Câmara Criminal conclui ano com mais de 2,6 mil processos julgados

Índice

No encerramento das atividades jurisdicionais da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, nesta terça-feira (16), a presidente do órgão, desembargadora Maria Zeneide Bezerra destacou os objetivos alcançados este ano pelo colegiado. “Uma das marcas que conseguimos imprimir na Câmara foi a celeridade processual”, mencionou a magistrada de Segundo Grau, que tem como colegas na unidade, os desembargadores Glauber Rego e Gílson Barbosa. Em 2014, foram realizadas 48 sessões.

Os três desembargadores ouviram elogios dos advogados presentes que ratificaram a celeridade do colegiado na apreciação de feitos. A quantidade de processos julgados de 13 de janeiro a 16 de dezembro é de 2.647 feitos. Quase metade desse total refere-se a Habeas Ccorpus, 1.173 ações desta modalidade. Em segundo lugar, foram apreciadas 1.123 Apelações Criminais. Os magistados também analisaram recursos em sentido estrito, ex officio, agravos e embargos de diversas especíes.

A Câmara também possibilitou em várias sessões a palavra aos profissionais do direito. Cento e noventa e seis requerimentos para sustentação oral foram protocolados naquele órgão. Este ano, o órgão realizou o julgamento da Apelação Criminal nº 2012 008163-6, condenando 17 réus por corrupção em relação à votação do Plano Diretor de Natal, em 2007, caso que resultou na “Operação Impacto”. A sessão realizada em 20 de novembro durou mais de oito horas.

Em 2013, a Câmara julgou 2.519 processos, sendo a maioria Apelações Criminais 1.193, seguido dos pedidos de Habeas Corpus 948 e Recursos em Sentido Estrito 234.

“Nossa obrigação é prestar o melhor serviço possível à população e quando divulgamos os números de nossa atuação, damos uma satisfação ao jurisdicionado, mostrando a produtividade alcançada”, destaca a presidente da Câmara Criminal.

Portal Judiciário

Assembleia aprova salário mínimo de R$ 905 em São Paulo

Índice

Deputados estaduais aprovaram na terça-feira (16) o reajuste do salário mínimo paulista dos atuais R$ 810 para R$ 905. A mudança havia sido enviada para a Assembleia Legislativa no começo do mês pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Segundo o tucano, o reajuste de 11,75%, que passa a valer em 1º de janeiro do ano que vem, ocorre porque o estado recebe pessoas de todo o país e tal aumento valoriza o trabalho delas. O percentual do reajuste é superior ao do mínimo nacional previsto para o ano que vem (que passou dos atuais R$ 724 para R$ 788,06 – aumento de 8,8%).

O mínimo estadual é voltado para trabalhadores da iniciativa privada que não possuem piso salarial definido por lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho. Em 2015, serão duas faixas salariais mínimas: R$ 905 (para domésticos, agropecuários, ascensoristas, motoboys) e R$ 920 (para operadores de máquinas, carteiros, cabeleireiros, trabalhadores de turismo, telemarketing).

G1

Atenção: Troca do extintor de veículos será obrigatória em 2015

images

Você se considera um cara zeloso com o carro? Água do lavador, óleo do motor, fluido de arrefecimento, calibragem dos pneus e do estepe (você não esquece dele, certo?) estão todos em dia? Legal. E o extintor de incêndio?

A partir de 1º de janeiro de 2015 todos os carros em circulação deverão ser equipados com extintor de incêndio com pó químico do tipo ABC. A lei foi aprovada em 11 de novembro de 2009 e deu cinco anos de prazo para a adequação. Atualmente, os carros podem rodar com os extintores do tipo BC e ABC. O primeiro tipo, BC, é designado para combater incêndio causado por líquidos inflamáveis e equipamentos elétricos, mas não é recomendado para materiais sólidos como tecidos, espuma, plásticos e borrachas.

Por isso, o Conselho Nacional de Trânsito decidiu tornar obrigatório o uso do extintor ABC — o “A” designa a capacidade de combater chamas em materiais sólidos.

O extintor ABC já é adotado nos carros zero quilômetro desde 2005 e, apesar de ter validade de cinco anos, não pode ser recarregado e é mais caro que o BC. Por isso proprietários acabavam comprando extintores BC, que têm validade de três anos e podem ganhar uma recarga com validade de mais um ano — quatro anos no total. A economia até valia a pena dependendo do ponto de vista, pois o extintor BC custa, em média, metade do preço do ABC.

Quem optou pelo extintor BC recentemente não poderá esperar o prazo de validade acabar: todos os carros de passeio, utilitários, caminhões, ônibus e triciclos fechados (os tuk-tuks) serão obrigados a portar o novo tipo ABC. Quem não tiver o extintor novo, ganhará multa de R$ 127,69 e cinco pontos na CNH, além de ficar com o veículo retido para regularização — você terá que ir correndo comprar um extintor e voltar para ter o carro liberado.

Contudo, desde 2009 alguns pontos de venda já vêm alertando os motoristas sobre essa obrigatoriedade — até por que é uma forma de vender o produto mais caro; um extintor ABC custa entre R$ 50 e R$ 60 —, então é provável que seu carro já esteja dentro da nova lei, caso você seja um cara atento ao extintor.

A obrigatoriedade (como tudo o que é imposto) gera opiniões controversas. Há quem defenda a importância de se ter um extintor no carro — especialmente quem já precisou usá-lo—, e há quem ache que ele seja totalmente dispensável por servir apenas para combater o incêndio em fase inicial, algo que depende da rápida identificação da situação, entre outros fatores.

Os extintores de incêndio são obrigatórios nos carros brasileiros desde 1968. Nos EUA, na União Europeia, Noruega e Suíça os carros de passeio são dispensados de portar o extintores, mas utilitários e ônibus são obrigados. Alguns países apesar de não obrigar o equipamento recomendam que se tenha um extintor no carro. Outros países como Israel, Rússia, Romênia, Hungria e Islândia obrigam o porte do equipamento.

TSE concede registro de candidatura a Paulo Maluf

TSE concede registro de candidatura a Paulo Maluf

Foto: Reprodução
 Após sucessivas derrotas, o deputado Paulo Maluf (PP-SP) teve deferido o seu registro de candidatura. Assim, ele será diplomado e assumirá um novo mandato a partir do ano que vem, após ser eleito com 250 mil votos. A validação do sufrágio de Maluf alterará a composição da Câmara. O cálculo será refeito pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo.

