Search Results for nuas

NUAS…MULHERES QUE SABEM FICAR PELADAS

Mulheres seminuas atraem curiosos com pintura corporal no centro de NY

Mulheres israelenses posam nuas em foto para apoiar blogueira egípcia

Rafinha Bastos faz provocação com próprio castigo e divulga fotos com mulheres seminuas

Uma rua só de rima, construída pelo príncipe dos poetas

O desenhista, cinéfilo, jornalista, advogado, tradutor, cronista e poeta paulista Guilherme de Andrade de Almeida (1890-1969), conhecido como o Príncipe dos Poetas Brasileiros, no belo poema “Rua das Rimas”, define o caminho que desde criança existe em sua imaginação.

RUA DAS RIMAS

Guilherme de Almeida

A rua que eu imagino, desde menino, para o meu destino pequenino

é uma rua de poeta, reta, quieta, discreta,

direita, estreita, bem feita, perfeita,

com pregões matinais de jornais, aventais nos portais, animais e varais nos quintais;

e acácias paralelas, todas elas belas, singelas, amarelas,

douradas, descabeladas, debruçadas como namoradas para as calçadas;

e um passo, de espaço a espaço, no mormaço de aço baço e lasso;

e algum piano provinciano, quotidiano, desumano,

mas brando e brando, soltando, de vez em quando,

na luz rara de opala de uma sala uma escala clara que embala;

e, no ar de uma tarde que arde, o alarde das crianças do arrabalde;

e de noite, no ócio capadócio,

junto aos lampiões espiões, os bordões dos violões;

e a serenata ao luar de prata (Mulata ingrata que mata…);

e depois o silêncio, o denso, o intenso, o imenso silêncio…

A rua que eu imagino, desde menino, para o meu destino pequenino

é uma rua qualquer onde desfolha um malmequer uma mulher que bem me quer

é uma rua, como todas as ruas, com suas duas calças nuas,

correndo paralelamente, como a sorte diferente de toda gente, para a frente,

para o infinito; mas uma rua que tem escrito um nome bonito, bendito, que sempre repito

e que rima com mocidade, liberdade, tranquilidade: RUA DA FELICIDADE…

(Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

Competidores pelados: a última moda na TV dos EUA

Dating Naked (VH1)

Dating Naked estreou na semana passada nos Estados Unidos

A fórmula de alguns programas de namoro na TV já ficou bem conhecida: um grupo de solteiros e desimpedidos viaja para uma ilha paradisíaca, onde participa de competições e passa por vários testes para definir, no final do programa, quem será o (a) escolhido (a).

A novidade? Agora os participantes estão nus.

Esse é o conceito de Dating Naked (“Paquerando Pelado”, em tradução livre), o novo reality show do canal VH1, distribuído na TV a cabo americana.

O Discovery Channel foi o canal primeiro a tentar a sorte com um programa do gênero, Naked and Afraid (“Pelado e com medo”, em tradução livre), que estreou um ano atrás. No programa, dois competidores do sexo oposto devem sobreviver como vieram ao mundo em um local remoto por 21 dias em condições difíceis.

A transmissão do primeiro episódio, em junho de 2013, conseguiu atrair mais de 4 milhões de espectadores – a melhor audiência de estreia do Discovery em vários anos. Agora o programa é um dos mais vistos no disputado horário de domingo à noite.

Além de Dating Naked, recentemente se juntaram à programação de televisão nos Estados Unidos os programas Buying Naked (“Comprando Pelado”) e Naked Vegas (“Pelado em Las Vegas”).

No primeiro, corretores de imóveis tentam vender casas para potenciais compradores em uma comunidade nudista na Flórida.

Já Naked Vegas, no canal SyFy, mostra as aventuras da proprietária de uma loja de pintura corporal em Las Vegas, apelidada de “Cidade do Pecado”.

Tudo pela audiência

Apesar dos nomes sugestivos, esses programas não mostram muito na nudez dos protagonistas – as partes íntimas aparecem pixelizadas ou estrategicamente cobertas por mobiliário ou decoração. Os telespectadores precisam usar a imaginação.

