Monthly Archives: Dezembro 2012

Mulher diz que foi agredida e enterrada viva a mando do marido

Maria Aparecida Lima dos Santos, de 25 anos, foi agredida e enterrada viva a mando de seu marido, após pegar uma carona

 com um conhecido no último sábado (22), em Itamaraju.

Segundo relato à Polícia na manhã de segunda-feira (24), ao descer do carro, próximo ao trevo do Parque Nacional, teria sido agredida e torturada. Ela disse ainda que seu ex-marido, Valdir Reis de Jesus, de 44 anos, estava no local. Ele teria arrancado a blusa da doméstica e tentado enforcá-la com a peça de roupa. Ao perceber que ela estava desfalecida, cavou uma cova e a enterrou ainda viva. “Eu acordei com a minha face cheia de terra e graças a Deus eu consegui cavar e sair da minha cova”, disse ela.

Maria mostrou marcas das agressões, mas a evidência do enforcamento estava nos olhos, que estavam muito avermelhados. A vítima contou que, o marido fugiu ao notar que ela ainda estava viva. Em seguida, passou na casa dela e raptou seus dois filhos, sumindo sem deixar vestígio.

A Polícia Civil está investigando o caso e espalhando imagens do homem e das crianças na vizinhança. Quem tiver informações sobre elas ou sobre o paradeiro do agressor, deve ligar para os telefones 190, 197 ou Conselho Tutelar de Itamaraju (73) 3294–0853.

Retirada do Blog Voz do Povo, do meu amigo Damião, a quem aproveito a oportunidade para desejar toda Paz neste Natal e muita felicidade no ano que se renova e que 2013 seja de grandes realizações para todos os nossos leitores como também a nós que fazemos ecoar muitas notícias diariamente. Muita paz!

Dominguinhos apresenta melhora e tem sedação reduzida

ÍndiceInternado desde segunda-feira, 17, José Domingos de Moraes (71), o Dominguinhos, tem apresentado melhora. O cantor e compositor permanece internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Santa Joana, em Recife, Pernambuco, em tratamento de infecção respiratória e arritmia cardíaca.

Segundo boletim médico divulgado nesta terça-feira, 25, seus batimentos cardíacos estão estáveis com a ajuda de medicações e do marca-passo temporário. Sua sedação está sendo reduzida e ele ainda está em ventilação mecânica, sem complicações. A retirada da ventilação deve acontecer progressivamente, quando os efeitos sedativos desaparecerem.

equipe-medica

O sanfoneiro vem lutando contra uma neoplasia pulmonar há seis anos e tem diabetes. Em agosto de 2011, ele já havia cancelado shows por conta de seu estado de saúde. Na época, Dominguinhos foi internado no Hospital Sírio-Libanês, em SP, com falta de ar em decorrência do problema no coração que teve no início daquele ano, quando foi internado com princípio de infarto e foi submetido a um cateterismo e uma angioplastia.

Ney Júnior quer apurar compra de medicamentos vencidos em 2010 e 2011

A prioridade continua sendo pagar ao funcionalismo

Thaisa Galvão destaca em seu blog que caso volte à Prefeitura de Natal ainda hoje, como é provável, caso não haja interferência da Justiça, o vereador Ney Júnior já sabe qual será sua primeira missão. Vai tomar providências para apurar uma informação que chegou às suas mãos: a de que, na gestão municipal de 2010 e 2011, foi comprado lote de medicamentos vencidos pela Prefeitura de Natal. Repetindo o que ocorreu entre 2005 e 2008.

Outra medida do provável prefeito será apelar para o Exército para tentar fazer uma limpeza na cidade nos últimos 3 dias do ano.Para isso, tentará raspar o fundo da panela na Secretaria de planejamento, para ver se consegue pagar parte do que o Município deve à Urbana, suficiente para que seja feita uma força-tarefa de 3 dias.A prioridade continua sendo juntar moedas para pagar ao funcionalismo.