O que favoreceu Maluf foi a mudança na composição da corte no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com a saída do ministro Admar Gonzaga e substituição de Tarcísio Vieira, o placar de setembro deste ano foi virado para 4 a 3. Diferente de Gonzaga, Vieira votou a favor de Maluf. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o recurso estava na pauta da sessão desde terça-feira (17), mas não foi chamado a julgamento por Dias Toffoli. Na ocasião, Gonzaga estava presente na corte.

Obama e Raúl Castro anunciam retomada das relações de Cuba e EUA

Os presidentes Barack Obama e Raúl Castro anunciaram nesta quarta-feira (17) o restabelecimento das relações dos Estados Unidos e Cuba.

O embargo comercial ao país caribenho, no entanto, permanecerá. Obama confirmou que Cuba libertou nesta quarta o prisioneiro americano Alan Grosse, em troca, três agentes de inteligência cubanos que estavam presos nos Estados Unidos voltaram à ilha. A transferência de Gross e dos cubanos Luis Medina, Gerardo Hernandez e Antonio Guerrero foram concluídas.

Os EUA anunciaram as seguintes medidas:

- restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países;
– facilitar viagens de americanos a Cuba;
– autorização de vendas e exportações de bens e serviços dos EUA para Cuba;
– autorização para norte-americanos importarem bens de até US$ 400 de Cuba;
– início de novos esforços para melhorar o acesso de Cuba a telecomunicação e internet.

As medidas incluem ações práticas como o restabelecimento de uma embaixada americana em Havana e a revisão da designação dada pelos EUA a Cuba de Estado que patrocina o terrorismo.

Obama também disse que espera um debate sério do Congresso norte-americano para que levante o embargo que o país mantém a Cuba, que proíbe a maioria das trocas comerciais. Os dois países não se relacionavam desde 1962 – mantendo apenas seções de interesse de nível menor desde 1977 em suas respectivas capitais.

EUA-Cuba (Foto: Doug Mills/Pool/Reuters, Reprodução/Reuters)Barack Obama e Raúl Castro durante seus pronunciamentos
(Foto: Doug Mills/Pool/Reuters, Reprodução/Reuters)

Obama disse que a normalização das relações com Cuba encerram uma “abordagem antiquada” da política externa americana. Ao justificar a decisão, o presidente disse que a política “rígida” dos EUA em relação a Cuba nas últimas décadas teve pequeno impacto.

O presidente americano afirmou acreditar que os EUA poderão “fazer mais para ajudar o povo cubano” ao negociar com o governo da ilha.

Ele usou uma frase em espanhol durante o discurso: “Todos somos americanos”.

“A mudança é difícil nas nossas vidas e na vida das nações. E a mudança é ainda mais difícil quando nós carregamos a carga pesada da história nos nossos ombros. Mas hoje nós estamos fazendo essas mudanças porque é a coisa certa a fazer.”

Em Havana, Raúl Castro confirmou o restabelecimento de relações diplomáticas e disse que quer restabelecer os vínculos especialmente no que se refere a viagens, correio postal direto e telecomunicações.

“Exorto ao governos dos Estados Unidos a remover os obstáculos que impedem os vínculos entre nossos povos”, disse Castro.

‘Profundas diferenças’
Castro disse ainda que reconhece que há “profundas diferenças” entre os dois países, “fundamentalmente em matéria de soberania nacional, democracia, direitos humanos e política exterior”, para em seguida completar: “Reafirmo nossa vontade de dialogar sobre todos esses temas.”

O presidente cubano ainda disse que a ilha vai libertar e mandar para os EUA um homem de origem cubana que espionou para os americanos — não se trata, nesse caso, de Alan Gross, que já está em solo americano.

Papel do Vaticano
Obama e Castro mencionaram o papel do Vaticano e do Papa Francisco em facilitar as negociações históricas entre os dois países. Obama dissse que o Papa ajudou ao pressionar pela libertação do americano Alan Gross. Raúl Castro também agradeceu o apoio do Papa Francisco para “ajudar a melhorar as relações entre Cuba e os EUA”. Ele também agradeceu ao Canadá pelo apoio logístico.

Após o anúncio, Papa Francisco parabenizou os dois países e disse que continuará a apoiar o fortalecimento das relações bilaterais.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que a troca de prisioneiros entre EUA e Cuba foi um gesto “corajoso” do presidente Barack Obama e que tratou-se de uma vitória para a ilha. “Temos que reconhecer o gesto de Obama, um gesto corajoso e necessário”, disse Maduro a líderes do Mercosul em reunião na Argentina. G1

Servidores estaduais ameaçam grande mobilização caso salários não sejam pagos

images

Representantes de vários sindicatos que compõem o funcionalismo público estadual se reuniram na tarde desta terça-feira (16), para discutir as contas do governo do estado e a ameaça de não pagamento dos salários e do 13º no fim do ano. Servidores ameaçam grande mobilização caso salários não sejam pagos. De acordo com o presidente do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sinpol/RN), Djair Oliveira é lamentável chegar ao fim do governo atual com essa informação. “Os servidores trabalharam e querem receber os seus salários, porque são direitos legais assegurados pela Constituição Federal”, declarou.

Ainda de acordo com Djair, uma grande movimentação deve ser definida pelos sindicatos e uma possibilidade de greve não está descarada. “Estamos aqui justamente para discutir a possibilidade de uma grande movimentação dos trabalhadores, porque não vamos aceitar de maneira nenhuma que o governo do estado deixe de cumprir com a sua obrigação que é pagar os nossos salários”, argumentou.

NoAr

IFPB oferta 1.180 vagas para Ensino Superior Presencial

Índice

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) oferta 1.180 vagas para os 33 cursos superiores presenciais da Instituição, nas modalidades licenciatura, bacharelado e tecnologia. As vagas são para os campi de Cabedelo, Cajazeiras, Campina Grande, Guarabira, João Pessoa, Monteiro, Patos, Picuí, Sousa e Princesa Isabel.