Os produtores de Dating Naked consideram o programa “um experimento social” para ver como dois estranhos se comportam sem roupa. Já os realizadores de Naked and Afraid insistem que a nudez não é o principal elemento da trama, mas sim a habilidade dos participantes em sobreviver em um ambiente hostil.

No caso de Buying Naked, o canal TLC aponta que o programa tem como objetivo mostrar a realidade dos amantes do naturismo, com a qual o público não está familiarizado.

Buying Naked

Em Buying Naked, agentes vendem imóveis em comunidade nudista na Flórida

Porém, os críticos de TV enxergam os programas de maneira diferente.

Muitos argumentam que, duas décadas após a estreia do primeiro reality show na TV, é difícil surpreender o público. Apresentar competidores pelados é como os programas tentam se diferenciar da concorrência.

“Assim como acontece com os demais programas, os reality shows são cíclicos”, afirma Oriana Schwindt, editora da revista americana TV Guide Magazine.

“Por um tempo, todos faziam competições culinárias, até que a audiência começou a declinar. Teve também uma época em que estavam na moda competições de canto. Ultimamente notamos que elas também já não são tão bem sucedidas”, disse Schwindt à BBC.

“Os canais precisam se diferenciar da concorrência e competições com pessoas nuas é uma maneira de fazer isso. Além do quê, esses programas têm custo de produção relativamente baixo, portanto, são muito atraentes para as emissoras.”

Segundo Schwindt, os produtores desses reality shows “não têm problema em admitir que o formato é destinado a elevar a audiência, mesmo que estejam chegando aos limites”.

Fusão de formatos

Dominic Patten, editor de TV da publicação especializada Dateline Hollywood, observa um outro fenômeno na tentativa dos canais de cabo de reinventar o formato dos reality show.

“No caso de Dating Naked, por exemplo, estão se fundindo dois formatos: um clássico, que é o namoro na TV, com um novo, que são os participantes pelados”, disse Patten.

“De qualquer forma, a nudez tem sido parte de reality shows desde o início. Concorrentes são frequentemente exibidos sem roupa em todas as oportunidades.”

O jornalista não está convencido de que a moda dos pelados vá durar muito tempo, porque “uma vez que os telespectadores se acostumarem, perde o fator novidade”.

Já Oriana Schwindt acredita que enquanto o público continuar assistindo, as emissoras continuarão a apostar na nudez. Mas ela acredita que existem limites.

“Eu não acho que veremos em breve uma versão de Dança dos Famosos em que os competidores apareçam nus”, brinca Schwindt.

“Muitas pessoas não querem vê-lo e vai ser difícil implementar, não é?”

Jovem que teve filhos com o pai diz que ele era ciumento: “Agora sou livre”

Família deve deixar no sábado (19) a cidade por medo de novas ameaças do suspeito

NOT-jovem-que-teve-filhos-com-o-pai-diz-que-ele-era-ciumento-agora-sou-livre1405703634_460_322 
Jovem segura nos braços um dos filhos que teve com o pai
Foto: Reprodução

A jovem de 22 anos, filha do agricultor de 45 anos preso após estuprar ela e a irmã durante anos, na cidade de Rio Negrinho, no interior de Santa Catarina, disse que sente alívio com a prisão do pai e que ele era muito ciumento. Ela está grávida do quarto filho do suspeito.

— Ele não deixava sair nem para ir até a escola. Ele tinha um ciúme acima do normal. Se tudo continuasse assim, ir vir outro [filho], e outro. Agora eu tenho a liberdade de pelo menos trabalhar.

A família vive em uma casa simples na zona rural da cidade. No imóvel, moravam o suspeito, a mulher, nove filhos — incluindo as duas vítimas — e os três filhos de cada uma delas. A jovem mais nova está no terceiro mês de gestação.

De acordo com o delegado Tiago de Freitas Nogueira, o pai exercia domínio sobre a família mediante ameaças, como de atear fogo na casa com todos dentro ou de levar as crianças que teve com as filhas embora. Com isso, as vítimas acabavam obedecendo às suas ordens. As jovens não podiam frequentar nem a escola e só saíam de casa para trabalhar na roça com o pai.