Com Blog de Currais Novos

Odetinha: conheça a história da menina de 9 anos que pode ser a primeira santa carioca

Prefeito eleito de Montanhas tem diplomação contestada

imagesDiplomado semana passada pela Justiça Eleitoral, o prefeito eleito de Montanhas, Algacir Antonio de Lima Januário (PSD) corre o risco de não tomar posse no próximo dia 1º. A atual prefeita Maria Eliete Bispo, mais conhecida como “Letinha” (PMDB), sua concorrente na última campanha, entrou com um recurso contra a diplomação.

O advogado Kennedy Diógenes, representante de Letinha na ação, explica que o recurso se baseia no fato de Algacir, após regular processo administrativo, ter sido demitido do cargo público de agente administrativo por abandono de serviço. “O processo administrativo que culminou com a demissão de Algacir Januário foi instaurado após a Secretaria de Administração do Município de Montanhas ter constatado que desde janeiro de 2009 o servidor, sem qualquer justificativa ou pedido de afastamento, deixou de comparecer ao trabalho, mesmo tendo se submetido ao recadastramento periódico dos servidores municipais em fevereiro de 2009, demonstrando assim seu interesse em continuar no exercício do cargo”, relata o advogado.

Kennedy Diógenes acrescenta que, de acordo com o artigo 148 do Regime Jurídico Único dos Servidores do Município de Montanhas/RN (Lei nº 332/2008), constitui falta punível com a penalidade de demissão o abandono do cargo por mais de 30 dias consecutivos. A ação também se sustenta no artigo 1º, I, “o” da Lei 64/90, uma inovação legal trazida pela Lei da Ficha Limpa, visando a tornar inelegíveis os que forem demitidos do serviço público em decorrência de processo administrativo ou judicial pelo prazo de oito anos, contado da decisão, salvo se o ato houver sido suspenso ou anulado pelo Poder Judiciário.

Fonte: Tribuna do Norte

O capitalismo num beco sem saída: uma visão marxista da atual crise

Manuel Raposo (Jornal “Mudar de Vida”, Portugal)

“O Capitalismo num Beco Sem Saída” é o expressivo título de um livro, publicado este ano nos EUA, que analisa a presente crise do capitalismo mundial de um ponto de vista marxista.

Centrado sobretudo na situação dos EUA, o livro mostra o significado da destruição de emprego e da sobreprodução numa era de alta tecnologia e grande produtividade do trabalho. Uma obra que, a partir da atualidade, aborda não apenas os aspectos econômicos da crise mas também os movimentos sociais e políticos que ela está a gerar.

O autor, o norte-americano Fred Goldstein, colabora no jornal Workers World e publicou em 2008 uma outra obra, Capitalismo de Baixos Salários, em que aponta os efeitos do novo imperialismo globalizado e de alta tecnologia na luta de classes nos EUA.

A exposição de O Capitalismo num Beco Sem Saída, ao qual se dedica esta recessão, assenta em três ou quatro dados decisivos para entender a atual crise, mas muito pouco falados pelas correntes de opinião dominantes. São eles, a nosso ver, os seguintes:

– Esta crise é de longa duração, estamos ainda nos seus primeiros estágios, e, pela sua natureza, não se compara aos normais altos e baixos da atividade econômica.

– Na sua raiz está uma quebra na taxa de acumulação do capital, o que faz dos aspectos financeiros uma decorrência e não uma causa dos problemas presentes.

– A crise estalou depois de décadas de grande progresso tecnológico, de aumento da produtividade do trabalho e da concorrência, o que desmente a ideia espalhada de falta de produção e de competitividade, e mostra, pelo contrário, que o sistema rompe pelas costuras em resultado da sua própria capacidade de produzir em larga escala.

– Nos casos em que se pode falar de alguma retomada económica após o colapso de 2008 (como nos EUA), essa retomada faz-se sem recuperação do emprego, destruído em números sem precedentes.