A seleção se dará por meio do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), que toma por base as notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A previsão para a abertura das inscrições é para janeiro de 2015, após a divulgação do resultado do Enem. Cada candidato pode fazer até duas opções de curso. Durante o período de inscrição, o candidato pode modificar suas opções quantas vezes julgar conveniente. Será considerada válida a última inscrição confirmada.

Em breve, o IFPB disponibilizará em seu portal um hotsite com informações sobre os cursos. Os cursos ofertados são: Tecnologia em Design Gráfico, Análise de desenvolvimento de Sistemas, Automação Industrial, Telemática, Construção de Edifícios, Gestão Comercial, Design de Interiores, Geoprocessamento, Gestão Ambiental, Negócios Imobiliários, Redes de Computadores, Sistemas de Telecomunicações, Sistemas para Internet, Segurança no Trabalho, Agroecologia e Alimentos. Licenciaturas em Matemática, Física, Química, Educação Física e Bacharelados em Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Medicina Veterinária e Administração.

Gonzaguinha, com o coração sangrando

O economista, cantor e compositor carioca Luiz Gonzaga do Nascimento Junior (1945-1991), mais conhecido como Gonzaguinha é, sem dúvida, um dos maiores talentos da Música Brasileira em seus diversos estilos populares. Sua obra teve, inicialmente, como característica sua postura de crítica à ditadura militar. Gonzaguinha derrama a imensidão de sua dor através do cantar, na letra de “Sangrando”,  pois o canto é dor que faz sangrar e isso precisa ser entendido, ou seja, ele canta o que vive e vive aquilo que sua voz entoa, uma vez que é no canto que se entrega, diz de si, compõe sua história, insere-se no mundo. Cantor de si e do mundo ao redor, ele canta as lutas individuais e coletivas. Cantar, para ele, é estar à disposição do próprio canto: da vida, da alegria, da dor e tudo sangra, para o bem e para o mal. A música “Sangrando” faz parte do LP Gonzaguinha: de volta ao começo, gravado em 1980, pela EMI-Odeon.

 

SANGRANDO
Gonzaguinha

Quando eu soltar a minha voz
Por favor entenda
Que palavra por palavra
Eis aqui uma pessoa se entregando

Coração na boca
Peito aberto
Vou sangrando
São as lutas dessa nossa vida
Que eu estou cantando

Quando eu abrir minha garganta
Essa força tanta
Tudo que você ouvir
Esteja certa
Que estarei vivendo

Veja o brilho dos meus olhos
E o tremor nas minhas mãos
E o meu corpo tão suado
Transbordando toda a raça e emoção

E se eu chorar
E o sal molhar o meu sorriso
Não se espante, cante
Que o teu canto é a minha força
Pra cantar

Quando eu soltar a minha voz
Por favor, entenda
É apenas o meu jeito de viver
O que é amar    

site Poemas & Canções

Antonia Fontenelle nega affair com ex-presidente do Supremo

Antonia Fontenelle nega affair com ex-presidente do Supremo

Foto: Reprodução / Instagram

 A atriz Antonia Fontenelle negou que esteja tendo um caso com o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. “Eu não estou acreditando nesse carnaval todo que estão fazendo por causa disso. É um desrespeito com o Joaquim! Pra mim é Deus no céu e ele na Terra. Estão me desrespeitando também.

É tudo um grande absurdo”, disse para a coluna “Gente Boa” do jornal O Globo. Os boatos surgiram no final de semana passado, após a atriz ter sido vista ao lado do ministro aposentado, quando saiam de um teatro, localizado no bairro do Leblon, no Rio de Janeiro. Os dois assistiram ao espetáculo “Elis, a Musical”. No mesmo dia, mais cedo, a atriz havia postado uma foto no seu perfil no Instagram ao lado de Barbosa.

Arrocha de Pablo ganha destaque em veículo nacional e gera ‘sofrência’ pelo país

Arrocha de Pablo ganha destaque em veículo nacional e gera 'sofrência' pelo país

Foto: Divulgação

O cantor baiano Pablo foi destaque em uma matéria do jornal Folha de S. Paulo neste domingo (14), depois que a sua música “Homem não chora” viralizou na internet, com vídeos de fãs – e cachorros, e papagaios – chorando por causa da música. À TV Folha, ele revelou que evita ouvir o próprio trabalho, principalmente quando está mais vulnerável. “Se eu estiver brigado com a mulher em casa, não escuto meu trabalho, senão me acabo na cachaça e choro demais”, revela. A “sofrência” levou a, pelo menos, 50 vídeos no YouTube, que somam 2,5 milhões de visualizações.

De acordo com Paulo César de Araújo, autor do livro sobre o brega “Eu Não Sou Cachorro, Não”, de 2002, tal comoção acontece por causa da veneração do ídolo e da identificação com os temas das músicas. “Como o samba, que agoniza mas não morre, o brega incorpora influências para se reinventar e manter o interesse do público”, diz Araújo. A diretora Ana Rieper, do documentário Vou Rifar Meu Coração, de 2011, investiga a relação afetiva entre o público e os artistas do brega. “Pablo é puro melodrama, chega a pedir socorro para a amada na música que está no filme.

[Os vídeos com chorosos mostram que] o Brasil é tão melodramático que não basta chorar, tem que postar, mostrar, exagerar. É a nossa alma romântica, que vai com tudo na expressão exacerbada do sentimento”, affirma Rieper.

Lola Melnick estampa a última capa da ‘Playboy’ em 2014; veja as fotos! clicando AQUI

ROSALBA E ROBINSON MOSTRAM ENTROSAMENTOS DURANTE O SEMINÁRIO DO RN SUSTENTÁVEL

Que a governadora Rosalba Ciarlini votou no governador eleito Robinson Faria, isso não é mais novidade no Rio Grande do Norte. Mas, durante o primeiro dia do Seminário de Avaliação de Implementação do Programa RN Sustentável, os dois mostraram entrosamento. Robinson chegou a Escola de Governo depois da abertura, quando a mesa já tinha sido desfeita.

Rosalba foi até a entrada da Escola de Governo e entrou no auditório com Robinson. Os dois sentaram juntos na primeira fila, ao lado do Diretor de Operações do Banco Mundial, Boris Utria, da senadora eleita Fátima Bezerra, dos deputados Fábio Faria e Fernando Mineiro, além da esposa de Robinson, Juliane Faria, que chegou no início do evento. Todos almoçaram juntos no Restaurante Abade, juntamente com os técnicos do Banco Mundial. Fotos: Divulgação.

