. Segundo o Sunshine Project, no entanto, os militares chegaram a enviar o projeto para ser examinado pelos melhores cientistas do país para ser considerado. Os resultados não devem ter sido bons, uma vez que um documento citando apenas que “novas descobertas são necessárias” também foi encontrado.

Prêmios e homenagens!

Além de manchar um pouco mais a imagem do exército dos Estados Unidos perante a opinião pública mundial, o projeto também rendeu muitas outras coisas. O laboratório Wright, por exemplo, ganhou o prêmio Ig Nobel em 2007 graças a essas pesquisas.

Segundo o O Estado de São Paulo, em matéria do mesmo ano, “ninguém das forças armadas dos Estados Unidos que realizou a pesquisa sobre a ‘Bomba gay’ compareceu à cerimônia porque os autores do estudo não puderam ser localizados, disseram os organizadores do Ig Nobel”.

Além do prêmio, o suposto artefato também rendeu um musical, sugestivamente intitulado “Gay Bomb – The Musical”, uma peça teatral que deve combinar muito mais com os propósitos do amor do que uma bomba qualquer.

Mega Curioso

Saiu concurso para nível superior na presidência da República, salários de até R$6.130

A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR)inicia concurso para preenchimento de 10 vagas para nível superior. São seis vagas para engenheiro civil, duas para engenheiro elétrico e duas para arquiteto. A carga é de 40 horas semanais. Um dos grandes atrativos do concurso é a remuneração de R$6.130 para todos os cargos.

Há chances de outros candidatos aprovados serem convocados durante a validade do concurso, que é de um ano. O regime de contratação é o celetista. As inscrições podem ser feitas até o dia 24 de outubro, pela página do IBFC, mediante pagamento de uma taxa de R$85. Aos interessados em pedir isenção, o requerimento deve ser feito até o dia 15 de outubro. O resultado da análise será divulgado no dia 16 de outubro, e o candidato com pedido negado pode interpor recurso entre os dias 17 e 18 de outubro.

Os candidatos passarão por prova objetiva, discursiva e avaliação de títulos. Os exames serão realizados em Brasília/DF. Os locais, horário e salas poderão ser visualizados a partir do dia 4 de novembro. A avaliação objetiva, que tem data prevista para o dia 10 de novembro, será composta por questões de Língua Portuguesa, Legislação, Informática e Conhecimentos Específicos, totalizando 90 pontos.

Anexos

Título Data Tipo

11/10/2013 PDFf

Folha Dirigida

Dilma fica com maior parte dos votos se Marina desistir

Quem ficaria com a maior parte dos votos de Marina Silva (PSB), a mais competitiva adversária da favorita Dilma Rousseff, caso a ex-ministra realmente não concorra à Presidência no ano que vem? Resposta: Dilma Rousseff.

A constatação pode ser feita a partir do cruzamento de dados da pesquisa Datafolha realizada na sexta-feira.

Segundo a apuração do instituto, 42% dos eleitores que declaram voto em Marina passam a votar em Dilma num dos cenários em que a ex-ministra não consta como opção.

O senador Aécio Neves (PSDB) herda 21% dos votos marineiros. E o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) -aquele que teria o apoio formal de Marina na hipótese de sua ausência-, fica com 15%.

Aécio e Campos são considerados hoje os mais prováveis adversários de Dilma no ano que vem, já que têm interesse em concorrer e controlam seus respectivos partidos.

Numa disputa com esses dois nomes, Dilma seria reeleita presidente no primeiro turno com 42% dos votos totais. Aécio alcançaria 21%, Campos marcaria 15%.

Nas duas simulações feitas pelo Datafolha em que Marina aparece na disputa, a eleição iria para o segundo turno. Com até 29% das intenções de voto, ela é a rival mais forte de Dilma até o momento.

Marina, porém, fracassou ao tentar montar seu próprio partido a tempo de disputar a eleição de 2014. Sem a Rede Sustentabilidade apta, acabou filiando-se ao PSB de Campos, movimento considerado o mais surpreendente da cena política em 2013.

O Datafolha também investigou para onde vão os votos de Marina caso a disputa fique entre Dilma, Campos e o ex-governador de São Paulo José Serra, eventual candidato do PSDB no lugar de Aécio.

O padrão de migração dos votos marineiros nesse caso é parecido com o do cenário anterior. Dilma herda 40%; Serra, 25%; Campos, 15%.

Para chegar a esses números, o Datafolha ouviu 2.517 eleitores em 154 municípios do país, o que resulta numa margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

REPERCUSSÃO

Apesar de ter dominado o noticiário político dos últimos dias, a filiação de Marina Silva ao PSB é ignorada por mais da metade dos brasileiros.

Segundo o Datafolha, 48% dizem que ficaram sabendo do assunto. Só 14%, porém, afirmam estar bem informados a respeito. Outros 23% declaram-se mais ou menos informados. E 11% ouviram falar, mas admitem que estão mal informados.

Com isso, o maior grupo de eleitores (47%) não se sente capaz de avaliar se Marina Silva agiu bem ou mal ao aderir ao partido de Campos. Mesmo assim, muitos opinaram. Para 37%, Marina agiu bem; 17% acham que agiu mal.

A aprovação à nova filiação de Marina foi bem maior entre os homens do que entre as mulheres. Para 43% deles, Marina agiu bem. Entre elas, a aprovação foi de 31%.

Apesar do bom desempenho em intenções de voto, Marina tem baixa capacidade de transferência, na comparação com o ex-presidente Lula. Apenas 11% dos eleitores doBrasil dizem que votariam “com certeza” num candidato apoiado por Marina. Lula é o campeão absoluto por esse critério, com 38%.

Serra e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) também conseguem resultados melhores que o de Marina nesse ponto. Há 15% que votariam com certeza em alguém apoiado por Serra. E 12% no caso de FHC.

Aécio, porém, não deve se animar com isso. O motivo é a rejeição que os dois tucanos podem carregar. Quase 60% afirmam que não votariam num nome apoiado por FHC. Com Serra, o índice é de 54%.

Editoria de Arte/Folhapress

Folha de São Paulo