###
IMPASSE

Daí, todo o sistema capitalista se encontrar num beco sem saída. Ou, como diz o autor: “O capitalismo chegou a um ponto em que nada de natureza econômica, só por si, poderá fazer o sistema avançar e crescer mais”.

A partir destas constatações, e fazendo comparações com as grandes crises mundiais de 1873-96 e de 1929-39 – das quais o capitalismo saiu sob o impulso da guerra (guerra americana-espanhola de 1898, guerras mundiais de 1914-18 e de 1939-45), enveredando pela expansão imperialista – a resposta do capitalismo mundial à sua crise de hoje aponta igualmente para a “destruição maciça de meios de produção e de infraestruturas”.

Com os cataclismos verificados desde 2008, o panorama da luta de classes também se altera. A tendência para lucrar a taxas cada vez menores, a incapacidade de recuperar, mesmo parcialmente, os níveis de emprego – traduzem-se numa quebra generalizada dos salários (um “capitalismo de baixos salários”). E, portanto, no dizer de Fred Goldstein, “a era das concessões deu lugar à época das devoluções” – como é bem patente, dizemos nós, do lado de cá do Atlântico, não apenas na redução dos salários como nos cortes dos apoios sociais, na crescente insegurança do emprego, no ataque aos direitos laborais e sindicais. Tudo aquilo, enfim, que na Europa do pós-guerra e no Portugal pós 25 de Abril era apresentado como um “ganho civilizacional”, supostamente irreversível.

Esta crise mostra ainda ser diferente, sublinha Goldstein, por outra razão. “Todos os métodos tradicionais pelos quais o sistema foi estimulado [em situações anteriores] estão a ser aplicados, mas já não funcionam”. A prova está nos bilhões de dólares (e de euros) injetados sobretudo no sistema financeiro com o único efeito de arrastar a crise, mas sem sinais de uma retomada econômica.

###
CARACOL

Mais: o fato de os negócios nos EUA marcharem a passo de caracol e de a Europa e o Japão estarem à beira do declínio, faz aumentar, mesmo nos bastidores do poder, o temor de um novo retrocesso econômico global.

Ora, uma crise de extensão mundial, que não se resume a uma quebra cíclica dos negócios nem tem à vista nenhuma verdadeira recuperação, assume então, parece-nos, um sentido histórico de fim de época.

Na verdade, afirma o autor, “o sistema do lucro entra num estágio no qual só consegue arrastar para trás a humanidade”. Então, “as massas da população hão-de chegar a um ponto em que não poderão continuar a seguir o mesmo caminho porque o capitalismo lhes bloqueia todas as vias de sobrevivência”. E, chegada a este ponto, “a humanidade só pode avançar limpando a estrada da sobrevivência, o que significa nada menos do que destruir o próprio capitalismo”.

As teses do livro de Fred Goldstein, conduzem-nos, com efeito, a uma questão a que os marxistas e o movimento comunista terão de prestar a maior atenção: com esta crise encerrou-se a época de expansão do capitalismo iniciada após a segunda grande guerra; e, consequentemente, estão a criar-se as condições para um novo ciclo de revoluções sociais à escala mundial.

Devem, portanto, em nossa opinião, ser lidas como sendo da maior atualidade as palavras de Karl Marx no balanço que fez à crise econômica de 1847. Refletindo sobre a recuperação do capitalismo nos anos de 1848 e 1849, uma vez vencidas as revoluções verificadas na Europa em 1848, dizia ele:

“Nesta prosperidade geral, em que as forças produtivas da sociedade burguesa se desenvolvem com toda a exuberância de que são capazes no quadro das relações burguesas, não se pode dar nenhuma verdadeira revolução. Uma tal revolução só é possível em períodos em que estes dois factores, as forças de produção modernas e as formas de produção burguesas, entram em conflito.”

E conclui Marx: “Uma nova revolução só será possível na sequência de uma nova crise. Mas aquela é tão certa como esta.”