Robinson e Rosalba_RN Sustentavel3 Robinson e Rosalba_RN Sustentavel2 Robinson e Rosalba_RN Sustentavel1Marcos Dantas

A despedida de Geraldo Vandré e Geraldo Azevedo

“Canção da Despedida” é a única parceria de dois Geraldos, os cantores e compositores  Geraldo Pedrosa de Araújo Dias, o Geraldo Vandré, paraibano, com Geraldo Azevedo de Amorim, o Geraldo Azevedo, pernambucano.

Para entendermos melhor a letra desta música devemos saber que Geraldo Vandré foi um dos que sentiram fortemente o peso da ditadura militar. E a maior responsável por isso foi sua canção “Pra não dizer que não falei de flores”, ou “Caminhando”, apresentada no III Festival Internacional da Canção, no dia 29 de setembro de 1968. A canção ficou em segundo lugar (perdeu para “Sabiá”, de Chico e Tom Jobim, que receberam a maior vaia de suas vidas), mas foi cantada e recantada pelo público e chamada como a “Marselhesa Brasileira”.

Antes mesmo de a canção ser proibida oficialmente no dia 23 de outubro de 68, os discos já eram apreendidos, e Vandré vivia na paranoia de ser preso. Medo que se intensificou na sexta feira 13 de dezembro de 1968, quando veio o AI-5, uma das passagens mais vergonhosas da nossa história, que fechava o Congresso, suprimia garantias individuais (como o habeas corpus) e fazia com que a ditadura mostrasse sua face mais horrenda.

Vandré era advogado, e sabia dos riscos que corria, passou a esconder-se, viver na clandestinidade, mesmo sem saber se ele seria preso ou não, e, como relata Dalva Silveira, no seu livro “Geraldo Vandré: A vida não se resume em festivais (FT Editora), ele passou a planejar a fuga para um autoexílio. Mas, antes de fugir do Brasil, Vandré passou um tempo escondido com ajuda da viúva de Guimarães Rosa.

No período em que estava foragido, uma das pessoas que tinha acesso a Geraldo Vandré era Geraldo Azevedo, que integrava o “Quarteto livre”, banda que o acompanhara na turnê do show “Pra não dizer que não falei de flores”, cujo título, censurado, passou a ser “Socorro – a poesia está matando o povo”.

Geraldo Azevedo disse que, para ver Vandré, tinha que se comportar “como um militante de organização clandestina; entrava num carro, mudava para outro, fazia tudo para despistar pessoas da repressão que pudessem estar me seguindo para, por meu intermédio, chegar a Vandré”.

Nesse clima compuseram em parceriaa “Canção da Despedida”, cuja letra é absolutamente clara e explícita.

A primeira gravação de “Canção da Despedida” foi feita por Geraldo Azevedo no LP A Luz do Solo, em 1985, pela Polygram.

CANÇÃO DA DESPEDIDA
Geraldo Vandré e Geraldo Azevedo

Já vou embora, mas sei que vou voltar
Amor não chora, se eu volto é pra ficar
Amor não chora, que a hora é de deixar
O amor de agora, pra sempre ele ficar
Eu quis ficar aqui, mas não podia
O meu caminho a ti, não conduzia
Um rei mal coroado,
Não queria
O amor em seu reinado
Pois sabia
Não ia ser amado
Amor não chora, eu volto um dia
O rei velho e cansado já morria
Perdido em seu reinado
Sem Maria
Quando eu me despedia
No meu canto lhe dizia

site Poemas & Canções

PSB, SD, PPS e PV formam bloco partidário na Câmara


Agência Brasil 

Os líderes e presidentes nacionais do PSB, do SD, do PPS e do PV decidiram hoje (10) se unir e formar um bloco partidário para atuação na Câmara dos Deputados. Eles também criaram uma federação partidária, com as quatro legendas, para atuar unida politicamente pelos próximos quatro anos no Congresso Nacional.

A federação partidária, segundo nota oficial, reunirá uma bancada de 67 deputados federais que lhe dará em torno de 3 minutos e 30 segundos de tempo de propaganda no rádio e na televisão em campanhas políticas para as eleições municipais de 2016 e gerais de 2018.

Embora a decisão já tenha sido tomada, a criação do bloco e da federação partidária será oficializada na terça-feira (16) que vem, às 17h, na Câmara dos Deputados. O bloco partidário e a federação já começarão a atuar neste final de legislatura.

A decisão foi tomada durante reunião-almoço. Estavam presentes os presidentes do SD, deputados Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força, do PV, José Luiz Penna (SP), e do PPS, Roberto Freire (SP), além do presidente do PSB, Carlos Siqueira. Também compareceram os líderes do PSB, Beto Albuquerque (RS), do SD, Arthur Maia (BA); e do PPS, Rubens Bueno (PR).

Irmão de ator de Boogie Oogie está desaparecido há mais de um mês

Irmão de ator de Boogie Oogie está desaparecido há mais de um mês

Fotos: Divulgação

O produtor cultural Giuliano Ricca, de 47 anos e irmão do ator Marco Ricca, está desaparecido desde o dia 19 de outubro. Ele saiu de São Paulo com destino ao Rio de Janeiro a trabalho, mas os familiares não conseguiram entrar em contato com o rapaz. A família fez uma denúncia na Polícia Civil de São Paulo que pediu sigilo à família.

Marco divulgou um comunicado nesta quinta-feira (11) sobre o assunto. A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo confirmou que o caso está sendo investigado, mas não deu mais detalhes. Marco Ricca, que interpreta Fernando na novela Boogie Oogie, preferiu não divulgar o caso antes “para não prejudicar o andamento das investigações e nem comprometer o sigilo das informações”. Confira o comunicado:

“Eu e minha família estamos passando por um momento muito difícil. Desde o dia 19 de outubro de 2014, meu irmão Giuliano Ricca, produtor cultural, desapareceu enquanto viajava em seu carro CRV Preta, placa EMO 9888, saindo de São Paulo para o Rio de Janeiro, pela Rodovia Presidente Dutra.