A mãe das jovens descobriu os abusos quando a filha mais velha engravidou do primeiro filho, mas não denunciou o marido por medo. Segundo o delegado, ela não será indiciada porque também foi uma vítima do suspeito.

O agricultor foi preso após o fim dos depoimentos das filhas, na madrugada de sexta-feira (11), e cumpre prisão preventiva no Presídio Regional de Mafra. Ele foi indiciado por estupro de vulnerável e estupro.

Ainda de acordo com o delegado, as seis crianças frutos do incesto foram registradas apenas com o nome das mães. As crianças, com idades entre um e seis anos, continuarão morando com a família. O Conselho Tutelar e a Assistência Social estão acompanhando o caso. No sabádo (19), elas devem deixar a cidade para morar em Florianólis na casa de um tio. A família alegou que teme que o homem escape da prisão e cometa alguma violência.

Homem: espécie em extinção

Homem uma espécie em extinção

Eduardo Aquino

Estamos em franca decadência e extinção. Só não vê quem não quer ou finge que ainda somos os mesmos. Para início de conversa, cada vez nascem menos e menos homens: ora creditado ao fato de os espermatozóides XY estarem mais lentos, carregados de metais pesados que respiramos nos ares poluídos do mundo globalizado, ou porque o “Y”, no fundo, seria um cromossomo “x” mutilado e, na verdade, “elas” é que teriam “quebrado uma costela” para surgir os homens (teoria imaginativa, conspiratória e um tanto feminista demais, não é mesmo!).

Mas elas, sem dúvida, vivem cada vez mais e nós não conseguimos acompanhá-las. Já são maioria em cursos superiores, em funções que exigem concursos públicos difíceis (magistratura, Ministério Público e outros). Cada vez mais são o “cabeça da família”, ganham cargos importantes e se tornam até presidente! (Deus me valha reunião ministerial em época de TPM!)

Mas não é nos aspecto quantitativo que a situação é periclitante, e, sim, na decadência do papel masculino na qualidade de suas ações cada vez mais acomodadas; as fêmeas atacando qualquer “barrigudinho” com lata de cerveja na mão, numa balada, num axé, numa “rave”.

Bêbados, drogados, em bando nas “peladas” de fim de semana, barbados, descuidados, sem papo interessante, “trogloditas”, não importa mais: as meninas malhadas, siliconadas, bem-vestidas haverá de amparar, acompanhá-los, botar para vomitar e levar para casa. Acabou o cavalheirismo, a “dança do casamento”, a dificuldade para namorar, conquistar, merecer aquela musa, aquela “deusa”.

AMANTES DESCARTÁVEIS

Somos descartáveis, bocas se beijam sem intimidade e anônimas, Viagras, Red Bull, vodca, êxtase, cocaína embalam noitadas de dança frenética, bate-estaca das músicas eletrônicas, “sexo animal” e, no dia seguinte, amnésia, ressaca e deletar o número de telefone da “cachorrada”.

Ok! Eu sei que existem exceções e tenho até estatística: 30% dos homens valem a pena! Mas meninas desesperadas, “vampiras do amor que vagam na noite, caçadoras desesperadas de um homem para chamar de seu”, tenho uma notícia chocante para transmitir a vocês, ingênuas, platônicas, sonhadoras: são as mulheres com imprudência, machismo, desespero, carência que estão estragando e extinguindo os homens que prestam! O resto é papo de salão. (transcrito de O Tempo)

Quem paga o preço das alianças de Sarney é o povo do Maranhão

por : Paulo Nogueira

Cúmplices

Cúmplices

Há, num site da Globo, um espaço dedicado à memória de Roberto Marinho.

Sarney está lá. Uma condensação, abaixo:

“O senador José Sarney e Roberto Marinho foram amigos pessoais até o fim da vida do jornalista.

Quando era presidente, Sarney visitava Roberto Marinho sempre que vinha ao Rio de Janeiro.

Sarney relembra: “Foi se estabelecendo uma ligação mais estreita, mas sempre marcada, do meu lado, pelo tom reverencial em relação a ele. Até mesmo porque, naquele tempo, ele já tinha essa extraordinária história.”

A amizade entre os dois também foi intensa no campo das artes.