Não é a crise que estamos a viver, afinal, a evidência do conflito entre as forças de produção modernas e as formas de produção burguesas?

Opinião: Ser ou não ser abstêmio: Eis a questão! – por Severino Melo

Para mim está resolvida a questão da direção de veículos automotores e utilização de bebida alcoólica concomitantemente.

O ebrio-poster

Foi surpresa quando descobri que o autor de “O Ébrio”, o saudoso tenor, Vicente Celestino, era abstêmio e conseguiu produzir uma música e um filme que arrancaram risos, choros e aplausos, a um alcoolista que tão bem soube representar, ainda que sem a vivência empírica, no dia a dia, dos trejeitos daqueles que fazem uso de certos compostos orgânicos derivados do etano, que apelidam de etanol, ou vulgarmente, álcool etílico.

Mas, enfim, o que é alcoolismo? Nada mais do que, o vício de ingerir bebidas alcoólicas e, consequentemente, a intoxicação decorrente desse vício. O álcool, por sua vez, é um líquido incolor, volátil, com cheiro e sabor típicos, obtido por fermentação de substâncias açucaradas ou amiláceas, ou ainda, por processos sintéticos, enfim, pode-se dizer, que é toda e ou qualquer bebida espirituosa. Apesar, do termo alcoólatra ter sido substituído por alcoolista, ainda assim, ele identifica, aquele que se entrega à prática quotidiana do uso do álcool. Portanto, alcoolizado é todo aquele que se encontra bêbedo (bêbado) ou embriagado, sendo variável o limite da tolerância orgânica.

O Estado Brasileiro ao tempo que é um bom cobrador identifica-se, também, como um péssimo pagador. Estradas em péssimo estado de conservação, apesar dos altos impostos recolhidos para a conservação, sem contar com os inúmeros pedágios já criados e a criarem-se; A fiscalização é capenga e cair numa blitz da “Lei Seca” é uma questão aleatória de “sorte ou de azar”, ou como queiram, de coincidência benéfica ou maléfica, pois na escolha por amostragem passam muitos embriagados; A lei seca em vez de carrear os recursos arrecadados para a rede hospitalar e para a melhoria do próprio trânsito, talvez, sirva, tal montante, apenas para pagar o imposto de renda dos senadores, que sobre os seus décimo quarto e décimo quinto salários, quis o Senado Federal não recolher na fonte, havendo de quitá-lo, em seu total, junto à Receita Federal do Brasil, com o dinheiro do povo; Ao que parece, muito pior do que haver ingerido pequena dosagem de álcool e dirigir, é jogar na estrada um veículo sem freio, com pneus “carecas” e outras irregularidades, para as quais hodiernamente estão “fechando os olhos”; Até o porte de arma, ficou irrelevante diante da avidez, na busca de motoristas que hajam ingerido, agora, qualquer quantidade de álcool.

A, já, famigerada “Lei Seca” deveria ser muito mais abrangente. O uso inveterado do álcool não só mata no trânsito. Mas, todos os dias, em todas as camadas sociais. A arrecadação do imposto recolhido com a venda das bebidas alcoólicas não compensa o malefício trazido pelo alto consumo. “Querem tapar o sol com uma peneira”. Bebidas alcoólicas e cigarro ainda são grandes fontes de renda para o Governo Federal, por conseguinte, continuarão sendo toleradas ainda que sejam drogas, que já há muito apelidaram de socialmente aceitas.

Decretei, irrevogavelmente, que doravante sou abstêmio. E desejo, ardentemente, que fechem todas as fábricas de bebidas alcoólicas do Brasil. Que a arrecadação com o imposto das mais variadas bebidas alcoólicas seja zero. E caso isso venha a ocorrer, certamente, não atenderei aos apelos do governo, quando disser, volte a beber, nós aumentamos o índice de álcool que seu sangue pode conter ao dirigir. Pois, se é conveniente ao governo querer arrecadar, aos abstêmios sobra aquela “musiquinha” de fim de ano: “Adeus ano velho, feliz ano novo, que tudo se realize no ano que vai nascer, muito dinheiro no bolso e saúde pra dar e vender”.