Durante todo este tempo contei com o apoio da Polícia Civil de São Paulo, que investiga o caso. A decisão de não divulgar o desaparecimento do Giuliano, até agora, mesmo com indagações por parte da imprensa, foi para não prejudicar o andamento das investigações e nem comprometer o sigilo das informações. Porém, chegamos a um ponto em que qualquer dado sobre o paradeiro do meu irmão é fundamental para a conclusão do caso. A família agradece o trabalho incansável da Polícia Civil de São Paulo, a solidariedade dos inúmeros amigos e o apoio da imprensa na publicação da foto abaixo.

Para informações sobre o Giuliano, por favor, entrar em contato com Centro de Comunicações do DHPP – CECOP, através do telefone (11) 3311-3950 e através dos emails cecop.dhpp@policiacivil.sp.gov.br e sia.dhpp@policiacivil.sp.gov.br

Marco Ricca”

Passaportes terão validade ampliada de 5 para 10 anos

Passaportes terão validade ampliada de 5 para 10 anos

Foto: Reprodução

Uma nova regra definida pela Polícia Federal determinou que os novos passaportes emitidos no Brasil terão validade de dez anos e não mais de cinco como era até então. O decreto publicado nesta sexta-feira (12) no Diário Oficial da União detalha que a medida é válida para passaportes comuns, oficiais e diplomáticos, além de carteiras de matrícula consular. O modelo de cor azul, implantado em 2010, tem taxa de confecção de R$ 156,07.

Quem tiver o modelo na cor verde pode optar por esperar o seu vencimento ou solicitar um novo documento no site da Polícia Federal. O decreto define, ainda, que passaportes emitidos no exterior sejam feitos apenas em repartições consulares. As missões diplomáticas foram excluídas no novo texto.

Novo salário terá valor arredondado para R$ 790,00

images

O relator do Orçamento de 2015, senador Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou ontem que o valor do salário mínimo previsto para vigorar no ano que vem será arredondado para R$ 790. O estabelecido na proposta orçamentária encaminhada pelo Executivo era de R$ 788,06. Esse incremento, disse Jucá, terá impacto de cerca de R$ 1,2 bilhão. O novo valor representa um aumento de 9,1% ou de R$ 66 em relação ao que está em vigor hoje, de R$ 724. “(O arredondamento) é exatamente para facilitar a vida dos trabalhadores, das empresas e para garantir um ganho real no reajuste”, afirmou Romero Jucá. O valor exato do salário mínimo de 2015 só será conhecido, no entanto, com um decreto editado pela presidente Dilma Rousseff no final do ano.

O mínimo é calculado a partir de uma forma que leva em conta a inflação do ano anterior e o crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. “Se houver alguma mudança na questão da inflação ou do crescimento, o salário mínimo é o resultado dessa equação. Se houver um número surpresa, o salário (mínimo) poderá ser ajustado até o fim da votação (do Orçamento)”, concluiu.

Anitta promete ficar pelada durante o programa ‘Amor & Sexo’ desta quinta

Anitta promete ficar pelada durante o programa ‘Amor & Sexo’ desta quinta

Foto: Divulgação // TV Globo

No programa “Amor & Sexo” desta quinta-feira (10), Anitta vai surpreender o telespectador. A funkeira afirmou que vai entrar se despindo inteira. “Vou entrar com chave de ouro me despindo inteira”, disparou Anitta em um vídeo divulgado no site do programa. Ela vai falar sobre fama e vida pessoal: “Eu tinha fama de louca, porque eu era né… Até hoje eu sou. Era a Larissa maluquinha do colégio. E pegadora também, porque eu passava o rodo na galera”.

Retorno de Marjorie Estiano à novela repete recurso dramatúrgico

Retorno de  Marjorie Estiano à novela repete recurso dramatúrgico

Foto: Reprodução
“Que m… está acontecendo? É truque?”, indagou o comendador José Alfredo (Alexandre Nero) quando se deparou com o Marjorie Estiano na pele de Cora no capítulo de Império do último sábado. Telespectadores desavisados devem ter feito as mesmas perguntas ao perceber que Drica Moraes, afastada por causa de uma faringite, não estava no papel. Entretanto, não é a primeira vez que o recurso é utilizado na teledramaturgia.

Em 1972, quando a novela O Primeiro Amor estava no ar, o ator Sérgio Cardoso teve, aos 47 anos, um ataque cardíaco na reta final da trama de Walther Negrão, causando comoção no público. O personagem passou a ser interpretado, então, por Leonardo Villar. A transição foi feita com todo o elenco e ajuda da pós-produção. Uma cena em que Cardoso saía pela porta foi congelada e, em off, Paulo José leu um texto para explicar a situação e relembrar o trabalho do colega morto. Em seguida, a cena recomeçava e Villar entrava pela mesma porta diante dos colegas de novela.

Vítima do mesmo problema de saúde, Jardel Filho morreu e bagunçou a história de Sol de Verão, no ar entre 1982 e 1983. O desfecho da novela ficou confuso.

O autor Manoel Carlos precisou da ajuda do colega Lauro César Muniz, responsável pelos capítulos finais. A solução para contornar o desaparecimento do ator na trama foi incluir uma viagem do personagem. Quando a produção terminou, Jardel Filho foi homenageado. Como a novela que substituiria Sol de Verão ainda não estava editada, uma reprise de O Casarão tapou o buraco.

Pouco antes de Marjorie ressurgir em Império, Alexandre Nero escreveu um longo depoimento em sua página do Facebook, em que se rasga em elogios pelas duas atrizes. Os nomes dos artistas e da trama chegaram a ficar na lista de assuntos mais comentados no Twitter durante o sábado (6).

O ator aproveitou para tirar sarro e brincar com o fato de que ele poderia ser substituído por Chay Suede, que encarnou José Alfredo na primeira fase da novela. “Alexandre Nero é um heterônimo do Chay. O Nero é o Chay com maquiagem, barba, cabelo e barriga postiças. Sinto decepcioná-los mais uma vez”, escreveu.

Saiba tudo o que rolou na gravação do especial de Roberto Carlos

Roberto Carlos durante gravação no Rio (Foto: Léo Martinez/EGO

Usando terno branco e uma camisa azul com estampa floral, Roberto Carlos chamou a atenção de todos na noite desta terça-feira, 9, durante a gravação do seu especial de fim de ano que aconteceu em uma casa de espetáculos na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Além do decote pouco tradicional, o cantor passou a maior parte da gravação exibindo apenas um lado da gola de sua camisa por fora do terno. Se foi tendência de moda ou alguma estratégia dos figurinistas, ninguém sabe ainda.