“Eu gostava do Dr. Roberto não só pela influência que ele tinha, mas porque era um homem sensato. Um bom conselheiro. Sob esse ângulo, ele realmente era uma âncora para se apoiar.”

Amigos. Bem, acho que a palavra mais correta é cúmplices. Roberto Marinho e Sarney fizeram um trabalho de predação, um do Brasil, outro do Maranhão.

Ao fim da parceria, encerrada pela morte de Roberto Marinho, os dois estavam riquíssimos – e o Brasil e o Maranhão, alvos deles, repletos de miséria.

Gosto dos detalhes do texto da Globo sobre a memória de Roberto Marinho no capítulo de Sarney.

Gosto da forma elegante, e abjetamente cínica, com que Sarney aparece na frente de Roberto Marinho logo na introdução.

E gosto também do que Sarney deixa revelar quando fala de sua amizade, aspas, com Roberto Marinho. “Não só pela influência”, disse ele.

Sarney traiu, aí, seu caráter. Ele deixou escapar, involuntariamente, quanto a “influência” pesava nas suas escolhas de amizade.

Outra amizade que ele cultivou, pela influência, foi a de Lula. Deu a Lula apoio, e governabilidade, em troca de que nada fosse mexido no Maranhão, fonte de sua pilhagem de décadas.

As vítimas desse acordo tão revelador do Brasil moderno foram nossos irmãos invisíveis do Maranhão – brasileiros que ninguém vê e que estão entregues à ganância de Sarney sem que ninguém os proteja.

Os maranhenses estão expostos a uma manipulação absoluta da mídia, e por isso votam na família Sarney e em seus fâmulos no Maranhão.

A família monopoliza a mídia local: a afiliada da Globo lá é dela, e fora isso há rádios, jornais etc.

Você pode imaginar o obstáculo à regulamentação da mídia representado por Sarney.

Isso quer dizer que ele faz mal não apenas ao Maranhão, mas ao Brasil.

E então chegamos a um ponto complexo.

A aliança entre Sarney e Marinho era uma coisa de almas gêmeas. Mas e entre Lula e Sarney, em nome da governabilidade petista?

Sarney imaginou ter comprado, com a aliança, o silêncio dos petistas em relação aos horrores do Maranhão – fora a omissão para que a rapinagem continuasse.

É como se fosse proibido, no PT, falar do Maranhão e de Sarney.

Circula na internet um vídeo que diz tudo. Numa visita ao Maranhão, Lula é questionado sobre Sarney. Ele responde ao jornalista que ele tinha “preconceito” contra Sarney, e que isso era caso de terapia psicológica.

“Preconceito”, como se a obra destruidora de 50 anos da família não estivesse exposta ao mundo.

Numa enquete no DCM, boa parte dos leitores diz que a parceria entre Sarney e Lula é um “mal necessário”. O Brasil teria lucrado mais que perdido com ela, esta é a lógica.

Um momento.

E os milhões de maranhenses que morrem mais cedo que nós e vivem em condições subumanas, eles não contam?

Não, não contam. Esta é a verdade. Assim como não contam os índios, quando acordos com ruralistas são feitos em nome da governabilidade.

Assim como não contam os desvalidos cujas obras estavam no caminho da Copa, em nome sabe-se lá do quê.

Os movimentos de esquerda sob o comando do PT – dos sindicatos à UNE – de uma maneira geral vêm aceitando esse jogo.

Mas junho mostrou que há uma juventude sequiosa de justiça social para a qual são intoleráveis as alianças do PT com o que existe de mais atrasado no país – de Sarney a Maluf.

Em 2014, ano de eleições presidenciais, o PT vai ter que fazer uma escolha de Sofia.

Suas parcerias podem trazer uma certa tranquilidade política, como tem ocorrido.

Mas os jovens esquerdistas que não as toleram – por exemplo a garotada do Passe Livre – podem, por causa delas, ir de novo às ruas, com consequências imprevisíveis nas urnas.

Junho surpreendeu, pela repulsa de tanta gente nas ruas à política como ela é no Brasil. Todos imaginavam que os movimentos de esquerda capazes de mobilizar as pessoas – a direita não mobiliza nada – estavam na órbita do PT, amestrados e controlados.