Severino Melo – Escritor / Advogado – artesão deste texto. severinomeloescreve@gmail.com – fone 99727818.

Morre aos 105 anos Dona Canô, mãe de Caetano Veloso e Maria Bethânia.

Claudionor Viana Teles Veloso, também conhecida como Dona Canô, mãe dos cantores Caetano Veloso e Maria Bethânia, morreu nesta terça-feira (25), dia de Natal. Ela tinha 105 anos e faleceu em casa, na cidade de Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano.

dona canô

Dona Canô fo internadada no dia 15 de dezembro, no Hospital São Rafael, em Salvador, após sofrer uma isquemia cerebral transitória. Durante o tratamento, a matriarca da família Veloso apresentou uma discreta melhora no seu quadro de saúde erecebeu alta na tarde de sexta-feira (21). Os médicos recomendaram que ela continuasse o tratamento em casa.

A idosa teria pedido um vestido branco para deixar o hospital. Ela voltou para sua residência acompanhada da filha Mabel. Maria Bethânia acompanhou a locomoção da mãe em outro carro.

O aniversário de 105 anos de Dona Canô foi comemorado no dia 16 de setembro de 2012. A família reuniu amigos para a tradicional missa, que foi celebrada pelo padre Reginaldo Mazotti. A festa aconteceu em casa, no município de Santo Amaro. Regina Casé esteve entre os convidados.
No total, Dona Canô teve oito filhos. Clara, Roberto, Caetano, Bethânia, Rodrigo e Mabel era biológicos. Irene e Eunice foram adotadas. A sua filha adotiva, também conhecida como Nicinha, morreu de insuficiência respiratória em agosto de 2011, aos 83 anos.

Dona Canô ficou viúva em 1983, quando “Seu Zeca” faleceu aos 82 anos.

Brasileira que leiloou a virgindade, Catarina Migliorini, é capa da Playboy de janeiro.

Um japonês arrematou a grande noite com a catarinense por US$ 780 mil. Segundo o site da Playboy, ela contou que o ato seria consumado em pleno ar, mas tudo está aguardando decisão judicial para o acordo ser consumado.

Catarina Migliorini leiloou a virgindade

Na Austrália, a jovem filma o documentário Virgins Wanted, que narra toda a história do leilão. Em entrevista à apresentadora Ana Maria Braga, Catarina contou que viu a proposta do diretor australiano de produzir um documentário que abordava a virgindade. “Resolvi enviar um e-mail, por impulso. Não imaginei que ele fosse responder”, disse ela.

Deve ser a primeira vez na história que a Playboy mostra os encantos de uma virgem….

Regularizar CPF agora é gratuito e disponível na internet

ÍndiceA Receita Federal informou nesta terça-feira que o serviço de regularização do CPF já pode ser feito, gratuitamente, pela internet. O novo serviço ficará disponível 24 horas por dia, todos os dias. Antes, quem tivesse inconsistências no cadastro do CPF deveria se dirigir, obrigatoriamente, a uma unidade de atendimento das entidades conveniadas à Receita Federal do Brasil, como agências dos Correios, do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica. A regularização custava R$ 5,70.

Para fazer a regularização, as pessoas físicas devem preencher formulário eletrônico e informar o número do CPF, nome, data de nascimento, nome da mãe, naturalidade e título de eleitor. O serviço está disponível na página da Receita.

Ministro se casa com companheiro em cerimônia transmitida pela internet

Casamento homossexual: ministro e companheiro se casam em cerimônia transmitida ao vivo pela internet

O ministro australiano Ian Hunter e seu marido, Leith Semmens, se casaram nesta quarta-feira na cidade granadina de Jun, no sul da Espanha, em uma cerimônia que foi transmitida ao vivo na internet.

casamento-gay

O casal decidiu se casar na Espanha porque a união entre pessoas do mesmo sexo não é reconhecida na Austrália, onde eles vivem.