Alexandre Nero e Roberto Carlos (Foto: Isac Luz / EGO)

Alexandre Nero e Roberto Carlos

A noite foi marcada pelos duetos do Rei comAlcione – que cantou em espanhol -, Sophie Charlotte – interpretando a canção “Sua estupidez” (a mesma que ela cantou na novela “O rebu”) -, Luan Santana e Alexandre Nero, que arrancou gargalhadas do anfitrião ao questionar se ele já havia se apaixonado por uma mulher mais nova. E para alegria do público, Roberto respondeu afirmativamente.

Daniel Oiveira na plateia de Roberto Carlos (Foto: Claudio Andrade/Fotorio News)

Daniel Oiveira na plateia de Roberto Carlos

O ator Daniel Oliveira deixou para cumprimentar Sophie nos corredores do camarim. Na presença de poucos e selecionados flashes, os dois se beijaram. Apesar de ter chegado pela porta da frente da casa de espetáculos sem chamar atenção, Daniel adotou a lei do silêncio e fez questão de não dar entrevistas, sendo guiado ligeiramente por assessores desde a porta principal até as proximidades do palco onde permaneceu no anonimato.

. Galeria: Veja os famosos na gravação

Glória Maria beija Roberto Carlos em show no Rio (Foto: Claudio Andrade/ Foto Rio News)

Glória Maria beija Roberto Carlos em show no Rio

A gravação teve ainda um “beijo roubado”entre Roberto Carlos e a jornalista e apresentadora Glória Maria no momento em que a dupla relembrou uma dança que fizeram no ano de 2011, em Israel.

Sem a presença de nomes emblemáticos ligados à trajetória de Roberto, como o seu parceiro Erasmo Carlos, por exemplo, a plateia teve nomes populares como Viviane Araújo – rainha de bateria do Salgueiro e atriz da novela “Império” -, além de algumas pessoas ligadas ao carnaval, integrantes do elenco do humorístico “Zorra Total”, entre outros famosos.

Roberto Carlos e assistente na distribuição das rosas em gravação no Rio (Foto: Léo Martinez/EGO)

Roberto e assistente na distribuição das rosas

A hora mais aguadada por todos, sempre deixada para o final, é o momento em que o Rei distribui para a plateia rosas com um beijo seu. Na primeira fila para conseguir o mimo do cantor estavam Susana Vieira, Marina Ruy Barbosa e a atriz Simone Soares, que disputava com garra pela flor.

Ao todo foram distribuídos três buquês de rosas vermelhas e brancas mescladas, aproximadamente 50 unidades das flores. “Você já pegou essa p…, hein?” disparou Roberto do palco, sorridente e sem microfone, apontando uma pessoa que estava novamente na disputa pela rosa.

A situação ficou delicada por causa do encontro entre o ex-casal Marina Ruy Barbosa e Klebber Toledo. Sentados na mesma fileira, Klebber cumprimentou a ex-sogra e na sequência, após um longo papo com ela, recebeu um beijo no rosto de Marina que levantou da sua cadeira em direção ao ator. Na saída da gravação, Marina declarou ao EGO que sua atitude era completamente normal. Já Klebber,através de sua assessoria, contou que não tem amizade com a ex-namorada e que o cumprimento foi uma ação circunstancial.

O programa que relembra as viagens de RC por vários países do mundo, será exibido no próximo dia 23 de dezembro, logo após “Tapas & Beijos”. O roteiro foi escrito por Flavio Marinho e Marcel Souto Maior, com direção de núcleo de Luiz Gleiser, direção geral de Mario Meirelles e direção de Raoni Carneiro.

Roberto Carlos durante gravação no Rio (Foto: Isac Luz/EGO)

Roberto Carlos durante gravação no Rio: detalhe da gola exposta em apenas um lado do figurino
Roberto Carlos e assistente na distribuição das rosas em gravação no Rio (Foto: Isac Luz/EGO)

Roberto Carlos e assistente na distribuição das rosas em gravação no Rio (Foto: Isac Luz/EGO)
Roberto Carlos e assistente na distribuição das rosas em gravação no Rio (Foto: Isac Luz/EGO)

Roberto Carlos e assistente na distribuição das rosas em gravação no Rio (Foto: Isac Luz/EGO)
Roberto Carlos em show no Rio (Foto: Isac Luz/ EGO)

Roberto Carlos em show no Rio (Foto: Isac Luz/ EGO)
Ego

Pagamento da folha de dezembro não está garantida

unnamed

Em reunião com o governador eleito, Robinson Faria, e a equipe de transição na noite desta quarta-feira (10), o atual secretário de Planejamento, Obery Rodrigues, disse não ter garantia de que pagará toda a folha de pagamento do funcionalismo no mês de dezembro. Ele apresentou as dificuldades do Estado, sobretudo no que diz respeito à insuficiência de recursos frente às despesas crescentes com planos e folha de pagamento, principalmente, das secretarias de Saúde e de Educação, por exemplo. Com isso, do total de R$ 450 milhões da folha do mês de dezembro, deverão ficar sem pagar cerca de R$ 150 milhões.

Além do secretário de Planejamento, participaram da reunião os secretários de Tributação, José Airton, de Administração, Suely Nóbrega, o Controlador Geral do Estado, Anselmo Carvalho, e o Consultor Geral do Estado, José Marcelo Costa. O governador eleito, Robinson Faria, estava acompanhado dos integrantes da equipe de transição: o vice-governador Fábio Dantas, Julianne Faria, Tatiana Mendes Cunha, Frederico Lara, Leonardo Yure, Maria da Salete, Kalina Leite e Mário Sérgio.

Carteira de Habilitação terá novo modelo a partir de julho

A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) terá um novo modelo a partir de julho de 2015, com 28 dispositivos de segurança para impedir falsificação e adulteração.

O motorista que tem o modelo atual não precisa trocar o documento. A nova carteira será obrigatória para a primeira permissão para dirigir emitida a partir desta data, para renovação e substituição do documento em casos como perda e roubo. Com a mudança, a nova CNH passa a ter um número maior de dispositivos de segurança do que a atual. Entre eles está um código cifrado com informações criptografadas, que poderá ser lido por agentes de trânsito com o uso de aplicativos de celulares.

