Daily Archives: 10/09/2012

Mulher vive com objeto esquecido na barriga há cinco anos

Prefeita de Montanhas (Letinha) não quiz falar ao povo e nem compareceu ao Programa da Rádio Talismã nesta segunda 10/09

A Prefeita de Montanhas Maria Eliete, (Letinha) não comparece ao Programa da Rádio Talismã e perde uma ótima oportunidade para falar ao povo de Montanhas assuntos pertinente a sua campanha e da “sua administração”.

Não é todo tempo que se tem uma oportunidade dessas, para se apresentar em um veículo de comunicação, com uma programação líder em audiência no Município como a Rádio Talismã. Só há dois motivos, ou pelo fato de não tá nem ai pra população e as eleições de 2012, ou não sabe falar nada sobre o Município, essa última hipótese talvez seja a mais viável para essa explicação, afinal, todos nós sabemos que os filhos pintaram e bordaram (termo popular) dentro da Prefeitura e possivelmente ela, a Prefeita de direito, não tenha conhecimento das muitas coisas que aconteceram no município, hoje percebe-se o atraso que se deu durante seu mandato.

Assim pra não ter o que falar e passar mais vergonha ainda, do que vai passar nas urnas neste pleito de 2012, realmente é melhor ficar calada, apenas limitar-se a prometer, prometer e prometer o que não faz, não fez e graças a Deus não prejudicará ninguém, nunca mais. Essa é a realidade de Montanhas, ninguém esqueceu a humilhação que passou nas mãos dos “prefeitins” e certamente não esquecerão os montes moldados na perspectivas de lucros pessoais.

Segundo informações da Rádio Talismã, neste dia 11/09, será a vez de Manuel Gustavo, no dia 12/09 Adriana Cruz e no dia 13/09 Otêmia. Acreditamos que esses candidatos deverão comparecer ao programa e expor os seus Planos de Governo, o que não ocorreu com Letinha, mas é compreensível, pelo fato  da mesma não ter nenhum projeto para o Município muito menos para o Povo de Montanhas.

 

 

 

Faltam 27 dias para as eleições 2012

Recuperação do calçadão da praia de Ponta Negra segue sem data para começar

Propaganda eleitoral custa R$ 3 milhões ao contribuinte

Desvio de recursos da educação e saúde pode se tornar crime hediondo