A cerimônia foi realizada no Pavilhão das Artes de Jun, um município muito próximo à capital de Granada, e presidida pelo próprio prefeito da região, José Antonio Rodríguez Salas, do Partido Socialista Operário espanhol (PSOE).

O casamento, que começou ao som dos hinos da Espanha e da Austrália, foi acompanhado por familiares e amigos do casal e seguiu as curiosas tradições de Jun: os namorados assinaram a documentação com uma caneta verde e se beijaram exatamente durante 17 segundos.

O ministro de Comunidades e Inclusão Social do Sul da Austrália, do Partido Trabalhista, e seu companheiro decidiram antecipar a cerimônia depois que o Parlamento australiano rejeitasse uma proposta para legalizar o casamento gay no país.

Os segredos da ditadura escondidos numa casa de canavial

Casa escondia segredos da ditadura militar no Brasil. A descoberta demonstra, sobretudo, que agentes da ditadura guardaram ou ainda guardam ou eliminaram documentos importantes dos Anos de Chumbo

Uma casa abandonada no meio do canavial de uma fazenda em Jaborandi (SP), região de Ribeirão Preto, tida como mal assombrada por cortadores de cana, acabou por revelar de fato muitos fantasmas do passado. Em 2007, foram encontrados dentro da casa documentos pertencentes ao Departamento de Ordem Política e Social (Dops). Entre eles, 110 fichas de perseguidos políticos e um Manual de Subversão e Contra-subversão. A história ganhará livro e documentário do projeto Memórias da Resistência.

casa-ditadura-brasil-canavial

Cinco anos depois da descoberta, feita por um cortador de cana e estudante de história, de documentos da ditadura militar, o material vai ganhando identidades e recompondo a história no projeto Memórias da Resistência que, depois de colocar na internet um site, chega também às livrarias e, até o início do ano que vem, um documentário. O projeto é empreendido por um grupo de pesquisadores do Instituto Práxis de Educação e Cultura (IPRA), de Franca, através de edital Ponto de Mídias Livres, do Ministério da Cultura.

A fazenda pertencia ao ex-delegado Tácito Pinheiro Machado, citado pelo Brasil Nunca Mais como repressor, e que além de atuar em delegacias no interior paulista, dirigiu o Departamento de Ordem Política e Social (Dops) e foi chefe de gabinete da Secretaria de Segurança Pública. Machado morreu em 2005, aos 79 anos, e apesar de seu pedido para queimar as fichas de perseguidos políticos, envelopes de correspondências restritas, bilhetes e anotações e até um manual de ação contra ‘subversivos’, o material ficou largado na casa.

Polícia Rodoviária Federal inicia operação de fim de ano

prfA Polícia Rodoviária Federal inicia nesta sexta-feira (21) a ‘Operação Fim de Ano’, que tem o objetivo de aumentar a fiscalização nas rodovias federais por conta das festas de fim de ano. Durante a operação, que vai até a meia-noite do dia 2 de janeiro, a PRF vai reforçar a fiscalização de embriaguez ao volante, de excesso de velocidade e de ultrapassagens em locais proibidos.

No período de festas do ano passado, de 16/12 a 02/01, a PRF atendeu a 11 mil acidentes que feriram mais de seis mil pessoas e levaram a óbito outras 478. Em colisões frontais, que geralmente são resultado de ultrapassagens mal sucedidas, foram registradas 174 mortes, 36% do total. O segundo lugar em mortes foi ocupado pelo atropelamento de pedestres. Oitenta e quatro pessoas morreram atropeladas no período.