Esse item vai facilitar a identificação de fraudes. Há também mudanças de segurança na impressão. O modelo anterior tinha cerca de 20 itens de segurança.

Os documentos do veículo, que são os certificados de registro e de licenciamento, também terão mudanças e vão contar com 17 dispositivos de segurança. o objetivo é evitar falsificações e fraudes no pagamento de licenciamento e Imposto de Propriedade de Veículo Automotor.

As mudanças não vão alterar muito a aparência dos documentos, nem aumentar o custo para os condutores e proprietários de veículos, diz o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

O coordenador-geral de Informatização e Estatística do Denatran, Rone Evaldo Barbosa, explicou que os documentos precisam ser atualizados periodicamente com novos itens de segurança. A Carteira de Habilitação, por exemplo, não era atualizada há oito anos. Segundo Barbosa, os dispositivos vão coibir crimes e aumentar a segurança para o cidadão.

“As fraudes mais comuns são clonagem de veículos, evasão fiscal e fraudes contra seguradoras. De uma maneira geral, essa atividade também será coibida, uma vez que o infrator não conseguirá gerar os códigos de segurança que estarão no novo documento”, explicou Barbosa.

O novo modelo da habilitação foi elaborado durante discussões que envolveram órgãos como Denatran, Conselho Nacional de Trânsito, Polícia Federal, e departamentos estaduais de Trânsito.

A noite de folia será encerrada com a banda Timbalada com show no palco Skol

d6f9c61a625c2f3b42917c02c1ad922d-670x447

Após a estreia de Bell Marques, a  sexta-feira de Carnatal destaca a entrada da cantora Cláudia Leitte com o bloco largadinho na festa que transcorre até domingo no largo da Arena das Dunas e do irreverente Durva Lelys (Me Abraça), além do cantor Tuca Fernandes (Balada).  A entrada para os foliões será aberta às 16h.

Bell Marques será o primeiro a percorrer o corredor a partir das 18h. Em seguida virá o Largadinho, a partir das 18h30. Durval Lelys e o Me Abraça entram na avenida ada folia às 19h . O cantor faz sua estreia no Csarnatal como artista solo.

Por fim ás 20h30, Tuca Fernandes e o Bloco Balada serão os últimos a entrarem no circuito interno da festa .

A noite de folia será encerrada com a banda Timbalada, que  fez sucesso por divulgar a sonoridade afro-brasileira. O show será realizado por volta da 1h no palco da Arena Carnatal Fun Fest, após o encerramento do circuito dos blocos.

 Carnatal 2014

Sexta-feira18h
– Vumbora?! (Bell Marques)18h30
– Largadinho (Cláudia Leitte)19h
– Durval Lellys (Me Abraça)20h30
– (Balada)

PF indicia presidente e diretor do Metrô de SP por cartel

Captura de Tela 2014-12-05 às 10.09.09

De A Tarde:

O presidente e o diretor de operações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), respectivamente Mário Bandeira e José Luiz Lavorente, estão entre os 33 indiciados pela Polícia Federal no inquérito que investigou o cartel no setor metroferroviário que operou em São Paulo entre 1998 e 2008, nos governos de Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin.

Lavorente e Bandeira são os únicos servidores públicos que constam da lista de indiciados, entre doleiros, empresários e executivos das multinacionais que teriam participado de conluio para obtenção de contratos no Metrô e na CPTM.

A PF também indiciou funcionários e ex-funcionários das multinacionais Alstom, Siemens, Bombardier, Mitsui, CAF e TTrans. A lista dos 33 indiciados pela PF foi obtida pelo jornalista José Roberto Burnier, da Rede Globo.

Todas as pessoas indiciadas pela PF são investigados pelos crimes de corrupção passiva, ativa, formação de cartel, crime licitatório, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Cerca de R$ 60 milhões dos alvos estão bloqueados. O inquérito chegou à Justiça Federal na segunda-feira. Segundo a PF, as duas estatais “foram vítimas do ajuste das empresas”.

O nome do ex-diretor da CPTM, José Roberto Zaniboni, também está entre os 33 indiciados pela PF. Ele é acusado de receber propina das empresas via lobistas. O esquema foi revelado em outubro de 2013, pelo ex-diretor da Siemens, Everton Rheinheimer, em delação premiada à PF.

Em seu depoimento, Rheinheimer relatou sobre suposto pagamento de propina de multinacionais a deputados e funcionários públicos.

Zaniboni mantinha conta secreta na Suíça com saldo de US$ 826 mil. O dinheiro, segundo seu advogado, Luiz Fernando Pacheco, já foi repatriado pelo próprio Zaniboni, com recolhimento de impostos. Ontem, uma delegação de procuradores e promotores brasileiros iniciou em Berna reuniões com o Ministério Público da Suíça. A meta é identificar o percurso do dinheiro encontrado em contas em Zurique.

“Marx é possivelmente mais importante que Jesus”: como foi a palestra de Piketty em SP

por : Pedro Zambarda de Araujo

Pikkety em sua palestra na USP

Piketty em sua palestra na USP

 Estive ontem na Faculdade de Economia e Administração da USP, a FEA, para assistir a palestra do economista francês Thomas Piketty promovendo seu livro “O Capital do Século XXI”.

O escritor comparou Karl Marx com Jesus Cristo ao responder uma pergunta e explicou como seu livro não é sobre crescimento da desigualdade de renda, mas sim sobre concentração de capital e como isso atrapalha o crescimento econômico.

Embora os cursos de economia e administração sejam conhecidos por terem alunos e professores mais conservadores ou de direita, a plateia estava bem diversificada. Um dos presentes, sentado atrás de mim, estava usando uma camiseta vermelha com o símbolo da foice e do martelo.

Piketty explicou que seu livro trata de concentração de renda e não necessariamente do crescimento da desigualdade, sua consequência direta. “E não tenho problemas com as pessoas discordarem das minhas conclusões neste estudo, que inclui países latino-americanos. Em muitos casos, as ciências sociais podem apontar para conclusões particulares e há nações com casos muito peculiares, como é o próprio Brasil”, disse.

Tentou falar em inglês, embora seu sotaque de um francês carregado o tornasse complicado de entender.