Novos protestos não surpreenderão.

Vai ser, repito, uma escolha de Sofia para o PT.

Acusados de estupro que chocou a Índia são condenados a morte

Juiz sentenciou à pena de morte os quatro acusados pelo caso do estupro coletivo seguido do assassinato de uma jovem estudante. Caso comoveu a Índia

O juiz Yogesh Khanna sentenciou à pena de morte nesta sexta-feira (13) os quatro acusados pelo caso do estupro coletivo seguido do assassinato de uma jovem estudante em dezembro do ano passado e que comoveu o país.

O juiz justificou a condenação ao afirmar que o estupro seguido de morte é um “caso extraordinário entre os extraordinários”, classificação usada na Índia para crimes bárbaros e traição.

estupro índia condenados morte
Polícia agride participantes de um protesto anti-estupro em Nova Déli, Índia. Os protestos foram desencadeados pelo estupro de uma mulher de 23 anos de idade, em um ônibus. (EFE)

“Este caso exige um castigo exemplar com a morte. Nestes tempos em que os crimes contra as mulheres estão aumentando, os tribunais não podem fechar os olhos”, disse Khanna.

O juiz acrescentou que o estupro “comoveu a consciência coletiva” do país. Após escutar a sentença, um dos acusados, o monitor escolar Vinay Sharma, começou a chorar, enquanto muitos dos presentes na sala aplaudiam.

O advogado de Sharma e de outro dos condenados gritou ao juiz que a decisão “não é a vitória da verdade mas a derrota da Justiça”.

Um forte esquema de segurança foi montado em torno do tribunal, onde se reuniram dezenas de pessoas.

A corte já tinha declarado na terça-feira (10) os quatro acusados culpados de 13 crimes, entre eles estupro e assassinato.

Na quarta-feira (11), a promotoria pediu a pena capital para os acusados, enquanto a defesa defendeu a prisão perpétua.

A vítima, uma estudante de fisioterapia de 23 anos, foi estuprada e torturada em Nova Déli por seis homens em um ônibus quando voltava para casa do cinema. A jovem morreu 13 dias depois em um hospital de Cingapura.

Dos outros dois acusados pelo caso, um era menor de idade quando ocorreram os fatos e foi condenado há quase duas semanas a três anos de reclusão em uma casa correcional. E o sexto envolvido e suposto líder do grupo se suicidou em março na prisão, segundo a versão oficial.

O ataque provocou uma onda de protestos no país e gerou um profundo debate sobre e violência que as mulheres sofrem na Índia.

Desde o crime, há nove meses, a Índia vive um estado de tensão pelas contínuas acusações de agressões sexuais divulgadas pela imprensa local e internacional.

Agência EFE, Nova Déli

Ativistas ao redor do mundo usam nudez para chamar atenção; veja

Homens analisam mulheres sem roupa em Tv Pública da Dinamarca assista ao vídeo

TV pública da Dinamarca exibe show com mulheres nuas para homens “analisarem” seus corpos. No horário nobre da emissora, até mesmo idosas são avaliadas; programa é considerado o mais machista da história

A mulher entra em uma sala escura. Sentados, dois homens esperam até que ela tire a roupa. Entre sorrisos e gargalhadas, os dois começam a analisar o corpo da mulher. Dos pés a cabeça, durante alguns minutos, os homens destacam os pontos “negativos e positivos”. “Isso agrada os homens”, dizem, concluindo se a mulher é (ou não) “bela”.

blachman dinamarca mulheres nuas

Mulheres permanecem em silêncio durante toda a análise; diretor acredita que formato é “revolucionário” (Foto: Reprodução / Blachman)

Esse é roteiro do polêmico programa Blachman, exibido semanalmente no horário nobre da TV pública da Dinamarca (Dr TV). Diversos meios de comunicação da Europa e os próprios dinamarqueses tratam o programa como o mais machista da história.

A acusação de observadores de Diretos Humanos é na forma como as mulheres são tratadas – como objetos. As protagonistas ficam em silêncio em todo o programa e não podem responder às “análises”. As convidadas escutam comentários como “esse é o tipo de peito que o homem quer”.