Inri Cristo desdenha de profecia maia e diz que o mundo acaba todo dia

300245e9a9ea4c156f1cea4131cf9f4e25b2a479Incomodado com a reação das pessoas diante da profecia maia sobre o fim do mundo, o homem que se proclama a reencarnação de Jesus, Inri Cristo, afirmou que a humanidade pode esperar um dia normal em 21 de dezembro. Segundo o líder da Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade, sediada no Distrito Federal, o mundo vai acabar em uma guerra nuclear, em data e hora desconhecidas.

“No dia 21, o mundo acabará para muitos [que morrerem até aquela data], mas a vida continua na Terra. Nós teremos que continuar, cada um de nós, a cumprir nossa missão”, afirmou. “A vida segue inexoravelmente.”

De acordo com Inri Cristo, a profecia maia sobre o fim do mundo é uma interpretação equivocada. Segundo ele, saber a data em que o mundo vai acabar geraria um “caos social”. “Já tem muita gente procurando buraco para se esconder, comprando exageradamente comida.”

Para reconhecer os sinais de que o fim do mundo está próximo, Inri recomenda que as pessoas acompanhem os noticiários e estudem antropologia, biologia e história. Ele afirma que uma comparação entre épocas diferentes revela que a humanidade está sendo preparada para essa mudança. Entre esses indícios estão as mudanças ambientais e a explosão demográfica.

“A Terra está insustentável. Agora as guerras não serão meramente como nos tempos de Roma, por espólio. Agora as guerras são por comida, água”, diz. “São sete bilhões de pessoas – isso é estatística, mas estatística oficial, extraoficialmente é muito mais. São um bilhão de famintos.”

Os conflitos, segundo o líder, começarão pelas pessoas que não têm fome, mas também não querem senti-la. “Aqueles que estão com fome estão exauridos até para pegar em uma arma. Agora, aqueles que estão vendo os que estão com fome e não querem ficar com fome, estes são os perigosos para a guerra. São esses que articularão, quer seja maciçamente, quer seja individualmente, a organização que culminará com a guerra.”


Pedra com calendário maia é exposta em Tabasco, no México, em 2011 (Foto: René Alberto López/AFP Photo)
Pedra com calendário maia exposta no México em 2011
(Foto: René Alberto López/AFP Photo)

Profecia em pedra
A profecia maia sobre o fim do mundo teve sua origem no monumento nº 6 do sítio arqueológico de Tortuguero e em um ladrilho com hieróglifos localizado em Comalcalco, ambos centros cerimoniais em Tabasco, no sudeste do México.

O primeiro faz alusão a um evento místico que ocorreria no dia 21 de dezembro de 2012, durante o solstício do inverno, quando Bahlam Ajaw, um antigo governante do lugar, se encontra com Bolon Yokte’, um dos deuses que, na mitologia maia, participaram do início da era atual.

Até então, as mensagens gravadas em “estelas” – monumentos líticos, feitos em um único bloco de pedra, contendo inscrições sobre a história e a mitologia maias – eram interpretadas como uma profecia maia sobre o fim do mundo.

Entretanto, segundo o Instituto Nacional de Antropologia e História do México, uma revisão das estelas pré-hispânicas indica que, na verdade, nessa data de dezembro os maias esperavam simplesmente o regresso de Bolon Yokté.

Chegada de novos tempos ou fim do mundo: confira mudanças da era maia

Trio assalta agência dos Correios de Vila Flor

ÍndiceTrês homens invadiram a agência dos Correios do município de Vila Flor, localizada 76 km de Natal, renderam o único funcionário e levaram todo o dinheiro do caixa nesta quinta-feira(20). O grupo fugiu com apoio de dois veículos, um Gol branco e um Corolla tomado de assalto ainda nas proximidades da agência dos Correios.

A Polícia Militar foi acionada e quando chegou ao local os bandidos já haviam fugidos abandonando os veículos. O Gol foi encontrado ainda em Vila Flor, já o Corolla foi abandonado entre as cidades de Pedro Velho e Espírito Santo.