O livro de Thomas Piketty é separado em quatro grandes partes, com seus temas: “1. Renda e Capital”, “2. A dinâmica da relação capital e renda”, “3. A estrutura da desigualdade”, “4. Regulando o capital no século XXI”.

A apresentação abordou mais a segunda e a terceira partes, que chamaram atenção tanto da mídia liberal quanto dos seguidores do marxismo econômico. Piketty avisou que os gráficos estão presentes na internet.

“No período pós-Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos e o Japão passaram por uma redução de desigualdade social entre 1930 e 1940. Entretanto, esse índice voltou a subir e o mundo está acompanhando esse fluxo de concentração, em maior ou menor escala”, mostrou Piketty através de tabelas. “Isso é um fenômeno cíclico. Se você melhora a distribuição do capital, isso diminui a desigualdade. Assumimos que isso é uma constante, mas por enquanto ninguém tem motivos para pensar de maneira diferente”.

“A Europa passou por uma situação diferente. A guerra provocou uma falta de investimentos na iniciativa privada, causando um impacto no pensamento europeu. Desta forma, geração de riqueza e fortalecimento do PIB através de ações estatais foram importantes para o desenvolvimento de um Estado de Bem-Estar Social. Todo mundo passou a ter acesso a moradia e estrutura financeira no Reino Unido, na França e na Alemanha, criando uma distribuição mais igualitária do capital”, pontuou, comprando ao caso dos EUA, em que a economia é baseada na concorrência supostamente meritocrática.

Thomas Piketty fez várias críticas sobre a situação econômica do Brasil.

“Há poucas informações fiscais realmente confiáveis na econômica brasileira. Isso é um problema para saber a real situação da distribuição de riqueza. O Brasil precisa de mais transparência para produzir informações que identifiquem quais grupos estão se beneficiando do crescimento nacional”, disse.

Curiosamente, Piketty está utilizando hoje tanto os dados do PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) do IBGE, que apontou uma redução de 50% para 45% da riqueza concentrada entre os brasileiros mais ricos entre 2007 e 2012, quanto dados da UnB dos pesquisadores Fabio Avila Castro, Marcelo Medeiros e Pedro H. G. F. Souzas, todos do Ipea.

Na segunda pesquisa, a riqueza dos 5% dos mais ricos no Brasil cresceu de 40% para 44% entre 2006 e 2012, de acordo com suas declarações de Imposto de Renda. Esse último levantamento foi divulgado em agosto deste ano e é inspirado nas pesquisas do próprio Thomas Piketty.

“Esse aumento da desigualdade social decorrente da concentração de renda deve mudar a forma como lidamos com demanda em tempos de globalização. As melhores universidades americanas, por exemplo, mantêm seus quadros, mas a situação de quem não tem acesso a uma educação de qualidade é preocupante”, criticou o economista. “O acesso à educação é um dos métodos para reduzir a economia desigual e ter um desenvolvimento mais saudável da riqueza”.

Após a palestra, foram chamados os economistas Paulo Guedes, colunista da revista Época e do jornal O Globo, fundador Instituto Millenium e do Banco Pactual, além de André Lara Rezende, ex-presidente do BNDES na gestão de Fernando Henrique Cardoso.

Rezende questionou se não existe mais mobilidade econômica e social com as mudanças nos rankings de bilionários de revistas como a Forbes, considerando que há até brasileiros enriquecendo e ganhando destaque. Piketty elegantemente discordou: “Uma mobilização similar existia no final século 19, quando surgiu uma empresa francesa de destaque como a L’Óreal e ainda existiam grandes oligopólios familiares”.

Paulo Guedes elogiou o livro, que critica até Karl Marx na questão do acúmulo infinito de capital. “Normalmente tratam Marx como Jesus Cristo, por isso sua obra é muito feliz na análise”, afirmou o economista brasileiro formado pela Universidade de Chicago. No entanto, ele questionou o foco da crítica apenas na concentração de renda e duvidou que um aumento de impostos para os mais ricos ajudaria a mudar a situação, considerando um quadro inflacionário alto e uma depreciação monetária na globalização.

“Marx é possivelmente mais importante que Jesus”, brincou Piketty. Em seguida, fez uma crítica direta ao raciocínio de Guedes: “Certamente é mais fácil imprimir dólares, mas é muito mais difícil e necessário redefinir os impostos. Eu prefiro taxas progressivas de impostos para controlar a riqueza. Muitos impostos como no Brasil não resolvem, e nem zerar as taxas deixando que o mercado se regule”.

Infiltração bolivariana na plateia

Infiltração bolivariana na plateia

 

“Comecei a abordar a questão da concentração de renda e a necessidade de mais igualdade a partir de Declaração dos Direitos Humanos e do Cidadão da Revolução Francesa de 1789. A desigualdade não é um problema em si, mas passa a prejudicar o crescimento econômico quando beneficia apenas alguns grupos ao invés do bem social”, frisou o francês.

Afirmou que sua análise passa longe de teses apocalípticas sobre a economia, mas aponta para problemas que podem se acirrar com a má distribuição de capital. “Este não é um livro pessimista, como alguns podem pensar. Eu acredito na globalização e em como todos podem se beneficiar dela. O problema é que falta transparência e a corrupção com desigualdade tornaram-se um pesadelo para países pós-revoluções. O Brasil tem esse problema, mas posso garantir que não é pior do que a China”, explicou.

Paulo Guedes questionou Piketty sobre como o PT fez o Brasil crescer nos últimos anos e agora levou a economia até um estágio de estagflação. Indagou novamente se um imposto sobre os mais ricos resolveria o atual problema. “Tive um debate interessante com Bill Gates sobre isso e ele me disse que não quer pagar mais impostos. Sugeriu uma taxação sobre o consumo”, respondeu.

“Eu entendo esse comentário, mas isso beneficiaria apenas ele, que investe em filantropia e não é consumista, embora ainda seja um dos maiores bilionários do mundo. Um pobre que consome muito ainda seria prejudicado por essa medida. Por isso, eu acredito muito mais em taxas proporcionais à renda, e não a outros parâmetros”.

Pedro Zambarda de Araujo
Sobre o Autor:
Escritor, jornalista e blogueiro. Atualmente escreve sobre tecnologia e games no site TechTudo. Teve passagem pelo site da revista EXAME. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, estuda filosofia na FFLCH-USP.
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 54 outros seguidores