O apresentador e diretor Thomas Blachman se defende dizendo que o programa tem um caráter revolucionário, pois pretende discutir a estética do corpo feminino sem permitir que a conversa seja “pornográfica ou politicamente incorreta”.

“Agora as mulheres podem entender o que os homens pensam sobre o corpo delas”, afirmou o diretor ao jornal Daily Mail.

mulheres nuas tv tinamarca blachman

Muitos telespectadores acusam o show de humilhar as mulheres que participam da “análise”

Muitos telespectadores reagiram com indignação ao programa. Os dinamarqueses acusam o show de humilhar as mulheres que participam da “análise”. Existem movimentos nas redes sociais que pedem a retirada imediata de Blachman do ar.

Em vídeo divulgados pelo portal LaSexta, mulheres de diferente idades aparecem nuas sendo analisadas por Thomas Blachman e um amigo – sempre um convidado novo ajuda o apresentador. A cena que mais impressiona é uma mulher idosa também ouvindo as críticas.

A diretora da emissora, Sofia Fromberg, defende o projeto dizendo que é do interesse feminino conhecer qual é o desejo masculino: “Para ser bem sincera, qual é o problema disso?”, indaga.

Dodô Calixto, Opera Mundi

Fotógrafa cria série sobre sensação de ‘semente’ no corpo após gravidez

Quebra de protocolo do Papa dá trabalho aos seguranças

A espontaneidade do Papa Francisco tem encantado fiéis que comparecem no Vaticano para ver o Pontífice, enquanto seguranças trabalham em dobro para garantir a segurança do líder da Igreja Católica. Na manhã deste domingo, Francisco surpreendeu a todos ao ir do lado de fora da paróquia Santa Ana – onde celebrou uma missa antes do Angelus – e cumprimentar pessoalmente os presentes. Durante vários minutos, ele abraçou as pessoas, deu beijos em crianças e pediu que todos continuassem a rezar por ele.

O Papa também conversou com Pietro Orland, irmão de Emanuela Orlandi, uma menina cidadã do Vaticano que desapareceu em 1983. O caso virou um mistério para autoridades e uma polêmica para religiosos. De acordo com relatos do “La Repubblica”, a família da jovem havia pedido diversas vezes para se reunir com Bento XVI, mas a solicitação nunca foi aceita. No entanto, o diário afirma que Francisco prometeu encontrar e conversar com Pietro.

Francisco chegou na Igreja em um carro preto, mais uma vez dispensando a limusine papal, e imediatamente se aproximou das centenas de pessoas que haviam se reunido no portão para vê-lo. Ele cumprimentou os fiéis por um momento e apontou para o relógio de plástico em seu pulso para sinalizar que ele tinha que entrar para rezar a missa.

Em seu primeiro dia como Papa, ele voltou ao hotel onde tinha se hospedado em Roma – antes do conclave – para pagar a conta mesmo levando em conta que o local é administrado pela própria Igreja. Segundo ele, sua decisão foi um gesto de exemplo a outros religiosos que não se preocupam em pagar as diárias.

Desde o início de seu pontificado, Francisco tem demonstrado outras diferenças sutis em relação a seus antecessores. A exemplo do que fizera no dia de sua eleição, ao saudar a multidão da sacada da basílica, o Pontífice chegou à Capela Sistina usando no peito uma cruz de prata, típica dos bispos, em vez da cruz dourada do papado. Da mesma forma, ele dispensou a estola papal, que vestiu apenas para dar a bênção Urbi et Orbi e tirou em seguida.

‘BBB 13’: Kamilla, conta que pediu para ver parte íntima de Elieser e esnoba ensaio para ‘Playboy’

Empresa planeja montar primeiro escritório nudista

Organização inglesa está em processo de recrutamento de programadores que desejem trabalhar nus.

A empresa inglesa de software Buckinghamshire está se preparando para contratar mulheres que saibam programar aplicativos para web, e que estejam preparadas para trabalhar nuas. Esse seria o primeiro escritório de uma organização focada em programação no modelo naturista.