O cantor e compositor Dominguinhos está internado no Hospital Santa Joana, no Recife.

Dominguinhos-site(1)

Dominguinhos boletim médico

O cantor e compositor Dominguinhos está internado no Hospital Santa Joana, no Recife, admitido com quadro de Infecção Respiratória e Arritmia Cardíaca. Neste momento, a família do artista pede a todos por orações e pensamentos positivos. O apoio do público que sempre admirou e acompanhou o seu trabalho é de grande importância.

FHC fez duras críticas ao governo: “Estamos todos vendo que o rei está nu”.

“Ela (a presidente Dilma) fala que vai construir 800 aeroportos, eu quero só 3!”

fhc1

Por Carolina Mazzi

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) fez duras críticas ao governo e o momento político e econômico do Brasil durante almoço na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) nesta quarta-feira (19). Ele criticou a postura da presidente Dilma Roussef, que classificou como autoritária, a relação do brasileiro com o judiciário e também as mudanças na Lei do Petróleo.

“Estamos vivendo como nos anos 70. O governo toma uma decisão, publica e não há conversa com a sociedade, não há discussão. Precisamos de uma nova sacudida forte”, analisou. Para FHC, a atual presidente tem “boas intenções”, mas uma vontade de grandeza muito maior do que o possível. “Ela fala que vai construir 800 aeroportos, eu quero só 3!”, afirmou.
A construção do trem bala também foi citada como exemplo da falta de comunicação entre o Planalto e a população. “Precisamos? É necessário? Não estou dizendo nem que sim nem que não, mas não estamos discutindo o assunto. Precisamos voltar a falar sobre os temas de importância nacional, sobre o futuro”, analisa.

“Estamos todos vendo que o rei está nu. E temos medo de dizer que o rei está nu. Um dia o povo vai dizer que o rei está nu, e nos enganou”. Apesar das duras críticas, ele frisou que a expressão não é uma mensagem direta a nenhuma outra autoridade. “Eu não faço insinuações. Disse metaforicamente que as coisas estão erradas, estão vendo, e fingem que não estão. Não foi pessoal”, observou.

Lei do Petróleo – As mudanças na Lei do Petróleo, após a descoberta do pré-sal, também foi criticada pelo ex-presidente. Para ele, há uma discussão exacerbada sobre os royalties, sem se pensar primeiro como o petróleo será efetivamente explorado. “Estamos falando muito sobre os royalties, mas como exploraremos o petróleo? Como será feita?”, afirmou.

O ex-presidente é enfático em relação as mudanças na redistribuição dos royalties. “Sou contra a quebra de contrato”. Ainda assim, fez questão de mostrar sua insatisfação com a forma como a Petrobras tem sido conduzida no atual cenário. “Não é possível, nem devíamos, manter a Petrobras alheia ao mercado. Ela precisa competir”, comentou.

Judiciário – Um dos entraves para o desenvolvimento do país é a relação da população com o sistema Judiciário brasileiro, ainda “muito lento”, segundo Cardoso. “Somos um país que ainda tem pouca igualdade formal perante a lei. Vemos a última semana, um julgamento parou o país, porque era de ‘peixe grande’. Mas este tipo de julgamento deveria ser comum, não um acontecimento”, criticou.

E finalizou: “não vamos nos enganar mais, vamos falar com franqueza, com sinceridade, e assim vamos ajudar a conduzir um Brasil melhor para todos nós”.

Candidata dos Estados Unidos é eleita Miss Universo; Brasil em 5º

Governadora do RN convoca deputados para sessão extraordinária

IFRN divulga resultado final do Proitec 2012

Geopolítica – os fatos portadores do futuro, como o gás de xisto nos EUA

Empresas têm até hoje para depositar 13º salário dos trabalhadores

Jogadores das seleções de 1958, 1962 e 1970 receberão auxílio especial de R$ 100 mil

Estado de saúde de Chávez é agravado por infecção respiratória