Daily Archives: 20/03/2013

Foto dos suspeitos de matarem os dois jovens em Espírito Santo/RN

A Polícial Cívil divulgou a foto dos suspeitos presos pelo  duplo homicídio na cidade de Espírito Santo, incluindo um jovem filho de um vereador daquela cidade.

José Carlos de Souza, 23 anos, é suspeito de ser o mandante do crime, enquanto que Adriana Helena de Souza, de 26 anos, é suspeita de executar o duplo homicídio.

Os suspeitos foram presos na tarde desta terça-feira (19), em operação conjunta das Polícias Militar e cívil na cidade de Goianinha.

Fonte: Nova Cruz Oficial

As imagens do dia para uma possível reflexão clique aqui para conferir

Presidente da Câmara pede saída de Marco Feliciano. Pastor abandona audiência

feli27-300x300O presidente da Câmara, Henrique Alves (esq.) conversa com o líder do PSC, André Moura (dir.)

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), se reuniu na tarde desta quarta-feira (20) com o líder do PSC, André Moura (SE), para discutir sobre a situação do deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), atual presidente da Comissão de Direitos Humanos da Casa.

Segundo Moura, o presidente da Câmara fez um apelo para que o deputado renuncie ao cargo na comissão, voltada à defesa das minorias. Feliciano é alvo de protestos pelo país em razão de declarações consideradas homofóbicas e racistas.

O líder do PSC se comprometeu com Henrique Alves a conversar com o pastor sobre a possibilidade de ele deixar o comando da comissão.

“O presidente [Henrique Alves] fez um apelo para que a gente converse com o pastor Marco Feliciano e analise a possibilidade de ele deixar a presidência da comissão. Vamos cumprir o apelo do presidente. Vamos conversar com o pastor e fazer uma avaliação das manifestações externas e das ponderações do presidente da Casa”, relatou Moura após a conversa com o presidente da Câmara.

Após mais uma sessão conturbada nesta quarta na Comissão de Direitos Humanos, Henrique Alves procurou o líder do PSC na cafeteria do plenário da Câmara. Na ocasião, André Moura conversava com jornalistas sobre a situação do pastor de São Paulo.

Um assessor de Moura o chamou em meio aos repórteres para avisar que o presidente da Casa queria conversar com ele. Henrique Alves, então, adentrou no recinto cercado de seguranças e se reuniu com o deputado do PSC em um corredor da sala de lanches. Eles conversaram reservadamente durante cerca de 10 minutos.

Ao se retirar da cafeteria, Henrique Alves evitou a imprensa. O peemedebista se limitou a avisar que Feliciano “ainda” não havia renunciado ao posto.

Todos ligados pela #Força de Dominguinhos

Emílio Santiago: “sorriso e gargalhada únicos” interrompidos aos 66 anos

Fagner ressaltou a alegria de Emílio Santiago (foto) Foto: Divulgação        Fagner ressaltou a alegria de Emílio Santiago (foto) Clique aqui para assistir ao vídeo
Foto: Divulgação

O cantor Fagner esteve no velório de Emílio Santiago, na tarde desta quarta-feira (20), e lamentou a morte do amigo, ocorrida devido a complicações causadas por um AVC (Acidente Vascular Cerebral) isquêmico. Emílio estava internado desde o dia 7 de março no Hospital Samaritano, no bairro de Botafogo, Rio de Janeiro.

“Uma grande perda, não só pela música, mas pela figura humana. Era uma grande figura, com um sorriso e uma gargalhada únicos. Vai deixar um vazio para os amigos”, disse ele.

Em seguida, Fagner elogiou a carreira artística de Emílio Santiago. “Era uma voz única. O Nat King Cole brasileiro. Uma voz aveludada, doce. E sempre preocupado com o repertório, em interpretar boas canções”, afirmou.

​De advogado a cantor de MPB

Emílio Santiago nasceu no Rio de Janeiro, no dia 6 de dezembro de 1946. Apesar de ser formado pela Faculdade Nacional de Direito, a música sempre falou mais alto em sua vida. No ínicio, foi influenciado por cantores como Nelson Gonçalves, Cauby Peixoto e Anísio Silva. Depois, deixou-se levar pela bossa nova e a voz e violão do ícone João Gilberto.

Relembre trajetória de Emílio Santiago na música brasileira

Ainda na faculdade, começou a cantar em festivais e participou do programa de calouros A Grande Chance, apresentado por Flávio Cavalcanti, que o levou a gravar o primeiro compacto: Transas de Amor. Em 1975, gravou seu primeiro disco, intitulado Emílio Santiago, que o levou a ser conhecido nacionalmente. Em 1982, venceu o festival MPB Shell, da TV Globo, cantando Pelo Amor de Deus.

Chegou a cantar em diversos bares e casas noturnas no Rio de Janeiro e em São Paulo e, em 1985, foi escolhido como melhor intérprete no Festival dos Festivais, da TV Globo. Três anos depois, recebeu o convite de Roberto Menescal e Heleno Oliveira para fazer o primeiro disco da série Aquarela Brasileira, releitura de músicas clássicas da cultura brasileira. O projeto de sete discos foi um sucesso imediato e a série ultrapassou a marca de quatro milhões de cópias vendidas.

Apresentou-se na Europa e nos Estados Unidos e chegou a ser comparado a Johnny Mathis pelo crítico Stephen Holden, do New York Times, que o viu certa vez en um show no Ballroom, em Nova York. Em 2000, assinou com a Sony Music e gravou Bossa Nova, uma grande regravação de clássicos do gênero.

No ano seguinte, gravou Um sorriso nos lábios, tributo a Gonzaguinha e João Donato. O último disco de Emílio Santiago foi Só Danço Samba (Ao Vivo), lançado em 2012, o primeiro pelo selo de sua propriedade, a Santiago Music. Ao longo de sua carreira, Emílio Santiago lançou mais de 25 álbuns e quatro DVDs. Em 2013, ganhou o Grammy Latino de Melhor Álbum de Samba/Pagode, por seu último trabalho.