O porta-voz da organização, Chris Taylor, diz que o mercado não vê a iniciativa com bons olhos. “Porque ele é o primeiro estabelecimento do mundo, é difícil para anunciar – muitos parecem confundir a questão de estar sem roupa como sendo um lugar sem preocupações com a liberdade pessoal, onde o sexo é fundamental em suas muitas formas variadas”.

A equipe será formada tanto por homens como mulheres. “Sexo não tem um papel no naturismo. – sim, é preciso estar consciente das diferenças de sexo e tamanho, forma e idade de todos, mas a preocupação é sobre as vendas e capacidade técnica, não disponibilidade”, comentou Taylor.
O anúncio no site da Buckinghamshire diz: “Novos candidatos serão obrigados a trabalhar nu a partir do momento em que chegam ao escritório até que o deixem para voltar para casa”. Vale lembrar que os clientes não possuem contato direto com a equipe de vendas, apenas por telefone ou email.

Fonte: Baixaquí

Museu de Viena aceita visitantes sem roupa em exposição sobre nus

Filho alcoólatra bate na mãe após exigir dinheiro para beber


Imagem ilustrativa

Mais um caso de agressão física foi registrado nesta sexta-feira (04) na Paraíba. Desta vez, uma idosa de 77 anos foi atacada pelo próprio filho, que lhe exigia dinheiro para beber na cidade de São João do Rio do Peixe, localizada no Sertão do Estado.

Maria Miguel de Sousa estava em casa quando seu filho, Francisco Miguel de Sousa de 44 anos, que estaria bêbado, insistiu para que sua genitora lhe desse dinheiro para que ele continuasse a ingerir bebida alcoólica.

Como obteve resposta negativa da mãe, Francisco a agrediu fisicamente e só foi contido com a chegada de uma guarnição da Polícia Militar. O agressor foi encaminhado à Delegacia, onde permanece detido.

Agressão em JP

De acordo com o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena em João Pessoa, o jovem Kelvin Lira de Sousa, 20 anos, foi agredido fisicamente nesta sexta-feira (04), no Bairro de Mandacaru. O paciente foi conduzido por um carro particular, passou por procedimentos médicos de emergência e segue em atendimento. Seu estado de saúde é considerado regular.

Morre aos 105 anos Dona Canô, mãe de Caetano Veloso e Maria Bethânia.

Claudionor Viana Teles Veloso, também conhecida como Dona Canô, mãe dos cantores Caetano Veloso e Maria Bethânia, morreu nesta terça-feira (25), dia de Natal. Ela tinha 105 anos e faleceu em casa, na cidade de Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano.

dona canô

Dona Canô fo internadada no dia 15 de dezembro, no Hospital São Rafael, em Salvador, após sofrer uma isquemia cerebral transitória. Durante o tratamento, a matriarca da família Veloso apresentou uma discreta melhora no seu quadro de saúde erecebeu alta na tarde de sexta-feira (21). Os médicos recomendaram que ela continuasse o tratamento em casa.

A idosa teria pedido um vestido branco para deixar o hospital. Ela voltou para sua residência acompanhada da filha Mabel. Maria Bethânia acompanhou a locomoção da mãe em outro carro.

O aniversário de 105 anos de Dona Canô foi comemorado no dia 16 de setembro de 2012. A família reuniu amigos para a tradicional missa, que foi celebrada pelo padre Reginaldo Mazotti. A festa aconteceu em casa, no município de Santo Amaro. Regina Casé esteve entre os convidados.
No total, Dona Canô teve oito filhos. Clara, Roberto, Caetano, Bethânia, Rodrigo e Mabel era biológicos. Irene e Eunice foram adotadas. A sua filha adotiva, também conhecida como Nicinha, morreu de insuficiência respiratória em agosto de 2011, aos 83 anos.

Dona Canô ficou viúva em 1983, quando “Seu Zeca” faleceu aos 82 anos.

O golpe de Roberto Gurgel

TRE-SP considera ilegal substituição de candidato às vésperas de eleições

PM prende homem considerado o terceiro mais procurado do RN, é de Montanhas e que responde por assalto na comarca de Nova Cruz

Perillo cita Carolina Dieckmann e provoca risos de parlamentares durante sessão da CPI

Canibalismo pode ser novo efeito de droga

O crime no poder

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 48 outros seguidores